História Obsession - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Barbara Palvin, Justin Bieber
Personagens Justin Bieber, Personagens Originais
Tags Barbara Palvin, Criminal, Justin Bieber, Trafico
Exibições 188
Palavras 2.089
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura!!
😙😙

Capítulo 4 - Demonio Sedutor


Fanfic / Fanfiction Obsession - Capítulo 4 - Demonio Sedutor

- A. Desculpa – apertei a mão dele. -  Nina. Nina Maxwell.

- Desculpa mas eu não escutei – ele segurou na minha cintura e se aproximou de mim.

- Nina. – falei um pouco mais próxima dele.

- ata. Você quer beber alguma coisa Nina?

- É... pode ser. – Fui ate o bar E sentei em um dos banquinhos.

- Então Nina. Você é nova aqui? Porque eu nunca tinha te visto.

- Sou. Na verdade é a primeira vez que eu venho aqui.

- Então você não trabalha aqui.

- Não. Ou ainda não.

- Um. Que beber o que? –

- Não sei. O que você me sugere? – encarei ele que deu um sorriso de lado.

- Matt trás duas da azul. – ela falou Pro Barman. Depois de um tempo o Barman entregou dois copos com uma bebida azul escura. Ele empurrou um dos copos pra mim e eu encarei o copo – Pode beber isso não vai te matar. – ela sorriu.

Peguei o copo e dei um gole na bebida. Era bem doce e tinha um gosto forte de álcool.

- Então você mora aqui em Miami?

- sim. Eu me mudei pra cá faz pouco tempo.

- e você ta morando com a Ana?

- estou. Você faz bastante pergunta ne?

- eu posso fazer outra coisa –

- o que? - ele colocou a mão por dentro do meu cabelo e atacou maus lábios de uma forma agressiva. No começo até que eu tentei recuar, o beijo dele era quente, e tinha algo nele que me atraia. Mas eu nem conheço esse cara pra já ta me agarrando com ele

Separei nosso lábios dando um tapa na cara dele.

- Você ta louca garota? – ele falou irritado.

-  louco ta você. Tá achando que eu sou o que? Alguma das vadiazinha que você deve pegar por ai? Sinto muito mas eu não sou – Peguei o copo com a bebida e joguei na cabeça dele.

Sai andando rápido procurando a Ana. Vi que ela estava dançando com o Ryan. Resolvi não atrapalhar. Fui andando até o banheiro.

Lá tinha três garotas com roupas completamente minúsculas.

Quando elas me viram começaram a cochichar. Não dei importância e fui ate a pia.

Peguei meu batom dentro da bolsa e retoquei. Uma morena de cabelo curto saiu de uma das cabines.

- Oi. -  Ela falou parando do meu lado na pia.

- Oi.

- esse batom é muito bonito. Você pode me emprestar? – ela perguntou.

- claro. Toma – estendi o batom pra ela, que me retribuiu com um sorriso.

- Você tem alguma coisa com ele? – ela perguntou passando o batom.

- com quem? – fiquei sem entender.

- com o Bieber. – ela me encarou.

- com aquele maluco que me agarrou? Não. Nem conheço ele.

- há você ta aí – Ana falou entrando no banheiro. – Vamos o Robson chegou a eu já falei com ele. Agora so falta ele te conhecer – ela falou e saiu me puxando.

- Calma Ana.

- Robson essa é a Nina – ela falou me apresentando a um homem alto de terno e com um óculos escuro.

- Muito prazer Nina. A Ana me contou que você ta interessada em trabalhar aqui.

- É...

- Bom. Tenho primeiro que saber se você agradaria nossos clientes. – encarei ele.

- Robson. Assim. A Nina ela não trabalha com esse tipo de coisa – Ana falou.

- Como assim? E o que ela faria então.

- dançar. As apresentações são no domingo e não tem ninguém pra ficar no lugar da Polly.

- Mas a Polly dançava e fazia programa.

- Me deixa tentar. Eu posso dançar no sábado e no domingo. Se os clientes gostaram tudo bem. Se não eu vou embora. – falei encarando ele.

