História Obsessão - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Kakasaku, Naruhina, Naruto, Romance, Sakura, Sakura Haruno, Sakura Uchiha, Sasuke, Sasuke Uchiha, Sasusaku
Visualizações 312
Palavras 4.238
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Nem sei por onde começar a me desculpar.
Mas enfim, desculpem pela falta de resposta aos comentários, e principalmente pela demora em postar o novo capítulo.
O motivo, nada mais nada menos, que um prova fodida da faculdade - desculpem o linguajar.
Enfim, chega de enrolação, e vamos ao que interessa.
Ficou pequeno? Ficou.
Me agradou? Não muito.

Capítulo 19 - Pequenos gestos


Sakura POV

Já eram quase 17:00 de domingo, Temari ainda dormia, na verdade eu já estava um pouco impaciente em não fazer barulho. Poxa eu estava na minha casa, pela manhã é até normal as pessoas precisarem tomar certo cuidado, mas passei a tarde toda, me policiando para não acordar a ogra. Principalmente depois que Deidara acordou, e cismou de fazer pipoca, para assistirmos a um filme. Tem horas que eu me pergunto, se ele não aprendeu nada depois daquela vassourada. Mas acabei deixando ele fazer a bendita pipoca, deixando claro que era o pescoço dele que estava em risco.

- E então o que vamos assistir? – ele sentou-se ao meu lado no sofá, e nos enrolamos no cobertor. Devo admitir que sentia falta disso, essa sensação de calmaria e aconchego, aquele quarto de hospital estava me angustiando. Já comentei que odeio hospitais? E qualquer maneira, vou falar de novo. Os dois anos acompanhando meu pai, em seu tratamento e internação, serviram para eu querer distância disso – Só não me venha com aqueles teus filmes! Não sei como você e a Temari gostam daquelas coisas... violentas... gosmentas... e pegajosas – comenta Deidara revirando os olhos.

Pego um punhado de pipoca, ou pelo menos o máximo que minha mão era capaz de transportar, e enfio, isso mesmo... coloco tudo na boca dele.

- Fica quieto... antes que ela acorde – ele concorda comigo, e coloca mais um punhado de pipoca na boca – Então o que você sugere? São os únicos tipos de filmes que eu tenho.

Deixe-me explicar.

Quando ele se refere aos meus filmes... meus filmes são de terror, boa parte de super-heróis e de ficção cientifica, poucas comédias. Eu e Temari adoramos, e a cada novo lançamento, nossa coleção só aumenta. Não perdemos uma estreia, mesmo quando as críticas não são lá muito boas, como no caso dos filmes da DC Comics.

A campainha toca, eu e ele nos olhamos, pois não esperávamos ninguém a esta hora. Então Deidara faz menção a se levantar, mas a casa é minha, e apesar da minha aparência deplorável, não estou incapacitada de me mover. Vou até o olho mágico, já estranhando o fato de que não fui avisada de que alguém estivesse subindo. Será que o Lee já estava na portaria? Se caso fosse uma das minhas tias, eu correria para o banheiro.

E para minha surpresa, ou nem tão surpresa assim, ele realmente veio.

Abro a porta, e quando bato meus olhos nele, Sasuke logo sorri, parecendo meio sem jeito e balança a sacola diante dos meus olhos. Pelo cheiro, meu estômago já sabia do que se tratava.

- Achei que viria mais tarde – comento ao dar passagem para que ele entre – Que cara é essa? –  Eu percebo que apesar o sorriso, ele está com o semblante abatido, o que não é muito comum de se ver. Todas as vezes em que o vi, ele parecia feliz, e animado.

- Nada não – ele responde, enquanto retira da embalagem uma torta de brigadeiro!

Uma torta de brigadeiro! Acredita?!

- Minha chefe, quem fez – Sasuke então me olha nos olhos, e vem até mim – Como você está? – ele toca meu rosto, delicadamente e seus olhos percorrem cada centímetro da minha face. Ele parece analisar minha situação. O vejo franzir os lábios – Pelo menos aquela ruga teimosa... saiu daqui – ele toca minha testa, e nós dois rimos.

- Era só o que me faltava além de tudo, ter de lidar com aquela ruga – dou uma dramatizada básica ao falar da ruga. Não que eu me importe, mas acho começo a achar graça dessa característica minha. Tento descontrair ao sentir que estávamos próximos demais, eu já estava sentindo meu rosto queimar com o toque dele – E ai, tem certeza de que não quer conversar?

