História Obstacles - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Orange Is the New Black
Personagens Alex Vause, Piper Chapman
Tags Vauseman
Exibições 167
Palavras 2.151
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Policial, Romance e Novela, Suspense, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Demorei mais voltei!

Capítulo 8 - Sensações


Fanfic / Fanfiction Obstacles - Capítulo 8 - Sensações

Alex POV

Após uns bons minutos observando Piper cochilar, decido tomar um banho e esperar ela acordar. Quando saio do banheiro ela já não estava mais deitada, assim como suas roupas não estavam mais jogadas por lado algum. Estranhando, saio de lá, e a vejo parada apreciando a vista como antes. Me aproximo e abraço-a por trás, fazendo com que ela de um leve pulinho de susto.

-Oi.

-Oi. Dormiu bem? – Pergunto a abraçando mais forte, não sei se deixaria ela ir embora.

-Muito! Mas... estou com fome agora...Não esse tipo de fome Alex. – Ela completa depois de eu dar um beijo em seu pescoço.

-Eu não disse nada, você que deu a ideia... Bom, podemos ir até o restaurante da Red ou irmos para minha casa, eu faria um almoço para nós, o que acha?

-Além de ser uma advogada super renomada, linda, e ótima em causar confusões, ainda cozinha? Quais outros segredos você esconde? – Sorrio deixando a pergunta morrer no ar e ela completa- Como já é quase 13:30, acho que ficarei com a segunda opção.

-Obrigada! Espero que esses elogios não sejam só para você ganhar um aumento. – Ela me se desfaz do meu abraço e me dá um leve tapa pelo comentário. – Desculpe. O restaurante fica aberto até as 14 horas, daria tempo... Mas vou provar para você que sou uma ótima cozinheira também.

-Veremos...

-Isso é um desafio Chapman? – Franzo as sobrancelhas divertidas e coloco os óculos na cabeça.

-Interprete como quiser...- O celular em suas mãos começa a tocar e vejo a foto de Nick.

-Deus! Ela não vai parar de incomodar hoje não? - Falo revirando os olhos.

-O que foi Panda? ... Você o que? ... ‘Tá maluca? ... Ah ok! ... Agora é tudo ela né? ... Vai se foder! ... Isso não te interessa... NICK! ... Sua porra-louca.

-O que foi?

-Isso é muito estranho. Ou ela ‘ta completamente apaixonada ou o Larry acabou batendo na cabeça dela e afetou mais ainda o cérebro daquela desmiolada. Você acredita que ela foi passear de balão com a Lorna, por ser algo que sua BFF sempre quis fazer? Ela morre de medo de altura! Quando criança ela tinha medo até de descer as escadas lá de casa sozinha! Como isso é possível? Eu nunca vi ela assim...

-Desculpe, mas tenho que admitir que dei uma ajudinha nisso. Ela me ligou de madrugada pedindo folga e algo que poderia fazer com a Morello, ‘algo que não fosse sexo’, e dei a ideia de fazerem um passeio de balão por Chicago. Isso explica a tensão da voz dela quando sugeri.

-Você quer matar minha irmã? Ela tem problema de coração Alex. Acredito que talvez ela tenha desmaiado. - Ela diz um pouco preocupada. - Vocês são loucas...Ela já sabe que... bem... Fizemos amor.

-Amor? – Ela cora e abaixa a cabeça ficando vermelhinha. – Não precisa se envergonhar ‘meu amor’.

-Para... Não zoa.

-Não falei brincando...amor. – Meu sorriso cresce de maneira única e a beijo com carinho. Somos interrompidas pelo roncar de ambos os estômagos famintos. – É melhor irmos.

A tarde foi agradável. Após provar que eu era uma ‘chefe’ na cozinha, ficamos conversando assuntos amenos até ela decidir ir embora.

-Al, eu tenho que ir, desculpe. Hoje é o primeiro dia do retorno das aulas então, não posso vacilar.

 

-Tudo bem. – Falo um pouco triste e ela senta no meu colo me abraçando. – Olha se for pra ficar assim, não deixarei você ir nunca. – Sorrimos e a acompanho até a porta.

-Até Al....amanhã?

-Sim, infelizmente a folga acabou, melhor voltarmos a rotina. Tchau Pipes. – Ela me beija pela última vez e vai embora.

***

Piper POV

 

Passar o dia com Alex tinha feito eu me sentir a pessoa mais feliz do mundo. Aconteceu o que eu não esperava. Sorria que nem boba e todos a volta notavam. Eu havia me apaixonado por ela, não existia mais angustia ou medo. Cheguei em casa e encontrei Nick no sofá alisando o peito próximo ao coração.

