História O Substituto - (KakaSaku) - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Anko Mitarashi, Asuma Sarutobi, Chouji Akimichi, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hinata Hyuuga, Hiruzen Sarutobi, Ino Yamanaka, Iruka Umino, Jiraiya, Kakashi Hatake, Kankuro, Karin, Kiba Inuzuka, Maito Gai, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Rock Lee, Sai, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Shino Aburame, Shizune, Temari, TenTen Mitsashi, Tsunade Senju, Yamato
Visualizações 75
Palavras 2.470
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Famí­lia, Festa, Ficção, Hentai, Mistério, Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Começou a viadagem
Adoron :3

Lembrando que vou colocar aqui fragmentos de um poema também.
O poema é "Uma declaração de Amor", esse texto é do autor Silvio César Rabêlo Lopes.

Capítulo 12 - Ciúme? Nem fodendo.


Fanfic / Fanfiction O Substituto - (KakaSaku) - Capítulo 12 - Ciúme? Nem fodendo.

Acordei radiante, nem parecia que era eu. Foi a primeira vez em muitos anos que dormi bem de fato e não tive um pesadelo sequer, tomei um banho frio e me arrumei. Calça social, camisa lisa... Gravata? Não... Gravata não. Blazer escuro. É. Mascara branco? Preta é melhor. 

Pronto. 

Esse é o cara. 

Peguei minhas coisas e fui pra Konoha, ainda não tinha arrumado nada pra mudança, mas tinha uma pessoa em mente que poderia me ajudar. Meu melhor amigo, digo, meu melhor rival. 
Hoje Guy estaria na escola e tenho certeza que se eu chegasse cedo conseguiria falar com ele antes das aulas. 

Pra não perder o costume, abri a janela do carro, coloquei no máximo do volume e November Rain do Guns tocava quando meu carro passou pelos portões da escola, não vou mentir que sempre vou achar cômico a cara que alguns alunos me olham todos os dias "Como esse babaca se tornou professor?", certeza que se perguntavam isso. Se Minato-Sensei estivesse vivo e soubesse que eu me tornei professor também, ficaria orgulhoso, mas iria rir bastante. 
Levando em conta que vejo muito de mim em Shikamaru e até mesmo no emo metid... Quer dizer, no Sasuke. 

Corri pra sala dos professores o mais rapido possivel, cadê o Guy? Sobrancelhas... Não vejo aquelas sobrancelhas enormes por aqui... Procurei na quadra e nada também e então, Asuma foi a luz da minha vida naquele instante. 

- Kakashi - ele sorriu 

- Asuma. - cumprimentei curvando minimamente a cabeça. - Viu o Guy? 

- Ele está na enfermaria, acabei de leva-lo pra lá. - disse o barbudo cruzando os braços

- Que merda ele fez? - ai meu Kami, tava demorando pra acontecer alguma coisa com ele

- Foi inventar de dar 300 voltas na quadra plantando bananeira e torceu a mão esquerda. - disse Asuma como se fosse algo normal do Guy, que de fato era. Não mudou porra nenhuma. 

- Ah que maravilha... - resmunguei ironico - Lá se vai minha ideia.. 

- Aquele cara tava com ele também

- Que cara ? - franzi o cenho colocando as mãos no bolso 

- O de cabelo meio rosa - Ah não, não não não. Esse embuste novato não. 

- Kayo. - disse com descosto aquele nome 

- Isso!! Esse aí mesmo. - disse Asuma - Que foi Kakashi? Parece que um... 

- Vou ver o Guy, depois falo com você - disse frio e fui pra enfermaria, lá estava o meu amigo sentado, com a Senhorita Shizune colocando bandagens em sua mão e o encosto de cabelo rosa tava lá do lado também. Não gosto dele, primeiro tenta dar em cima da minha... Não sei ainda o que ela é minha, agora tá roubando meu melhor amigo. Ele vai ver só. Quando tiver a chance, ele vai ter um belo de um fim. 

