História O Sogro De Ferro - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Homem de Ferro (Iron Man)
Personagens Anthony "Tony" Stark, Jimin, Jungkook
Tags Bottom!jimin, Homem De Ferro, Ironman, Jikook, Kookmin, Marvel, O Sogro De Ferro, Tony Stark, Top!jungkook
Visualizações 1.432
Palavras 4.690
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Famí­lia, Ficção, Fluffy, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eita, olha eu aqui.

Iria trazer o capítulo apenas amanhã, mas dado alguns problemas que vem acontecendo aqui do outro lado da tela, vou postar hoje.

Obrigada pelos comentários e favoritos. E sejam bem-vindos leitores novos <3

Espero que se divirtam e boa leitura!

Capítulo 3 - Capítulo 3


Fanfic / Fanfiction O Sogro De Ferro - Capítulo 3 - Capítulo 3

— Eu apenas estou dizendo que isso foi sacanagem de vocês, poderiam ter pedido a minha ajuda. Mas não, vocês foram sozinhos para uma missão que envolvia contrabandistas perigosos e voltaram de mãos vazias. — Tony reclamou, deixando suas sobrancelhas franzidas para deixar bem claro que estava irritado com Steve. O Capitão América havia montado uma equipe especializada dias atrás, liderando a mesma para ir de encontro a um grupo de contrabandistas especializados em roubos de grandes tecnologias.  

Encarou o médio visor 3D que pairava em sua frente. Do outro lado estava um Steve com seu semblante calmo, ou tentando permanecer assim.

— Tony, eu já disse, você não estava em condições. Você havia voltado de uma missão e estava completamente acabado. Até mesmo sua armadura falhou, fazendo com que você saísse dela. O que foi um erro, porque graças a isso você levou um tiro de raspão.

—  Você pode falar baixo ou quer um megafone para que todos te escutem? Acho que o presidente ainda não o ouviu. — Bufou irritado enquanto o encarava. Logo encostou os cotovelos na mesa e massageou as têmporas, Steve lhe irritava. Não importava quantos anos passassem trabalhando na mesma equipe. Aquele grupo era uma granada prestes a explodir a qualquer hora.

— Tony… —  O outro o encarou praticamente incrédulo. —  Você ainda não contou para Pepper ou para o seu filho que você quase levou um tiro?

— Porque isso é um assunto ótimo para se pôr a mesa enquanto jantamos. ‘’Oi amor, oi filho. Novidades? Eu tenho. Papai quase morreu com um tiro’’. Ridículo.

— Você pode parar com piadas quando estamos debatendo um assunto sério? Você é inacreditável, Stark. —  O loiro cruzou os braços e encostou na cadeira. Estava pronto para dar mais uma de suas lições de moral quando viu uma silhueta que não conhecia. — Quem é aquele?

Anthony seguiu com a visão a direção que o dedo do capitão apontava. Assim que virou sua cabeça completamente para trás, revirou os olhos quando encarou Jungkook.

—  Ah, aquele é o Dylan. — Voltou-se para a direção da mesinha que estava sentado, carregando a expressão de puro tédio. — O namoradinho idiota do meu filho.

— Oh! Jimin está namorando? —  Deixou um sorriso contido estampar seu rosto, montou pequenas peças do quebra cabeça em sua mente, chegando a uma pequena e simples conclusão. — Suponho que o nome dele não seja Dylan, então. Estou surpreso que esse conseguiu passar pela sua porta e ainda não está chorando, quer dizer, comparando com o que você fez com o último namorado que ele teve…

— Águas passadas, Steve. —  Revirou os olhos. — Quem vive de passado é museu e pelo visto você também. O que não me surpreende, você é velho demais.

— Tony, você foi processado pelos pais do garoto.

— Mas ele mereceu. —  Respondeu rapidamente, fazendo com que o outro se calasse por não ter argumentos. — Voltando o assunto da missão, eu estou irritado. E quer saber? Eu nem queria fazer parte dessa sua boyband anos cinquenta mesmo.

— Quem tem uma boyband? — Jimin perguntou de repente, entrando no campo de visão do videoconferência enquanto se abaixava minimamente para se enquadrar melhor no visor. — Oi, Steve. Como vai o pulso?

Rogers desencostou da cadeira enquanto abria um sorriso educado e levantava o pulso esquerdo, o articulando para mostrar que havia melhorado, ignorando o olhar interrogativo de Tony - certamente se perguntando que conversa era aquela.

