História Obsession - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Thiago Elias "Calango"
Tags Drama, Romance, Tragedia
Visualizações 14
Palavras 1.142
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Crossover, Famí­lia, Festa, Ficção, Hentai, Shoujo-Ai
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


oi genteeee
primeiramente, quero que leiam as notas finais, tenho uma grande novidade pra quem shippa Pklango
é isso, boa leitura, bjão.

Capítulo 17 - Parties, confusions and whiskey


Estava tudo tão...Perfeito. Já havia se passado um mês que eu e Thiago estávamos no novo apartamento. Os móveis já tinham sido passado pra cá, e já tínhamos deixado o outro. Sei que ele vai sentir falta do velho, passou por muita coisa lá, mas também sei que as vezes é preciso nos desapegarmos das coisas, e realmente renovarmos nossa vida com novidades. Karol e Pk não estavam mais juntos, aliás, Pk havia se assumido gay, isso não foi nenhum problema pra nós, e no fundo, todos nós já desconfiávamos. Ele estava namorando com o Gabriel, um menino muito bem educado e super fofo, ele era muito simpático e sempre nos tratava da melhor forma que conseguia, eles também compraram um apartamento, no mesmo prédio que o meu e do Thiago. 

Hoje à noite, temos uma festa  para ir, Pk e Felps ficaram encarregados de darem carona pra todos que precisarem. Não é muito longe daqui, mas é de noite, então nós não podemos arriscar. Até porque, Saiko, Pac, Mike e Cellbit também vão, e seria muita gente. Alan não quis ficar de responsável dessa vez, ele disse que iria beber, e falou pra Felps levar a gente. Também disse que o Pk é muito lerdo pra saber dirigir, ele não confia nem um pouco no Pk! 

E, nesse momento, estávamos todos na casa de Felps, ele e Alan tinham acabado de jogar uma partida de um jogo que eu nem conheço, e como Alan não aceita, de jeito nenhum, perder, eles estavam quase se matando. 

— Você que tá discutindo, Alan! - Saiko dava risada. 

— Tô discutindo porque o Felps é um merda!

— Pelo menos ele ganhou de você! - Thiago berrou, do meu lado. 

— Olha aqui, cala a boca aí pirralho - Alan gritou de volta, segurando a risada. - À propósito, eu já to até indo embora, não vou ficar aqui com um monte de gente roubando! 

— Só diz isso porque você é ruim! - levantei a voz no mesmo tom que ele. 

— Vish Alan - Guaxinim soltou sua melhor risada. - Até sua irmã! 

— Pode me devolver a chave do apartamento, irmãzinha! 

Todos sabiam do que se tratava, e caímos na gargalhada. 

Por fim, Alan saiu de lá e foi até a casa dele, os meninos ficaram jogando mais um tempo depois disso. 

(...)

Já era a hora da festa, eu e Thiago estávamos nos arrumando ainda, principalmente eu. E Thiago...Ah...Ele tava tão lindo! Alan ligou para nós dizendo que a gente tava atrasado, só que ainda faltava meia hora pra começar a balada/festa. Só porque ele já estava pronto. Chato. 

Terminamos de nos arrumar. Combinamos de nos encontrarmos com Pk que morava no segundo andar (dois antes do nosso). Depois disso, ele foi na casa de Alan, onde foi com nós Mike e Pac. Saiko, Alan e Maethe foram com Felps e Gabs. 

A festa parecia ser bem organizada, Alan e Saiko foram pegar bebidas (lógico), nós fomos achar lugar pra sentar, tinha algumas mesinhas em volta da pista de dança. A comida era maravilhosa, tinha alguns salgados pra quem sentisse muita fome, mas o que mais tinha ali, era bebida. 

Calango P.O.V.

Eu estava sentado em uma das mesas que tinha no local, com Pk do meu lado. Todos os outros já tinham sumido, e provavelmente eles já estavam bêbados. Charlie era uma deles, mas diferente dos outros, ela estava ali na minha frente, dançando e me olhando. Dava pra ver nos olhos dela o quanto estava bêbada, talvez ela não lembrasse nem seu próprio nome. 