- Yo, Kakashi - disse Guy com um sorriso - Só assim pra você aparecer - ele riu 

- Que merda foi essa, hein Guy? - me deixei descontrair 

- Mais um dos desafios sem nexo dele, Sr. Hatake - disse o Kayo 

- Não me chama de senhor. - falei sem olhar pra ele, um pouco seco - Senhor tá no céu e eu não sou velho, meu nome é Kakashi. 

- Perdão, senh... Quer dizer, Kakashi. 

- Tá. - respondi e voltei a falar com o Guy - Você é um idiota mesmo, hein. - cruzei os braços franzindo o cenho - Logo hoje que eu tava afim de beber umas pra por o papo em dia - brinquei o fazendo rir 

- Só torci a mão, da pra virar o copo com a outra - ele respondeu 

- Ah não, acredito que pra isso melhorar, você terá que ficar uma semana sem beber Professor - explicou Shizune, fazendo a expressão feliz de Guy ser substituída por uma careta emburrada de desapontamento. 

- Bem, daqui a pouco vou ter que ir no Terceiro A... - disse olhando o relogio - Mas eu queria saber se poderia me ajudar na mudança, consegui um apartamento finalmente. - falei transparecendo felicidade 

- Ah, mas é claro que eu vou. - ele sorriu e nos cumprimentamos com um leve toque de socos com a mão direita. 

- Bem, vou ver se falo com o Asuma também, me esqueci de dizer quando vi ele no corredor. 

- O Kayo poderia ajudar também, não? - perguntou olhando para o rosado no canto 

- Se não se incomodar... 

- Que isso, faço questão de lhe ajudar - ele sorriu gentil. Tá foi legal da parte dele e toda a ajuda é bem vinda, mas ainda tenho um pé atrás com ele. 

- Eu fico agradecido - apertei a mão dele. Mas apertei forte só pra mostrar quem é que manda e sai dali. 

[...]

Intervalo. Como amo o barulho do sinal quando o horário seguinte é o intervalo. 

Após o intervalo era aula no Segundo Ano. Tinha que descansar de fato, pois tinha que parecer no minimo sã perto dela publicamente. 
Fui para o meu cantinho favorito, biblioteca. Aquele cheiro de livro me deixava em paz, o silencio e o melhor é que não tinha praticamente ninguém, fui para os fundos, me sentei no divã da janela e pus-me a ler. Ah, aquele livrinho de poemas... Era muito bom, só não chega aos pés de Icha Icha, pois Icha Icha foi escrito por Kami em pessoa, eu tenho quase certeza. Mestre Jiraya se superou de todas as formas quando lançou este livro. Me levantei quando percebi que vinha alguém, talvez a pessoa quisesse ficar só, então me apoiei na estante de livros pra dar passagem pra seja lá quem for, quando aquela doce voz soou.

- Ah, então foi você que roubou meu livro? - disse num tom meio animado e que me fez sorrir. 

- Era meu, apenas peguei de volta - revelei fazendo as esmeraldas se arregalarem 

- Você escondeu esse livrinho no Divã? - ela perguntou incredula 

- É... Na época eu não gostava tanto de ler, então resolvi jogar fora, abri um buraco naquela almofada ali e fechei com cola - expliquei a forma que fechei aos risos, porque realmente fiz uma cagada com a cola - Inclusive o Guy me ajudou nesse crime. 

- Não acredito - disse ela rindo - Nós... É... - ela começou a corar e em baixei o livro e a olhei 

- Nós o que? - falei aquela palavra com tanto gosto que senti até um adocicado na boca, "nós". Ultimamente o "eu" tinha virado um "nós", aquilo estava realmente me assustando. 

- Nós poderíamos ler juntos, não é? - ela corou bastante depois daquilo, sorri e baixei a mascara

- Só com uma condição - disse, mas antes que eu pudesse falar algo a mão dela foi de encontro com a minha pinta - Ei

- Desculpa, foi mais forte do que eu - diz ela olhando pra mim 

- Para de olhar assim pra ela - franzi o cenho 

- Você sabia que forma um V bem aqui quando você faz isso? - ela diz e toca no espaço entre minhas sobrancelhas e aquilo faz minha expressão suavizar novamente. 

