História Obscene - Os 12 Casos de David - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Exibições 15
Palavras 2.021
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Festa, Lemon, Luta, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shonen-Ai, Slash, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oi gente, tudo bem com vocês?
Então...
Essa fic é baseada na minha visão sobre os meus crushs 😂
É bem obscena, mas bem descontraída também, então antes e depois do lemon eu vou tentar deixar um pouco descontraído...
Tô pensando em revelar uma curiosidade sobre mim na nota final de cada capítulo, que tal?
Espero que goz... gostem :)

Capítulo 1 - 4 podem jogar esse jogo - parte 1


P.O.V David

Sempre achei que caminhando eu tinha mais tempo pra pensar. Caminhava até dentro de casa para refletir sobre as minhas fantasias de sonhador.
Mas parece que isso mudou. Um esbarrão enquanto eu voltava pra casa e eu encontrei alguém que me impedia de pensar. Um dos fantasmas do meu passado, o garoto que ainda entra na minha mente todo dia e não me deixa dormir a noite: Anderson.

OK, mentira, vamos parar com o drama. Eu tenho uma vida própria, vou bem na vida e tenho coisas a fazer. Mas ele mexe comigo até hoje!

Eu o conheci no colegial. Na época, ele e mais dois garotos me provocavam. E quando eu digo "provocar", é no sentido sexual da palavra. Nunca entendi como um garoto magrelo que podia ser bem rude às vezes e com gostos musicais tão duvidosos atraía 3 garotos lindos de morrer, mas eu é que não vou reclamar né?

Voltando às provocações, eles sussuravam sacanagem no meu ouvido, apertavam minha bunda, me alisavam nos meus lugares mais sensíveis...
Um deles era o mais ousado e o mais sedutor, eu admito. Giovanni, o pior nos estudos e o melhor nos esportes. Uma vez, quando eu saí de sala (eu era um bom aluno, tá? Só fui ao banheiro) e ele estava saindo da sala do diretor, nos encontramos no corredor e ele me encurralou na parede. Eu protestei, mas não queria que me soltasse.

Nunca quis. Eles me enlouqueciam, mas eu queria toda aquela loucura.

Ele roçou o nariz pelo meu pescoço e foi subindo até o meu ouvido. O prazer estava me consumindo (acha exagero? Eu sou sensível a toques!). Ele lambeu e mordeu o lóbulo da minha orelha.

- Tá derretendo todo. Isso que eu ainda nem meti... - ele sussurrou com uma voz muito sexy e depois riu.

Tive calafrios.
Ele aproximou seus lábios dos meus. Mas antes que ele me beijasse, fomos interrompidos por um estudante.

-Não vou deixar você ganhar tão fácil - disse o garoto.

Era Garcia, o outro que me provocava. Sua interrupção me levou a realidade. Não iria matar aula, muito menos pra continuar sendo assediado por Giovanni. Passei por Garcia e fui pra a aula, mas antes pude ouvir um você sempre estraga tudo! do Giovanni pro Garcia. Não entendi o que haviam combinado, mas envolvia a mim. Na época eu ignorei, mas a dúvida ficou forte na mente, principalmente nos últimos meses...

Mas chega de falar no passado, né? Vamos voltar para o Gosto... Anderson!
Sua aparência havia mudado. Antes, vestia um casaco azul marinho e jeans com sapatos All-Star e deixava seus cachos soltos, parecendo um skatista à primeira vista. Agora, estava com um undercut no cabelo e estava apenas de short e patins.
Era tão magro quando eu o conheci; agora tinha um físico de fazer inveja.

Voltei a realidade quando ele me chamou. Por sinal, sua voz havia engrossado.

- David?

-Oi, Anderson! Há quanto tempo! - respondi tentando soar amigável.

-Oi, David! Senti saudades - ele respondeu me abraçando. Fiquei um pouco constrangido. Abraçar um homem sarado sem camisa sempre foi tentador pra mim.

-Ainda mora aqui perto? - perguntei, curioso.

-É, a casa é boa, os negócios vão bem, não há motivos para sair - ele sorriu. Parecia feliz em me ver.

P.O.V Anderson

Ele respondeu meu sorriso. Eu estava realmente feliz em rever David. Tinha que resolver um assunto inacabado com ele.
Mas ele foi mais rápido.

- Anderson, faz tempo, mas tenho que perguntar: por que me "provocava" (leia assediava) no colegial?