— Bem melhor, obrigado. Segui suas dicas.

— Como sabia que ele tinha machucado o pulso? —  O Stark mais velho encarou o filho com certa curiosidade, pelo o que sabia, Jimin não mantinha contato com ninguém da sua equipe. Apenas conversava um pouco quando alguém dos vingadores estava na torre ao mesmo tempo que ele.

— Ele me contou uns dias atrás quando nós estávamos conversando pelo Skype.

—  E porque vocês estavam conversando pelo Skype?

— Porque antes ele me pediu ajuda para ensiná-lo a acessar o aplicativo, já que eu seria o único a não fazer chacota por ele não saber mexer. Pai, para de ser paranoico. —  Riu baixinho, ainda quase agachado ao lado da cadeira do mais velho. — Voltando ao assunto principal, quem tem uma boyband?

Steve revirou os olhos ao escutar aquilo novamente.

— Ninguém. Nós temos uma equipe que vai em missões, seu pai está irritado porque não foi convocado na última e agora ele está emburrado dizendo que somos uma boyband anos cinquenta. Por falar em missões, Jimin, seu pai tem algo muito importante para lhe contar. — Ergueu uma das sobrancelhas e deixou uma expressão séria no rosto enquanto encarava Anthony. Queria que o homem fosse sincero a respeito do último trabalho, afinal, quase perdeu a vida.

— Tenho sim. — Travou o maxilar e logo olhou para Jimin, completamente debochado. — O assunto importante envolve o capitão não saber mexer no skype e ligar para o filho dos outros pedindo ajuda.

— Pelo amor de deus. —  Jimin revirou os olhos, levantando-se e seguindo para longe. Se ficasse, sabia muito bem que iria presenciar uma conversa nada agradável com direito a insultos partindo do homem de ferro.

Caminhou até onde Jungkook estava, do outro lado da sala. O moreno estava em pé, perto há uma parede onde encarava algumas fotografias diversas. Passou uma das mãos pela costa dele e logo ficou em sua frente, sentindo o par de braços passar pela sua cintura e o abraçar confortavelmente.

—  O que tanto olha? — O loiro perguntou, buscando a fotografia que havia prendido a atenção de Jungkook.

— Essa. — Apontou para uma, onde Jimin aparentava estar em uma festa junto a outro rapaz que lhe abraçava.

— Ah, esse foi meu baile do último ano do ensino médio, depois da formatura. — Encarou a foto, praticamente nostálgico. A mesma havia saído um horror já que o ambiente estava repleto de luzes coloridas e a foto havia sido tirada com o flash ligado. — Esse ao meu lado é o meu ex, o Harry. Namoradinho de ensino médio.

Jungkook franziu o cenho e logo olhou para Jimin.

— Por que o seu pai guarda uma foto sua com a do seu ex?

— Sabia que iria perguntar isso. — Sorriu divertido. — Essa é a única foto que a Pepper conseguiu tirar, sabe como é, eu estava com meus amigos e namorado… queria apenas curtir a festa e não tirar fotos. Ela aproveitou uma brecha e tirou essa. Meu pai apenas a deixa aí porque ela mostra o meu último dia no ensino médio, se não fosse por isso, ela já estaria no lixo porque o Harry participa dela.

— Seu pai odeia todos os seus namorados?

— Mais ou menos, quer dizer, esse ele odeia e com razão. Harry foi um romance de cinema no começo e uma praga do Antigo Egito depois.

— O que houve? — Jeon perguntou baixo, ainda abraçando o namorado pela cintura enquanto olhavam a parede a frente.

— Bom, basicamente no começo nós estávamos naquela atração. Quem investiu primeiro fui eu, ele ficou meses naquela de ‘’eu não sei o que eu quero, eu não sei do que gosto’’, até que um dia ele cedeu. Eu me apaixonei muito rápido por ele, e por muito tempo eu acreditei que ele também se sentia da mesma forma em relação a mim. — Suspirou levemente. —  Até que um dia antes do meu aniversário e um mês depois da formatura ele começou a me ignorar, não atendia mais minhas ligações e havia me excluído da sua rede social. Obviamente eu fiquei sem entender, as coisas teriam sido diferentes se ele tivesse explicado a situação com calma e não ter agido como um idiota.

— Por que ele sumiu dessa forma?

