História O teu sabor - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Beyond The Scene, Bts, Hentai, Imagine, Imagine Jimin, Jungkook, Maknae Line, Park Jimin, Romance
Visualizações 313
Palavras 3.003
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Ecchi, Ficção, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo-Ai
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 10 - Um só


Fanfic / Fanfiction O teu sabor - Capítulo 10 - Um só


Ele massageou os lábios vaginais de maneira suave antes de pegar minha perna e colocar em cima das deles. Mais exposta, ele passeou os dedos por toda aquela extensão. Estava excitada, podia sentir o liquido escorrendo. Ele beijou meu pescoço e foi até a clavícula. Dois de seus dedos passaram na minha entrada, molhando as pontas e subindo até o clitóris onde iniciou uma massagem circular. Comecei a gemer e coloquei minha mão em seu cabelo puxando para que ele elevasse o rosto e me beijasse, mas não me obedeceu. Sua boca chegou até meu seio onde a língua rodeava meu mamilo na mesma velocidade que os dedos trabalhavam. Deixei a mão escorregar para a cama e gemi mais alto. Ele sugou o bico do meu peito e aumentou a velocidade no clitóris. Aquilo era tão bom, nem de perto se igualava ao que houve antes. Sua língua quente trilhou um caminho de volta ao meu pescoço, queixo, até a boca, onde achei que ela iria afundar, mas depois de lamber meus lábios ele parou. Os dedos cada vez mais velozes mudaram os movimentos circulares, agora apenas um dedo roçava a ponta do meu botão. Abri meus olhos e ele estava me encarando. Contorci os pés e curvei as costas, aquele prazer era absurdo, gemia tão alto que provavelmente a senhoria do outro apartamento poderia ouvir. Não aguentava mais, será que existe um limite de prazer que o ser humano possa aguentar. No entanto, queria mais. Novamente ele passou os dedos pela entrada, ainda mais molhada, e passeou pela extensão até o clitóris voltando com os movimentos circulares. Grudei minha mão no colchão. Era como uma onda crescente, cada vez mais alta e mais alta. Sua boca colou na minha e sua língua adentrou entrelaçando na minha, nesse momento era como se a onda tivesse chegado ao máximo e explodido liberando um arrepiou que varreu lentamente cada centímetro do meu corpo. Ainda assim ele não parou e eu fechei as pernas por estar tão exausta que chegava a ter espasmos com o toque contínuo. 
“Mais um Elena, eu quero mais um” ele falou em meio ao beijo e continuou. Queria outro orgasmo que não demorou a vir já que aquela área já estava muito sensível.  
Sua boca e dedos me liberaram juntos, minhas costas afundaram na cama. Respiração ofegante e coração a mil, abri meus olhos. 
Jungkook se posicionou na minha frente e abriu o roupão. Seu pênis estava ereto e ele começou a se masturbar fitando a minha intimidade e subindo o olhar até o meu. Aquele contato visual enquanto ele se tocava me deixou com um desejo ardente de tê-lo dentro de mim novamente. 
Levantei o corpo, mas fui parada no meio da ação quando ele colocou de novo o dedo no meu clitóris. Caralho, aquilo era um ponto sensível demais. Ele nos masturbava e eu me senti meio inútil por não estar fazendo nada. Gentilmente ele dobrou meus joelhos, afastou minhas pernas e beijou minha coxa. 
“Eu te quero...” falei baixo e as palavras saíram como ar “Dentro de mim”
Ele me olhou e deu um sorriso de canto, fazendo aquele movimento para o lado bem rápido que parecia um tique nervoso.
Levantei o corpo e o beijei, passando as mãos por seus ombros e tirando aquele roupão. Ele parou o beijo e endireitou a postura pegando o membro e o passando por toda a minha área, da entrada até o clitóris e voltando do clitóris até a entrada. Observei todo aquele movimento e só o desejei mais. Ele levantou e eu já ia criticar aquela ação quando vi que foi para pegar outra camisinha. Voltando a posição de antes, rasgou a embalagem com os dentes a ajustou na ponta do pênis. Ele se inclinou, pegou minha mão, colocou em seu membro e com a própria mão por cima da minha desenrolou o preservativo por sua extensão. Apertei um pouco seu pau e ele beijou minha boca inclinando o corpo e me fazendo deitar. 
