História Obsession. - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction, Selena Gomez
Personagens Louis Tomlinson
Tags Incesto, Maddyson Tomlinson, Tio De Sangue
Exibições 151
Palavras 2.285
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Escolar, Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oie galerinha, que bom vê-los novamente. Demorei, mas foi bem pouquinho né? Espero que gostem do capítulo, eu particularmente adorei. Eu juro que não entendo porque não está pegando os gifs, isso é decepcionante.

ATENÇÃO!

Observação pequeninha, antes de lerem: A fanfic será postada em alguns dias no Fanfic Obsession, então quem quiser acompanhar ela lá. Deixarei o link nas notas finais, assim que for postada.

All the Love, Lali xx

Capítulo 18 - Tomando iniciativa.


Fanfic / Fanfiction Obsession. - Capítulo 18 - Tomando iniciativa.

Capítulo 18 — Tomando iniciativa.

 

Os cabelos da morena balançavam suavemente, devido ao vento suave que adentrava pela janela entreaberta. Em uma rajada, a garota acabou se acordando com a batida de seus próprios fios castanhos. Seus olhos abriram-se lentamente, não querendo chocar-se com a evidente claridade. Seu cenho franziu quando tudo o que encontrou, foi a luz branda da lua. Um sorriso extasiado entortou seus lábios, ao relembrar os inúmeros prazeres de horas atrás. Os lábios macios e selvagens de Louis contra os seus, enquanto ele proporcionava suas tão fascinantes idas ao paraíso. Depois ás imagens, do mesmo lhe penetrando com suavidade no início, seus olhos transbordavam preocupação, ao verem lágrimas caírem pelos olhos dela.

Lembrou-se também de todos ás vezes que ouvira seu nome nos lábios do homem, era provavelmente á melhor sensação de todas. Seu sorriso apenas aumentou, quando olhou por seu corpo. Apenas com suas roupas íntimas, e a camisa social de Louis em seu corpo, ela inalou o cheiro entorpecente. Aquele cheiro que a anestesiava corporalmente, mas fazia sua mente vibrar em qualquer momento. Com o gesto, sentiu os braços de Louis apertarem ao seu redor, e mesmo adorando ter sua pele colada a dele, tinha de sair dali. Empurrou seus braços com demasiada força, rindo quando se libertou. Caminhou em passos suaves, até a janela, onde pode sentir brisa gélida em contato com sua pele em chamas. Era uma sensação relaxante, seus pelos se eriçaram.

Acabou decidindo fechar a janela, então. Estava seminua em plena noite, no quarto de seu tio. Nem ela mesma podia acreditar, e muito menos queria. Pois se aquilo fosse um sonho, bastaria. E se assim pudesse, viveria eternamente adormecida. Ouviu resmungos baixos de Louis, quanto á ausência dela. Riu baixo, sua pele ainda queimava sob seu próprio toque, um banho afugentaria aquele calor momentaneamente. Apenas enquanto não sentisse a pele de Louis contra a sua, pois assim, todo a queimação retornaria. Seguiu para o banheiro, ligou a banheira, esperando os jatos de água morna, preencherem á mesma. Colocou os seus sais de banho favoritos, e logo adentrou o local. Era maravilhoso e relaxante, tanto quanto a brisa gélida de poucos minutos atrás. Ensaboou o corpo, divertindo-se com ás espumas.

Alguns anos, Louis decidira lhe comprar uma banheira. Ela recusara, assim como diversas outras ofertas que ele lhe dera. Não se arrependia de ter feito tal coisa, mas realmente a banheira era fantástica. Em sua lista de metas, adicionou comprar uma daquelas. Sua cabeça recostara-se na borda da banheira e ligou uma playlist favorita. Os minutos passaram sem quem ela sequer notasse.

