História O Trono - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Ação, Aventura, Comedia, Drama, Fantasia, Josei, Luta, Magia, Monstros, Reinos, Romance, Shoujo
Exibições 3
Palavras 2.608
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Josei, Luta, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Survival, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Mutilação, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Desculpem a demora :c
Trarei aqui mais um capítulo da história, espero que gostem <3

Capítulo 3 - A seleção


O país de Anya encantou Lilith, que nunca tinha visto tanta riqueza em um só lugar. Casas bem construídas, ruas limpas, pessoas sorrindo e muitos elfos ao redor. Ela se sentiu livre em meio a tantas raças diferentes em um só lugar. Após deixar as crianças em um lugar seguro, conheceu o maior país do continente. Fontes de água por toda a cidade e um enorme rio cruzava o centro. Ela não notou olhares ofensivos a ela, se sentiu em casa. Acolhida. Anya é o país dos sonhos.

— Esse lugar é incrível! — exclamou Lilith, correndo pela cidade. — Por que nunca disse que você morava em um lugar assim?

— Você nunca perguntou como era. Além do mais, mudou bastante desde que eu saí. Miguel conseguiu fazer com que elfos e humanos deixassem de rivalidade para conviver aqui. Eu só ouvia notícias, mas era de se esperar que ele fosse conseguir — ele respondeu, pegou uma maçã em uma barraca de frutas e deu a mulher uma moeda. — Então, o castelo está aqui perto. Devemos nos apresentar primeiro, amanhã eu posso mostrar a cidade, tudo bem?

Lilith concordou, acenando com sua cabeça. A estrada para o castelo era limpa, cercada pelo comércio, lojas de armas; frutas;  comidas e até mesmo e até mesmo um pequeno bordel. Na frente do portão principal, em frente ao castelo, soldados se ajoelharam ao ver David, que entrou sem dizer uma palavra e por fim, abriu a porta do castelo, sendo recebido por uma garota de cabelos brancos.

— Srta Lilith Alderamin — disse a garota, curvando-se respeitosamente. — Sou, Jessica Campbell, candidata a Sword Saint e encarregada de lhe apresentar o castelo.  

Jessica usava uma mini saia e uma camisa de botão branco. Seus longos cabelos brancos ficavam amarrados na parte de trás, formando um rabo de cavalo, chegando a sua cintura. Seus olhos escuros pouco refletiam de sua pessoa. Lilith pensou que ela fosse uma garota séria, porém, só pensou.

— É um prazer — ela respondeu, vendo a garota fixar seus olhos na raposa. — O que foi? Algo errado?

— R-ra-raposa! — falou apontando, Seu rosto antes sério, agora parecia de uma garotinha. Com um largo sorriso, ela agarrou Miya, virando-a para fazer carinho em sua barriga. Literalmente, ela parecia uma criança. — Um espírito guardião em forma de raposa! Isso é incrível. Ela é fofa e…

David fingiu uma tosse.

— Jessica, já está anoitecendo — falou, olhando ao redor, vendo um castelo vazio. —  Onde ficaremos nessa noite?

— Seus quartos já foram preparados. Os outros candidatos já estão em seus respectivos quartos, recomendo que vocês façam o mesmo, pois amanhã, a princesa Emily dará sua palestra. — respondeu, soltando Miya que voltou a flutuar. — Me sigam, por favor.

Caminhando por dentro do castelo, sobre um enorme tapete vermelho, passou por diversos quadros e portas. Mesmo sendo uma nobre, essa foi a primeira vez em que Lilith entrou em um castelo. Após uma longa caminhada, chegou em seu quarto, tinha uma grande cama de casal, uma janela para o jardim e uma mesa para deixar seus pertences. Jessica caminhou até o guarda-roupa, abrindo mostrando um vasto número de vestidos.

— Que lindo — falou, vendo Jessica pegar um vermelho.

— Não é meu trabalho, mas, eu acho que esse combina com você, destaca bastante o seu cabelo — ela falou.

— Jessica, qual é a cor do meu cabelo?

— É parecido com o meu, um pouco prateado. Por quê?

Lilith ficou feliz ao saber que outra pessoa também podia ver sua real aparência. Agarrou seu vestido e bastante dedicada falou:

— Irei usar!

— David, você sabe onde fica seu quarto, certo? — ela falou, vendo o mesmo sair do quarto.

— Lilith, se precisar de qualquer coisa, é só pedir — falou, retirando-se.

