História Obsessive - Capítulo 36


Escrita por: ~

Postado
Categorias Dove Cameron, One Direction
Personagens Harry Styles
Exibições 298
Palavras 2.345
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Meu Deus! Eu anunciei que teria um cap extra em setembro, que demora!
Me desculpem! Gente eu n ia postar esse ano, estava totalmente sem ideia para terminar o capítulo, não ficou do jeitinho que eu queria, mas foi de coração.
É mais uma coisinha para matarem a saudade do casal Halivia, confesso também que eu estava com uma super saudades de escrever aqui!
Minha meta era postar antes do ano acabar (faltam apenas 3 dias), mas ta valendo, ne non?
Espero que gostem de mais uma nova aventura de Harry e Olivia, n esqueçam de comentar!
Boa leitura
Amo vcsssss
FELIZ ANO NOVO 🌈🎉🎉🌈
BJS DA BELS 🌹🌹🌹🌹

Capítulo 36 - Capítulo extra.


Olivia on 

 

— Vocês lembram do que a mamãe combinou, não é? — pergunto para as crianças. 

 

— Simmmmm! — eles dizem em couro e eu dou risada. 

 

— Você acha que o papai vai gostar do meu presente, mamãe? — Louise pergunta. 

 

Olho para o enorme desenho cheio de cores na sua mão e sorrio. 

 

— Porque ele não iria gostar, meu amor? Está lindo. 

 

— Olha, essa do cabelo amarelo é você, o do cabelo marrom é o papai. Do seu lado sou e a Lottie e do lado do papai está o Louie e o Luigi. — sorrio encantada com a explosão de cores a minha frente. — Você gostou? 

 

— Sim, o papai e eu vamos comprar uma moldura bem linda para colocar o seu desenho! — ela sorri empolgada. 

 

— Jura, mamãe? 

 

— Claro, minha flor. — e ela sai saltitando para contar ao seu irmão Louie. 

 

Olho para o relógio que marca exatamente 23:00 horas. A esse horário as crianças já deveriam estar dormindo a muito tempo, mas hoje é o aniversário de Harry e eles não podem perder. 

 

Eles estão agitados, perguntam de cinco em cinco minutos quando o pai vai chegar. Louise já retocou seu desenho incontáveis vezes, Louie já contou quantas velas há no bolo no mínimo 10 vezes e os gêmeos, bem os gêmeos estão agitadíssimos, como sempre. 

 

Quando são 23:21 ouvimos o clique da porta da frente, olho para as crianças e digo para elas ficarem em silêncio. Harry suspira e joga sua bolsa no sofá, seus sapatos fazem um baralho suave em contato com o tapete e tenho que me controlar para não o repreender por estar pisando nele. 

 

No mínimo ele deve estar cansado demais para se lembrar disso. Ouço seus passos na escada e poucos segundos depois ele desce rapidamente a nossa procura. 

 

— Amor? — vejo ele acender todas as luzes do cômodo debaixo. 

 

E quando ele enfim se aproxima da sala de jantar, nos preparamos e assim que a luz é acesa gritamos em couro: "Surpresa!" 

 

Vou andando lentamente até ele com o bolo na mão e cantando "Happy birthday to you". 

 

— Faça um pedido, meu amor. — sussurro. 

 

— Eu não tenho mais nada o que pedir, tudo o que eu desejei um dia está aqui, bem a minha frente. 

 

— Sopre as velas. — Digo. 

 

Mesmo com a aparência cansada, ele ainda assim estava lindo, lindo de morrer. Seu cabelo estava um pouco maior comparada a última vez em que o vi. Duas semanas sem ele, malditas duas semanas! 

 

Harry diz para todos soprarmos a vela, e assim fazemos. As crianças entregam seus respectivos presentes a ele, sentamos a mesa e comemoramos o aniversário de Harry como uma família, uma família verdadeiramente feliz. 

 

Pouco mais de uma hora da manhã coloco as crianças na cama, que dormem no mesmo instante. 

 

— Que bom que amanhã é sábado. — digo. 

 

Harry abre um sorriso lindo e diz: 

 

— Vem cá — abre os braços. Eu ando até ele e o abraço, deitando minha cabeça em seu peito. 

 

— Eu senti tanta saudade. — beijo seu peitoral. 