Ele parece ponderar por alguns segundos, mas vejo quando desvia seu olhar para Deidara que se aproxima.

- Ei, vocês dois chega de papinho, vamos ver o filme logo – Deidara se apoia na bancada da cozinha, e passa o dedo pela cobertura do MEU bolo! – Huumm... delícia!

Imediatamente lhe jogo o pano que uso para secar a louça, acertando em cheio.

- Tira essa mão daí desgraça... depois nós comemos... quando a Temari acordar – ele sai cabisbaixo, e tanto eu quanto Sasuke nos olhamos e damos risada, Deidara lembrava uma criança quando recebe um não, voltou ao sofá com um bico digno de foto. Parece que o medicamento para dor, não está fazendo efeito, sinto não só meus braços, como meu corpo todo dolorido – Sasuke... – chamo sua atenção, segurando sua mão, que está fria – você gostaria de ficar e assistir ao filme com a gente? – ele parece surpreso com meu convite – Quem sabe depois você decida me contar o que te deixou assim. Pois quando você saiu aqui de casa hoje cedo, parecia bem.

Ele não fala nada, apenas segura firme minha mão, e dá um sorriso de canto. Me fazendo lembrar de quando éramos crianças, e ele agia da mesma maneira, segurando a minha mão, para atravessar a rua, e ir comprar balas, em frente à escolinha.

Como o sofá é espaçoso, acabamos nos acomodando Deidara com a cabeça deitada no meu colo, enquanto devora praticamente sozinho o balde de pipocas, depois que eu percebi a difícil tarefa que seria comer com aquilo com a boca machucada. Sasuke sentou ao meu lado e dividimos parte do cobertor. Em certos momentos, eu o olhava de canto e pude perceber que ele não estava nem ao mens prestando atenção no filme, mas o deixei assim.

Tudo bem, que até para mim aquele filme estava meio chato, de tantas vezes que assistimos, mas para Deidara parecia ser a primeira vez assistindo.

Já até enjoei de ver a Bella dividida entre amor e amizade. Sempre foi óbvio de que o vampiro ganharia.

Por favor, aos fãs da história... não me entendam mal. É só que depois de ter assistido o primeiro dos cinco filmes, no mínimo umas trinta vezes. E ter lido a todos os livros, continuo convicta de que os filmes não fizeram jus aos livros. O primeiro filme, esse que estamos vendo, foi fofo e tal, talvez tenha sido o meu preferido entre todos. Mas a sequencia só piorou. O que foram os efeitos de computação no último filme da safa? Pelo amor de Deus, que tivessem parado em lua, que ainda era aceitável.

O dilema da Bella é tão óbvio, e sempre foi muito claro que ela ficaria com Edward, afinal com ele, tudo ia muito além de uma simples e romântica história de amor, como se a vida dela fosse ligada à vida dele, e visse e versa. Eu até via certa poesia nisso tudo, devo admitir que os livros quase despertaram em mim, uma Sakura sonhadora, e eu me questionava frequentemente se era possível existir um amor assim, onde um fosse feito para o outro, com suas singularidades, mas que acima de tudo, completavam-se.  E que não importasse o quanto tudo se tornasse difícil, no fim daria certo, e a felicidade almejada, seria enfim alcançada. Seria lindo algo assim, e quando eu percebi era muito mais simples lutar contra vampiros e lobisomens, a ter um amor assim, de certa maneira me decepcionei.

 

°

°

°

 

Autora POV

Quase oito da noite, e o apartamento de Sakura se encontra em um quase que completo breu, caso não fosse as luzes de LED sob a bancada da cozinha, ou a iluminação da rua, que adentrava pela porta de vidro da sacada e janelas. A televisão desligada indicava que o filme já havia acabado a algum tempo, mas estranhamente a porta do quarto em que Temari dormia, estava aberta e Deidara que a pouco tempo dormia no tapete, fofo e macia da sala, já estava mais ali.

Mas qualquer um que entrasse naquela sala, nesse exato momento teria talvez uma ideia errada, do que se via. Sasuke e Sakura dormiam no sofá, o corpo dela era abraçado pelos braços dele, suas costas estavam contra o peito dele, e Sasuke tinha a cabeça apoiada sob uma almofada lilás, ela por sua vez, tinha a cabeça sob o braço dele.  Sakura se remexeu, o que fez com que Sasuke despertasse, e se surpreendesse com a situação em que se encontravam. Deu uma olhada geral pelo apartamento, vendo que se encontrava em um silêncio absoluto. Mas algo além de ter Sakura em seus braços, chamou sua atenção, ela estava quente, sentiu que o rosto dela suava sob seu braço. O corpo pequeno dela, comparado ao seu, apresentava leves tremores, o que logo fez ele reagir tentando acordá-la.

