História O último som - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amigos, Amor, Beijo, Chorar, Decepção, Drama, Escola, Jovens, Novela, Original, Paixão, Relação, Romance
Visualizações 20
Palavras 829
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Romance e Novela

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 18 - Cartas para Ana


Fanfic / Fanfiction O último som - Capítulo 18 - Cartas para Ana

" Ah Ana, por que? Por que partiu assim sem nem avisar? Não tive nem tempo de me despedir de você, foi tudo tão rápido, e eu não pude fazer nada, não dessa vez. Quando vi aquela arma apontada em sua direção acredite, eu tentei correr para te salvar, mas não tive tempo. Ah o tempo, apenas 5 segundos, era somente disso que eu precisava para te ter aqui comigo ainda. 

Eu tentei Ana, mesmo te tendo em meus braços sabendo que você já não estava mais ali presente comigo eu tentei, eu ainda acreditava que era possível te trazer pra perto de mim novamente, eu te acompanhei dentro da ambulância, vi os médicos tentando fazer você respirar novamente, mas você já não pertencia mais a esse mundo, e como me dói lembrar disso.

Acredite, os primeiros dias foram dolorosos demais, eu não conseguia nem entrar em nosso quarto, as únicas coisas que faziam eu ter forças eram e ainda são os gêmeos. Eu tive medo Ana, me perdoa por não ser forte e corajoso o suficiente para conseguir seguir a vida sozinho, por precisar de você pra tudo. Desde o momento em que te vi naquele avião eu sabia que você seria meu chão, seria minha base, e quando você se foi eu simplesmente me desequilibrei, perdi meu chão, meu rumo, perdi você.

Você não sabe o quanto eu era feliz com você, o quanto eu quis te ver novamente quando tomamos caminhos diferentes ao descer daquele avião, e que por destino cruzamos novamente na faculdade, naquele momento eu vi que nada era por acaso, e que se fosse, nós éramos o acaso mais lindo que já existiu.

Obrigado Ana, por trazer luz pra minha vida, por me ensinar o que é amor de verdade, por me ensinar a amar e ser amado. Obrigado por deixar duas bençãos em minha vida, dois presentes maravilhosos que vão continuar a me ensinar a amar. Me desculpa por não ter obedecido você ao escolher o nome da nossa filha, estava tudo certo para ela se chamar Morgana, mas vai se chamar Ana, assim vamos todos te ter aqui presente de alguma maneira.

Se bem que eu ainda te sinto presente, em todo canto da casa, onde eu estou, eu sinto que de algum jeito você está por perto, talvez esteja, não do jeito que eu queria, mas está. Não se preocupe, pois vou cuidar muito bem dos nossos filhos, só não te prometo proteger eles de tudo e de toda maldade no mundo, pois prometi isso a você e não consegui cumprir.

Foi tão estranho voltar pra casa e você não estar ali, seu café frio estava em cima da mesa, sua toalha molhada em cima da cama, sua roupa jogada no sofá, os farelos de bolo que você deixou cair no chão ainda estavam lá, mas você não.

Ainda lembro do seu sorriso, como ele era lindo, lembro do seu cabelo, da sua pele branca e como ela ficava vermelha no vento frio das ruas. Lembro da primeira vez que nos conhecemos, lembro do nosso primeiro beijo, da nossa primeira vez, lembro da gente cozinhando e assistindo tv juntos, lembro também de você partindo, lembro do seu último olhar, do seu último suspiro, lembro do Último som do seu coração batendo.

Isso não é um adeus, vou levar isso como um até logo, pois eu sei Ana, que um dia, uma hora, em algum lugar, eu estarei com você aí onde quer que você esteja, eu te amo. 

Petter. "

Ela continua presente em minha vida. Continua sendo muito importante, como sempre foi e como sempre será. Ela é linda, ela é maravilhosa. E o que mais me dói é não poder ter ela para mim, perto de mim. Com ela é onde eu queria estar, mas nós estamos presos em universos diferentes, e é tão difícil, ela está tão longe. Essa longa distância está me matando. Eu queria que ela estivesse aqui comigo.

Meu coração estava ligado ao dela. Ela é realmente maravilhosa, e é ainda mais pessoalmente. Minha paixão por ela aumentou naquele instante em que nos vimos, que trocamos olhares pela primeira vez. Mas faz tanto tempo. Agora eu só tenho fotos para me manter por perto de seu rosto. Sinto tanta falta dela. Sinto falta do seu abraço, não consigo nem se quer me lembrar do seu cheiro, e sofro com isso. Dói demais ela estar tão longe, ela é simplesmente o maior presente que já ganhei na vida. Eu a amo demais, não consigo mais me imaginar num futuro sem ela na minha vida, não consigo me imaginar, só consigo pensar nela, eu a amo demais.

Ana, você nunca será esquecida, sei que esse é seu medo, mas mesmo que você não possa ler essas cartas, quero que saiba que sempre estará escondida nos papéis amassados jogados pelo chão do nosso quarto, ou nos guardados. No fundo do meu bolso da calça jeans, porque é o único jeito atual de ter você perto de mim. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...