— Eu fui até a casa dele para perguntar a mesma coisa, ele simplesmente me disse que aceitou namorar comigo porque estava confuso antes, não sabia se realmente gostava de garotos. Que provavelmente entrou na ideia porque era apenas um adolescente curioso que estava disposto a arriscar coisas novas. Nossa, naquele dia eu voltei para casa completamente magoado. Quer dizer, você põe muitas expectativas em alguém e a mesma pessoa vai e puxa o tapete debaixo dos seus pés. — Olhou atentamente a foto enquanto falava aquilo, não se sentia magoado ao tocar no assunto. O que era bom, significava que seu interior estava feliz e preenchido pela presença de outra pessoa. — Pela primeira vez meu pai me viu chorar por alguém naquele dia, ele me pôs para dormir e antes perguntou o que havia acontecido. Eu desabafei tudo, sem ao menos pensar no que Tony Stark iria fazer depois. —  Disse risonho. Um lado seu dizia que rir da situação era errado, o outro lado apenas se divertia.

—  O que ele fez?

— Meu pai ficou uma fera, na mesma noite enquanto eu dormia, ele vestiu a armadura e saiu de casa. Nem Pepper sabia para onde ele tinha ido, já que não avisou nada. Bom, de qualquer forma descobrimos que ele foi até a casa do Harry e levou o Dr. Banner consigo.

Jungkook encarou o loiro de forma interrogativa.

— Doutor Banner?

—  O Hulk. — Sorriu largo assim que viu a expressão assustada de Jeon. —  Foram até a casa dele e meu pai deu a maior lição de moral, dizendo que ele era um moleque egoísta e filho da puta. Enquanto isso o Hulk rugia atrás do meu pai, fazendo Harry ficar com medo como o meu pai queria. Óbvio que essa não foi a melhor ideia do ano, isso saiu nos noticiários e meu pai foi processado pelos pais dele. Sem contar nos gritos da Pepper no outro dia, dizendo que Tony havia sido imprudente já que o Hulk poderia se descontrolar mais uma vez, mesmo depois de tanto tempo o Banner conseguindo controlar o verdão.

— Eu não acredito que o seu pai fez isso. — Riu baixo e nervoso. Anthony realmente era um homem com quem não deveria brincar. Por um segundo imaginou uma cena na qual o Stark vinha com sua fúria para cima de si, quer dizer, ele teria coragem de fazer algo apenas por estar namorando seu filho?

— Nem eu, até hoje. Não vou mentir, apesar de ter ficado incrédulo no dia… meio que me senti bem com aquilo. No dia do julgamento, todas as mídias estavam vidradas na audição. Obviamente o meu pai perdeu o processo e teve que pagar bem caro para a família e de bônus uma multa por invadir uma propriedade e ficar gritando na frente de uma residência em plena madrugada. — Negou levemente com a cabeça. —  Mas você sabe que meu pai é cara de pau já que acompanha algumas das reportagens. Ele deu um jeito de sair por cima, fez o maior discurso dizendo que apenas fez o que qualquer pai faria se seu filho saísse machucado de alguma forma. E é claro que ele ganhou a simpatia das pessoas e praticamente ganhou o título de pai do ano nas revistas e tabloides da internet.

O moreno não resistiu e acabou por rir enquanto imaginava o Stark subindo em uma das mesas do tribunal, fazendo um discurso paternal e amolecendo os corações dos civis. Mesmo perdendo a batalha, Tony sempre dava um jeitinho de vencer a guerra. Achava aquilo um máximo, mesmo estando levemente preocupado. Pois isso significava que o homem de ferro não dava seu braço a torcer, o que seria um grande problema, pois havia percebido que o mais velho não tinha ido com a sua cara e fez questão de deixar isso claro.

— Seu pai é louco e um máximo. —  Disse bem baixo, apenas para Jimin ouvir. Sabia que Pepper estava distraída com algo na cozinha e o Stark estava discutindo com alguém pelo videoconferência. Mas todo o cuidado era pouco. Estreitou os olhos levemente em direção ao visor ao longe… aquele era o capitão américa? — Eu posso fazer uma pergunta?

—  Claro, o que quer saber? — Jimin virou-se para ele, enquanto mexia nos cabelos de Jungkook, aquilo era quase um vício seu.