 

— Eu também, eu te amo. — ele beija o topo da minha cabeça. 

 

— Eu te amo. 

 

Harry pega em minha mão e vamos para o nosso quarto. 

 

— Preciso de um banho. — eu balanço a cabeça. 

 

— Pode ir, vou estar aqui. — ele assente e desaparece para dentro do banheiro. 

 

Corro para o closet para trocar a minha roupa. Visto a fantasia de aluna que comprei a uns meses atrás amaldiçoando meus peitos por estarem tão grandes que não cabem direito no top minúsculo e transparente. 

 

Com rapidez e precisão visto a meia calça, a saia que mal tampa metade da minha bunda e o salto vermelho. Prendo meu cabelo em uma maria chiquinha baixa e coloco meus óculos.  

 

Sento-me na beirada da cama e silenciosamente o espero. 

 

Poucos minutos depois, ele desliga o chuveiro. Harry sai com uma toalha amarrada deliciosamente no quadril e usa uma outra para secar seus cabelos. É impossível não dizer o quão sensual ele é e está, e que cada pequeno gesto dele vai para minha lista de "atos sensuais do meu marido GOSTOSÃO Harry styles". 

 

— Amor, você acredita que... Uau! Olá. 

 

— Feliz aniversário. — sussurro. 

 

Ele anda até mim e para a minha frente. Não consigo deixar de notar no volume que já se formou em baixo da toalha. Harry passa seu dedo por meu lábio inferior e me obriga a olhar para ele. 

 

— Estamos quebrando uma terrível regra aqui, você sabe, não é? — sua voz é rouca. Eu apenas balanço a cabeça, concordando. — Professores não podem se relacionar com suas alunas, principalmente as que usam maria chiquinha. 

 

Estou completamente molhada apenas pela maneira que ele fala comigo. 

 

— Eu queria ter ver em outro lugar, a não ser a sala de aula, queria te tocar. — digo entrando na personagem, ele solta um grunhido fechando os olhos com força. 

 

— Você adorava me torturar, com aquele batom vermelho e aqueles olhares safados, Deus sabe os pensamentos mais sujos que tive com você, principalmente deitado sozinho, na minha cama me tocando... 

 

— Você pensava em mim? Em minha boca no seu pau deixando marcas do meu batom vermelho em você? Você gozou pensando em mim? 

 

— Sim. — ele sussurra — Muitas vezes. — acrescenta. 

 

— Eu também. — admito. 

 

E é verdade. Fazíamos sexo pelo telefone e até por vídeo chamada, mas não era o suficiente, nunca era, me tocava noite após noite desejando e imaginando que fossem as mãos dele ao invés das minhas.

 

Harry caminha até o banheiro e eu olho em direção a ele confusa. Ele volta com um batom na mão.

 

— Passe isso. — ele me entrega o batom. — Não demore, não estou com muita paciência hoje. — balanço a cabeça freneticamente. 

 

Corro para o banheiro e passo o batom vermelho sangue nos lábios. Quando volto, ele está nu, sentado onde eu estava. Seu pênis está duro e batendo contra seu abdômen. 

 

— Venha aqui. — eu faço o que ele manda e paro a sua frente. — Ajoelhe-se. 

 

Meu estômago queima de excitação, tenho que me controlar para não  pular em cima dele e deixar marcas do meu batom vermelho em todo o seu corpo. Harry segura em seu membro e diz: 

 

— Chupe. — antes que eu o coloque na boca, uma gota escorre por toda extensão do seu pau. 

 

Inclino-me e lambo o líquido sem deixar de olhar para ele. 

 

— Caralho. — ele diz. 

 

Ele mal cabe em minha boca, seu gosto e salgado e quente e ele está tão duro que parece ser feito de aço. 

 

Meu batom deixa marcas do início ao fim e o barulho totalmente obsceno que faz quando eu o chupo só me deixa com ainda mais vontade de fazê-lo gozar em minha boca. 

 

— Muito bom... — ele diz. 

 

Seus lábios estão levemente abertos, seus olhos fechados com força e estou prestes a gozar apenas ao vê-lo desta maneira. 

 

Os sons que saem de minha boca vibram por seu membro e sinto ele estremecer, segurando com força em meu cabelo e entocando com rapidez. 

