História O sono é o meu inimigo - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Kris Wu, Lay, Lu Han
Tags Layhan
Exibições 203
Palavras 2.947
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Fluffy, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


eu juro que não sei de onde tiro essas ideias loucas, mas vamo que vamo, né?
o otp é flop mesmo, é layhan! karine disse que precisava de uma história deles e eu pensei "hum... por que não?"
ah, eu tentei não elogiar tanto o yixing na história, porque sério, eu não consigo... se eu escrever sobre o meu bebê, eu tENHO QUE ELogiar ele de todas as formas!!!
enfim, é isso, leiam!!!!!!!!!!

Capítulo 1 - Dormir é normal, mas...


Sabe, eu gosto do meu namorado. Gosto do Yixing mais do que a mim mesmo. Suas qualidades são ótimas, quer dizer, ele sabe cozinhar, detesta bagunça, – assim como eu – sabe como consertar algo quebrado e o melhor: Sabe como transar de verdade.

Eu nunca fui tarado, pervertido ou malicioso, mas depois que conheci aquele chinês que hoje é o meu namorado, mudei bastante. Mudei para melhor, não vou negar. Já faz alguns meses, quatro para ser mais exato. E parece que conheço Yixing há anos. Nossa convivência é maravilhosa, tanto que decidimos morar juntos no segundo mês de namoro. É, eu sei, um pouco precipitado, entretanto, deu certo, não deu?

Porém... Yixing também tem seus defeitos. É tão focado no trabalho que às vezes chega em casa, não toma banho e cai na cama, dormindo, sem falar comigo.

Não que eu seja meloso demais e precise de um boa noite para dormir em paz, não é nada disso, eu só fico preocupado porque o meu amado é realmente esforçado.

Hum, certo, dormir.

Yixing adora dormir. Deve gostar de dormir mais do que gosta de mim, isso eu tenho certeza.

O por que?

Simplesmente porque ele dorme como se não existisse amanhã. Dorme literalmente o dia todo quando tem algum feriado, quando eu quero sair com ele para relaxar e curtir o namoro.

Mas, não... Yixing prefere dormir.

E quem sou eu para dizer o contrário? Vou lá, deito ao lado dele e durmo juntinho, sem reclamar, porque pelo menos estou com o meu amado, enquanto ele me abraça forte, com seus braços musculosos e macios.

É, Yixing tem uma pele muito branquinha e macia.

Voltando ao assunto dormir, bem, só aconteceu uma vez, e eu até fico constrangido em voltar a esse pensamento.

Eu e o meu amado estávamos, hum, fazendo sexo numa noite fria de domingo. Yixing tinha passado o dia todo reclamando sobre como seria bom tomar um banho quente e dormir, porém tinha coisas do trabalho para fazer.

Só que naquele dia, eu o lembrei que não fazíamos sexo há três dias e ele logo se animou, dizendo que a noite “prometia”. Fui na onda dele e me preparei fisicamente e psicologicamente, é claro, para quando chegar na hora H, aquele chinês que eu amo – e odeio às vezes – dormir bem em cima de mim. Caramba, ele dormiu enquanto me penetrava.

Ah, eu fiquei possesso naquele dia. Yixing simplesmente caiu em cima de mim e puff. Adormeceu.

Depois disso, fiquei sem falar com ele por duas horas, porque realmente o adoro e senti sua falta.

O meu amado pediu desculpas depois do acontecimento e tudo voltou ao normal.

Quer dizer... Quase.

Eu vejo Yixing cochilando pelos cantos, seja no sofá, na cama, no balcão da cozinha, encostado na parede, no meu colo quando vemos filmes, no cinema encostado no meu ombro...

Acho que é algum tipo de doença, mas isso não vem ao caso no momento.

A questão é que até hoje – não faz muito tempo do acontecimento – estou tentando achar uma solução para deixar Yixing mais esperto, mais acordado. Principalmente à noite, perto da hora de dormir.