— É que você não parece com o seu pai…

— Entendi onde quer chegar. — Sorriu compreensivo. — Meu pai me adotou quando eu era apenas um bebê, nem eu sei muito sobre o meu passado, só o básico. Sei que fui achado por alguém logo após a minha mãe morrer em um assalto a mão armada no meio da rua, parece que ela estava saindo do banco e não notou quando um homem seguiu ela. Isso teve um fim trágico e como a polícia não conseguiu entrar em contato com nenhum parente, pois aparentemente minha mãe morava sozinha aqui, eles me mandaram para um orfanato. Sabiam apenas meu nome e o nome dela, e a única coisa de valor que encontraram foi uma correntinha de ouro que estava por debaixo da blusa que ela usava no dia.

— Não precisa continuar se não quiser, amor. — O maior selou os lábios de Jimin, algo rápido e carinhoso. Como uma demonstração dizendo que sentia muito pelo passado do outro, mesmo não sendo culpa sua.

— Não, está tudo bem. Enfim, meu pai me contou que teve um tempo que ele realmente queria ter um filho, e já que ele não estava em um relacionamento sério com ninguém na época, resolveu adotar. É… —  Jimin acenou para o namorado. — Tony Stark saiu para passear e voltou com a ideia de adotar um filho. Acostume-se. Bom, ele visitou um orfanato, o mesmo onde eu estava. Ficou sabendo da minha história e pediu para me ver, depois disso ele decidiu que queria me adotar. Foi um processo bem rápido já que ele tinha um bom advogado e dinheiro no bolso. Ele me criou da melhor forma possível, e quando alcancei uma idade boa ele me explicou sobre a minha mãe. Disse que resolveu deixar o sobrenome ‘’Park’’ em meu nome, pois minha mãe nunca deveria ser esquecida já que ela com certeza fez algo para me proteger naquele dia. Também me entregou a correntinha que acharam com ela. Guardo o cordão com muito cuidado desde então.

Jungkook encarou as feições de Jimin atentamente enquanto tinha ele em seus braços, não estava surpreso por ele não estar abalado enquanto contava aquilo. Até porque o mesmo era apenas um bebê quando a tragédia aconteceu, não houve tempo do namorado construir memórias com a sua mãe e um elo forte.

— Você… não teve curiosidade por ir em busca do seu pai biológico?

O Stark mais novo negou com a cabeça.

— Não. Sabe, não acho que devemos procurar algo em um lugar onde não vamos encontrar nada. Talvez meu pai biológico tenha deixado minha mãe, talvez ela tenha escondido a gravidez e optado por cuidar de mim sozinha. Nunca irei saber, mas não ligo para isso. Pai é aquele que cria, quem acorda de madrugada para limpar fralda ou está sempre ali para tudo. Não importa se seja de sangue ou não. Por acaso se um dia esse homem resolver aparecer, não vai fazer diferença, eu já tenho um pai. — Respondeu com convicção enquanto olhava em direção a Anthony. Sentiu um beijo delicado em sua têmpora e logo voltou o olhar para o namorado, vendo ele sorrir afetuoso para si.

Poderia ter jogado os braços ao redor do pescoço do mesmo e tê-lo beijado profundamente… se não fosse pela voz animada de Pepper dizendo que o almoço estava pronto.

‘’Que deus nos livre de todo mal que a comida possa nos causar’’, Jimin pensou com um leve desespero, dado ao histórico da senhorita Potts na cozinha.

 

(...)

— E então, Jungkook, de onde você é? — A mulher indagou enquanto dava mais uma garfada na batata assada, que milagrosamente havia saído boa, mesmo sendo da segunda fornada que havia feito naquele dia… já que na primeira as batatas haviam queimado. As pessoas da internet e de canais culinários faziam o ato de cozinhar ser simples, o que não era bem assim.

— Eu sou de São Francisco. Eu estudava em uma faculdade lá na Califórnia, até que decidi trocar de curso e instituição.

— Hm, que curso você faz atualmente?

— Engenharia Biomédica.

— Nossa, isso é incrível. — Pepper respondeu enquanto sorria para o convidado, de fato, Jungkook era inteligente.

— É. — Anthony murmurou com certo descaso enquanto tinha a total atenção na comida, apenas levantou o olhar quando sentiu um chute em sua perna por debaixo da mesa. Se deu conta que havia sido a esposa já que a mesma tinha um olhar duro sobre si. Não estava gostando daquilo, até então, Jungkook aparentava ser perfeito demais. E Tony sabia que ninguém era perfeito daquela forma, o rapaz tinha que ter algum podre por debaixo daquela armadura de bom moço. Era como diziam… chute a merda que uma hora ela irá feder. — Então, Kurt, quantos anos você tem?