- Sakura... – ele não se moveu, apenas aproximou seu rosto, o suficiente para que ela o escutasse – Sakura, acorda – ele levou a mão que a abraçava na cintura, até o rosto dela, e percebeu alguns fios de cabelos colados ao rosto dela, pelo suor – Sakura...

Ela não respondeu, e isso bastou para que ele se levantasse e a deixasse deitada de maneira ainda confortável. Colocando-se ao lado dela, com um dos joelhos apoiados no chão, ele tentou avaliar seu estado, e não precisou de muito esforço para constatar o problema.

- Você está queimando de febre! – ele fala, ao afastar sua mão do rosto dela – O que você tem? – ele passa a mão pelo rosto dela, Sakura parece sentir o toque dele, e contrai seu rosto. Sasuke observa o quão delicado é aquele rosto, para estar marcado daquela maneira. Mas não perde tempo analisando as marcas frutos do tal “assalto”, pois há mais com o que se preocupar – Sakura...

- Frio... está frio... – ela reclama sem abrir os olhos, e se encolhe no sofá. Sasuke a cobre, com o cobertor, e então semicerra seus olhos, vendo quem estava ali – Sasuke, meu corpo dói.

- Você tem um termômetro?  - ela assenti – Onde você guarda?

- Na primeira gaveta, no banheiro – ela responde, já se encolhendo mais, e franzindo o rosto pela dor latejante no corpo. Mas logo fecha os olhos, como se pudesse repousar novamente.

Sasuke corre ao banheiro, e volta ainda mais rápido com o termômetro.

 

°

°

°

 

Depois de falar com Mikoto ao telefone, Sasuke já sabe como agir inicialmente. Ele até pediria que sua mãe viesse até ali, ajuda-lo. Mas não se sentiu no direito de prover um encontro entre as duas, não após o choque que Sakura sofreu graças a descoberta por Fugaku. Ligou para Naruto, pedindo que o loiro o ajudasse. Naruto por sua vez, disse que levaria um tempo para chegar, pois tinha faltado luz naquela parte da cidade e não conseguia retirar o carro da garagem, que não possuía uma bateria reserva. Estava tentando pegar um táxi.

Seguindo os passos que Mikoto lhe passou, Sasuke preparou compressas frias, e aplicou em Sakura.  Mas não pareciam fazer efeito algum, pois a cada vez que conferia a temperatura da rosada, os 39, 5° não pareciam querer baixar. E então com sutileza, ele retira o cobertor, deixando apenas parte das pernas dela cobertas. Afasta os poucos fios rosados colados ao rosto, Sakura estava sonolenta, e isso o preocupava.

- Sakura, vamos precisar baixar essa febre... – ele se coloca ao lado dela, novamente sente sua pele quente, só de se aproximar – Preciso que me ajude a tirar esse moletom.

- Sasuke, meu corpo dói – ela reclama, manhosa – eu estou com frio – pelo menos ela já mantém os olhos abertos.

- Você já tomou o medicamento para dor, não posso dar outro antes do intervalo de oito horas. Se a febre não baixar, eu vou ter que levar você para o hospital – ele fala, afagando os cabelos agora embaraçados dela.

- Não... hospital não... – ela faz certo esforço para se sentar, e com a ajuda dele, retira o moletom. A regata branca, estava colada ao corpo, e apesar das curvas da rosada atraírem a atenção dele, as marcas roxas nos braços, só o fazem engolir a seco, a revolta em vê-la daquela maneira – O que foi? – pergunta ao ver a maneira como Sasuke, a olha.

- Nada, só que você continua me dando trabalho como quando éramos crianças – ele coloca o moletom mais ao lado, e troca a compressa fria. Sakura esboça reclamar de frio, mas Sasuke acaricia sua pele próxima da compressa.

- Parece que algumas coisas nunca mudam... porque você continua cuidando de mim – ela lança um rápido sorriso, se acomoda de maneira que fique sentada – Desculpa, te dar trabalho.

