História Obssesive? ( Imagine Kim Taehyung ) - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Kim Taehyung (v)
Exibições 51
Palavras 728
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Ficção, Hentai, Luta, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - Destruição.


Fanfic / Fanfiction Obssesive? ( Imagine Kim Taehyung ) - Capítulo 2 - Destruição.

Oque dizer da  minha  vida.

S/N. 18 anos, 3° ano do Colegial. Emancipada. Moro sozinha em  um  apartamento aqui  em  Seul. Bem, não muito...  Tenho a companhia de meu gato de estimação, Hyung. Ele é meu confidente na qual sempre ouve meus desabafos. Meus primos Jeon Jongkook e Park Jimin. Moram um pouco longe daqui mas me visitam quase sempre.

 São dois bobos que estão sempre fazendo suas brincadeiras sem graça. Mas na qual eu sempre acabo rindo muito deles. Confesso que amo aqueles dois. 

Desde  o  começo  do  ano  muita  coisa  mudou.

Um  aluno  novo  chegou  a  nossa  escola. 

FLASH BACK ON 

O  garoto de cabelos castanhos adentra  nossa  sala. Alto, aparentava ter 1,79 de  altura. Ouço  alguns  gemidos  no  interior  da  sala. O ser se  direcionou  até a frente da  classe, e  se  apresentou. 

Kim Taehyung. Seu nome. Tão formal, sua  voz  era  grave, segura  e  completamente sedutora. Alguns  gritos são ouvidos  novamente no interior da  sala.

O  garoto passou por  mim  e  se  sentou na  fila  ao  lado, pude sentir seu  perfume. Era  doce.  um tanto provocante.

-FLASH  BACK  OFF-

Apartir  dali, eu  não imaginava as  mudanças que  iriam acontecer.

Não sabia  que esse  sentimento louco iria  me  invadir assim. E  que  aos  poucos fosse  acabando  comigo. Jogando-me  em  um  abismo.

Alguns meses, se  passaram em  que  ele  havia  se  transferido. A  escola anda  muito movimentada. Os  boatos se espalharam de  que  esse  garoto leva cada dia  uma  para  a  cama. Ele é o senpai da escola, e as meninas andam loucas para dar para ele. 

Kim Taehyung é o tipo de ser escultural, o exemplo perfeito do pecado. As mulheres só de o ver  o  desejam  nu  em  sua  cama. O  efeito  que  ele  causa é destruidor . E o pior, ele sabe de tudo. Ele usa isso como sua melhor arma. E usa isso muito bem diria eu. 

Ele é amigo de Yoongi, Namjoon, Jin, e Hoseok. Que estão em outra sala. Hoseok é um velho amigo meu.

Hoseok  sempre conversou comigo sobre  Taehyung. Hoseok  sempre  me  disse  que  Tae  nunca sabe o  nome das  garotas  que  fica. Sabe apenas o nome da  que  supostamente ama, diz  Hoseok. Mas disso eu dúvido extremamente, pois Hoseok  também não me  disse  quem  seria  essa  garota. Mas  eu  entendo, talvez não quisesse  me  magoar.

Das meninas que ficou só sabe  o  número delas. Sim,  ele  as reconhece  como  números. Como  a  garota número 5 do  andar de  cima, ou  a  ruiva número 42 do  andar de baixo.

O problema é que  Taehyung me irrita. Estou  cansada  disso. Quem esse  cara pensa que  é? 

Dominada sem um controle de mim mesma,  me dirijo ao lugar onde o ser de cabelos castanhos sempre se encontrava. E ali estava  atrás da  escola profundamente aos beijos com a suposta representante do 2°ano.

Não posso  negar  que  senti  meu  coração apertar  quando  vi  a  cena. Mas  nada  como  um  bom  disfarçe  não resolva.

--Com licença - limpei minha garganta.

O garoto para seu "profundo beijo" e com um simples sinal faz a garota se mandar. 

- Sim? - Ele me olha  arqueando  uma  sambroncelha.

- Você não tem vergonha na cara não? -- que  diabos você está falando S/N?

- Do que você está falando? --  O mesmo franziu o cenho dizendo com um tom irônico. 

- Por que você faz isso com essas garotas? Você não percebe que está perdendo o seu valor garoto? 

- Eu não tenho valor. -- Ele me fita por alguns segundos. - E essas garotas também não. - São apenas números. E esses números não fazem diferença. -- completou. 

- Se não fazem diferença porque continua com isso? --  disse séria. 

- (...) --  Ele muda sua expressão derrepente.

- De alguma forma isso me  deixa  contente. -- o garoto vai  saindo sem dizer mais nada. 

- Você é um idiota.  -- merda. Minhas últimas palavras saem com uma voz de choro. 

- Eu  sei. 

- Você não tem sentimentos? 

- Não sei.

- Por quê diz isso?

- Ás vezes amar alguém, se torna a própria destruição. -- diz ele.

- Eu sei bem oque é  sentir a  própria destruição. 

-- Ei! Volta  aqui.

Saio rapidamente dali. Dou  uma  breve desculpa na direção, e  sigo  para  casa.

Horas depois 

Chego em minha casa destruída. Isso está virando rotina. 

Eu odeio aquele idiota, o odeio muito. 

Acabo por me desabar em lágrimas ali mesmo. 

- Tudo bem chorar, sentimentos ruins não combinam com corações puros. "


Notas Finais


Noça
;-;


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...