— Eu tenho vinte e quatro, senhor Stark. — Jungkook o encarou, optando por não corrigir seu nome mais uma vez. Já havia entendido que Tony estava fazendo aquilo de propósito, no começo havia até achado a situação engraçada… mas aquilo estava começando a lhe incomodar levemente.

— Você é apenas um ano mais velho que o Jimin. — Pepper sorriu enquanto apoiava o queixo na palma das mãos. Estava tentando fazer de tudo para deixar o ambiente confortável, mesmo que Tony não colaborasse consigo.

— Já tem planos para depois da universidade, Kurt?

Jungkook olhou para o namorado, enquanto compartilhavam um sorriso levemente animado.

— Na verdade, eu tenho sim. Eu e Jimin para ser mais específico.

—  Como assim? — Tony apoiou os cotovelos sobre a mesa, agora completamente focado na conversa e dando a devida atenção para o rumo que a mesma tomava.

— Pai, eu tenho uma coisa para contar… — Jimin sorriu animado enquanto se sentava com a coluna ereta na cadeira.— Eu decidi prestar o M.I.T quando eu terminar o curso em Harvard. Obviamente no M.I.T será voltado para a engenharia, quero focar na construção dos projetos que tenho em mente.  

Anthony não pôde evitar, acabou por sorrir largo assim que ouviu aquela notícia. Ver Jimin se interessando por entrar no renomado instituto tecnológico lhe deixava feliz, porque seria ali a chance de Jimin crescer na área que tanto queria e por fim desenvolver seu projeto, mesmo significando que ele ficaria mais alguns anos longe de casa e apenas o visitando em feriados e no natal.

— Jimin, essa notícia é incrível. Vai ser a chance de ouro, você vai trabalhar com grandes professores e vai sair de lá com um currículo perfeito para desenvolver o projeto que tanto quer. — Sorriu para o loiro, sentindo-se mais uma vez orgulhoso. Sequer podia esperar para se gabar sobre o filho para alguém.

—  Eu sei, não é incrível? Esse é meu último ano em Harvard, eu estou levemente ansioso. Quer dizer… e se o M.I.T não me aceitar?

— Amor, eles seriam loucos se não aceitassem você. —  Jungkook sorriu caloroso enquanto segurava a mão de Jimin sobre a mesa, ciente que os outros dois estavam atentos sobre si e o namorado.

— Eu digo o mesmo para você. Espero que nos aceitem.

—  Como assim? — Tony encarou os dois e logo pousou o olhar sobre o moreno. — Você também vai prestar para o M.I.T?

— Sim, só que irei entrar bem depois que o Jimin. Ainda falta mais um ano para eu me formar. — Sorriu animado. — Também irei prestar com foco na parte prática, que será a construção dos projetos. Finalmente as ideias vão sair do papel. Eu e Jimin temos planos de trabalhar juntos com nanotecnologia no futuro, o que irá causar grandes avanços tanto na área da física como na área da medicina.

— Meu projeto consiste na construção de um grande reator que irá produzir energia limpa. — Jimin se pronunciou, afastando o prato vazio para longe de si e limpando a boca com um guardanapo. — O plano principal é alimentar grandes e pequenas cidades usando energia limpa e incentivar a propagação dela dentro de outras empresas. Jungkook quer mexer com nanotecnologia para fazer novos protótipos para pacientes, sejam eles de renda alta ou baixa.

— Sim, a ideia é acharmos um material que seja de ótima qualidade mas não seja tão caro. Assim poderemos fabricar em massa e até a pessoa desfavorecida de dinheiro poderá ter a oportunidade de ter o aparelho em mãos. — Não conseguia falar sobre aquilo sem sorrir, mesmo passando por dificuldades dentro do seu curso, era aquele pensamento que o incentivava a seguir em frente. — Serão próteses para pessoas que perderam algum membro do corpo, mas ela irá fazer o mesmo movimento perfeito que uma mão ou uma perna fariam em estado saudável. Não apenas para pessoas que sofreram alguma amputação, mas também inclui aquelas que estão paraplégicas, se o projeto der certo… essas pessoas poderão andar novamente.