- Essa fala é minha - protestei e ela riu me olhando de novo - Para de olhar assim pra Juliscreide - digo em tom de brincadeira fazendo ela gargalhar e se apoiar em meu braço pra não cair 

- Acabei de nomear - respondi divertido 

- Esse nome é feio, escolhe outro - cruzou os braços

- Não sei... 

- Pintinha é melhor. 

- Certo, certo. - me rendi. - Agora vamos as condições de ler juntos aqui... - disse e me aproximei o suficiente para beija-la quando escuto um barulho de vários livros caindo no chão no corredor de trás do que eu e ela estávamos. Sakura se assustou um pouco e se afastou de mim, que apenas subi a mascara de novo e fui ver o que tinha acontecido, dando de cara com o Diabo Rosa do Kayo, no chão com varios livros ao seu redor e um em sua cabeça. 

- Ah, olá Kakashi-senpai - ele disse e sorriu sem graça

- Kayo. - disse indiferente - Está tudo bem? - O QUE ELE TÁ FAZENDO AQUI? 

- Sim, estou - diz ele arrumando uma pilha de livros e eu o ajudo, então ele levanta e tira a poeira do cabelo - Estava procurando contos infantis pra minha sobrinha... - ele tossiu fraco 

- Contos infantis são no corredor da esquerda - apontei para o lado - Esse é de ...

- Mas eu queria pegar aquele ali - ele me interrompeu e apontou pro livro azul de capa dura que estava escrito "Cinderela" 

- Ah... - era na prateleira mais alta, nem ele que era mais alto que eu conseguiu pegar - Porque não usou o escada ? - perguntei irônico apontado pra escadinha no final do corredorzinho em que estávamos, ele corou constrangido 

- Eu não tinha reparado - ele começou a rir descontroladamente, aquela risada me irritava muito. 

- Bem... Eu já o ajudei - dei dois tapinhas no ombro dele - Agora vou indo. - voltei para Sakura, que estava sentada no divã distraída com a poeira da janela, cheguei mais perto pra ler o que ela escrevia e me surpreendi quando percebi que era meu nome. 

- Então? - ela me olhou sorrindo fraco - O que o Kayo-sensei queria? - ela perguntou 

- Rum. - me sentei e cruzei os braços virando pro lado contrario ao dela 

 

##

 

Percebi que Kakashi iria me beijar e permiti, mas antes disso acontecer, um barulho de coisas caindo e uma pequena nuvem de poeira subiu me assustando e fazendo com que eu pulasse para longe dele. Ele cobriu o rosto e foi olhar o que tinha acontecido, me deixando sozinha ali, fui silenciosamente para o banco da janela, me sentei ali. 
Não conseguia entender o que ou com quem ele falava, mas me distrai escrevendo bobagens no vidro. Apaguei tudo com a mão mesmo e só deixei o nome dele, escutei uma risada e reconheci na mesma hora, era o Kayo-sensei. 

Ele é a coisa mais fofa do universo. 

Kakashi voltou um pouco tenso, percebendo isso, sorri pra ele. 

- Então? ... O que o Kayo-sensei queria? - perguntei sem perceber. 

- Rum. - ele franziu a testa e virou o rosto pro outro lado, com os braços cruzados. 

- Kashi-kun? - me sentei mais perto dele e ele virou ainda mais o rosto - Ué... Que foi? - perguntei já segurando o riso no bico 

- Nada, não foi nada sai. - disse ele descruzando os braços e usando-os para me afastar dele 

- Porque tá assim agora? 

- "Kayo-sensei" - imitou uma voz fina e aquilo me fez gargalhar alto 

- Não acredito, Kakashi Hatake - disse segurando minha barriga que já estava doendo de rir 

- O que ? - ele continuava com a expressão seria no rosto - Porque está rindo ? - parecia irritado 

- Está com ciúme? - perguntei segurando o riso novamente 

- Ciúme? Nem fodendo! - respondeu e foi andando rápido totalmente corado, aquilo me fez rir, mas resolvi fazer drama. 