 

— Eu já fodi essa sua boca tanta vezes nos meus sonhos, mas nunca fora tão bom quanto está sendo agora. — eu não sei se ele está dizendo isso como o personagem ou como ele mesmo, mas me deixou incrivelmente ainda mais molhada do que eu já estava. 

 

Sinto suas veias engrossarem e ele tira seu pau de dentro da minha boca, gozando em meu pescoço e seios. Passo a língua pelo lábio inferior e o encaro. 

 

— O que vou fazer com você, minha doce garota. — ele morde minha orelha e eu fecho os olhos desfrutando daquela sensação. 

 

— Você vai me comer com força por eu ser uma garota má? 

 

— É isso que você quer? 

 

— Oh, sim. — sussurro. 

 

A tensão sexual que paira entre nós, chega a ser tangível. Estou quente e hipersensível. 

 

— Levante-se. — Fico em pé a sua frente. — Deite aqui. — ele aponta para a cama.

 

Faço o que ele manda. Harry paira a minha frente entre minhas pernas, tira meus saltos e minha meia-calça e então calça-os de novo. 

 

— Quero você com isso.

 

Solto um grunhido em concordância.

 

— Você é tão gostosa, puta que pariu. — seu semblante muda — esse top está te apertando, está machucando? Mas que porra, Olivia, quando você estiver precisando de um maldito top novo, me diz que eu compro a porra do top novo! Não estou trabalhando para que você use roupas desconfortáveis! — ele estava zangado. 

 

— Eu estou bem, está tudo bem, Harry. — digo ofegante. 

 

Eu não sei como, mas ele rasga meu top e o joga longe. 

 

— Você tem que tratar essas belezinhas com o maior cuidado possível, é maldade maltratar peitos tão gostosos assim. — ele se afasta, sentando-se sobre suas próprias pernas e me analisa — Eu devo ter sido um homem muito bom no passado para ter você agora. 

 

Ele passa a ponta do nariz por minha bochecha, pescoço até chegar em meus seios. 

 

— Cheirosa... Deus sabe o quanto eu amo seu cheiro. 

 

Harry enfia dois dedos em minha boca, tira-os e faz uma trilha molhada até meus seios, ele me provoca com a ponta dos dedos úmidos. Ele olha para mim vidrado, de uma maneira que me faria gozar facílmente. 

 

Então ele torna a enfiar os dedos em minha boca e eu passo a língua em volta como se estivesse o chupando. Ele faz a trilha com os dedos outra vez, desta vez parando em meu clitóris.

 

Harry intercala seus movimentos: descendo, subindo, girando... 

 

Ele é tão bom no que faz. 

 

— Assim está bom? — ele pergunta. 

 

— Sim, por favor, não pare. 

 

Inclino minha cabeça para trás acariciando meus seios e sinto um calor se concentrar em meu ventre. 

 

— Meu Deus, Harry. — grito.

 

— Goze para mim. — seu tom de voz acelera ainda mais o meu orgasmo e eu gozo, desintegrando-me aos poucos com aquela sensação.

 

Eu abro os olhos e os seus encontram diretamente os meus. Ele me observa como um gavião, e naquele instante eu me sinto intimidada, no entanto, completamente pronta para o que for que ele esteja planejando fazer comigo. 

 

— Há tantas coisas que quero fazer com você essa noite... — ele diz.

 

— Então faça, você tem a noite inteira, meu amor. — ele dá um sorriso. 

 

— E você acha que eu não sei? Eu realmente só não sei por onde  começar... — ele beija meu ombro. Então dá um sorriso de orelha a orelha como se estivesse acabado de ter uma brilhante ideia. 

 

— Já se decidiu? 

 

— Sim... já faz um tempinho que não fazemos isso... 

 

— Isso o quê? — eu levanto a sobrancelha para ele. 

 

— Você sabe... aquela posição que fazíamos muito quando a gente namorava. 

 

— Qual?... Ah! “Meia-nove”.

 

— Isso, meu amor. — ele dá um sorriso safado. — Quero que você deite para baixo, de lado — eu o obedeço.

 

Harry faz o mesmo, deita-se de lado, mas para o lado de cima da cama fazendo um encaixe perfeito entre nós. 