— Vai ser um grande avanço no campo da medicina. — O loiro encarou Jungkook, enquanto sorria para ele. — Sem contar que com a nanotecnologia poderemos até mesmo manipular os tecidos que formam a pele, assim poderemos acelerar a cicatrização de uma pessoa que sofreu uma queimadura grave, por exemplo. O que aconteceria em meses, poderíamos diminuir para semanas.

A sala de jantar havia caído em total silêncio, o casal mais velho tinha largado os talheres há muito tempo em seus pratos e tinham atenção completamente voltada para Jimin e Jungkook. Tony praticamente estava no meio de uma guerra interna, aquilo era uma grande onda de informações para sua mente. Uma parte de si estava orgulhoso ao escutar aquilo, ambos a sua frente tinham grandes planos para lutar ao lado da humanidade e tentar melhorar a nação de alguma forma. Iriam usar a inteligência mesclado com a tecnologia para fazer mudanças, mudanças boas e que estariam ao alcance de pessoas carentes de renda.

Mas o seu outro lado estava absorvendo lentamente a informação que seu filho estava construindo um caminho longo e talvez distante do seu. Ouvi-lo dizer com todas as palavras que ele estava montando planos com Jungkook lhe causava um pequeno pânico, pois significava que aquilo era realmente sério e noventa e cinco por cento de chances de se concluir. Não seria ele e Jimin trabalhando juntos no futuro… seria Jimin e um rapaz que tinha a arcada dentária parecida com a de um coelho.

Anthony nunca odiou tanto um coelho em sua vida.

Respirou fundo e controlado, ainda encarando os mais novos em sua frente. Sabia que uma grande parte da sua mente estava sendo infantil por achar que Jungkook estava tirando o seu filho de si, mas não era algo que conseguia controlar. A pequena porcentagem que ainda havia sobrado no seu subconsciente era apenas a proteção paternal agindo por si, entendia que o seu mundo era perigoso… não só para o homem de ferro, mas para Jimin e Pepper também.

— Isso é incrível. —  A voz de Pepper havia saído surpresa e um tanto animada ao ouvir o plano dos dois. Era totalmente a favor das novas tecnologias médicas chegarem nas mãos das pessoas carentes. E a nova energia limpa também. — Vocês tem noção do quanto isso será importante e um grande avanço na sociedade? É simplesmente incrível. E vocês ainda querem trabalhar juntos no futuro, o que me faz pensar em algumas coisinhas aqui. — A loira cutucou o queixo e logo sentiu alguém lhe cutucando por debaixo da mesa, sabia muito bem que Tony já havia seguido a sua linha de raciocínio e estava tentando impedir que a mesma compartilhasse com todos ali. —  Vocês pretendem casar daqui há alguns anos?

O homem de ferro rosnou baixinho enquanto se mexia na cadeira, obviamente incomodado. Aquela conversa sobre o futuro e casório não estava ajudando em sua digestão.

— Mas é claro. —  Jungkook sorriu abertamente, encarando Tony e vendo o homem devolver um olhar irritado para si. Jungkook não queria, mas não conseguiu segurar a pose que mostrava que já havia entendido a situação e que não iria desistir facilmente. Aquilo era praticamente uma competição de quem iria dar o braço a torcer primeiro. — Eu e Jimin conversamos sobre isso e… compartilhamos sobre ideias e sonhos pessoais. Certo? — Beijou a costa da mão do Park enquanto sorria para ele.

— Sim, quem sabe não noivamos daqui a dois ou três anos? — Jimin não pôde evitar de sorrir apaixonado com aquela ideia. Casar com Jeon estava com certeza dentro dos seus planos.

—  Não acham muito cedo? Quer dizer, dois ou três anos é bem aí. —  Anthony se pronunciou, tentando ser a voz da sabedoria e a sentinela da decência dentro daquela torre. A única coisa que ganhou foi olhares incrédulos para cima de si. — O que foi?

—  Cedo? — Pepper ergueu uma das sobrancelhas. — Não é como se eles fossem noivar amanhã, ainda tem um tempo pela frente e eu acho um bom plano.

— Tem razão, é um bom plano e um ótimo tempo. Jimin pode voltar a ter sua sanidade e desistir da ideia até lá, não é, filhote? — Encarou o mais novo, vendo ele lhe olhar sério. Apenas levantou da cadeira e pegou seu prato, indo para a pia.