— Sua namorada tá...Mal! - Pk riu. 

— Eu percebi - respondi. 

— Vou lá pegar uma bebida - ele me avisou. 

— Até você, Pk? - ele me deu um sorriso, logo depois, saiu dali, indo em direção à mesa de bebidas. 

E quanto a Charlie...Meu deus do céu, ela estava tão...Sexy, era a palavra certa. Chegou perto de mim e sentou em meu colo, e me beijou. Pude sentir o gosto da cachaça pura que havia em sua boca, que se misturava com o gosto doce natural, que eu já estava acostumado. 

— Ei - ela gemeu, mal conseguia falar. 

— O quê? - sorri de lado. 

— Tem uma sala separada ali no canto - ela tentou apontar, só que tava totalmente fora da reta. - Me acompanha até lá? - me olhou com uma cara safada, e na hora, eu já entendi tudo. 

— Você tá muito bêbada, Charlie. - ri da cara dela.

— É sério! - ela cochichou no meu ouvido. - Vamos ali. 

Nos beijamos novamente, mas dessa vez, fomos indo até a tal sala que ela queria. Lá dentro estava tudo muito escuro, mal dava pra enxergar. Fechei a porta e larguei ela em cima de um balcão que tinha lá dentro. 

— Tem certeza que vai se lembrar disso amanhã? 

— Tudo o que for com você, eu nunca vou esquecer. 

Dei o meu melhor sorriso. 

Fui dando-lhe beijos em seu pescoço. Logo tirei minha camiseta, e ela passou a mão fria pelas minhas costas que estavam quentes, fazendo aquela área do meu corpo se arrepiar. 

Charlotte P.O.V.

Tirei minha blusa. Nós não parávamos de nos beijar. Thiago passou a ponta de seus dedos por toda a minha cintura, e quando chegou em meu quadril, apertou-o. Desabotoei minha calça, deixando-a frouxa em minha cintura, logo em seguida, Calango fez o mesmo. Desci do balcão e tirei minha calça, ficando só de lingerie. Eu até poderia esquecer daquilo que estava acontecendo, mas tenho certeza que iria lembrar do sorriso que Thiago abriu, olhando para meu corpo, ele parecia estar satisfeito com o que via. Eu finalmente tomei coragem, tentei ficar mais bêbada do que já estava, e deixei ele fazer o que quisesse comigo. Ajudei-o a tirar meu sutiã, ele sempre teve dificuldade quanto a isso. Por incrível que pareça, eu não estava sentindo nada, nem vergonha, nem essas coisas de frescura, eu precisava daquilo, talvez até mais do que ele. Me encostei na parede, ele foi fazendo uma fila de beijos até chegar em minha calcinha, ele a tirou rapidamente, começando a me chupar, aquilo era maravilhoso. 

— Ahn...Thiago - mal tinha forças pra falar, por esse motivo, minha voz saiu totalmente falhada. 

Nós dois não aguentávamos mais, era óbvio que tínhamos que partir para "outras coisas". E assim foi. Ouvir os gemidos dele era tão satisfatório, sua voz rouca, seu cabelo suado e totalmente desarrumado. Eu já não estava raciocinando, ele me fazia perder todo e qualquer sentido que existia dentro de mim. Aquilo era incrível! 

Nós nunca saímos de uma sala tão felizes, é uma pena que eu estivesse tão mal. 

 

 

 

 

"O que você faz em mim, baby, não é nem metade do que eu sinto quando estou bêbada. Eu lembro de cada sorriso, cada toque, cada gemido. É tão estranho o que você causa em mim, eu preciso disso de novo..." 

 

 

 

 

 


Notas Finais


meu deus do céu, q q foi isso kshjshdjsdh
genteeeee, se vcs gostam/shippam Pklango, tenho uma novidadeee
TO FAZENDO UMA FIC DOS MEUS PAISSS https://spiritfanfics.com/historia/nobody-knows-9914897
favoritem se gostarem, e é isso
bjaoooo obrigada por lerem <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...