História Obrigado Chanyeol... - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Chanyeol
Tags Baekhyun, Chanbaek, Chanyeol, Drabble, Exo
Visualizações 30
Palavras 518
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drabble, Drama (Tragédia), Shoujo (Romântico), Yaoi

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


OLARR!
Gente, na moral...que saudades de postar.
Mais saudades ainda de postar essas coisinhas curtinhas que vem do nada num dia qualquer e ocupam meu bloco de notas até o belíssimo dia em que eu vou vasculha-lo, acho essas maravilhas e decido posta-las porque SIM!

Isso é uma drabble meio velhinha levando em consideração que eu provavelmente escrevi no ano passado e até agora nada dela, mas Predestinados já tá atrasado e eu não gosto de não ter nada postado EM 1 FUCKING MÊS, então aqui está pra vocês um textinho de Chanyeol sem couple definido pra vocês terem total liberdade de colocarem quem bem quiserem como escritor desse desabafo.

E só pra um aviso: tá na "estrutura de um poema" mas a intenção não foi escrever um, é só que eu realmente gosto do corpo desse gênero e resolvi reescrever assim por uma questão de estética-pessoal <3

Capítulo 1 - Você sabe.


Porque não existe amor no mundo, você sabe.


Existe apenas uma dor que,
se não é correspondida,
é só mais uma entre várias.
E caso contrário,
é só a pior dor que você pode ter ou imaginar em sua vida.
Mas essa dor um dia acaba, disso você também sabe não é?
A dor de uma esperança,
de uma crença,
de promessas,
de carinho.
Tudo isso um dia acaba.
Todo o sofrimento que por determinado tempo
você carregou no peito um dia determina a hora de sair e sai,
deixando mais uma dor: aquela da saudade.

Mas nessa dor podemos aprender que
o amor consegue ser tão plural e tão singular ao mesmo tempo.
Aprendemos que ele vem de tantas formas
mas sempre acaba da mesma: esquecido no escuro,
largado em um canto,
passando frio e fome
sem ninguém que seja capaz de alimentá-lo com o calor da alma.

Foi isso que aconteceu comigo quando nossa dor chegou ao fim.

Eu fui esquecido sozinho num canto,
passando frio de desejo e fome de dengo.
Pode imaginar?
Alguém tão sofrido e tão carente
passeando pelas ruas escondido num casaco velho?
Era eu no dia em que você decidiu pôr fim no meu sofrimento.

Sim, o meu sofrimento.
No puro e único egoísmo do sujeito.
Meu, porque como dizem: sempre tem aquele que sofre mais.
E esse um fui eu,
aquele que sempre foi mais para você em todo e qualquer sentido.
Aquele que foi mais amigo,
mais amante,
mais doador,
mais ouvinte,
mais companhia
e mais cobertor nas noites geladas em que seus pés procuravam pelos meus.

O que foi mais sensível,
mais compreensível,
mais imprevisível,
mais pedinte
e mais merecedor de carinho uma vez que todo aquele dentro do meu peito
era direcionado à você.
Até mesmo o carinho-próprio.
Mas sem dúvida alguma e com toda certeza,
o que saiu mais dolorido.

Porque você nunca de fato sofreu por mim.
Você nunca de fato pôde perceber a dor tomar seu coração
numa escala tão alta a ponto de te fazer explodir por dentro,
deixando o desejo de gritar alto praticamente se esgoelando de tanto ser repreendido.
Você nunca de fato se deixou doer.
Me atrevo até a dizer
que foi biologicamente programado para isso.
A altura exagerada,
os músculos explícitos,
os punhos fortes,
os olhos trancados e a língua afiada.
Você definitivamente foi feito para evitar a dor,
mas indiscutivelmente feito para ser a minha.

Cada medida sua,
da cabeça aos pés,
perfeitamente feitas para me apertar o coração
com a palma da mão como se a qualquer momento
ele pudesse virar pó entre seus dedos

E assim foi,
assim é
e garanto que assim sempre será.
Você me esmagando cada vez mais
e eu simplesmente me esvaindo
mais e mais por entre os vãos daquelas malditas falanges.

Até que chegue o dia,
aquele tal dia em que eu finalmente me vejo
livre
e saio por aí
voando com o vento
ao me espalhar um pouco por cada lugar,
pertencendo a tudo
e a todos
graças àquele amor que de tão dependente
se tornou libertador.

 

Obrigado Park Chanyeol.


Notas Finais


Tô aprovada nas drabbles??
Porque essa é a primeira e eu tô aos choros de orgulho! aslkdhçaodhlaskhd mas digam se todo esse orgulho está valendo a pena, porque afinal o que importa é a opinião de quem leu não é mesmo? Me deixem saber.

JURO QUE PREDESTINADOS TÁ QUASE SAINDO
É que eu quero um capítulo que realmente renda e que seja grande, então mais um pouquinho de paciência (como sempre: não desistam de mim!!)

Até a próxima Õ//
Beijocas~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...