Jessica cantarolava pelo corredor. Cumprimentava todos os soldados que ali estavam presentes, assim como as empregadas. Sorridente, parecia mais uma adolescente comum que uma guerreira, mas, às vezes as aparências enganam. Entrou no quarto de David, vendo o mesmo deitado, estava de costas, deu uma leve bufada e sentou-se na ponta da cama.

— Morar aqui ficou bem chato desde que você foi embora. Você não mandou cartas, ou sinal de vida, pensamos que você nunca mais voltaria — Ela falou, vendo que o mesmo a ignorou. Respirou fundo, sentou-se na cama ao lado dele e com seus lábios delicados, beijou seu pescoço deixando uma marca de batom vermelho, finalizando com uma mordida na orelha.

— Você está me estuprando — ele comentou, vendo o virar, deixando de barriga para cima. Subiu em cima dele, e deixando seus rostos bem próximos. — O que você tá fazendo?

— Sabe, desde que eu me tornei mulher eu tenho procurado um homem de verdade e sendo uma candidata a Sword Saint, eu acabo sendo um pouco exigente — respondeu, lambendo o pescoço dele. — Esses seus olhos são um insulto.

— A genética é boa, culpe o meu pai.

— Muito boa — ela falou, tirando sua camisa, prendendo os braços dele na parte de cima da cama. Ela sentia o calor dele, a respiração dele, até mesmo seu hálito de menta, o batimento de seu coração. Queria mais, muito mais, e com seus doces lábios, beijou o homem dando início a uma longa noite.

Todos do castelo sabem da relação que Jessica e David tinham. Era uma relação de irmãos, embora incestuosa por parte dela - ou talvez apenas confusa. Ele sempre a protegeu, a treinou e até mesmo lhe deu conselhos sobre seu primeiro romance, embora não tenha durado mais que alguns dias. Cresceu seguindo os caminhos de um Sword Saint, e sendo uma mestre na espada, sua velocidade fez com que a mesma se destacasse, ganhando o apelido de raio branco, além de seu incrível controle de magia, que supera até mesmo David.

De fato, ela é uma mulher incrível.

*****

Já estava amanhecendo, os raios de luz entraram pela janela, batendo no rosto do homem adormecido. Abriu seus olhos lentamente, percebeu que não tinha ninguém ao seu lado. No pé da cama, ele viu Jessica calçar suas botas de couro, ainda só se sutiã. Ela sorriu enquanto os feixes solares refletiam em seu sorriso, em seus olhos, em seus cabelos.

— Acordou? — falou enquanto prendia seus longos cabelos. — Dormiu bem?

— Não. Meu braço ta dormente — respondeu, levantando para prender o sutiã da mesma. Logo em seguida, ela vestiu seu uniforme de cavaleiro real; era um sobretudo branco com detalhes em vermelhos, tanto na manga, quanto nos botões. — É a primeira vez que te vejo em um desses. Ficou bem em você.

— Você acha? — ela perguntou sorridente. — Porém tem algo que eu tenho certeza que ficaria muito bem em você.

Pendurado no cabide, o uniforme de  David ali estava. Era bem semelhante ao de Jessica, porém era preto com detalhes em ouro, além de que obviamente era maior e tinha lá suas diferenças. Hesitou por um momento, e mesmo contra sua vontade, vestiu. Os olhos dela brilharam ao vê-lo vestido com aquela roupa. Combinava com ele. Penteou seus cabelos para trás e colocou sua espada na cintura, que estava quebrada de sua última luta.

— Tá um pouco apertado. Será que eu engordei?

— Um pouco, eu senti uma saliência na sua barriga.

— Saliência? — ele falou, abrindo a porta para Jessica sair.

Do lado de fora, Lilith ia passando com seu longo vestido vermelho. Tinha um lindo coque no cabelo e utilizava um pequeno salto. David ficou paralisado ao ver o quão bela estava aquela meio-elfa, que deixou explícito sua curiosidade a respeito de ambos, saindo do mesmo quarto.

— Jessica, por acaso… vocês estavam tentando fazer um bebê? — falou, tampando sua boca, muito surpresa.

Aquelas palavras fizeram Jessica corar instantaneamente. Ela não sabia como responder, ela travou, diferente de David que começou a rir freneticamente. Lilith não entendeu, ambos tiveram reações diferentes, assim como Miya se materializando no ombro dela.

— Você não é nada discreta, Lilith — falou a raposa.