-Nicky, você ‘tá bem? O que houve?

-Muitas emoções para um dia só! Meu ‘bichinho’ não aguenta. Eu não sabia que essa história de amor nos deixava tão idiota e “entregue” assim. Porra! Eu disse “eu te amo” pra Lorna depois que a gente transou. Quem me possuiu? Caralho! Acho que o que fez eu quase morrer, não foi a altura ou medo, foi ela falar de volta, com um olhar tão doce e sincero que...merda. Tá vendo? Só de falar disso ‘ele’ fica doido.

-Hahaha. Quem diria hein? Minha baixinha A P A I X O N A D A!

-Hahaha. Quem diria? Minha irmã ‘hétero’, transando e apaixonada pela nossa chefe. – Ela devolve a alfinetada e reviro os olhos.

-Já tomou seu remédio? – Apenas um aceno de cabeça. –Pronta para a faculdade? – Mais um aceno. – Estamos quase acabando, graças a ‘Deus! Passou tão rápido não é? – Outro aceno. – Porra Nicky, ‘tá morrendo? Me responde direito...-

Mas ai percebo que seu olhar está congelado em algo fora da janela. Acompanho para ver o que a tinha calado daquele jeito e meu sangue gela, meu corpo se arrepia inteiro e a mesma sensação ruim retorna. A figura estava longe, mas era possível perceber que se tratava de um homem. Ele tinha o olhar vidrado na nossa janela, ou pelo menos mantinha o rosto virado para nossa casa. Por um instante, algo me levou a comparar aquele ser, ao homem do meu sonho, senti minhas pernas bambearem ao chegar a essa conclusão e sentei no sofá. Não era possível ver seu rosto, por causa do escuro, mas ele era alto, e aparentemente tinha o físico forte, ele começa a andar na direção contrária e some de nossas vistas. Em um pulo Nicky fecha as cortinas e começa a roer as unhas preocupada.

-Você sentiu isso?

-O...que?- Pergunto sentindo finalmente meu corpo se aliviar.

-Essa coisa estranha... Sei lá... Senti como se tivesse vendo meu agouro da morte. Puta que pariu...

-Foi exatamente isso...

 

Ainda extasiadas por aquele acontecimento, fomos nos arrumar para ir na faculdade. Não havíamos nos falado desde então, por causa da tensão e o nervosismo que caíram sobre nós. Seguimos em silêncio até a secretaria para pegarmos nossos horários. A primeira aula seria com a professora Myrtle Snow, uma mulher que já passava dos 50 anos, com cabelos desgrenhados e ruivos, óculos muito chamativos por sinal, e com uma paciência que não se vê muito hoje em dia.

-Bom dia meus queridos! É bom tê-los de volta! Para iniciarmos com o pé direito, hoje estudaremos um pouco mais sobre como defender um assassino...

-Como se já não bastasse ver um em frente à sua casa...- Nicky fala em um sussurro ao meu lado, me fazendo a encarar incrédula.

-Até com isso você brinca? Pode ter sido só uma coincidência, não deve te...

-Ah claro, até porque deve ser só um mendigo! Vai ver a vovó resolveu nos visitar. –Ela fala aquilo com uma amargues na boca- Como se já não bastasse a cara de bruxa dela ser assustadora, contratou um car...

-Natasha, você gostaria de compartilhar algo com a turma? Ótimo, então fique quieta e preste atenção, isso será muito importante.

Nicky resmunga um palavrão e volta sua atenção a querida professora. O restante do período foi completamente normal, tirando o fato de ainda não ter visto Stella em momento algum, era um alívio, mas não deixava de ser estranho. Conversávamos com Taystee e Cindy no intervalo próximas a cantina, quando vejo a ‘adorável’ canguru tatuada se aproximar da nossa mesa, e de alguma forma vê-la ali me deixou mais aliviada.

-Hey, vejo que se desfizeram da guarda costas... Quem sabe assim possamos conversar mais calmamente, se é que me entendem...

-É claro Bieber, se você não der o fora agora, minha mão vai decolar e vai posar na sua cara. – Cindy fala se levantando da mesa e ficando de frente para Stella.

-Calma pantera negra, só queria dar uma trégua e fazer as pazes com vocês...

-VAZA...- Falamos todas juntas, fazendo com que ela bufe e de meia volta.