— Mudou de ideia? — Louis perguntou, tirando a garota de seus devaneios. E assim, assustando-a. Seus olhos se arregalaram, e ela soltou um grito baixo. Olhou-o incrédula, o moço riu da careta da mesma. E a garota não pode evitar revirar os olhos, era seu primeiro estímulo. E logo depois curvar o cenho, a ruga que se formara ali, deu á Louis a resposta que esperava. Confusão. — Em relação á banheira. Mudou? — Explicou e retomou a pergunta anterior, enquanto procurava toalhas para a mesma se secar. E ao notar aquilo, pensou a respeito. Estava nua e teria que levantar dali, com Louis no mesmo cômodo. O mesmo pigarreou, acordando-a de seus pensamentos novamente. Estendeu a ela, duas toalhas brancas. Ela sorriu em resposta, pegando ás mesmas.

— Em resposta ao seu questionamento: Não, eu não mudei. Porém, isso não significa que eu negue o valor da banheira. — Respondeu, recebendo um sorriso interessado do homem. Ela suspirou, preparando-se então, para o seu pedido. — Você pode tapar os olhos? — Perguntou, suas bochechas estavam vermelho rubi, e corar naquele momento, irritou-a. Louis gargalhou, não acreditando mesmo que aquilo era possível. Mas evidentemente, era.

— Como consegue sentir vergonha de mim, depois de tudo? — Questionou, olhando com sorriso estonteante. Seus olhos azuis, ainda mais claros do que de costume. Demonstrando, seu bom humor. Especialmente, naquele dia, ele sentia-se tão feliz quanto poderia expressar. Os olhos da morena desviaram-se dos seus, não gostava de olhar aquela imensidão azul. Quando estavam próximos á ela, eram sempre de uma intensidade inacreditável. Completamente apaixonante. — Você realmente, sempre me surpreende. — Sorriu, levantando o queixo da mesma, para que voltasse a olhar para ele. E no mesmo instante que o fez, sua vergonha sumira. Seus lábios foram tocados gentilmente pelo homem á sua frente.

— Por favor, Louis! — Suplicou, durante o beijo. O mesmo levantou os braços, em sinal de rendimento, afastando-se e tapando os olhos. Ainda com um riso abafado. Maddyson largou uma das toalhas em cima da bancada ali presente, e com a outra enrolou o corpo. Soube de imediato que Louis, havia comprido sua promessa, sem sentir seu olhar queimar sobre si. Logo passou a outra toalha pelos cabelos, prendendo-a também. — Pronto! Já pode abrir os olhos.

O mesmo o fez, ainda rindo baixo. Sua sobrinha era realmente inacreditável, mas ele adorava, até mesmo aqueles momentos em que ela ficava envergonhada. Maddyson olhou-se no espelho e arregalou os olhos, os roxos em seu pescoço estavam ainda mais fortes do que havia imaginado. Grunhiu, e olhou para o homem ao seu lado, sua expressão o acusava. E de fato, ele era o culpado.

— Como espera, que eu esconda essas marcas? — Acusou, chocada. Ela não se importava muito se apareceria, mas ás pessoas fariam perguntas. Principalmente, uma determinada loira enxerida conhecida por Clara. Mordeu o lábio, imaginando o que poderia responder. Definitivamente, bati meu pescoço não seria convincente.

— Não esconda, então. — Maddyson olhou incrédula, ele realmente havia perdido á noção da realidade. Vendo isso, ele riu baixo. Beijos tocaram á parte sensível e arroxeada de seu pescoço, ele gostava muito mesmo daquele lugar, especificamente. — Deixe-os. Assim quando olharem para você, verão que já tem alguém. Conte a todos, que essa pessoa é a única que quer. Aposto que sentiram inveja. — Ela riu baixo, sabia que aquilo era realmente verdade. Entretanto, se aquilo devia permanecer em segredo, devia calar-se. Colocar um cachecol, e escondê-los bem. E ela, não queria que acabasse. Uma decisão estava explícita nos olhos da morena. Era óbvio, que ele não contaria jamais. Porém, era incrível tentar ela. Do mesmo modo, que sempre fez. — Vou tomar um banho, ainda não se secou. Venha se juntar a mim? — Maddyson negou, vendo-o se despir sem nenhuma vergonha. Ele era tão lindo nu, quanto era vestido. Ficou admirando aquele corpo, que tantas desejavam. Ela queria ceder, entrar naquela banheira e repetir ás doses anestesiantes de prazer de horas atrás. Seu corpo implorava que ela cedesse. — Certeza, baby? — Sugeriu uma última vez, ela engoliu em seco. A mão de Louis estendida para ela, e seu corpo reagiu sem que ela percebesse. Sendo puxada por Louis, segundos depois. Ele a beijou, soltando a toalha, que caiu no chão. E logo eles estavam tomando um banho, deliciosamente molhado e estimulante.