- e o que eu ganho com isso? – ele cruzou os braços.

- lucro. Se eles gostarem da minha apresentação eles viriam também no sábado. E ai seria dois dias com apresentações não apenas um. – ele continuou me encarando.

- Fala alguma coisa Robson. – Ana falou ansiosa.

- Tudo bem. Você pode fazer essa apresentação sábado. Se eles gostarem você pode ficar trabalhando apenas como dançarina. Mas se eu ver que isso não ta ajudando em nada. Você vai fazer outros trabalhos.

- Ok. Eu me garanto no que eu faço. – Falei firme.

- Tem mais. Você não vai fazer programa por enquanto. Mas se alguns dos clientes quiser uma apresentação particular e oferecer um aquantia bem relevante a isso. Não terá discurção. Você vai fazer entendido? – engoli em saco.

- Tu... Tudo bem – Falei um pouco nervosa.

- ótimo – ele virou as costas pra mim e pra Ana e saiu.

- sem querer te preocupar. Mas você sabe que alguém vai querer uma apresentação particular né? – Ana falou me encarando.

- Se ele der uma oferta relevante. Isso não significa que essa pessoa vai dar essa oferta.

- e se der?

- Bom. Se der.... eu vou teque fazer ne.

- Você ta louca? Você não sabe fazer programa Nina.

- Começou de novo. Eu to ficando com raiva Já.  Você ta me tratando com uma virgem inexperiente. Eu sei transar ta.

- transar é uma coisa. Fazer programa é outra. Você não ta preparada pra isso. Isso não vai dar certo. Já me arrependi de ter te trazido.

- Ok. Vamos esperar pra ver o que acontece. Vai que isso nem acontece.– Dei de ombros.

- Ta Bom. Agora vamos dançar que eu preciso espairecer. – Ela me arrastou até a pista de dança.

   Justin On:

Eu não acredito que aquela vadia filha da puta bateu na minha cara e ainda jogou a bebida em mim.

- Cara o que aconteceu? – Ryan falou chega do perto de mim.

- A vadiazinha da amiga da sua namorada jogou a bebida toda em mim – Falei com ódio.

- Você tentou agarrar ele não foi?  Bem feito. – ele falou rindo. Encarei ele e revirei os olhos. Sai andando rápido pra fora da boate. Agora eu tenho que voltar pra casa. Porque? Porque eu estou todo molhado. A mas aquela vadia me paga.


    UMA SENANA DEPOIS

- Jus... Justin -  Alex gemia como uma verdadeira puta.

- Isso geme meu nome Vadia – ela gemeu alto gozando em seguida. – Você ta se superando a cada transa. – Falei um pouco ofegante.

- To fazendo isso por você – ela passou a mão no me cabelo.

- acho melhor você ir pro se quarto. – Falei tirando a mão dela do meu cabelo.

- Mas porque? Vamos dormir aqui.

- Não. Se você quiser dormir aqui. Durma. Eu vou pro meu quarto. – Levantei pegando minhas roupa e saindo do quarto.

Transar é ótimo. Mas dormir com outra pessoa não Rola.

- Justin! – Chris me chamou.

- Fala.

- Você vai pra boate hoje?

- vou. – entrei no quarto e tranquei a Porta.

      Nina On:

- meu Deus nem parece que já faz uma semana que tudo aconteceu – Jade falou passando a mão no meu cabelo.

- Pois é. Como está as meninas?

- perguntam por você todos os dias. Elas sentem muito sua falta.

- Eu também sinto a falta delas.

- Minha princesa. Que pena que eu não posso ficar mais. Se seu pai descobre que eu vim te visitar ele me mata. Mas fico feliz por saber que você ta bem. Se cuida minha linda – ala me abraçou.

- Obrigada Jade. Diga as meninas que eu amo elas. E assim que der eu vou arrumar um jeito de ver todas vocês.

- assim espero. Agora eu vou indo porque tenho que voltar pra casa. Beijo Minha princesa. se cuida. – ela saiu e eu tranquei a Porta do apartamento.

- Agora vai se arrumar porque hoje é sua estreia. – Ana falou sorrindo pra mim.

