História O Sol negro - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Exibições 16
Palavras 675
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Ficção, Ficção Científica, Luta, Magia, Romance e Novela, Sci-Fi, Survival
Avisos: Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Já escrevi muitas historias mais nunca publiquei nenhuma, vou tentar agora, espero que gostem dela :D

Capítulo 1 - Pão Temporal


Quanto mais o tempo passava, mais eu me esquecia das minhas raízes, do meu propósito, dás minhas memórias. É tudo tão calmo nada acontece á muito tempo. Sinto-me vazio...  Mas vamos lá. Chamo-me Calcelmo, vivo em uma das poucas cidades que resistiram a 4ª Guerra Mundial e ao Sol Negro. A cidade se chama Krista, ela fica na encosta de uma montanha localizada na antiga frança, onde agora só existe floresta ou deserto. Só existe uma entrada e a única saída é pela própria entrada. Existem nesse momento 3500 pessoas vivendo na cidade, pessoas que esqueceram suas diferenças e vivem como uma grande família, sempre se ajudando, já que a lei é cooperação, se você não coopera você morre. Quase não existe roubo na cidade, já que ninguém tem nada importante e a cidade é pequena, o policiamento que existe é pequeno, porém, eficaz já que não em para onde correr e pra quem é inexperiente sair da cidade é morte certa. Existem escolas na cidade, farmácias, postos de ajuda; Postos de ajuda são lugares aonde as pessoas vão para pedir qualquer tipo de ajuda, ai é colocado um alerta pela cidade pra ver se alguém pode ajudar essa pessoa, por exemplo, seu relógio quebrou? Alguém que sabe consertar relógios pode ver o alerta, ou em forma de cartaz ou mesmo indo a um posto, assim ela ira entrar em contato com você e ti ajudar, claro que quando essa certa pessoa lhe ajudar a consertar o seu relógio, ela ira receber algo em troca ou não quem decide é a pessoa. Não existe moeda na cidade é tudo por puro escambo ou as pessoas doam mesmo. Ah, também existem padarias e eu sou dono de uma, se chama ‘’ Pão temporal ‘’, um nome meio besta, mas eu gosto. O Ano? 2739! E minha padaria está funcionando como sempre;

  - Quatro pães por favor – pediu a senhora Lizabette, com sua voz meiga.

  - Claro, senhorita Lizabette – respondi á senhora.

  - Ahh... Cal, por favor me chame de Liz, já venho a tanto tempo aqui adquirir seu pão, a essa altura achei que já fossemos amigos! – disse ela com essa cara presunçosa que ela sempre faz.

  - Julguei que deveria tratá-la com respeito devido a sua idade. – provoquei-a um pouco.

  - Minha idade? Hm... disse o homem que diz ter mais de 1500 anos de idade! – retrucou Liz.

  - Hm, touché... Aqui está seu pão LIZ! – exclamei.

  - Muito obrigado! Há, meu marido achou algumas peças á uns 3km da cidade, trouxe algumas e pedi para deixar na porta de sua casa, como pagamento para o pão. Enfim obrigado e tenha um bom dia senhor cientista padeiro. – disse ela, com sua cara presunçosa.

  - Hm... Tenha um bom dia senhorita Liz. – me despedi dela.

Quase dava para ler seu pensamento, ‘’ Nossa o meu marido é muito FODA! Ele é um dos poucos que sai da cidade e volta intacto! ‘’, quando ela dizia que seu marido achou peças fora da cidade. Enfim, eu estava limpando o chão da padaria, quando entra Sra. Liz pela minha porta, uns 5 minutos após buscar seu pão e diz;

  - Estava passando pelo posto de ajuda sete, e acabei por ouvir uma conversa, parece que uma garota está lhe procurando. Não andou causando problemas, não é cal? – disse com aquela cara dela.

  - Espero eu, que não – disse um pouco confuso.

Me despedi de Liz novamente e a agradeci pela informação. Fechei a padaria por um tempo. Parti em direção ao posto sete para ver o que essa ‘’ Garota ‘’ queria comigo. Chegando lá, logo vi um ser baixinho vindo correndo até mim, era ela. Uma garota veio em minha direção correndo, parou em frente a mim toda alvoroçada e disse;

  - VOCÊ É CALCEMO FERRIZI? – gritou ela.

  - Calma, vamos com calma, Sim, sou eu, por que? – disse confuso e um pouco assustado.

  - Meu nome é Fira, e eu preciso de sua ajuda para ir para o ano de 2021! – exclamou ela.

  - O QUE?! 


Notas Finais


Obrigado por lerem, e espero que tenham gostado do primeiro capitulo, e se foi pequeno o capitulo, desculpem, o próximo será maior. E quaisquer erros de português, sinto muito.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...