 

 

 

Acordar com os beijos suaves de Louis, sendo distribuídos por diversas partes de seu rosto, era excepcional. A morena sabia disso melhor que ninguém, e se não tivesse corrido ao seu quarto, provavelmente não teria saído de casa naquela manhã. Vestiu um vestido branco, que tapava até metade de sua coxa. Ele era completamente colado ao corpo, e de alta costura. Na altura do busto, era feito de renda francesa. Uma das peças compradas pela sua colega de trabalho, e se não fosse por esta, acabaria passando por brega. Não era acostumada á trajes sociais, porque não os utilizava. Deixara o cabelo solto, cobrindo os círculos arroxeados.

Desceu rapidamente, estava atrasada. Entretanto, surpreendeu-se ao ver que Louis, estava tomando café ainda. E não tendo um colapso como nos demais dias, sentou-se a mesa também. Sorrindo pegou a torrado pronta, e passou a comer, estava realmente faminta. Sentia um formigamento por todo o corpo, o fogo lhe corria pelas veias. O coração acelerando á cada instante, e ás mãos trêmulas. Era o efeito de apenas um olhar.

— Está radiante. — Louis comentou, olhando-a. Seus cotovelos posicionados sobre a mesa, apoiando o queixo. Havia algo nela, que não conseguia identificar, mas que o fascinava quase que instantaneamente. Quando trocavam olhares, seu corpo soltava faíscas por onde passava. E de todas que ele poderia ter, não existam nenhuma que queria. Na sua mente, existia apenas ela. Saber que naquela noite, a tivera para si. A garota corou suavemente, sorrindo agradecida. Ele levantou, e logo ela também. Caminharam até o carro, sem dar nenhuma palavra. Assim como o percurso inteiro.

 

 

 

— Então, está me dizendo que a Kimberlly foi demitida? — Suelen disse boquiaberta, olhando para Clara. Ambas estavam sentadas nas poltronas que haviam na sala da Tomlinson mais nova. A mesma que digitalizava alguns dos milhares de ofícios, que estavam sob sua mesa. Estava sendo um dia agitado na empresa, o trabalho que antes era da loira, havia sido repassado para ela. E mesmo que tivesse trabalho dobrado, não podia estar mais feliz com aquela notícia. Não participava da conversa, mas escutava a mesma, em silêncio.

— Sim. Juro que nem acreditei, quando ás meninas do outro departamento me contaram. Parece que senhor Tomlinson, estava furioso com ela. Com certeza foi grave, você sabe que ele não se enfurece facilmente. — Clara respondeu, bebericando um pouco de seu refrigerante. Haviam saído para almoçar mais cedo, porém, a Tomlinson mais nova decidira almoçar no refeitório integrado. Assim, seria mais rápido. Já que ela tinha muito trabalho, á fazer. — Ei, Maddy! — A garota olhou pelo lado da pilha de papéis, vendo ás duas rirem. — Talvez devesse descansar um pouco, porque não vai caminhar ou algo assim. Estou preocupada, vai que você desmaia de exaustão? Seu tio me daria um tiro.

— Acho que vocês têm razão. — Sorriu fraco, sua cabeça estava martelando um pouco. Levantou-se pegando alguns dos papéis transcrevidos, para levar a Louis. Seriam assinados, e levados para os devidos locais. Eram realmente muitos papéis, mas em toda aquela bagunça, ela se achava perfeitamente. Pegou em mãos, metade da enorme pilha. Todos que já haviam sido passados para os arquivos confidenciais da empresa, no computador. — Vejo vocês daqui a pouco, meninas. — Acenou, recebendo o mesmo em troca.