Porra, eu vou para a cama com a intenção de transar e ele vai pensando em dormir, isso está realmente me irritando.

É por isso que eu estou falando com o meu primo ao celular, com a intenção de que ele me ajude.

- Não deve ser tão difícil manter uma pessoa acordada. – Yifan dizia, com a típica voz cínica – Faz um boquete nele e ele desperta.

Revirei os olhos. Tentativa falha.

- Já fiz isso, Yifan. Ele dorme! No começo até que é bom, ele geme, eu fico excitado e penso que vai rolar algo a mais, ele diz que vai gozar e de repente, silêncio. Quando eu olho, ele está dormindo!

Meu primo deu risada.

- Sua vida é uma piada pra mim, você sabe, não é? Enquanto eu demorei um ano pra pedir minha namorada em noivado, você foi morar com o seu namorado em dois meses de namoro. Cada doido tem sua mania.

Ora, por que todo mundo acha que minha relação com Yixing é apenas uma brincadeira? Do mesmo jeito que ele é louco por mim – e olha que ele já deu provas suficientes – eu sou louco por ele. Dois loucos apaixonados.

- Tive uma ideia. – Yifan disse e meu coração acelerou – É simples, mas talvez dê certo.

- Qualquer coisa serve.

- Café, Luhan. Encha o Yixing de café! Faça ele tomar no café da manhã, no almoço, no jantar, no trabalho, aonde for! Você sabe que café é ótimo para deixar alguém acordado, certo?

Ah, e como eu sabia. No meu tempo de colégio, ia para a aula bebendo um copo grande de café, para ficar bem acordado e tirar notas botas, sem dormir na aula.

O sono é meu inimigo, pelo visto.

- Café cria adrenalina e energia!

- Você é um gênio, Yifan! – ele iria se gabar, mas eu não estava nem aí – Valeu mesmo!

- Não foi nada. Me conta depois se funcionou.

Tinha que funcionar.

 

 

- Amor?

Era domingo. 7 horas da manhã e dois minutos.

Yixing estava na cozinha, preparando nosso café da manhã. Eu estava sentado no degrau da escada da nossa casa, com preguiça de andar. Ainda estava sonolento, ao contrário do meu amado, que enquanto fazia algo no fogão, mexia a cabeça e rebolava o quadril. Céus, eu amava aquele corpo. Yixing estava apenas com uma calça azul de malha, deixando suas costas nua. Um formato tão perfeito, tão branca... Uma bunda redondinha que eu adorava apertar...

Perfeito.

- Vem cá, Lu.

Gostava quando ele me chamava de Lu. Tão fofo e carinhoso, diferente do que é na cama, bem, quando era na cama, já que faz quase uma semana que não transamos. Como eu estou sobrevivendo?

Fui até ele, me arrastando com preguiça, chegando nele e o abraçando por trás, fazendo questão de passar minhas mãos levemente por sua barriga – uma ótima barriga, inclusive, muito bem formada. Ele se arrepiava com aquilo, se contorceu e deu uma risadinha.

- Você não vai se ocupar hoje, vai? – perguntei manhoso. Eu estava carente naquele dia, uma ótima oportunidade para colocar meu plano em prática e conseguir o que eu quero.

- Hoje sou apenas seu, Lu. Vamos ver algo na TV, comer besteiras e se quiser nós podemos até sair!

Ah, claro...

- Está mais do que comprovado que você vai dormir depois do almoço, Yixing. – disse sério, que ele até parou o que fazia, desligou o fogo e olhou para mim, segurando carinhosamente em meu rosto – Você vai dormir o dia todo e esquecer de mim!

- Não seja tolo... Isso é carência? Eu posso resolver isso! – aquele sem vergonha sorriu todo malicioso, mas me afastei. Já estava cansado de ser trocado pelo sono.

