História Obsession - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias David Gandy, Doutzen Kroes, Matthew Daddario, Nathalie Emmanuel, Zooey Deschanel
Personagens David Gandy, Doutzen Kroes, Matthew Daddario, Nathalie Emmanuel, Personagens Originais, Zooey Deschanel
Tags Derek, França, Ilegais, Intrigas, Isa, Mafias
Exibições 10
Palavras 1.571
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


HEY* pessoas, Sou a Mari... Aqui no social vou está postando essa fic que é em conjunto com a minha amg a Vicky na minha conta por ela não ter uma...
Espero que gostem do Primeiro capítulo...
Sempre que forem os que eu escrevi eu aviso...
~meu capítulo~

Capítulo 1 - Capítulo 1


Derek arrumava seu terno pela última vez antes de sair.

Hoje seria uma ótima noite para ele, seus negócios iam bem e sua situação financeira também, a única coisa que o preocupava era sua família, ele temia que algo pudesse acontecer com eles. Logo tratou de afastar os pensamentos e ir atender a porta, se deparando com Mary uma de suas empregadas.

A mulher de meia idade ainda tinha sua beleza mantida, apesar de alguns fios de cabelo branco já se mostrarem presentes. Seus olhos castanhos eram de fato muito bonitos, porém o que atraía nela era seu sorriso, a calma que ele transmitia.

-Senhor Derek, sua irmã está a sua espera no andar de baixo. -ela saiu da vista dele com um simples aceno.

O homem tomou uma postura mais séria e rumou para sala. Lá ele pode notar sua irmã, em um maravilhoso vestido vermelho, com um grande decote nas costa.

-Adrianne está linda!- foi recepcionado com um abraço dela. Porque ele não demostra afeto nem pela sua família. -Porém esse vestido está fora dos padrões.

A menina apenas sorriu, seu irmão era muito paranóico. Ela o achava protetor demais, mas mal sabia que tudo que ele sentia era culpa.

***

Isabele acorda e olha o relógio, assim que percebe que está atrasada sai correndo. Indo direto tomar banho.

Essa noite ela teria que ir a um evento de negócios, da empresa Beaumont's . Seu chefe tinha certeza que a empresa estava coligada com a máfia francesa, porém certeza não é tudo ele precisa de provas.

Pensando nisto ele aproveitou o convite da empresa e mandou que sua melhor jornalista ao ataque.

Na cabeça de Isabele ainda podia ser ouvido a insistência do chefe.

"Muller você é capaz, essa vai ser a melhor matéria que você poderia ter em toda sua vida. E eu ainda prometo dar-lhe todo o crédito pela matéria"

Com o seu apelo, ela não teve como recusar, essa com toda certeza seria a melhor matéria que ela poderia reportar.

Após o banho, Isabele teve problemas para encontra uma roupa aceitável para ir ao evento. Mas por fim optou por um terninho simples, até porque não seria ela o holofote.

Ela passou na cozinha para poder se despedir do seu irmão.

-Tchau Louis!-acenou.

Seu irmão é bem bonito, cabelos castanhos, olhos verdes quase castanhos, seu corpo não é bem definido, até porque o garoto detesta esforço físico. Tem paixão por fotografia, e atualmente trabalha como fotografo. Resumindo uniu o útil ao agradável.

-Vai para onde essa hora Isa?-não pode evitar a pergunta, até porque tinha que zelar pela mais nova.

-Alguém tem que trabalhar nesta casa!-zombou.

-Eu faço meu horário, não preciso trabalhar igual a você, sem contar que ganho melhor.-o mais velho nunca deixava barato.

-Haha, vou embora Louis Muller, você não sabe brincar.-deu um beijo na bochecha do irmão e logo foi embora.

***

O evento seria realizado na boate mas luxuosa de Nantes, na França. Os convidados tinha que mostrar suas credencias, porque se não as tivessem seriam expulsos como vermes desconhecidos.

Isabele teve que caçar a sua na bolsa, se ela não a achasse estaria perdida, seu chefe com toda certeza não a perdoaria. Mas logo achou o cartão metálico e pode adentrar local.

Ficou boquiaberta, a boate era maravilhosa, havia luzes de neon por todo lado- o local era iluminado só por elas-, tinha modelos circulando por todo lado. Mas o que mas chamou atenção dela foi o tanto de empresários que tinha no lugar. Como ela acharia o Beaumont? Nem ela sabia.

***

Derek já havia cumprimentado muitas pessoas, então resolveu tomar um ar, na porta da boate ele viu uma morena de terno feminino, com toda certeza era da imprensa. Não soube dizer o que chamou a sua atenção para ela.

-Quentin?- chamou seu segurança.

-Sim.-o homem logo se pronunciou.

-Eu preciso que mande subir lá no escritório aquela senhorita.- apontou para a moça.-Tenho negócios a tratar com ela.

Ele já arquiteta em como foderia com ela, está noite mesmo.

Subiu para o escritório que disponibilizaram para ele, o lugar era bem diferente do resto da boate, tinha um toque meio rústico, paredes claras, movéis de madeira de boa qualidade e cadeiras com excelentes estofados.

Logo pode ser escutado uma batida na porta.

-Entre.- sorriu.

Ele pode se depara com uma mulher de olhos profundos, na cor azulada, ela tinha seus cabelos presos num rabo-de-cavalo, sua franja destacava mais seus olhos. Olhos esses que atraíram Derek. O corpo da moça possuía curvas em seus locais corretos, tudo estava em seu devido lugar.