 

Não preciso dizer que foi extremamente maravilhoso, e quando gozamos juntos me juntei a ele na parte de cima da cama. 

 

— Você sabe que só ganhou duas chupadas hoje porque é seu aniversário não é, meu amor? — ele olha pra mim e ri. 

 

— Queria que todo dias fosse meu aniversário!

 

— Eu estava gritando muito alto? 

 

— Tem uma grande possibilidade de você ter acordado as crianças... 

 

— O quê?!

 

— É brincadeira, meu amor! — ele ri. — Agora venha aqui... 

 

Ele se senta e me puxa para seu colo. 

 

— Eu te amo. — ele diz e me beija. 

 

— Eu te amo, meu amor. — ele pega minhas pernas e entrelaça-as em sua cintura, em seguida me abraça, escondendo seu rosto em meu pescoço. 

 

— Encaixe-se em mim. — ele pede. 

 

Eu o seguro e me encaixo, lentamente nele que está tão duro que quase não me aguento. 

 

— Mexa-se. — ele pede com rosto em meu peito. 

 

Eu começo a me mexer lentamente, para trás e para frente. Estávamos em uma posição perfeita: eu o abraçava e ele me abraçava de volta, dando beijos em meus seios, pescoço, ombros, rosto e boca. 

 

— Continue assim, baby, está tão bom! — ele diz. 

 

Começo a me movimentar a medida que sinto meu orgasmo se aproximando. Harry dava chupões e minha garganta enquanto segurava-me pela cintura, ajudando-me com os movimentos indo mais fundo e mais forte.  

 

— Mais forte! — pedi — Ah, por favor. — gemi. 

 

Harry me olhava intensamente, deixando-me ainda mais quente. 

 

— Goze pra mim, baby. 

 

Espasmos atingem meu corpo e eu gozo, desintegrando-me aos poucos em cima do meu homem.

 

Ficamos a noite quase toda naquele mesmo ritmo, fizemos quase tudo que era possível e com certeza essa noite vai entrar na lista das 10 melhores. 

 

Deito-me completamente exaurida ao lado de Harry e ele sorri. 

 

— Feliz aniversário, meu bem. — dou-lhe um beijo na bochecha. 

 

— Minha mulher tem o mesmo pique de quando tinha apenas 15 anos.

 

— Eu tenho 23, não é tanto tempo assim né, já você... 

 

— Eu o quê? — ele sobe em cima de mim. 

 

— Você já está bem velho né amor, 34 anos é muita coisa... — eu provoco. 

 

— Ah é, Liv? — ele me olha de forma ameaçadora. 

 

— Sim! 

 

— Eu deveria te comer com muita força agora, e de quatro, mas eu estou muito quebrado pra isso. 

 

— Tá vendo só? Eu disse... 

 

— Vai se foder, Olivia! — ele diz rindo.

 

— É brincadeira, amor. Você está melhor do que nunca, minha nossa! — ele dá um sorriso convencido. 

 

— Se eu não tivesse tão bom, você não teria gritado que nem uma louca, não é? 

 

— Cala boca. — dou risada e o empurro. 

 

— Meu amor, muito obrigado pela noite maravilhosa, adorei comer o bolo e comer você! 

 

— Nossa Harry, você é podre. — ele me dá um beijinho no nariz. 

 

— Vem tomar banho comigo. — ele me puxa. 

 

— Só se for de banheira... — ele dá um sorriso malicioso. 

 

— Vem! — ele me pega no colo e me beija. 

 

Harry coloca a banheira para encher e eu jogo um aroma de rosas na água.

 

— O que você quer fazer primeiro? 

 

— Você é um homem esperto, tomar banho é uma coisa que não vamos fazer tão cedo. 

 

— Safada... — ele me puxa contra ele. 

 

— Você gosta. 

 

— Nesse ritmo vamos acabar garantindo mais um membro na família. — eu rio. 

 

— Você quer? 

 

Bem... — ele sorri e dá de ombros. 

 

Essa é a minha deixa. Pulo em seu colo e o beijo. 

 

Meu Deus, eu amo esse homem!


Notas Finais


Obrigada por tudo! Até algum dia 💓💓💓
Amo vcsss
Me desculpem pelos erros
Comentem!!! 💟💟💟


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...