— E então, fiquei bem nesse uniforme? — David falou, vendo os olhos de Lilith brilharem como os de Jessica. — O quê? Ficou estranho?

— Não! Eu só nunca tive a chance de ver você vestindo esse uniforme, todo arrumado com o cabelo penteado e olha… tá usando bota ao invés de chinelo.

— E eu? Estou bem?

— Está linda! Esse vestido dá um belo destaque nas suas pernas. É um absurdo que essas penas sejam guardadas para si só.

— Você realmente não tem jeito, né?

A maneira simples e íntima com que eles conversavam deixou Jessica com duvidas. Eles realmente eram só amigos? O cavaleiro e sua donzela?  Não sabe ao certo, pareciam mais, muito próximos, pareciam um casal. Miya viu a mesma refletindo, pousou em seu ombro e deu um leve cheiro na mesma.

— Sobre o que está pensando? — perguntou.

— Nada, é só que eu pensei que ela fosse ficar irritada ou algo do tipo.

— Eles não têm esse tipo de relação. É como se David fosse seu irmão mais velho, ao mesmo tempo é como se fosse seu melhor amigo, sua cara metade. É uma relação estranha. Ele mostra o mundo para ela, e ela o livra da escuridão. — finalizou, vendo Jessica sorrir aliviada.— O que foi?

— É que faz tempo que não vejo ele com esse sorriso no rosto. Estou feliz.

— Você é realmente estranha.

Abriram a porta que dava acesso a sala que ocorreria a primeira reunião da seleção. Lilith ficou nervosa ao ver tanta gente no mesmo lugar. Hesitou em seguir adiante, porém uma mão em seu ombro levou embora todas as suas dúvidas. O olhar de David a acalmou. Caminhou até o lado dos outros participantes de cabeça erguida e olhou para o trono, vazio até então.

Ao seu lado estavam outros três participantes. Noah bocejava, cabelos e olhos pretos, usava uma camisa de manga comprida e uma calça jeans, era bem simples e parecia entediado em estar ali; já Lorena era loira, tinha olhos azuis e usava um vestido bordo, acompanhado de um chapéu de mesma cor, carregava um guarda-chuva em sua mão; por fim Jhin, tinha pele morena e cabelo raspado, tinha um grande porte físico e carregava uma enorme espada em suas costas. David ficou em primeiro em uma fileira de cavaleiros reais, Jessica ficou mais ao meio. Uma garota de cabelos vermelhos entrou na sala. Era jovem, pequena e usava uma capa que arrastava pelo chão. Seus olhos eram diferentes do de Erika, não eram verdes e sim lilás. Sentou-se no trono e deu uma leve risada.

— Que bom, vejo que todos chegaram na hora. Infelizmente, meus pais estão fora então eu irei dar essa palestra. Alguma objeção? — perguntou, vendo Jhin levantar sua mão. — Sim?

— Vossa alteza, não entendo o motivo de termos uma meio-elfa entre nós. Belgrado não é como Anya, é um país de humanos.

Lilith respirou fundo, olhou para uma princesa furiosa com esse comentário.

— Jhin, não é? O império não faz questão de pessoas que ainda exigem barreiras entre humanos e elfos.

— Entendo. Peço desculpas pelo meu comentário.

— Muitos de vocês, não fazem ideia de como será a seleção real. Eu entendo, não foi dado nenhuma explicação para vocês, pessoas que simplesmente foram selecionadas sem aviso prévio. Vocês foram escolhidos de acordo com o suas habilidades gerais, e afirmo que todos aqui são capazes de conseguir — ela falou, com um sorriso discreto. — Vocês devem encontrar a espada do Deus Murdock, aquele que empunhar a espada estará apto para comandar o país.

— É só isso? — perguntou Lorena. — Parece algo bem simples.

— A Primeira mão também está atrás dela, e como vocês devem saber, a primeira mão é poderosa o suficiente para fazer nossos líderes irem para a linha de frente. Vocês irão caçar ela, matar uns aos outros por ela e também vão morrer por ela — ela falou, erguendo seus braços em direção aos candidatos, seguido de um sorriso aberto. — A seleção começou!

Todos se viraram naquele momento, perceberam que não seria um simples jogo, eles se matariam para obter o trono. David caminhou até Lilith e segurou sua mão, ao vê-las trêmulas, ficando de mãos dadas por alguns minutos, até ela se acalmar. Noah se aproximou e ergueu sua mão para cumprimenta-la.