-O senhor pediu para me chamar?!-era evidente seu nervosismo.- Juro que não tratei mal a ninguém. Ainda nem comecei a entrevistar as pessoas.

-Calma pequena, qual é o seu nome mesmo?-Sorriu travesso.

-Muller, Isabele Muller.-foi simples.

Isa já havia entendido as intenções do homem, e resolveu deixar-se levar como uma menina bobinha.

-Bele? Posso te chamar assim?- indagou.

-Quem sou eu para negar um apelido dado, pelo senhor Beaumont?!- soou como inocente.

-Não brinque comigo Bele, gosto das fingidas.- a expressão dela mudou na hora, ele se reservou a apenas sorri malicioso.

-Não estou fingindo, agora se você me der licença tenho mas o que fazer.- ela se revelou.

-Nossa, cadê a Bele boazinha que estava aqui a pouco tempo atrás?- fingiu estar surpreso.

-Sumiu assim como minha paciência está prestes a fazer o mesmo! -explodiu.

-Garota você perdeu a noção de quem está a sua frente.- agora Derek estava tenso.

Ele foi se aproximando, mantendo uma distância que para Isa era considerada perigosa.

Ele pensava em como uma simples repórter poderia ser tão petulante.

-Tenho sim.- ela saiu de perto dele.- Você é só mais um idiota, que acha que só porque tem dinheiro pode ter tudo em suas mãos. Mas se enganou bonitão, eu não sou seu brinquedinho. Então não venha com esse seu charme barato para cima de mim.

-Vá embora! Acabou seu trabalho por aqui.- a menina caminhava para saída quando sentiu um forte aperto em seu braço.- Cuidado pequena Bele, não foi legal o que falou para mim. Você pode ter certeza que ainda vai pedir perdão enquanto eu te fodo loucamente.

-Sabe quando isso vai acontecer?- riu da própria ironia.- Nunca.

Se soltou e foi embora o mas rápido possível.

Lagrimas rolavam pelo seu rosto, ela caminhava apressadamente pelas ruas. Assim que entrou no taxi relaxou, mas não deixou de chorar.

-A senhorita está bem?!- perguntou o taxista a olhando pelo espelho.

-Sim, só tive alguns problemas, porém não é nada demais.- tentou sorri, mas foi uma missão falha.

O homem não fez mais perguntas, até porque seria muito antiético da parte dele.

Logo que chegou em casa foi correndo para os braços do irmão, que estava assistindo televisão enquanto a mais nova não chegava.

-O que foi Isa?!- aconchegou mais a irmã em seus braços. -Você estava tão confiante quando saiu. Quem é o responsável por essas suas lágrimas?

-O crápula do Derek Beaumont, ele estava cheio de pensamentos perversos para com a minha pessoa.- ela choramingou.

Ela é muito frágil, entretanto na frente de Derek suas atitudes contradiziam sua personalidade.

-Pequena não sei porque você teima em trabalhar, sempre querem se aproveitar da sua ingenuidade.- disse ríspido. Louis estava cansado de ter que acalentar sua irmã por causa de qualquer idiota havia falado palavras fortes demais para ela.

-Não quero ser sustentada por você!- se levantou indo em direção ao seu quarto, porém antes de entrar virou-se e disse: -Não sou fraca Lou, eu já superei tudo.

Tanto ele quanto ela, sabiam que nada tinha sido superado.

***

Derek conversava com seu último investidor antes de seu telefone tocar.

-Com licença, preciso atender esta ligação. -o investidor apenas assentiu.

Ligação on:

-OI.

-Beaumont? Preciso de você aqui.- pelo tom de voz parecia nervoso.

-Não posso agora, tenho que continuar no evento está cheio de repórtes aqui!- ele sussurrou para que ninguém por perto pudesse ouvir.

-PORRA ele vai me matar Dek! Preciso de ajuda.- o homem agonizava do outro lado da linha.

-Eu vou dar um jeito!- foi simples.

Ligação Off:

Ele não sabia o que o amigo tinha aprontado, porém não pensou duas vezes em ajudar o mesmo a escapar da merda que tinha feito.

-Quentin, distraia o pessoal na festa que eu tenho que sair pelos fundos.- ordenou.

-Mas como farei isso senhor?- indagou.

-Se vire, isso já não é problema.- foi ríspido.

***

Derek já entrou no galpão transtornado.

-Eu estou cercado de incompetentes! -jogou um homem no chão deferindo vários socos no olho do mesmo.

Quando o homem já estava desfalecido ele se levantou, limpou o terno e ajeitou o cabelo- que mesmo assim ficou desalinhado-, ele caminhou até Adam e deu-lhe um soco no estômago.

-Você é um idiota! -ele estava furioso.

-Desculpe Dek, mas o Phill estava maluco com o ritmo que os negócios estão tomando. -tentou recuperar o fôlego. -Pensei que ele fosse me matar.

-Tudo bem, espero que isso não volte a se repetir.- se deu por vencido.- Vou voltar para o evento antes que aqueles urubus sintam minha falta.

-Boa sorte!

-Ah eu preciso que investigue tudo sobre Isabele Muller, tudo mesmo!- sorriu malicioso.- Até o tipo de calcinha que ela veste se for possível.

-Beaumont, por que quer saber tanto dessa mulher?- Adam recebeu um olhar reprovador dele na mesma hora.- Tá bom não está mas aqui quem perguntou.

 

 

 

 


Notas Finais


Espero que tenham gostado... Bjinhos persoas liendas...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...