Como gostava de ter sua língua na minha, estava viciada no sabor que ele deixava ali. Senti a cabeça do seu pênis rodear minha vagina e movimentei o quadril em sua direção. Ele levantou e colocou dois dedos dentro de mim, aquilo não doeu. Retirou os dedos e observou o líquido neles. Sua expressão era extremamente sexy e me apoiei pelos cotovelos e puxei seu pescoço, não queria parar de beija-lo. Sua boca foi rápida na minha. Com uma mão na minha coxa e outra no pênis ele se posicionou e o introduziu devagar. Sua penetração deslizava melhor por meu interior do que da outra vez. Ainda doía, mas bem menos. Junto com a dor também tinha uma sensação boa, sem contar minha satisfação por tê-lo me preenchendo. Afundei o corpo no colchão de novo e fechei os olhos. Queria aproveitar ao máximo aquele momento, como se fosse o último da vida. Meu quadril ia contra o dele e ele se movimentava sem pressa. Senti seu corpo deitar sobre o meu e abri os olhos. Suas mãos estavam na cabeceira da cama e seu rosto meu próximo do meu. Ele ia para cima e para baixo ofegante. Passei minha língua por seus lábios e ele mordeu meu lábio inferior em seguida. Era passional e intenso, olhando nos meus olhos. Aumentou a velocidade e senti uma pontada no ventre, infelizmente ainda dolorida. Foi automático meu gemido de dor e ele parou voltando a movimentação de antes. Jungkook colocou uma mão ao lado da minha cabeça e a outra em minha cintura controlando até como o meu corpo ia de encontro ao dele. Ele queria ir mais rápido, estava claro que lutava para controlar a transa para não me machucar. Passei minhas mãos por seu abdômen e segurei seus ombros. Me movimentando mais rápido e ele acompanhou minha deixa. Naquela cama nos tornamos um só, não apenas pelos corpos encaixados, mas pelas respirações conjuntas, pelo suor dele que caia no meu, salivas misturadas e olho no olho. Um gemido incrivelmente alto saiu de seus lábios quando atingiu o orgasmo e diminuindo a velocidade com que nos chocávamos ele me beijou com paixão até que estávamos parados, apenas as línguas se acariciando. Com uma mão posada em minha testa ele limpou meu suor levando alguns fios de cabelo para trás. A outra mão retirou seu pênis de dentro de mim. Ele levantou e foi jogar o preservativo fora. Sorri deitada na cama por ter vivido aquela experiência tão gostosa com ele. Ao retornar para a cama ele me abraçou e dormimos trocando beijos e carinhos.
Acordei o céu já estava escuro e me senti com fome. Jungkook dormia profundamente e era muito fofo de olhar. Levantei e fui até o guarda-roupas, peguei uma calça de flanela e uma camiseta de mangas cumpridas, o dia estava frio. 
Cobri ele direito e fui para a cozinha preparar algo para comer. Fiz noodles com legumes. Fiz toda a comida e comecei a comer na bancada. Jungkook estava exausto, ia dormir bastante mesmo e merecia. Quando estava terminando vi ele caminhando pelo corredor com o roupão que o entreguei. Seus olhos ainda estavam se acostumando com a luz da cozinha e ele esfregava as mãos nos braços, estava com frio coitado.
“Oi” falei de boca cheia
“Oi” disse bem sonolento “Que horas são?” 
“Umas oito...” a última vez que eu olhei era 19h50 “Você precisa ir?” falei sem esconder na voz a tristeza que isso me daria.
“Não...” disse se espreguiçando “Só queria saber” sentou do meu lado 
“Quer?” perguntei apontando para a minha tigela 
“Uhum” falou coçando o olho. Ele estava tão fofo daquele jeitinho, queria abraça-lo.
Peguei um pouco para ele e mais para mim, estava faminta. 
“Ta com dor?” perguntou me olhando enquanto eu me sentava entregando a comida.
“Não” era verdade, ardia um pouco, mas a dor tinha passado “estou bem”  
“Agora eu quero saber porque não me contou?” ele falou menos sonolento, estava ficando mais desperto
“Contou o que?” me fiz de boba, não queria muito aquela conversa
“Ah Elena você sabe bem” falou colocando um pouco de macarrão na boca “Nossa ta muito bom!”
“Né? Fiz com um tempero do meu tio, ele adora cozinhar” falei procurando uma maneira de mudar de assunto “Fiz ele mudar uma receita tradicional de família quando virei vegetariana” ri da memória dele triste na pia trocando o atum por cenouras. 
“Legal” disse “Mas então, porque não me falou?”
“A gente precisa mesmo falar sobre isso?” falei de boca cheia desviando do olhar dele 
“Sim, eu quero saber” falou erguendo meu queixo
“Eu não achei que fosse necessário” 
Jungkook colocou a tigela na bancada, largou o hashi e engoliu o macarrão.
