História Oasis - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Orange Is the New Black
Personagens Alex Vause, Personagens Originais, Piper Chapman
Tags Alex, Orange Is The New Black, Piper, Vauseman
Exibições 213
Palavras 1.374
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Bom, primeiramente gostaria de pedir desculpas. Queria postar diariamente, porém além da falta de criatividade, tenho uns probleminhas em relação a tempo para escrever e postar. Perdoem qq erro e boa leitura.

Capítulo 4 - Adeus Alex Vause


Cap 4

—Sim, isso aconteceu... – Piper queria rir, de nervoso talvez–Mas olha, aconteceu muita coisa, eu não sei se você se lembra, mas eu não vim aqui me aproveitar de você, nós só ficamos lá, uma vez, eu estou aqui porque precisava cuidar de você...– a voz de Piper foi sumindo, ela se lembrou dos "amigos" de Alex e sentiu nojo

—Cuidar de mim por que, garota? Eu não tô entendendo mais nada. Você é menor de idade, eu posso me ferrar feio, é melhor que você vá embora. –Alex estava passando mal e começou a ficar nervosa– obrigada por "cuidar"–fez aspas com os dedos– de mim, mas agora já estou bem e você pode ir embora

— Eu irei embora, mas por favor, se acalme primeiro, nós precisamos conversar, você precisa saber o que aconteceu ontem. Por favor, deixe-me explicar e prometo que irei embora– Piper já não estava feliz como quando vira Alex acordar. Ela sabia que a morena devia estar confusa, por isso não sentiu raiva. Ela não conseguia sentir raiva, ela só conseguia admirá-la, queria cuidar dela. Mesmo sendo bem mais velha que ela, parecia ser tão vulnerável

— Aposto que só transamos e você quer arrumar desculpas para ficar –Alex disse com um tom levemente irônico, porém se arrependeu e tentou se acalmar – Ok, desculpe, eu passei dos limites, eu sempre passo, mas é que estou muito confusa, eu não costumo ficar com mulheres, muito menos acordar com uma, tão jovem, preparando café pra mim. Você me disse que me ajudou, mas eu não consigo me lembrar. Diga o que você tem pra me dizer e se você quiser eu pago o táxi pra você voltar pra casa.

Piper ficou magoada, mas tentou se colocar no lugar da morena, respirou fundo e decidiu começar a contar

—Você se lembra de quando eu cheguei no bar ontem? –Alex fez que sim, então Piper continuou — Se lembra que pediu minha identidade e quando descobriu que eu era menor de idade disse que me deixaria entrar se eu me comportasse e ficasse te devendo um favor?– Alex fez que sim novamente — Então você se lembra que me provocou a noite toda e depois foi sentar na mesma mesa que seus amigos, meus amigos e eu estávamos? Então depois de alguns copos fomos parar no banheiro...

—Depois disso lembro de ter voltado pra mesa e minhas lembranças morrem por aí–Alex a interrompeu

—Certo, eu vou tentar resumir o que aconteceu. Você despertou em mim, algo que eu nunca sentira antes, era mais que um simples desejo. Era carinho, proteção, não sei bem como explicar. Enfim, quando voltamos do banheiro, eu estava perdida em você, estava encantada, hipnotizada, aah sei lá, não reparei quando seus amigos–Piper falou com nojo– lhe deram droga s e bebidas. Quando me dei conta, já era tarde, você começou a dar sinais de que estava alterada.

Uma lágrima queria saltar dos olhos de Piper, mas ela estava segurando-a e então continuou

—Foi horrível, você estava tão vulnerável a tudo e aqueles homens começaram a se aproveitar de uma vez, me perdoe, eles até podem ser seus amigos, mas eles me davam nojo, falavam que cada noite você era usada por um, eles estavam te tratando como um pedaço de carne

—Você não tá falando sério né!? Quer me colocar contra meus amigos também???– Alex a interrompeu novamente

Piper desta vez não conteve as lágrimas e elas vieram, junto com as palavras de Piper

—Alex, por favor, tenta entender, eu não quero te botar contra ninguém, apenas estou contando os fatos. Eles queriam que eu fosse embora, eu já não conhecia mais ninguém ali, meus amigos foram embora, mas eu fiquei ali, não aguentei te ver tão mal, eles falavam coisas nojentas pra mim, coisas podres que fariam com você, eu não podia suportar isso. Eu criei algo com você que não me permitia deixá-la, algo me dizia que você precisava de mim

