História Obsession - Capítulo 22


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Abo, Alfa, Baekyeol, Bdsm, Beta, Chanbaek, Comedia, Hentai, Hunhan, Kaisoo, Ômega, Romance, Sadomasoquismo, Sexo
Exibições 728
Palavras 1.805
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Ecchi, Escolar, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi amores! 🌸❤❤🌸

Desculpe a demora, mas em compensação vou trazer um cap que vocês pediram muuito!

Deixo bem claro que essa é a parte um, vai ter a parte dois com os outros casais e mais um capítulo que é o do nosso casal principal.

Sim, ChanBaek vai ser o último porque eu sou dessas! Ahsuahushaus

Capítulo 22 - Chapter Twenty Two - Especial Parte 1


Fanfic / Fanfiction Obsession - Capítulo 22 - Chapter Twenty Two - Especial Parte 1

POV JONGIN

Quando recebi a ligação do Baekhyun fiquei louco, meu sangue ferveu em saber que ele estava lá indefeso e necessitado perto de um alfa.

Mas pelo menos eu sabia que esse alfa é o Baek e ele iria tocar no meu Soo, mas nada disso estaria acontecendo se ele deixasse eu o marcar.

Assim que parei o carro na frente da casa, o cheiro do Soo invadiu minhas narinas e começou a me deixar embriagado.

Céus, como é gostoso.

Eu já passei dois cios com ele, mas o cheiro do mesmo me deixa louco em um piscar de olhos, ele cheira a chocolate de menta.

Saí do meu transe quando percebi o Chen chegar junto ao Suho e logo em seguida o Sehun, estranhei, o que eles estão fazendo aqui se é o Soo que está no cio?

J-Jongin... — ouvi o gemido dele me chamando e taquei um foda-se para a minha curiosidade.

Entrei correndo no local sendo seguido pelos outros três e arregalei os olhos quando a minha dúvida e curiosidade sobre a chegada dos outros foi finalmente esclarecida.

O Baek estava tentado se desfazer das investidas que o Chanyeol lhe jogava e o cheiro de excitação dos mesmos já estava bem evidente.

Pude perceber o Sehun rosnar baixinho juntamente ao Chen quando os mesmos avistaram o Luhan e o Xiumin se beijando e se agarrando no meio da sala. Ambos bêbados excitados.

O Baek não mediu esforços e nem ao menos se importou em nos explicar nada, apenas subiu arrastando seu ômega.

O Lay estava apenas dormindo e logo o Suho foi até ao mesmo o pegando no colo e o tirando dali. Ele estava certo, não seria muito prudente deixar um ômega dócil dormindo no meio desse Cambalacho de excitação.

Acabei por sorrir discretamente ao lembrar do fato de que o Suho gosta do Lay, mas o mesmo tem medo de se aproximar. Mas meu sorriso se desfez assim que ouvi mais um gemido e o cheiro que eu tanto amo ficar ainda mais intenso.

Andei a passos apressados e cheguei perto do Soo que estava deitado se tocando no sofá, ele estava quase tirando a roupa ali mesmo. Mas eu rosnei e o mesmo se encolheu.

O peguei no colo e o levei até ao seu quarto ficando ainda mais inebriado com o seu cheiro e sentindo o mesmo se esfregar em mim gemendo.

O joguei na cama com toda a brutalidade pouco me importando se não havia trancado a porta — isso era o que menos me importava no momento — e fui logo me desfazendo de minhas próprias roupas para logo em seguida retirar — rasgar — a do ômega a minha frente.

Rosnei sentindo meu membro latejar e pulsar quando o cheiro da sua lubrificação — que era jorrada em abundância — se tornou ainda mais forte.

Me posicionei em cima do mesmo ficando entre suas pernas e ataquei seus lábios ferozmente sentindo o mesmo soltar gemidos roucos e arrastados — devido a minhas mãos estimulando seus mamilos — entre o osculo.

Soltei seus lábios e fui descendo beijos pela sua clavícula e logo subindo ao seu pescoço depositando chupões e leves mordidas pela sua extensão enquanto o mesmo começa a arranhar minhas costas.

Arfares e gemidos roucos escapavam de seus lábios enquanto o mesmo implorava por mim dentro de si. Eu o queria, mas não queria que fosse de qualquer jeito.

Soltei seu pescoço e ataquei seu mamilo direito — que já estava duro — com a boca enquanto o mesmo se contorcia e se esfregava em baixo de mim.

Meu pau já pulsava e a lubrificação dele ficava cada vez mais intensa, não repeti o processo no outro mamilo e apenas, sem aviso prévio, o penetrei de uma vez — após vestir a camisinha — ouvindo seu gemido rouco e sentindo o mesmo cravar seus dentes em meu ombro tentando descontar o prazer.

A essa altura já podíamos ouvir os gemidos — gritos — que viam do quarto ao lado, e isso só aumentava ainda mais a nossa excitação.

As estocadas eram fortes e precisas, a medida em que os gemidos e os arranhões aumentavam, a velocidade aumentava mais ainda. Ele gritou quando eu acertei seu ponto doce, e mais gritos de prazer foram ouvidos a medida em que eu acertava consecutivamente o ponto e a cama que batia na parede.

Não demorou para o mesmo desfazer-se gemendo meu nome e apertando mais ainda sua entrada quente, o que me fez rosnar e gozar dentro de si, e juntamente a isso, uma vontade imensa de o marcar se fez presente.

Retirei minhas presas e já ia o penetrando quando ouvi o mesmo gemer um rouco “não” sôfrego devido ao recente orgasmo. Rosnei e não escondi a minha frustação quando me separei do mesmo e deitei ao seu lado, após o nó ser desfeito.