Eu continuava feliz, mesmo com uma pergunta tão incômoda. Até porque, ele parecia gostar do que eu, Garcia e Giovanni fazíamos. Respondi, meio constrangido:

- Para conseguir sua atenção.
Garcia, Giovanni e eu gostávamos de você, mas não queríamos dividir ou decidir de forma madura. Então, Garcia disse: que vença o melhor! A partir daí, começamos uma competição pra ver quem ficava com você. Ninguém venceu, mas nunca demos o jogo por encerrado... - Insinuei-me pra ele, que recebeu a mensagem.

- É mesmo, é? - David se aproximou de mim enquanto perguntava, seu sorriso malicioso como o meu.

P.O.V David

Entrei no seu jogo, mesmo ainda estando encucado com o que acabei de ouvir.
Três garotos REALMENTE gostavam de mim?! Achei que era uma espécie de joguinho estranho que os garotos tinham, mas isso vai muito além! Será que eles ainda sentem isso por mim, três anos depois? Com nós três jovens adultos? O Anderson parece que sim, mas eu queria tentar algo com os três...

-Então vamos continuar com o jogo? - completei minha pergunta, com uma sensação de que algo muito bom viria com esse jogo...

~Quebra do Tempo~

Chegando em casa, virei-me para beijá-lo, mas ele foi mais rápido. Quando dei por mim, estávamos encostados na cômoda, abraçados e se beijando. Seu hálito era morno e com gosto de hortelã. Ele me pediu passagem com a língua e eu cedi. Fomos aprofundando o beijo até que o ar se fez necessário e separamos os lábios. Ainda estávamos abraçados e eu pude sentir nossas ereções se encostando.

- Esperei tanto por esse momento...- eu disse.

-E não vou esperar mais! - ele continuou e foi descendo os beijos e chupões, me marcando em todos eles. Sua língua girava em torno dos meus mamilos, seguida de mais beijos e chupões, que me enlouqueciam e me deixavam ofegante. Enquanto usava a boca em um dos mamilos, utilizava a mão no outro, alisando e puxando.

Comecei a gemer e ele interpretou como um sinal pra continuar a descer. Chegava cada vez mais perto da minha calça e eu já sabia o que viria. Queria fazer isso primeiro, mas os beijos me impediam de falar.

Ele tirou meu cinto devagar, como se fosse tirar uma bomba da minha cueca. Depois foi tirando a minha calça, tão devagar que pensei que o tempo estava desacelerando. Se deparando com a minha cueca, ele fechou os olhos e começou a beijar e lamber o meu membro sem mesmo tirar aquela peça de roupa. Meus gemidos ficaram mais frequentes, mas ainda leves. Ele riu, abriu os olhos e olhou pra mim.

- Quando eu meter então... - ele se interrompeu, rindo malicioso.

P.O.V Anderson

Então, eu puxei toda sua cueca de uma vez pra baixo e abocanhei seu grande membro sem cerimônia. Comecei a chupá-lo rápido. Era um boquete intenso e fazia tempo desde a minha última vez, mas queria ouvir David gritando meu nome na cama, gemendo alto e me pedindo para fodê-lo. Tirei-o da boca e fui lambendo a glande, me aproximando dos testículos com a língua. Olhei para cima e o vi se derretendo e gemendo.

-Anderson... Não para, vai... Continua...

Acesso liberado.

Comecei a masturbá-lo enquanto chupava suas bolas. Ele começou a gemer mais alto. Queria continuar, mas meus joelhos estavam doendo por ficar ajoelhado no chão duro. Parei e me levantei pra beijá-lo, procurava cada canto da sua boca com a língua e seu hálito de morango se misturava com o meu de hortelã. Quando me faltou ar, parei o beijo e disse:

- Vamos pra a cama.

Ele terminou de tirar a roupa e fomos pra a sua cama. Tirei meu short e aproximei meu membro (ainda na cueca) de David. Estava doendo por ficar duro por tanto tempo.

-David, me chupa, por favor.

P.O.V David

Foi um oral mais intenso que qualquer um pra mim. Ele parecia realmente ter desejado isso nos últimos anos. Me excitava muito a ideia de estar nos sonhos molhados de Anderson durante três anos.
Seu pênis descia fundo na minha garganta. Me chupa, ele pediu, mas estava me fodendo forte pela boca, empurrando minha cabeça em direção ao seu membro (bem grande por sinal), sugando o ar entre os dentes e erguendo a cabeça, deixando à mostra seu pomo-de-adão.

- David... Eu vou... - o interrompi tirando suas mãos da minha cabeça e cessando o oral.

- Não vai não! Dois podem jogar esse jogo!

O empurrei de modo que caísse na cama e peguei o lubrificante e a camisinha na gaveta. Masturbei seu pênis com o líquido enquanto ele tirava o preservativo da embalagem e e eu me penetrava com os dedos melados de lubrificante.