- Okay, então... Vou ver se o Kayo-sensei precisa de alguma coi-

- Ah mais não vai mesmo - ele interrompeu voltando feito uma bala pra perto de mim e cruzando os braços 

- Ciúme é o nome disso, Sensei. - disse e puxei levemente seu nariz, bem na hora que o sinal de intervalo tocou e eu sai deixando ele pra trás. 

[...]

- Ino, cadê a minha caneta? - pergunto pra loira 

- Tá no estojo da Hina-chan - disse e eu virei pro outro lado e peguei o estojo dela. 

- Ah Saky, desculpa, a Ino me emprestou e eu esqueci de devolver 

- Naah... De boa - eu ri e comecei a copiar a atividade de 25 questões que o Kakashi colocou no quadro, caramba... Ele realmente ficou abalado com essa história de ciúme. Mas mesmo assim aquilo me deixou feliz. 

[...]

- Aqui, Kakashi-sensei - disse Ino entregando a atividade dela pra ele corrigir, ele fez na hora e devolveu pra ela, em seguida Pegou o dever do Sasuke, fez o mesmo e então o meu. 

- Aqui, sensei - disse e ele me olhou de esguia e começou a corrigir, então antes de me entregar o caderno, colocou uma folha em baixo e me entregou ambos. Estranhei o ato, mas vi ele piscar pra mim e tentei conter o sorriso, voltei para minha carteira, enquanto ele ainda corrigia os deveres, peguei o papel e estava escrito em um lado "Desculpe-me" e no outro um dos poemas que eu já tinha lido do livro. 

Podea existir mil obstáculos, mas nada impedirá que
meu amor por ti morra.
Atravessarei até os maiores mares, mas não existirá água
suficiente que afogue o amor que sinto por você.
Subirei até a montanha mais alta do mundo, só para ti ver,
e de lá gritarei seu nome para ver se me ouve, e se me ouvires,
direi uma só frase:
Eu te amo.

E quando o vento passar, levará consigo o que eu disse, e quando
ele soprar em seu ouvido, escutarás junto ao vento:
Eu te amo.
E toda vez que o vento soprar em seu ouvido, não será só apenas
o vento, mas eu dizendo que te amo.

Era fofo, mas estava com medo de que isso fosse acabar mal, pois Sasuke apareceu misteriosamente atrás de mim. 

- Hm. Belo poema. - disse seco como sempre, me assustando um pouco 

- S-Sa-Sasuke-kun.... - fazia tanto tempo que eu nem lembrava dele, mas vê-lo tão perto assim me fez secar a boca e corar instantaneamente 

- Como vai, Sakura? - sorriu minimamente. Cruzou os braços e se sentou na mesa de Hinata, que era ao lado da minha. 

- B-bem - tentei sorrir, mas meu coração estava mais do que acelerado, ele nunca tinha falado assim comigo antes, ou melhor, ele nunca tinha falado comigo antes. 

- Você vai pra lanchonete com a galera hoje, né? Te vejo lá - ele disse e colocou as mãos no bolso saindo, me deixando petrificada ali onde eu estava. 

- Eu.... Eu.... - sussurrava pra mim mesma, não sabia que efeito foi aquele, um aperto no peito, não sabia explicar que sentimento era esse. Mas o efeito que Sasuke causou em mim foi algo que me deixou mexida demais. 

Olhei pra frente por impulso e vi Kakashi com as sobrancelhas quase unidas e as mãos apoiando o queixo. Quem olhasse assim pensaria que ele estava apenas observando a sala, mas eu conhecia aquele olhar. 

Ele estava mais do que incomodado com alguma coisa. 

 


Notas Finais


Pronto-ney de britney
Amo vocês meu clã <3

Quero mandar um beijo pro Hatake que é meu abiguineo, pois ele é um amor :3

Eu quero dizer que agora chegou a hora dos jogos mortais

E QUE COMECEM AS TRETAAAAAAAAS


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...