História Obrigada por existir - (imagine Jin) - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Drama, Família, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Namjoon, Romance, Suga, Taehyung
Visualizações 33
Palavras 1.132
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Drogas, Estupro, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 10 - Capítulo 10


-  Iara está tudo bem? - Olhei pra quem estava falando e percebi que era Jimin.

- Sim, não precisa se preocupar Jiminnie. - Falei forçando um sorriso.

- Por favor não minta pra gente.

  Eu  não olhei quem era mais pela voz grossa que eu deduzir ser V. Ele se sentou a cadeira ao meu lado e Jimin sentou na mesma cadeira que eu, o professor não pareceu se importa com a gente fazendo isso em meio a aula, ele parecia estar tão perdido quanto eu, o que de fato é estranho.

- Ei porque o Kook não venho? - Falei tentando mudar o rumo da conversa.

- Ele faltou aula pra ficar com a mãe dele que está doente.

- Assim, eu nunca vi vocês falarem dos seus pais. Como eles são?

- São ótimos as vezes eu sinto falta de estar com eles. - Falou Jimin com uma tristeza no olhar.

- Confesso até que estou com inveja do Jungkook por ele está com os pais dele agora. - Falou V suspirando.

- Aish. Não fiquem assim, veja pelo lado bom as férias estão chegando e logo vocês estarão com eles.

  Eles deram um sorriso bobo quando eu falei isso e concordaram com a cabeça, o sinal tocou eu esperei todo mundo sair mais os garotos, quando eu ia saindo o professor me chamou e dispensou os meninos.

- Senhorita Frost! Precisamos conversar sobre uma coisa que eu percebi em você.

- O que exatamente professor ?

- Eu percebi que você estava estranha na aula de hoje, o que está acontecendo ?

- Uau, que direto. Bom a maior parte dos meus problemas e relacionados a família. E você, o que está acontecendo ?

- Como assim ? - perguntou confuso.

- Não era só eu que estava com um comportamento estranho.

- Assim como você, problemas familiares. - Falou com amargura.

- Os meus normalmente estão relacionados ao meu avô e irmão. E eu reconheceria essa amargura em qualquer lugar, quem é a pessoa que está te sufocando ?

- É muito pessoal, mas eu não aguento mais. - Falou em um tom de choro.

- Desabafe. - Tentei parecer o mais amigável possível, pegando em sua mão que estava em cima de sua mesa.

- A minha esposa ela me ... - Ele travou a mandíbula, então compreende o que ele estava falando. - Eu não sei porque ela fez isso, eu sempre levei honra a minha casa e família, sempre suprir as necessidades dela, pra ela me desvalorizar assim ? O que eu fiz de errado ? Nunca fiz com ela o que ela fez comigo. - Falou chorando, aquilo estava de corta o coração.

- Tente se acalmar, o erro foi dela e não seu. Tente conversar com ela em um momento em que você estiver com a cabeça no lugar, procurar saber porque ela fez isso, sei que isso pode ser ruim, mais tenta pelo menos. E se você ver que não vai fazer uma coisa boa, tente parar um pouco e pensar no que vai fazer. Me promete que vai fazer isso ? - Falei apertando a sua mão olhando em seus olhos é neles eu podia ver milhares de sentimentos misturados.

- Vou tentar. - O olhei com um olhar reprovativo como se fosse uma mãe. - Ok! OK! Eu vou fazer.

- Lembre-se do que eu te falei, é tente colocar em prática.

- É estranho está recebendo um conselho familiar de um aluno, sendo que sou eu que normalmente dá os conselhos. - Falou com um sorriso de lado.

- É verdade me sinto até mais adulta. - Falei estufando o peito.

- Menos Iara, bem menos. - Falou rindo.

- Olha só você já está rindo.

- Já pode ir lanchar, peguei muito tempo do seu intervalo. - Falou pegando os materiais da mesa e se levantando.

- Tchau professor! Passar bem. - Eu já ia saindo da sala quando ele me chamou.

- Iara ! - Olhei pra trás. - Obrigado por me ouvir precisava desabafar.

- Disponha, sempre que precisar estou aqui. - Falei e ele asentiu com a cabeça - E se quiser me dar alguns pontinhos a mais em química eu também estou aqui. - Falei em um tom zombeteiro.

- Aish. Não abusa não viu. - Falou rindo.

 Fui aproveitar os 10 minutos de intervalo que eu ainda tinha mais os garotos, todos estavam curiosos pra saber o que o professor queria e eu inventei uma desculpa qualquer. Voltamos para a sala um tanto quanto eufóricos pois íamos arrumar o colégio para uma festa em comemoração ao Dia do rock, eu estava animada e o melhor é que eu fiquei  responsável pela Playlist da festa já que eu era a que mais entendia de rock no colégio, fora alguns outros 5 alunos. Na hora da saída eu fui pro apartamento dos garotos, eu não precisava pegar Sophy hoje. Quem estava no apartamento era apenas eu e Jin, o resto foi pra casa de outros amigos ensaiar algumas danças pra festa.

- O que você tinha hoje no colégio ? - Perguntou Jin me encarando, eu sabia do que ele estava falando e eu não tinha motivos para esconder nada dele.

- O meu irmão vai chegar amanhã.

- Há não, me promete uma coisa ?

- O que ?

- Se ele te bater de aquele troço lá que eu esqueci que os brasileiros costumam da na cara dos inimigos, você é o Mark estavam até falando esses dias o que era.

- Você está falando de voadora não é ? - Falei rindo.

- Isso mesmo, e o que você é o professor estavam conversando ?

 Eu expliquei pra ele o que aconteceu e fiz ele prometer que não falaria nada a ninguém.

 - Já pensou em fazer a mesma coisa que você sugeriu pro professor ? - Falou enquanto estávamos abraçados.

- Como assim ?

- Já pensou em falar com o seu irmão pra saber porque ele te trata desse jeito ?

- Não, não tem como conversar com o ... - Ele me interrompeu.

- Pois tente, tenho certeza vai te ajudar, acho que você deveria pegar os seus conselhos pra se mesma, eles são bons e vão te ajudar. - Falou desfazendo o abraço e me olhando nos olhos. - Promete que vai fazer isso ?

  Fiquei pensando por um tempo, talvez Jin tenha razão, talvez eu deveria conversar com Pedro e saber o porque de tanto ódio.

- Prometo.

  Falei em um sussurro arrependido pelo o que eu concordei que foi o suficiente para ele ouvir, ele me deu um selinho carinhoso como se quisesse dizer " Ei. Estou aqui e vou te ajudar, não tenha medo."



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...