Posicionei-me em cima dele e desci nele lentamente, não por cuidado, mas para provocá-lo assim como ele fez comigo antes de me chupar. O prazer começou a se manifestar em mim, deixando-me arrepiado, em especial nos mamilos. Anderson reparou nisso e começou a me estimular por eles, tocando-os delicadamente enquanto eu rebolava com ele dentro de mim.
Comecei a subir e descer devagar, cavalgando no seu membro enquanto ele cessava as carícias nos mamilos e começava a me masturbar no ritmo em que eu o fazia me penetrar. Me senti cada vez mais excitado, gemendo mais alto e chamando seu nome vez ou outra.

Mas fui interrompido. Anderson me tirou de cima dele e me beijou antes de sussurrar em meu ouvido.

- Fica de quatro pra mim, David.
Os arrepios falaram por mim.

Assim que me posicionei como ele pediu, senti uma língua quente no meu ânus, arrancando um gemido de supresa de mim. A excitação estava me deixando nos limites, então avisei a Anderson.

- Isso vai... acabar bem rápido... comigo...

Ele entendeu o recado e colocou seu membro dentro de mim de uma vez, me fazendo gritar.

- Dois podem jogar esse jogo. - Ele devolveu antes de começar as estocadas, lentas no início, mas logo se aceleraram (e muito!). Sentia sua necessidade de me ter enquanto ele puxava o meu cabelo e ordenava autoritário.

- Geme pra mim, David... Implora pra eu te fuder...

Desejo realizado.

- Me fode, Anderson! Vai! Me fode! Acaba comigo, Anderson!

Me continha pra não rir. Sempre achei Talk Dirty meio ridículo, mas no calor do momento eu estou sempre cedendo aos desejos do dominador.

- Ahh! David, eu... Eu vou gozaaa... - Anderson não terminou a frase e se desfez, não me sujando por causa do preservativo. Me deu mais umas estocadas e depois saiu de mim.

- Eu ainda não gozei, Anderson. - Alertei antes de enfiar de uma só vez o meu pau na sua boca, fodendo-o apressado enquanto sua expressão de surpresa transformava-se em desejo. Ele estava gostando de ser dominado?

Testei isso ao perguntar:
- Posso lá embaixo?

Ele assentiu sem hesitar. Parece que pra ele (assim como pra mim) passivo ou ativo eram boas opções.

Lentamente me inseri, já lubrificado e encapado, sentindo seu interior quente enquanto ele gemia de dor. Provavelmente não estava muito acostumado a ser passivo. Comecei as estocadas, sentindo-me ainda mais excitado em penetrá-lo na posição papai e mamãe e ouvir seus gemidos de prazer.

Não demorei muito a gozar, soltando um gemido alto e o beijando enquanto ele gozava sem ao menos se tocar, melando nossos abdômens. O beijo não pôde durar muito, estávamos sem ar.

- Nunca te imaginei sendo dominador. - Ele soltou enquanto eu tirava a camisinha.

- Nem eu. - respondi rindo.

P.O.V Anderson

Me senti muito bem sendo dominado por David. Ele já era um garoto interessante, como homem é único. Tive algumas relações nesses anos depois do colegial, mas minha mente só tinha David. E fodê-lo... Era muito mais excitante do que eu pensei!

- Você ainda tem o número do Garcia e do Giovanni? - David me perguntou, me fazendo sair da linha de raciocínio.

- Tenho. Por quê?

- O jogo ainda não acabou. - David disse pra mim enquanto pegava seu celular.

Ele mandou o telefone de Garcia e Giovanni para o próprio celular, criou um grupo sem nome comigo, Giovanni e Garcia no WhatsApp e digitou:

David: Oi gente! Sou eu, David!

David: Então, lembram-se de quando vocês três competiam pra ficar comigo no colegial?

Ele parou de digitar e tirou uma selfie me beijando.

David: Foto.

David: Temos um vencedor!

Garcia: Anderson fdp

Giovanni: Sério essa porra?

David: Pra quê esse rage? O jogo ainda não acabou!

David: Os três na minha casa hoje às 21h.

David: Vocês ainda me querem? Venham pegar!


Notas Finais


Só agora eu percebi que esse lemon ficou parecido com o do cap 3 da fic de Cellmitw 😂😂😂
Nossa, deu uma saudade desse crush... 😞
Mas deu um gostinho de quero mais no final, né? Pena que ainda não tem cap pronto, vai ficar no hiato mesmo gente :/
Curiosidade: minha cor favorita é ciano :)
Até a próxima!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...