- Você sabe que eu tenho razão. Você só dorme! Tudo bem, você deve estar cansado do trabalho, mas porra, amor... É toda hora e em todos os lugares.

Não era drama, era a realidade.

Yixing me olhou com pena e me puxou para um abraço. Fiquei com o rosto no seu pescoço quente, sentindo um cheiro leve de amaciante por conta dos lençóis da cama.

- Vou melhorar, Lu.

- É, você já disse isso. – me afastei de novo, pois estava muito triste e chateado – Xing... – se concentre no plano, Luhan, no plano – Ok, vamos esquecer isso. – sorri e obviamente ele estranhou – Vamos apenas curtir o dia do seu jeito.

- Hum... O que aconteceu? Você mudou de ideia muito rápido e você não é assim!

- Nada, apenas realmente mudei de opinião.

Eu não sei disfarçar...

Yixing continuou o que fazia no fogão e aproveitei para fazer o café.

Meu amado estranhou de início, já que é raro eu ficar na cozinha e ainda preparar algo, mas não se importou.

Fiz uma jarra grande de café, para durar o dia todo. Yixing me olhava estranho e eu fingia que nada de estranho estivesse acontecendo.

Coloquei a jarra na mesa, junto com frutas e um bolo que a mulher do meu primo tinha trazido, e nos sentamos. Podia sentir o olhar do meu amado em cima de mim.

- Luhan...

- Sim? – não encare, não encare.

- Você está estranho... O que significa essa jarra de café? Está esperando algum vizinho?

- Não, amor! Só acordei com vontade de tomar café e quero que você tome comigo. – e então o olhei. Seu olhar era muito desconfiado.

- Está bem...

Ufa! Sem mais perguntas.

Coloquei um sorrisinho no rosto, mesmo que Yixing ainda estivesse desconfiado. Ele ficava bastante sensual daquele jeito, não posso mentir... Fazia um biquinho e me encarava. Céus, tomara que ele fique acordado essa noite.

Peguei sua xícara que infelizmente não era tão grande e enchi de café, até a borda.

- Amor, sério, por que está fazendo isso?

- Eu só quero tomar café hoje! – invente algo, seu idiota – Eu... Tive um sonho estranho.

Yixing sabia como eu era ligado em sonhos. Sempre pesquisava os significados e acreditava em sorte com números para ganhar na loteria, por exemplo, mesmo que nunca funcionasse.

- Temos que beber muito café hoje ou vamos morrer afogados amanhã.

Eu sou um idiota.

Yixing sorriu de canto, mostrando sua covinha adorável e se rendeu. Pegou a xícara e tomou vários goles.

Yeah! Sou um gênio.

- Obrigado, meu bem.

 

 

Mais tarde, comecei a ficar animado. Não no sentido malicioso, e sim feliz. Eu e Yixing estávamos há meia hora no nosso sofá branco de couro, vendo um programa de culinária e ele ainda não tinha cochilado. Minha cabeça estava em seu colo e vez ou outra eu olhava para ele. Tão sério, concentrado e sensual...

Pude ver que seus olhos estavam mais abertos e uma de suas pernas balançava devagar. Será que adrenalina é algum tipo de efeito?

É bom que seja.

- Bebê... – chamei.

Ele me olhou rapidamente.

- O que foi, Lu? – alisou meus cabelos e suspirei apaixonadamente.

- Precisamos de mais café. Eu não quero morrer afogado amanhã...

Yixing deu uma risadinha e se inclinou para beijar meu nariz gelado. Estava chovendo naquela tarde.

Me levantei meio envergonhado por só estar de camiseta e cueca – eu ainda era um pouco tímido apesar de dois meses convivendo com Yixing. Quer dizer, ele encara – mordendo o lábio inferior – meu corpo de uma forma psicopática. Me sinto constrangido.

Enchi sua xícara de café e coloquei pouco para mim, é claro. Minha boca já estava amarga e eu, enjoado.