Chegando á sala de Louis, tocou duas vezes e ouviu um suave “entre” em resposta. A doce voz do homem, ressoou por seu pensamento. Apenas ele, para retirar em segundos seu estresse. Abriu a porta, fechando-a assim que entrou. Pôs a pilha sobre a mesa de Louis, e massageou ás têmporas.

— Parece cansada. Quer ir para casa? Posso pedir para alguma outra secretária, fazer o restante. — Sorriu para ela. No mesmo instante, ela retribuiu. Era realmente uma boa ideia, mas não deixaria que outra pessoa fizesse o trabalho que era seu. Louis ainda a encarava, esperando uma resposta. Ela balançou a cabeça, negando. O sorriso dele apenas aumentou, a teimosia em ser tratada como as outras, estava presente. Ela só não sabia, que não era como as outras, e não devia ser tratada como tais. — Você que sabe.

Louis estava sentado em sua cadeira giratório, relaxado como sempre. As mãos entrelaçadas, evidenciavam o quão tranquilo ele estava. A morena se aproximou dele, estava levemente dominada por seus devaneios. Pôs uma perna de cada lado do homem, sentando-se no colo do mesmo. Aquilo o surpreendeu, mas ele não a afastou. Os braços da garota, passaram pelo pescoço do homem, á sua frente. Ela rebolou no colo dele, fazendo Louis jogar a cabeça para trás, sorrindo maliciosamente. O membro do homem já dava sinais de vida, e tão colada á ele, ela podia sentir. Louis voltou a olha-la e então a beijou com desejo. Seus lábios selvagens nos dela, a deixavam ainda mais louca que antes. E então, dor de cabeça não existia mais. Magicamente, havia sido trocado por uma longa imensidão de puro tesão. Ela passou á mão pelos ombros músculos do homem, evidenciados pelo suéter colado ao corpo. Depois, descera pelos bíceps. Ele era tão gostoso, como ela havia resistido tanto tempo. Resistido ao corpo musculoso, aos beijos envolventes e aos olhos intensos e sedutores daquele homem. Ele era verdadeira perdição.

Com um sorriso teimoso, cortou o beijo e levantou-se de seu colo. Um grunhido excitado, pode ser escutado, vindo do homem. A morena era arisca demais, mesmo o querendo dentro de si, mais que tudo, não desistiria de provoca-lo de todas ás formas que conseguisse. Suas mãos passearam pela própria coxa, e subiu até a calcinha. Tirou a mesma, lentamente, sentada na cadeira a frente da mesa do homem. Ela atirou a mesma para ele, que pegou e levou ao nariz, inspirando-a de olhos fechados. Desde a noite passada, quando havia sido dominada por ele. Ela queria fazer algo.

Levantou o vestido, enquanto caminhava sensualmente em direção ao homem. Deixou o tecido sob sua barriga, abaixou-se frente á Louis, que a olhava atentamente. Abriu a calça e puxou esta junto á cueca, para baixo. Pode ver o membro ereto, frente á ela. Sorriu fraco. Sentou-se na beira da mesa, vendo Louis se levantar também, com um sorriso esperto, enquanto vestia a camisinha em si. Quando foi penetra-la, ela o segurou pela base. Pegou seu membro e alisou sua intimidade com o mesmo. Ambos controlaram-se para não gemer. Repetiu o gesto variadas vezes, passando o mesmo pela entrada de sua intimidade e gemendo alto com a sensação maravilhosa. Minutos depois, empurrou-o sobre a cadeira e subiu sobre seu colo. Penetrando-o em si mesma, mordeu o lábio fortemente. Evitar os gemidos era muito difícil, ao final conseguiram. Beijando-se quando se tornara inevitável.

Maddyson saiu dali, prendendo o sorriso. Agradecera pela maioria estar em seu horário de almoço ainda, e voltou a sua sala. Onde finalizou seu trabalho, animadamente. Sua mente ainda extasiada. Louis era um ótimo e natural remédio para dor de cabeça. Tão bom, que mal podia esperar pela próxima.

 

Continua ? ? ?


Notas Finais


E aí gostaram? All the Love, Lali xx


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...