Sakura então dá um espirro, forte. Depois outro... seguido de mais dois.

- Não acredito que vou pegar um resfriado – reclama ela, vendo Sasuke balançar a cabeça negativamente.

 

°

°

°

 

Já quase meia noite, de segunda-feira e o apartamento de Sakura, encontra-se movimentado, já que Sakura conseguiu arrumar mais uma para ela... um resfriado daqueles, capaz de deixar a pessoa de cama.

- Naruto, o que o Sasuke está fazendo? – pergunta Sakura. Já devidamente deitada em sua cama, depois da febre ter baixado.

O loiro chegou não faz muito, assim que entrou já soube do que se tratava, pois Sakura, espirrava feito louca, sem nem conseguir terminar uma frase sem pelo menos dois ou três espirros. Apesar disso, tanto Naruto quanto Sasuke, parecem achar graça da situação, pois Sakura lembra uma criança, o rosto levemente rosado, bochechas quentes e voz infantilizada.

Naruto deitou com ela, porém sob os cobertores. De braços cruzados, ele muda os canais procurando algo para assistirem. Ele nem se deu ao trabalho de trocar de roupa antes de sair de casa, e veio de pijama mesmo, apenas colocou uma jaqueta de couro, o primeiro agasalho que encontrou no escuro.

- Ele está fazendo um chá – Sakura olha para o primo, e outra vez se vê obrigada a espirrar – Até poderíamos pedir para minha mãe, mas ela viria aqui e te veria assim – ele aponta para o olho de Sakura, que está ainda mais vermelho, por conta do resfriado – E não queremos a dona Kushina, nos atormentando em plena madrugada.

- Tem razão... eu prefiro que elas não saibam o que aconteceu, ou que pelo menos eu esteja recuperada... se elas me verem dessa maneira, vão armar uma confusão sem tamanho. Nem para o Kakashi eu falei...

Naruto olha confuso para ela.

- Você falou com ele?  - o loiro estranha o fato, pois ele mesmo manteve Kakashi a par de tudo.

- Sim, conversamos.  Mas preferi não contar nada, pelo menos até ele voltar – Sakura passa os dedos pela ponta do nariz, e já sente certa ardência no local – Pelo menos assim não estou mentindo, apenas omitindo... ele ficaria preocupado em vão. Pois já estou bem... – nem termina a frase e os espirros retornam.

- Bem? Estou vendo – Naruto ri – espero não precisar ficar “bem” como você – ele brinca, e ela lhe soca o ombro.

- Aqui – Sasuke retorna, trazendo com ele uma caneca de chá, e alguns biscoitos amanteigados – toma esse chá, e come alguns biscoitos. E depois dorme um pouco – ele olha para Naruto que parece mais entretido com a televisão, ou pelo menos finge não o ouvir.

O moreno, já ia se retirando quando Sakura o chama.

- Fica aqui com a gente, a cama é grande – ela se acomoda melhor, ficando mais ao meio – Já está tarde, e eu sei bem que vocês dois precisam dormir.

- É... Sasuke, deita ai – Naruto vai mais para o lado também. Ficando ele a direita, Sakura no meio, e o lado esquerdo da cama, ficando para Sasuke – A Sakura não ronca tanto, dá para dormir.

- Cala a boca, eu nem ronco! – ela espirra duas vezes – Já está tarde, fica aqui... ou pode dormir no outro quarto...

- Deita ai, deixa de ser fresco – Naruto joga uma almofada no moreno – Vamos Sasuke, melhor oportunidade para dormir com a minha prima você não vai ter – ele ri, mas Sasuke não vê a menor graça na piada, muito menos Sakura que fica ainda mais corada. É obvio que Naruto não sabe sobre o beijo, ou sobre a maneira intima com a qual os dois dormiam horas antes.

E assim, Sasuke se deita ali, não pelo pedido de Naruto, mas por ele ter razão, e ser uma chance de ficar próximo dela. Sakura agradece a ele, pelo chá, no momento em que ele se deita ao lado dela.