POV LUHAN

Já sentia meu corpo todo queimar e a vontade imensa de ser preenchido fazia a minha lubrificação escorrer pela minha perna.

Abri os olhos — sem encerrar o beijo com o Xiumin — quando senti o cheiro do Sehun. Arfei quando senti seu olhar queimando em cima de mim.

Com o pouco de sanidade que me restava, continuei a provocá-lo enquanto me esfregava no Xiumin sem tirar meus olhos dele. O mesmo rosnou e eu me Encolhi sem conseguir evitar que um gemido escapasse de meus lábios quando senti sua mão forte me puxar para fora do local.

Ele  jogou sem nenhuma delicadeza dentro do carro e deu a volta no mesmo se sentando e logo arrancando o carro.

Sorri quando direcionei meus olhos para o volume já bem visível que se formava em sua calça e resolvi provocá-lo ainda mais. Enquanto o mesmo engolia em seco tentando não inalar o meu cheiro.

Ownn, Sehunnie... — gemi tocando de leve o meu membro por cima da calça e o mesmo engoliu a seco.

Eu continuava a provocá-lo e o mesmo tentava ao máximo prestar atenção ao trânsito mesmo que eu visse o seu pau duro se tornar cada vez mais visível embaixo da calça.

Isso... Mais rápido.... Ownnn Hunnie... — gemi acelerando a massagem quando ouvi o mesmo grunhir.

P-Para com isso, Luhan! — tentou falar firme porém saiu mais como um gemido aos meus ouvidos.

Sorri ofegante e ignorei seu pedido, piorando ainda mais as coisas elevando a minha mão e tocando de leve o membro já teso do Sehun. O mesmo rosnou e me olhou firme.

Pare de me provocar Luhan, estamos em um carro! — rosnou e eu sorri negando e mordendo os lábios.

Não, eu quero te sentir Sehunnie... — gemi rouco e o mesmo grunhiu acelerando a velocidade assim que sentiu a minha mão por dentro de sua calça.

Tocava sutilmente o seu membro enquanto ele me praguejava e rosnava tentando prestar atenção na pista. Assim que chegamos ao seu apartamento ele não mediu esforços pra me puxar pelo braço e me jogar elevador a dentro.

Por sorte, o mesmo estava vazio e assim fui jogado e empurrado para a parede gélida da caixa metálica e meus lábios foram tomados em um beijo voraz e necessitado, sendo alternado por fortes mordidas e chupões nos meus lábios.

Eu arfava e tentava acompanhar seus movimentos, porém, era quase que impossível já que suas mãos não paravam quietas e sua boca parecia que iria engolir a minha.

Não que eu estivesse achando ruim.

Assim que as portas foram abertas revelando duas ômegas que olharam assustadas para nós — coisa que nem nos importamos — ele me elevou pelas coxas e eu entrelacei minhas pernas em seu quadril sendo guiado sem quebrar o osculo.

Minha lubrificação já estava sendo jorrada e o mesmo nem ao menos esperou, me jogou na parede ao lado da porta e logo foi retirando minhas roupas com pressa e as suas juntamente, até que ambos agora nus, me virou bruscamente e colou minhas costas em seu peito.

Senti seus lábios roçarem na curvatura do meu pescoço e suas mãos entrelaçarem em meus cabelos puxando os mesmos e me fazendo encostar a cabeça em seu ombro e empinar a minha bunda.

Separou minhas pernas e tomou meus lábios a medida em que ia me penetrando lentamente, murmurei um palavrão quando senti sua extensão — enorme por sinal — completamente dentro de mim.

Ele não esperou que eu me acostumasse, e foi logo me estocando sem pudor e com precisão, me fazendo jogar meu corpo pra frente e apoiar minhas mãos na parede.

Gemidos e gritos meus enchiam o local assim como os rosnados que vinham do maior. Pouco nos importávamos se o prédio inteiro ouvisse, senti suas mãos apertarem a minha cintura com força fazendo a marca dos seus dedos ficarem na mesma ao mesmo tempo em que rele foi ainda mais fundo acertando em cheio meu ponto sensível.

Foi impossível controlar o grito de prazer que escapou de meus lábios e logo sendo seguido por outro e mais outro. Ele mordiscava minhas costas enquanto me penetrava e eu estava sinceramente duvidando se iria conseguir andar no dia seguinte.

Em meio a toda aquela saliência juntei o pouco de sanidade e força que me restava e me endireitei ficando novamente colado em seu peito e segurei sua cabeça próxima ao meu pescoço. Os movimentos se intensificaram e ele entendeu o meu recado atendendo prontamente, logo uma queimação e um choque de eletricidade percorreu pelo meu corpo assim que seus caninos penetraram o meu ombro, nos tornando assim, completamente um.

Em meio a todas as sensações, chegamos juntos ao nosso ápice e se não fosse pelas fortes mãos do alfa ali, eu teria caído sem sentir minhas partes abaixo da cintura.

Eu te amo Sehun... — falei em meio aos espasmos que ainda percorria no meu corpo, mesmo sabendo que não obteria a resposta desejada.

Porém, eu estava enganado.

Senti o mesmo sorri contra a minha pele e assim que sua voz percorreu meus ouvidos, não pude evitar um sorriso se formar nos meus lábios.

Eu também te amo Luhan, agora, para todo o sempre...


Notas Finais


E então? Curtiram?

O que vocês acharam do Hot? Dos Hots, na verdade?
Podem dizer o que quiserem que eu aguento! ^_^

Eu sinceramente gostei de escrever esse cap, espero que não tenha decepcionado vocês! ^_^

PS: Tô de olho em você que lê e não comenta, fantasminha! ❤❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...