A loira negou com a cabeça enquanto se levantava também, deu um sorriso sem graça e se ofereceu para ajudar ambos com as malas até o quarto que ficariam.

 

(...)

— Você quer parar com isso?! — Potts exclamou já irritada, tentando deixar sua voz ainda em tom baixo. Tinha metade dos seus braços coberto de espuma já que eles estavam mergulhados dentro da pia cheia de água. Não aguentava mais compartilhar o mesmo cômodo que Tony Stark, o homem apenas sabia reclamar da atual situação enquanto colocava o resto das louças sujas dentro da  máquina para ela lavar e secar automaticamente. A situação se tornou mais estressante quando o marido sugeriu a J.A.R.V.I.S para fazer uma busca na internet de uma lista de apelidos para asiáticos. — Você pode parar de ser infantil? Sabe que se você ofender Jungkook com esses apelidos irá ofender seu filho também, não é? Francamente, onde foi parar toda aquela genialidade que você tinha?  

— Você é chata e sem graça, senhorita Potts Stark. — Disse entediado enquanto ligava a máquina de lavar louças.

— Não, eu apenas sei conviver com uma pessoa nova sem dar uma de animal louco tentando defender o território. Qual será seu próximo passo? Urinar pela casa toda? — Encarou o moreno e logo se arrependeu do que falou quando viu a expressão do Stark se iluminar. — Tony, Não.

— Eu estou brincando, mas confesso que sair urinando é uma ideia bem legal.

— Você está achando graça em uma coisa onde não tem. Você está arrumando confusão com o namorado e futuro marido do seu filho, você por acaso quer arrumar uma briga entre você e ele? Ou pior, montar uma discussão entre ele e Jungkook? Sabe que se isso acontecer, Jimin vai ficar sem olhar para sua cara um bom tempo. — Bufou irritada enquanto tirava suas luvas e puxava a pequena rolha de alumínio do fundo da pia, para toda água escorrer.

— Vai me dizer que você não acha estranho o garoto ser todo perfeitinho?

— Não, além disso, sei que ele não é perfeito. Ele com certeza deve ter seus defeitos, mas não é por isso que vou tratá-lo como se ele fosse o traficante mais procurado do país. — Pepper apontou para o outro, enquanto encarava de forma séria. — Eu estou avisando, para com essas suas gracinhas ou Jimin vai ficar muito irritado com você. — Negou com a cabeça enquanto caminhava para longe, entrando em um dos corredores e logo gritando, fazendo com que sua voz saísse abafada pela distância. — E nada de chamar o Doutor Banner para lhe prestar favores novamente!

O homem de ferro bufou, andando até o sofá branco e se jogando sobre ele. Deitou sobre o estofado e pôs as mãos sobre a barriga enquanto encarava o teto, como se estivesse dentro de uma sala de algum terapeuta.

— J.A.R.V.I.S?

— Em que posso ajudar? — A voz se fez presente na sala, fazendo com que Tony mudasse de posição no estofado e prestasse atenção na mesma.

— Quero que você faça uma coisa. Procure no banco de dados sobre Jeon Jungkook, puxe a ficha dele e me entregue um relatório completo.

— Isso tem relação com a sua missão ‘’contra-ataque’’, senhor?

— Sim.

— Quer que eu faça o upload da ficha de Jeon Jungkook para o seu celular?

—  Por favor, será mais fácil assim. — Deitou-se de barriga para cima mais uma vez e se permitiu relaxar. Entendia que as consequências poderiam ser grandes, como Jimin ficar com raiva de si.

Mas queria ver até onde Jungkook iria ou manteria a pose.

 


Notas Finais


# M.I.T (Massachusetts Institute of Technology) : Ele realmente existe, é um instituto tecnológico que fica em Massachusetts.

Eita, será que Kurt Dylan vai aguentar essa barra que é Tony Stark, ou vai pedir arrego? Daqui a pouco Jungkook vai entrar em uma crise de identidade por ter tantos nomes. Risos.

Tentei colocar um projeto legal na vida deles, como eles usarem a área que cursam para ajudar a sociedade de alguma forma. Apoio todos nós fazermos o mesmo.

Teve revelação, Jimin e Jungkook pretendem casar um dia. #LideComIssoTony.

Gostaram da atualização de hoje? ( Não me deixem falando com as paredes, não é legal).

Au revoir!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...