**

Já havia chegado na boate. Fazia no mínimo uns dez minutos.

-Ta preparada? – Ana falou atrás de mim.

- Bom. Acho que sim – sorri tímida pra ela.

- Você ta linda nessa roupa. E vai arrasar que eu sei – ela deu um beijo em minha bochecha e saiu me arrastando.

Ela me posicionou atrás de uma cortina preta. Ok. Acalme-se Nina. Você ja fez isso antes. Dançar. Você vai apenas Dançar.

Subi as escadinhas e fui ate o palco que estava coberto pela cortina.

Quando a música começou a tocar meu coração gelou.  Vá lá Nina. Mostre o que você sabe fazer.
(*)

Sempre quando eu dançava eu me sentia em outro mundo. Era apenas eu. Eu entrava em um mundo paralelo.

Mas hoje era diferente.

Tinha mais alguém no meu mundo paralelo. Tinha alguém me observando.

Tem várias pessoas te observando sua lesa. Meu subconsciente falou pra mim.

Eu sei que eu estou na frente de varias pessoas que estão me olhando. Mas os olhares não eram perceptíveis em meio a emoção que eu sentia quando dançava.

Mas esse outro olhar estava me incomodando. Me  deixando apreensiva.

Durante toda a coreografia eu tentava me acostumar com aquela sensação.

Em meio a um giro Olhei para o bar e vi o mesmo cara da noite passada. Ele me observava fixamente, sempre com um copo de Whisky nas mãos, deixando ele extremamente sexy.

Voltei a me concentrar na coreografia.

   Justin On:

Ela era realmente o que eu imaginei.

Uma vadia.

Mas uma vadia gostosa. E bem gostosa. Aquela roupa caia perfeitamente em seu corpo, deixando ela maravilhosamente sexy.

Por mais que eu tentasse não conseguia retirar mais olhos de seu corpo e de seus movimentos.

Percebi que todos os homens que estavam na boate ficaram completamente paralisados admirando a sensualidade que ela transmitia.

Quando ela finalizou a coreografia  começou o mar de aplausos. Ela deu um sorriso lindo.

Ela conseguiu passar de um demônio sedutor a um anjo fofo.

Acho que era isso que eu estava procurando.

- Robson. Robson. Robson. – Falei chagando perto dele.

- Bieber. Você realmente gostou das novidades da minha boate. – Ele falou se achando superior.

- Não se ache muito. Eu quero conversar com você.

- Diga. Sou todo ouvidos.

- Vou logo ao ponto. Quanto você quer por uma apresentação particular dela. – Apontei pro palco.

- A meu caro. Vejo que você também ficou encantado pelo charme da pequena Nina. Mas infelizmente ela não irá trabalhar com esse tipo de coisa. A não ser que você de uma oferta bem generosa.

- Fala quanto você quer

- trezentos mil dólares que tal? – ele sorriu falso.

- Você que isso tudo so pra eu fuder com essa garota me poupe ne Robson.

- Você não sabe quantas propostas ela já recebeu até agora Bieber. A gente tem que dar valor ao que nos é favorável. - Encarei ele.

- Tudo bem. Amanhã a meia noite eu pego ela.

- Amanhã ela tem apresentação, não vai ser possível.

- se vira. Eu to pagando uma fortuna não to? Então agora sou eu que dito as regras.

    Nina On:

- meu Deus você foi perfeita  - Ana falou me abraçando.

- Poxa eu tava muito nervosa.

- E Nina você dançou tão bem que já tem até cliente - Robson falou entrando na sala que ficava atrás do palco.

- Que? Como assim? E o lance do proposta Relevante? – Falei assustada.

- trezentos mil dólares me parece bem relevante. Não acha? – ele falou com deboche. – Amanhã a meia noite. Esteja pronta.


Notas Finais


Coreografia da Nina: https://youtu.be/KHTlQLeCm38


Roupa: http://www.polyvore.com/m/set?.embedder=20424852&.svc=whatsapp&id=209324886

Espero que vocês tenham gostado!!
Beijinhos😘😘😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...