 

°

°

°

 

Sakura POV

Pense em uma pessoa, que passou a semana toda, sofrendo com coriza, nariz assado, dores no corpo... agora pena nisso mais o fato de eu ter evitado minhas tias a semana toda. Passei a semana praticamente trancada em casa, o único contato que eu tive com a rua, foi através das visitas dos meus amigos. Infelizmente Kakashi não conseguiu voltar antes da viagem, como havia comentado. Já estamos no sábado, e parece que a viagem vai ser adiada em mais alguns dias. Sempre que nos falamos ao telefone, ele parece mais irritado, acredito que pelo fato de eu não aceitar fazer um vídeo chamada com ele. Meu rosto já está bem melhor, meu olho está praticamente novinho, só meu pulso que me incomoda as vezes. Não sei porque, mas algo no tom de voz dele, fez com que eu me preocupasse, ele parecia tenso, toda a vez que eu perguntava o que eles faziam nas horas de folga. Claro que eu não preocupei, pelo menos não depois de saber através da tia Tsunade, que Rin estava em Konoha, e retornou antes da viagem. Tia Tsunade me ligou todos os dias, insistindo que viria me ver, e meu estoque de mentiras e desculpas, já estava se esgotando, os motivos que dei a ela, para que não viesse me ver, foram os mais diversos, indo de “não estarei em casa”, até “vou dormir na casa de um amigo”. Claro que depois dessa desculpa, algumas horas mais tarde Kakashi me ligou, alterado, questionando se esse tal amigo era o Sasuke. A implicância dele com o Sasuke, já está me irritando.

O que falar do Sasuke?

Nessa semana, é como se um laço forte, se intensificasse ainda mais entre nós. Ele fez questão de dormir aqui no apartamento todas as noites, por causa do meu estado deplorável. Claro que não adiantou insistir, ele fez questão de cuidar de mim. Ele dormiu no quarto de hóspedes, e todos os dias de manhã, deixava o café pronto antes de sair, e ao voltar depois do trabalho, trouxe um bolo diferente. A maneira como ele cuidou de mim, e me respeitou, não se compara a nada e ninguém. Temari e Deidara, vinham e passavam os dias comigo, se revezavam quando tinham algum compromisso, não me deixando sozinha. Ficaram amigos do Sasuke, o que não é nada difícil, ele exala uma aura tranquila, e calorosa, que transforma o ambiente onde está presente. Meu apartamento, ganhou um aroma doce, pelas refeições preparadas por ele, quase posso admitir que pude enfim, me sentir em casa. Acho que tudo isso irritou o Kakashi, pois fazem dois dias que ele não liga, e também não atende minhas ligações. Mas também não vou insistir, já que eu não fiz nada de errado para ficar me culpando ou preocupando, se ele não quer falar comigo... paciência.

Hoje à noite, tem a festa de início das aulas, organizada pela faculdade, todo mundo, e eu não seria exceção. Já que estou muito melhor, praticamente pronta para outra, só que não.

Acredite se quiser, mas Temari já arrumou um lance com um carinha, o Neji irmão da Hinata, mas Naruto e Deidara, apostaram com ela, que isso não passa de uma semana, pois o gênio dos dois, é muito parecido. Eu já afirmei, que se ele a aguantar logo que acordar, terá ganho a guerra. Até hoje, não houve um cara, que saísse com ela, que durasse mais do que uma noite, após dormirem juntos. Ela sempre fez questão de coloca-los para correr, quando eles ou acordavam ela, cedo em busca de mais sexo, ou não a deixavam dormir. A garota não é fácil, o cara que conquistar aquele coraçãozinho ali, vai ter de ser paciente. Pelo que Deidara me falou, o Neji e ela, estão apenas nos amassos, por escolha dela. E se bem conheço minha amiga, não vai passar disso, ela está apenas se divertindo, só espero que o Neji também, ele parece um cara legal, para levar um fora dela.

