História O veleiro - Capítulo 38


Escrita por: ~

Postado
Categorias Pretty Little Liars
Visualizações 15
Palavras 1.109
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa leitura

Capítulo 38 - A tempestade em alto mar


Por Alison,

Esta um ótimo dia para velejar, Toby chamou Spencer para subiu ao convés seguida por Hanna,Mona,Mike e Caleb. Toby me ajudou a soltar as velas e assim fomos navegando somente com o vento, pois desliguei os motores. Emily estava do meu lado e ofereci o leme para ela tentar navegar.

- É seguro eu pegar o leme? Perguntou ela

- Eu vou ficar aqui do teu lado – respondi, Emily tomou a frente do leme fiquei atrás dela com as mãos sobre as dela.-Viu como não é difícil – disse

- Com você fica bem mais fácil – respondeu ela rindo – Esse é bem maior que o seu né? Perguntou ela

- Sim esse é cinco vezes maior que o tornado, o tornado é movido somente por velas e o velejador tem que ser muito rápido controlar as velas.Quando eu voltar a competir você pode vir em uma etapa – disse

- Quem sabe – respondeu Em

Era quase 14:00 quando avistamos uma praia deserta pelo que parece, então resolvemos ancorar por ali e almoçar e aproveitar a tarde. Por esse veleiro ser maior ele tem um “lancha” junto e as meninas decidiram ir até a praia, Caleb arrumou as coisas e Toby lançou âncora. Foi nessa praia que ficamos até minha cicatriz da sorte começar a doer e isso significa chuva. Foi na sexta dois dias antes de voltamos o tempo começou a mudar, uma nuvem bem escura estava  se armando no horizonte, chamei Toby.

- Vamos levantar âncora e voltar antes que aquela nuvem chegue até nós – disse

-Ali aquela nuvem esta muito longe, pode chegar somente amanhã aqui – retrucou ele –Relaxa e aproveita – disse ele enquanto voltava para água.

No final da tarde quando retornamos ao veleiro o tempo já tinha mudado, esta região entre Oregon e San Francisco costuma ter muitas tempestades. Depois que todos estavam acomodados recolhi âncora, levantei as velas e peguei o curso de volta o que leva aproximadamente de 3 a 4 horas numa velocidade média de 60km/h, porém as nuvens estavam mais rápidas e a tempestade nos alcançou na metade do caminho. Fui até o interior do veleiro onde o pessoal estava.

- Ali o que esta acontecendo? Pergunto Hanna assustada

- Por favor coloquem os coletes salva vidas, Caleb dentro da ultima gaveta do armário da cozinha tem elásticos, coloque eles nas portas dos outros armários, Mike fecha a mesa e vê se consegui manter as malas todas juntas, Toby sobe comigo e o restante fiquem em lugares onde não corram o risco de ficar presos – disse passando as coordenadas

- Ali o que esta acontecendo? Pergunto Hanna novamente bastante assustada

- Vamos enfrentar um tempestade com ondas de que variam de dois a três metros, os ventos já estão ficando fortes, então vou fazer o possível para o veleiro não ir para alto mar e também não ficar muito na costa por causa das pedras – respondi

- Então não é tão perigoso assim né? Pergunta Mike

-Mike, eu sozinha no meu veleiro tiro essa tempestade de letra, porém não estou sozinha nem esse é o meu veleiro,tenho que fazer o que é o correto por mais que parece exagerado –disse - Qualquer tempestade em alto mar é perigosa -  completei.

Antes de subir para o convés, Em me chamou.

- Se cuide lá encima – disse ela

- Vai dar tudo certo, confie em mim? Perguntei

- Sim – respondeu ela me dando um beijo.

Fechei a porta e ficamos somente Toby e eu no convés enquanto as rajadas de vento foram nos afastando da costa e nos levando para alto mar.

-Toby vamos recolher as velas antes que alguma delas rasgue – disse

-Mais como vamos navegar sem elas? Perguntou

-No motor, se continuarmos somente com as velas corremos o risco de irmos mar a dentro por causa do vento, e não quero ter que encarar as ondas altas – respondi

-Mas ficar perto da costa não é pior por causa dos rochedos? Perguntou

- Boa observação, porém vamos ficar longe da rebentação- respondi

As ondas começaram a aumentar e começou a entrar água para dentro do veleiro pois estávamos longe da costa, agora já estávamos na metade do caminho.

- Toby me ajude a soltar as velas e fique lá embaixo – disse

- Mais porque Ali, esse veleiro é muito grande você não vai conseguir ser tão ágil para controlar todas as velas- - respondeu ele

-Não preciso controlar todas, ta vendo no horizonte já estamos perto do farol preciso somente controlar o leme, quando chegarmos no rio tudo vai ficar mais calmo, além do mais com você lá embaixo fico mais tranqüila – respondi

-Ok vou descer, toma cuidado – diz ele abrindo a porta e se juntando aos outros

Toby tinha razão esse veleiro é maior que o meu, mais o jeito de navegar é o mesmo. Com o controle das velas nas mão e, o leme de mão e o motor já desligado,usei as ondas para inclinar o veleiro para direita assim ele vai mais rápido, levou mais um ou duas horas para entrarmos no rio sem maiores danos, quando chegamos na marina desci a âncora e  coloquei as amarras, fui até aporta.

- Estão todos bem? Perguntei

-Estamos no olho do furação ou já morremos – disse Mona

- Estamos na marina de casa Mona – respondi

Por Emily

Depois daquela semana que foi maravilhosa na praia e o retorno aterrorizante, resolvemos ficar  um pouco em terra, até porque como Ezra estava de férias não podíamos deixar a loja sozinha.

E assim se passaram os meses Ali cuidando da loja pela manhã e treinando a tarde e eu trabalhando na revista e jornal de Astória, durante esses meses que se passaram não ouvimos mais falar na Alex e Ali também não fez nenhuma questão de procura –lá. Paul foi preso em um bar no Texas por agressão a uma dançarina, segundo Jason ele deve chegar nessa semana, ai vai começar o julgamento e todos os tramites legais, mas segundo do detetive Drake ele vai pegar uma pena bem pesada por homicídio, tentativa de homicídio, lavagem de dinheiro e tráfico de drogas. O detetive também nos informou que não poderemos sair da cidade pois somos testemunhas de acusação, o que deixou Ali um pouco irritada.

Depois de dois meses de julgamento finalmente Paul teve o que merecia vai amargar 80anos de prisão “Se sair de lá vai ser o Matusalém” segundo Ali. Deu um grande alivio quando a sentença dele saiu agora podermos ter um pouco de paz.

O ano já estava chegando ao fim, Ezra já tinha voltado, mais por causa dos feriados de final de ano resolvemos esperar até o próximo ano.

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...