“Não achou necessário?” soltou incrédulo, agora ele tinha acordado de vez “Como assim Elena, claro que era necessário”
“Não gosto de fazer drama, para mim falar isso seria como apelar para você pegar leve comigo” falei enquanto tacava macarrão na boca “Ia doer de qualquer jeito” falei com a boca bem cheia
“Mas poderia ter doído menos e não é só isso” falou voltando a comer “Eu queria saber, fiquei desesperado quando vi todo aquele sangue. Me vieram duas coisas em mente, ainda bem que era primeira”
Senti um pouco de vergonha ao lembrar do sangue, mas ignorei, já tínhamos trocado carícias bem íntimas para eu ligar para isso.
“Você ficou irritado né?” falei terminando a minha refeição
“Fiquei, mas foi comigo e não com você” falou me olhando “Na real fiquei um pouco com você por não ter me contado” ele riu e grudou a testa na minha “Não gosto de te machucar”
“Sei que não, não achei que seria tão ruim como foi” lhe dei um selinho
“Enfim, não faz isso de novo” ele disse endireitando o corpo
“Nem tem como né?” falei rindo e indo para a pia lavar a louça 
“Você entendeu, conversa comigo, se abre para mim” 
“Você quer mais? Acabou de levanta!” fiz a piada e escutei ele engasgar com o macarrão “Espera a comida baixar pelo menos, ai eu me abro bastante para você”
“Você não presta” falou depois de tossir e começou a rir “Eu estou falando sério, quero que compartilhe comigo seus pensamentos” 
Jungkook terminou e pegou outra bucha me ajudando com a louça. Quando terminamos peguei a tigela de morangos tinha na geladeira. Coloquei um morango na boca e me virei para oferecer a ele que me interceptou e mordeu o que estava na minha boca.
“Safado, esse era meu” falei batendo de leve em seu braço
Jungkook pegou a tigela da minha mão e colocou na pia, a mesma pia em que me prensou ao colar sua boca na minha. O beijo tinha gosto de morango e isso me incomodou um pouco, queria o gosto dele. Coloquei minhas mãos em sua nuca e ele pousou as dele no meu quadril. Estávamos tão imersos no beijo que podia cair o mundo, não íamos ligar ou escutar. 
“Quer que eu me abra para você agora?” falei dando selinhos nele e apertando seus cabelos 
Jungkook desceu dando beijos em meu queixo e pescoço. Por cima de seu ombro vi minha amiga parada na sala boquiaberta. Me afastei dele num movimento só e ele logo a viu também.
“Jungkook?” ela disse pasma
“Oi” ele respondeu com um sorriso inocente 
“Caramba” ela disse “Esperava encontrar um Idol na rua, não em casa” sorriu “Mas beleza”
Ela se apresentou e os dois conversaram um pouco sobre o Bangtan e o Jimin óbvio, embora ela tentasse disfarçar toda a paixão que tinha pelo amigo dele.
“Ele parece ser bem carinhoso” falou suspirando. Amiga você ta falhando hard, imagina se fosse o próprio Jimin aqui
“Ele é na maioria do tempo” Jungkook me olhou rindo “Mas tem seus momentos”
“E ele não veio com você?” os três estranharam a pergunta. Ela percebeu que era uma pergunta muito idiota quando saiu da sua boca “Tipo, ele que te trouxe aqui” 
“Não” Jungkook não tinha caído na tentativa dela de disfarçar “Na real ele nem tem carteira” 
“Entendi” falou se levantando “Bom crianças eu vou dormir” falou bagunçando meus cabelos
“Não quer comer?” perguntei tirando a mão dela de mim
“Já comi com a May” falou rindo na memória de alguma coisa “Fomos num lugar bem bacana, enfim, boa noite para vocês” Falou em direção ao seu quarto “Não façam muito barulho quando forem brincar”
Rimos do comentário dela.
“Brinquem com segurança” sua cabeça surgiu inclinada na parede da cozinha e eu ri muito de toda a cena
“Pode deixar” Jungkook disse piscando para ela “Vou trazer o Jimin um dia para vocês brincarem também”
Ela estava inclina e seu corpo caiu quando ele falou isso. Não creio que no que ele lançou para ela, nós dois gargalhávamos com o tombo dela que levantou um segundo depois. Até pareceu pensar em algo para dizer, mas acabou dando as costas e indo para o quarto.