—Garota, você nem me conhece, por que ficou comigo tanto tempo? Por que resolveu cuidar de mim? Eu não sou nada pra você se importar tanto. Eu acredito no que está me contando, mas cada um com seus problemas, não vejo motivos para você querer entrar assim na minha vida. Eu sei me virar sozinha –Alex se arrependia de cada palavra que dizia, porém não conseguia parar, ela sabia que no fundo a menina estava certa, algo muito forte uniu as duas, ela sentia algo puxando-a para mais perto da garota, ela necessitava dela

—Talvez você tenha razão, eu não conheço você, eu não deveria ter brigado com meus amigos e com os SEUS amigos na tentativa de defender você quando disseram que era só uma drogada fudida que não ligava pra nada e que não valeria meu tempo–Piper estava querendo chorar, não queria dizer aquelas coisas, mas era preciso— mas sabe,  por mais que você possa ser isso tudo e muito mais coisas que ouvi das pessoas que te conhecem melhor que eu, eu adorei cada segundo gasto ao teu lado. Não me arrependo, por mais que você esteja sendo uma estúpida agora, eu gostei do que fiz, eu te livrei de ser usada por pelo menos uma noite, eu troquei minha noite de sono e meus amigos, para cuidar de uma desconhecida que acha que sabe se virar sozinha, mas no fundo deve estar agradecendo aos deuses por achar alguém que se importa... E pode deixar que já estou indo embora, tem comida no forno e eu sei como ir embora.–Piper estava se retirando — Só vou pegar minhas coisas, se não se importa. E aliás, pode voltar a dormir, consegui 5 dias de folga pra você se recuperar. Depois não esqueça de agradecer ao Bennet, a única pessoa boa daquele lugar, ele foi o único que me ajudou com você. Acho que você se lembra dele né? Seu namorado que você trocou por essas amizades verdadeiras – Piper falava com ironia– Estou indo mudar de roupa, saio em menos de  cinco minutos. – Piper entrou no quarto de Alex e foi procurar suas roupas.
Quando Piper estava trocando suas roupas, Alex entrou no quarto, Piper deu um pulo de susto e se sentou na cama, Alex foi se aproximando

—Olha garota, se acha que pode me livrar dos meus amigos, passar a noite na minha casa e fazer comida pra mim, sendo que você nem me conhece, você é bem corajosa. E foda-se tudo que aconteceu, você está certa, alguma coisa nasceu entre nós, talvez seja desejo, mas nesse momento você está sendo incrivelmente inevitável pra mim e não serei eu quem irá resistir a isso– No que terminou de dizer, Alex beijou Piper, foi um beijo que começou apreensivo e depois se relaxou, tornando-se um beijo tranquilo e suave. Suas bocas se encaixavam tão bem, era um beijo com tanta sincronia, parecia que nasceram uma para a outra

Conforme o beijo foi parando, Piper estava mais confusa que nunca, porém estava maravilhada com o que acabara de acontecer.

Alex recuou, se abaixou na frente de Piper que estava sentada na cama e olhou-a nos olhos

—Me desculpa? –Alex disse com a voz suave, já não se notava mais aquele estresse na voz– Eu fui uma babaca, eu não estou acostumada com esse tipo de coisa, ninguém nunca se importou assim comigo. Enfim, eu fui tão escrota, por favor, me perdoa—Alex praticamente implorava o perdão de Piper

Piper apenas sorriu, levantou-se, segurou na mão de Alex, ajudou-a a se levantar e a levou para a sala

—Ei! Ta tudo bem, se em uma noite você passou por tudo aquilo, eu imagino como deve ser tudo isso pra você. Não te culpo, fique tranquila– Queria chorar, mas se fez forte— Bom, fiz o que eu tinha que fazer, vou indo.–Pegou sua bolsa, deu um selinho em Alex e quando estava chamando o elevador já do lado de fora de seu apartamento, Alex foi atrás dela

—Eu não consegui te agradecer pelo que fez por mim ainda

—Você não tem que me agradecer por nada

—Posso ter ao menos seu telefone?

—É melhor não, sou menor de idade e posso te comprometer. Adeus Alex Vause– Piper disse isto é entrou no elevador


Notas Finais


Perdoem, escrevi esse capítulo correndo, não ficou do jeito que eu queria. Mas vou tentar melhorar.
1- essa história é muito baseada na vida real, não há toda essa "magia" das histórias, há acontecimentos monótonos, mas ao longo da história vocês entenderam oq pretendo passar com essa história
2-esses capítulos iniciais estão meio bobinhos, mas pretendo melhorar a fic


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...