Até a Tenten veio me visitar, acompanhada do Deidara, eu acho que ali tem coisa, mas o loiro nega, dizendo que não passa de amizade. O fato dele ser gay, nunca o impediu de ficar com mulheres, na verdade a opção sexual dele, está cada vez mais confusa ao meu ver. Mas Tenten parece saber disso, e mesmo assim, se está tudo para ela, não vou ser eu quem vai se meter. A minha querida e amada prima, veio me visitar acompanhada do namorado, o Suigetsu e claro que não podia, ser uma visita normal se tratando daquele cara. Ele é estranho demais, tem os dentes pontudos, literalmente, como se fosse uma piranha, um tubarão... alguma coisa do tipo. Não que eu tenha o costume de julgar as pessoas, mas a aparência dele, é meia estranha. Karin, trata ele como capacho, fiquei até com certa pena dele, minha prima não é alguém muito fácil. Resumindo a história, no dia que Karin veio me ver, Naruto estava aqui, com o Sasuke, tínhamos acabado de jantar. Foi uma confusão dos infernos, porque o Naruto não sabia ainda sobre o namoro, apenas suspeitava. E se não fosse o Sasuke segurar o Naruto, e eu o Suigetsu controlarmos a Karin, a família Uzumaki, teria uma baixa naquela noite. Eu quase podia ver faíscas saindo dos olhos dos meus primos. Naruto só quer protege-la, e eu entendo isso, mas não vai ser bancando o irmão ciumento e controlador que isso vai funcionar. Depois de conversar com os dois, consegui colocar juízo nos dois, e as coisas se acalmaram. Acabou a noite, com a Karin emburrada, enquanto Naruto e Suigetsu conversavam sobre histórias constrangedoras dela, eu e Sasuke decidimos que era melhor focarmos na série que estávamos assistindo e deixar os Uzumaki se entenderem no tempo deles.

Eu não procurei mais saber sobre Kimimaro, depois que Naruto me contou sobre o estado dele ao chegar em casa no dia seguinte. Segunda a tia Kushina, ele se envolveu em alguma briga. Ao saber, eu só conseguia pensar que com toda certeza o estado dele, não devia ser pior do que o meu. Eu desisti dele, simplesmente não posso mais me castigar assim, não posso mais exigir de mim mesma, um limite que já ultrapassei a muito tempo. Preciso me conformar que eu perdi meu irmão, e isso não mudará.

Soube através do Naruto, que a Hinata o está ignorando completamente, nem mesmo Neji sabe o motivo exato. Ela disse que me avisaria quando voltasse de viagem, mas não atende quando eu ligo. Segundo Neji, ela voltou faz uns três dias, e estava diferente, mais calada que o normal, e mal sai do quarto. Parece que ela e o pai deles, tiveram uma briga feia, e nem estão se falando.

 

°

°

°

 

Autora POV

- Estou voltando para Konoha, espero que o traste do seu filho tenha entendido o recado. Na próxima vez que ele se aproximar dela, vou arrancar dele muito mais do que sangue – fala tranquilamente, porém Mieko, sente o ar frio entrar pela janela, e é como se apunhalasse sua alma – Agora eu estarei perto o suficiente, para que ele não ouse respirar perto dela.

- Eu tinha garantido a você que ele não iria se aproximar – fala desesperada – não precisava disso – ela modera o tom de voz, pois Kimimaro está no banho.

- Parece que você não entende a gravidade da situação. Precisei de mais do que algumas palavras, espero que o aviso tenha sido suficiente e a mensagem compreendida – o som de carros ao fundo – Pouco me importa o que me garantiu, agora siga as minhas ordens, ou terá de providenciar um enterro para esse peso morto. Mieko... você é um lixo de pessoa, não pense que eu irei sujar minhas mãos com você. Mas ouse falhar comigo, e verá o quanto eu posso ser cruel quando não tenho sucesso com meus planos.

- Não entendo, por que essa obsessão pela Sakura. Você é jovem, pode ter a mulher que desejar... – ele a interrompe, com uma risada cínica.

- Você não entenderia, pois nunca amou nada nessa sua vida medíocre. Não sei como pôde dar à luz, à ela... Também não perderei meu tempo explicando a você... Basta que você saiba... A Sakura será minha, cedo ou tarde. Não importa quantas pessoas eu precise tirar do meu caminho. Tobirama foi apenas o primeiro.

- Como você pôde? Ele era um homem bom...

- Foda-se. Ele era o laço mais forte, que impedia ela de ser minha... agora só preciso eliminar o restante. Apesar dos meus planos terem falhado e Sakura ter retornado à Konoha, estou disposto a tudo, para tê-la ao meu lado. Um dia ela entenderá que agi apenas, em nome do amor.

- Já consegui as informações que me pediu, e elas não batem com o que você me passou. Kakashi e ela não tem nada. Seja lá quem tenha te passado isso, está equivocado. Sakura sempre foi ligada ao primo, mas nunca passou disso.

- Apenas continue de olhos e ouvidos atentos. De qualquer forma, estou chegando e ficarei de olho nele, algo nessa história não está me cheirando bem. 


Notas Finais


No próximo capítulo, já teremos uma baixa na fic... ou algumas... quem sabe o dia de amanhã?!
Mas enfim, prometo um capítulo melhor e bem maior.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...