“Ela é apaixonada pelo Jimin ou é impressão minha?” Jungkook falou quando a porta do quarto fechou
“Você também não precisava brincar assim com os sentimentos dela, o Jimin ta comprometido” falei pegando a tigela e indo para o quarto
“Comprometido é uma palavra forte demais, ele dá uns pegas na Sami só isso”
“Uns pega é só isso?” Perguntei entrando no quarto que ele entrou em seguida fechando a porta
“Você não entende, eu nem sei se ele gosta dela de verdade, eles só se veem para transar” falou deitando na cama 
“E a gente tem se encontrado para que?” falei deitando também 
“Ah Elena é diferente, não sei explicar, é que é uma história longa”
“Eu tenho tempo” falei pegando um morango
“Não é uma história minha para eu contar, fala com ele” disse também pegando morango
“Não vou falar com ele sobre isso, não sou best dele” entrelacei meu pé esquerdo no meio dos dele
“Ele falaria de boa, mas eu não quero comentar” ele brincou com meu pé no meio dos dele
“Vê se não comenta isso da minha amiga também, eu quero apresentar ela para ele, nem que seja para pegar um maldito autógrafo” 
“Eu não vou falar, mas se ela agir como na cozinha perto dele, ele vai entender mais rápido que eu. Jimin capta essas coisas rápido, você não tem noção da quantidade de pessoas que dão em cima dele”
Os morangos acabaram e eu deixei a tigela no chão me deitando sob o peitoral dele.
“E quando eu digo pessoas é porque é mulher, homem, idosos, crianças... acho que até animais e seres inanimados” Jungkook falou e começou a rir, provavelmente lembrando de alguns momentos
 “Caralho!” falei e me incomodei com o laço do roupão, não me deixava confortável ali, então o soltei.
“Não to brincando, cada um a seu jeito, mas ele escuta declarações de amor e paixão todo dia” falou enquanto me observava abrir seu roupão
“Você também deve” eu disse com a voz carregada de tesão. Não devia ter aberto aquele roupão, foi o gatilho para minha intimidade pulsar e querer ele de novo.
Jungkook se virou ficando por cima de mim e tirando minha calça com um pouco da ferocidade que tinha hoje de manhã. Mas não estava com medo, confiava no toque dele. A calça foi a única peça que saiu, quando ele se voltou para mim começou a beijar minha coxa. Já estava arfando com aquele carinho. Quando seus lábios chegaram nos meus, não os de cima, gemi alto.
“Shhh” ele disse “Sua amiga falou para não fazermos muito barulho” ao terminar a frase sua língua aqueceu meu clitóris 
“Ai foda-se ela” gemi ainda mais alto e agudo “Você ta me deixando louca” 
Ele fechou os olhos e movimentou mais a boca em minha vagina. Saboreava cada centímetro com uma satisfação grande, tão forte quando a minha quando o beijava. 
Minha respiração ficou mais ofegante e meu peito subia e descia enquanto rebolava em sua boca. Sua mão esquerda apertou uma das minhas nádegas e a outra subiu, adentrando pela blusa e apertando meu seio. Gemia muito alto e não me importava quem iria ouvir. O orgasmo me atingiu intensamente. Jungkook retirou minha camiseta e sugou meus seios. Apertei as pernas ao redor de sua cintura sentindo seu pênis enrijecer enquanto esfregava minha intimidade molhada nele.
“Eu quero ficar por cima” falei apertando as costas dele que levantou para pegar a camisinha
“É a última” me disse deitando ao meu lado e colocando o preservativo.
“Então amanhã a gente compra mais” falei com um sorriso sacana e ele retribuiu mordendo o lábio inferior 
Coloquei as mãos em seu peitoral e me arrumei em cima dele. Jungkook segurou o pênis e ajeitou em minha entrada. Deslizei por ele com cautela. Estava dolorida ainda, mas estava sentindo mais prazer do que dor. Dava para lidar, era apenas um pequeno desconforto. 
Comecei a me movimentar, ele gemeu, fechou os olhos e pendeu a cabeça para trás. 
Fui aumentando a velocidade e sentindo aquele prazer me invadir expulsando qualquer vestígio da dor, agora apenas uma sensação gostosa.
A posição fazia meu clitóris se esfregar contra a pele da virilha dele o que intensificava ainda mais minha imersão naquele mar de sensações. Fechei os olhos e inclinei mais meu corpo, roçando os bicos rijos na pele dele e ficando com a boca a milímetros de distância. Lambi seus lábios antes de morder o inferior. 
Suávamos muito e o vidro da janela ficou embaçado. O quarto estava quente embora o dia fosse frio. Gememos alto e a cama balançava com a força que nos chocávamos. 
Foi com um beijo profundo que gozei e ele pouco depois de mim. Ficamos um tempo ali unidos trocando carinhos. 
“Eu não corro riscos de encontrar ela no banheiro?” Jungkook perguntou saindo de dentro de mim devagar 
“Não, o dela é suíte” falei ainda com a respiração acelerada.
Jungkook  saiu para se livrar do preservativo e ao voltar me abraçou. Conversamos sobre algumas coisas banais, rimos e novamente, em meio a carícias, adormecemos.
 


Notas Finais


Não sei se o hot ficou bom, mas tentei deixar o melhor possível :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...