— Me desculpe não falar com você antes — ele disse, beijando a mão da mesma. — É um prazer.

— Eu que diga.

— Os outros candidatos são todos tão sérios, pelo menos você é simpática.

— Sim, digo o mesmo de você. Eu acho que eles não gostam muito de mim.

— Que absurdo! Como podem não gostar de uma mulher tão linda como você? — ele falou, vendo a mesma como uma meio-elfa ruiva de olhos azuis, o que obviamente não era sua real aparência.

David forjou uma falsa tosse.

— Eu tenho assuntos para resolver ainda, então me espere.

Lilith apenas acenou que entendeu com a cabeça.

— Nunca pensei que fosse ver o David de perto, digo, ele é uma lenda, tem muita sorte de ter ele ao seu lado. Lilith, queria conversar mais, mas, eu preciso ir. A gente se vê!

Ela não entendeu tanta gentileza. Aquele homem antes sonolento, era muito sorridente e não parecia se importar com ela, sendo alguém muito extrovertido. Com isso, muitas dúvidas começaram a surgir em sua mente, ele certamente é alguém que ela não gostaria de enfrentar, mas existe uma escolha?

*****

David descia as mais longas escadas do castelo, indo para as celas de prisão, duzentos metros abaixo do castelo. Apenas as pessoas mais perigosas de todo o continente vão para lá, atualmente três pessoas vivem lá em baixo por anos, sem água, sem comida. Pois o alto nível de mana deles impede que os mesmos morram. Monstros que David odeia. Colocou sua mão na cela e encarou um homem loiro, acorrentado em uma cadeira no meio da sala, seus cabelos chegavam ao chão, e sua barba ficava bem próximo de sua barriga.

— Olá garoto — falou, ele estava vendado, então ele frequentemente usava seu nariz para localizar a pessoa. — David Lumiére, o que você quer?

— Matar você! — respondeu, socando a cela com força o suficiente para ocasionar um pequeno tremor no castelo acima. As celas foram feitas a partir do casco de uma tartaruga leão, sendo utilizada para anular a magia de quem está dentro, além de também ser o material mais resistente do mundo. — Você matou minha mãe, e eu juro que irei voltar pra matar você.

— Você não pode me matar. Vão precisar de mim, de todos nós.

— Não ferra!

— A escuridão em volta de você… Mesmo vendado eu consigo ver. É incrível, perdeu sua mãe, sua esposa e seu filho. Sabe, David, devia se unir a primeira mão e fazer aquilo que você sempre quis, destruir esse mundo que tirou a sua vida.

— Cala boca…

— Sabe… eu ouvi toda a palestra da Erika mirim. A espada está no extremo norte, próximo das montanhas gélidas. E não esqueça de trazer um sorvete pra mim, aqui embaixo é muito quente. — finalizou, percebendo que David estava furioso, mas sabia que aquele homem estava certo. Eles ainda precisavam dele. — Você veio aqui pra perguntar sobre a espada não é? Já tem sua resposta. Bye bye,

Aquele lugar enlouquecia David, queria abrir a cela e arrancar a cabeça dele, mas não podia. Ele tinha um dever a cumprir, Lilith é sua prioridade. Lá em cima, se encontrou novamente com Lilith, sentada na escadaria do castelo brincando com Miya. Observou de longe, por um bom momento, ver Lilith sorrir alegremente o acalmava. Era como um pilar que o puxava da escuridão, o mantendo na luz, encontrado no belo sorriso da meio-elfa.

— Obrigado — agradeceu sussurrando.

— O que disse? — perguntou, olhando para ele curioso.

— Disse que você devia dormir, amanhã vamos pro extremo norte. Recomendo que use muitas blusas de frio, mas se sentir mesmo assim eu permito que durma abraçado comigo.

— Você realmente não tem jeito…

— É… eu acho que não.

 


Notas Finais


Lorena tem 22 anos, sua altura é 1,71, e seu aniversario é dia 12 de junho, geminiana;
Noah tem 20 anos, mede 1,78, seu aniversario é dia 15 de maio, touro;
Jhin tem 20 anos, tem 1,82 de altura, seu aniversário é 14 de dezembro, sagitário.
Jessica tem 17 anos, 1,68 de altura, seu aniversario é 23 de fevereiro, peixes.
Emily tem 15 anos, 1,62 de altura, faz aniversario no dia 19 de fevereiro, peixes.

Até a próxima, pessoal.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...