Voltei para o meu amado, sentei ao seu lado e entreguei sua xícara.

Yixing ainda estava sem blusa, apenas com sua calça azul e aquilo me desconcentrava de qualquer coisa.

Seu olhar desconfiado me encarava, mas eu não me importava.

- Beba, Yixing.

- Você está colocando algo na minha bebida?

- O que? Claro que não!

- E por que eu sinto meu corpo... Acordado?

Hoho, parece que está funcionando.

- Sinto vontade de me mexer, de fazer alguma coisa, qualquer coisa!

Tive que esconder o sorriso diabólico atrás da minha xícara quente.

- É apenas café, meu amor.

 

 

Ok, eu estava ficando com dó do meu namorado.

Já estava perto das 18 horas da noite quando Yixing começou a andar pela casa. Limpando a casa.

E eu? Eu observava o meu homem perfeito, sem blusa e suado andando ao meu redor.

- Bebê, vem aqui. – pedi, com minha voz manhosa.

- Não posso. – ele passava pano no chão, cacete – Preciso me movimentar, fazer alguma coisa. Meu corpo parece que está formigando. Foi a merda daquele café, Lu!

Yixing parecia bravo, mas só estava indignado.

- Desculpa, Xing, mas você sabe como eu sou com os sonhos...

- Eu sei, amor... – ele deixou o que fazia de lado e veio até mim, sentando quase em meu colo – Desculpa se fui grosso.

Ah, tão amável...

Levei minhas mãos até seus cabelos úmidos que tinha uma cor castanha muito bonita e o puxei para mais perto de mim. Yixing segurou em minha cintura, nos aproximando mais.

Não demorou para que eu o beijasse. Nosso beijo era bom. Rápido, mas nem tanto, molhado, mas não babado. Excitante e sensual. Yixing adorava chupar minha língua e eu gostava de chupar seus lábios. Éramos uma combinação perfeita.

Mas então... Yixing se afastou de mim para bocejar.

Olhei incrédulo para cena. O café tinha me traído?

- Está com sono? – perguntei.

- Só um pouco, diferente das outras vezes...

Certo, o plano continua.

 

 

21 horas da noite. Yixing foi tomar banho depois de mim.

Eu estava deitado na cama, apenas com minha cueca mais recente, ela era preta, apertada e parecia mais um short. Sabia que o meu namorado gostava daquele estilo.

Bom, o café estava dando certo. No jantar, Yixing protestou tomar. Achei fofa sua reação e sua careta, mas consegui finalizar meu plano. Ele parecia mais animado, acordado, agitado.

Quando saiu do banho, sua toalha branca estava em seu pescoço e – infelizmente – o meu amado já estava de cueca também, uma igual a minha, pois ele era invejoso.

Sorri com a visão. Sua carinha sensual e aquele sorrisinho de lado era tudo para mim.

Dei batidinhas ao meu lado na cama e meu namorado não demorou para vir. Jogou a toalha no chão e pulou no colchão, em cima de mim, mais precisamente.

- Sabe, Lu... Eu não estou com sono agora, por incrível que pareça.

- Hum... É mesmo? E o que pretende fazer agora?

Ah, bom, Yixing me respondeu com um beijo. Um beijão, inclusive. Um beijo nunca dado antes, que me fez sentir coisas que já fazia tempo que não sentia.

Sua mão puxava meus fios loiros devagar enquanto a outra apertava minha cintura. Os arrepios começaram a aparecer.

Não o toquei em nenhum canto, apenas quis ficar totalmente vulnerável, algo que eu adorava em relação a Yixing.

Meu amado se afastou alguns centímetros apenas para sorrir maliciosamente e rebolar forte em cima de mim. Nossos membros, que já estavam começando a acordar, inclusive, se roçaram. Seu sorriso aumentou e Yixing foi descendo seu corpo, dando selares leves pela minha barriga.

Agarrava minha cintura com as duas mãos e ia descendo mais e mais, começando a retirar minha cueca. É, ele estava apressado.

E eu gostava daquilo.

- Você está com muita energia hoje, bebê?

- Ah, com certeza, Lu. Com toda a certeza!

- Então você vai gastar suas energias comigo, certo?

Yixing não precisou responder. Só retirou minha peça íntima rapidamente e fez o mesmo com ele. Ele realmente estava apressado.

Antes de voltar para mim, pegou nosso pacote de camisinha na gaveta e abriu uma delas com os dentes. Muito sensual, tenho que admitir.

Meu sorriso maldoso e animado se abria mais, assim como minhas pernas.

Entretanto, Yixing apenas negou com a cabeça. Estranhei, é claro. Ele não iria me foder?

- Já faz um tempo que você não fica de quatro para mim, Lu... É sempre a mesma posição... Vamos mudar um pouquinho, o que acha?

Eu não poderia negar nada para o meu amor, afinal.

Sorri mais ainda junto dele e me virei. Apoiei meus cotovelos no colchão macio e fiquei de quatro. Afastei meus joelhos e senti a mão do meu amado começando a masturbar meu pênis bastante ereto. Nem tínhamos nos tocado direito, mas comigo e Yixing, apenas palavras e olhares, tudo ficava quente.

Me masturbou rápido e forte. Fazia um carinho na glande com o polegar e caramba, era muito delicioso. Eu gostava demais quando ele fazia aquilo.

- Vamos logo. – falei entre dentes. Ser masturbado e chupado é bom, mas ser fodido é melhor ainda.

Yixing me penetrou com calma depois da sua risadinha sobre o que falei. Ardia um pouquinho, é claro, era sempre assim, porém como já estávamos acostumados, ele apenas demorou segundos e decidiu aumentar a velocidade.

Eu ia para frente e para trás com suas estocadas fortes. Seu gemido rouco e nem tão baixo me dava mais prazer. Nunca gostei de gemer alto, pois achava minha voz estranha, então eu só conseguia morder o travesseiro e gritar abafado. O prazer era enorme.

Minha cintura era apertada e Yixing até deu algumas palmadas em minhas nádegas. Nada muito novo, porém sempre muito bom.

Meu namorado ia rápido, afinal, estava cheio de energia. Quando seus gemidos se tornaram mais alto, deduzi que ele estava prestes a gozar. Rebolei meu quadril e contraí minha entrada, e então, por incrível que pareça, Yixing depois de gozar, apenas continuou, sem cair dormindo no colchão.

Ver Yixing acordado foi o que me ajudou a ter meu ápice. Pois é.

Ele fez com a camisinha o que sempre fazia, retirou rápido sem que eu visse, jogou no chão e me abraçou, enquanto dávamos risadas.

- Isso foi muito bom! – ele disse, quase sem respirar, e sorrindo grande.

- Bom mesmo foi te ver acordado.

- Ei! Mas e o sexo?

- Foi bom também. É sempre bom, meu amor.

Meu amado me abraçou mais forte de um jeito desajeitado e me deu vários beijinhos pelo rosto.

Bom, soube que nosso clima romântico tinha acabado quando a secretária eletrônica apitou quando Yixing insistiu em apertar o botão.

A voz do meu primo só me deu vontade de me jogar da janela do primeiro andar.

- Ei, Luhan! Como foi com o Yixing? Conseguiu manter ele acordado com o lance do café? Espero que sim, quero saber tudo depois!

Ele tinha feito de propósito.

Yixing me olhar com seus olhos desconfiados e o biquinho típico de irritação foi realmente sensual, mas provavelmente ficaríamos mais alguns dias sem conversa e sem sexo. 

Droga!


Notas Finais


kkkkkkkajskjsksjsj deu merda pro lulu!
bom, espero que tenham gostado, né? me digam!!! foi simples, mas adorável :( eu gostei, pelo menos...
beijos, até logo!!! ^.^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...