-Porque ela continua aqui? Será que não souberam que ela era traficante ou sei lá o que? - Taystee fala voltando sua atenção para nós. – Ela viciou a Poussey naquela merda...

-Saber eu garanto que eles sabem. Mas você sabe como o Piscatella é, ele faria tudo por dinheiro, e perder a maior ‘patrocinadora’ dele, não é seu maior desejo. Era é rica pra caralho, não sai daqui nem a pau...- Nicky fala descontraidamente.

-Essa é a questão... Porque aqui? Ela tem dinheiro para pagar qualquer universidade do país, mas escolheu vir justo para Chicago? Estudar em Litchfield ainda por cima... Não que seja uma faculdade ruim, mas não é a mais renomada.

-Tai sua primeira missão como investigadora T, vai fundo, descobre e conta pra gente.

-Nem a pau, daquela ali quero distância. Vou ficar só na curiosidade mesmo...

-Covarde!

- Nicky! Que caralho! Vamos deixar a putinha em paz? - Falo fazendo uma massagem no pescoço para aliviar a dor no local.

-Não tenho culpa ‘tá legal? Ela é estranha pra caralho – Ela faz um sinal negativo com a cabeça e volta seu olhar para mim – Não adianta apertar, esse chupão não vai sair daí tão cedo...

Gelo e sinto minhas bochechas corarem quando ela fala aquilo, as meninas caem na gargalhada, Nicky aproveita e conta sobre o nosso dia. Um pensamento me vem à mente, e decido ligar para Alex e falar do ocorrido em minha casa mais cedo, porém só dá na caixa postal, por fim desisto, e minha irmã volta a me alfinetar enquanto vamos para a sala.

Ao final da aula, entramos em nosso carro, diferente de antes, o nervosismo havia passado e estávamos mais relaxadas. Paramos na garagem e nos encaminhamos para a porta. Quando abri, um cheio forte de cigarro invadiu meu nariz me fazendo espirar, acendo a luz da sala, e paro bruscamente de andar ao notar a figura sentada na poltrona com um aspecto intimidador e controlador. Ao passar o susto, meus olhos brilham de raiva e sinto meu coração pular algumas batidas, percebo então, que minha irmã não estava muito diferente. Aquele sorrisinho cínico e debochado segurando o cigarro nos lábios aumentou ao ver o ódio esculpido em nossos rostos.

-É só falar no diabo que ele aparece. – Nicky fala quase cuspindo as palavras com fogo e deboche.

 

Alex POV

Não havia passado muito tempo que Piper havia ido embora, quando ouço a porta se abrir novamente, e Red entrar acompanhada de uma mulher negra, ambas davam risadas e pareciam discutir algo. Elas entram na sala onde estava e me cumprimentam:

-Olá minha querida! Chegou mais cedo hoje? – Red fala e me dá um beijo na cabeça.

-Na verdade não trabalhei hoje... Nicky me pediu folga hoje e concedi, aproveitei para falar com a Piper e resolver alguns assuntos pessoais. – Falo descontraidamente e vejo o rosto da mulher se iluminar quando eu termino.

-Ah essa é minha amiga, a Vee.

-Ah olá, prazer, sou a Alex. – A olho percebendo que a conhecia de algum lugar, seu nome não era estranho.

-Oh o prazer é meu. Piper me falou sobre você – Meus olhos se arregalam ao ouvir aquela afirmação. – A propósito sou a ex-babá dela.

-Ela fa...falou de mim? – Pergunto ainda meio abobalhada.

-É claro! É difícil ela esconder algo de mim. Aqueles olhinhos azuis não conseguem me enganar. Não se preocupe, ela disse só coisas boas sobre você. Vejo finalmente conseguiu conquista-la. – Coro radicalmente após ela dizer aquilo- Não precisa se envergonhar Alex, ela fica tão boba quando fala de você, seus olhos brilham como nunca, ultimamente ela está tão feliz que só tenho que te agradecer, acho que finalmente meu ‘bebê se apaixonou. Aliás, preciso ir até a casa delas ver como estão aquelas pestinhas, Piper e Nicky não me visitam nem ligam desde sexta. – Confesso que soltei o ar aliviada após saber que Piper não havia contado sobre hoje, e meu coração pulou feito criança após ouvir Vee desabafar sobre os sentimentos da loira.

Elas engataram uma conversa animada e descontraída comigo por um longo tempo, até meu irmão chegar e me levar com ele até um bar, que coincidentemente era o de Vee. Ele disse que precisava beber para diminuir o stress e raiva que estava sentindo. Aspen havia passado o dia todo no quarto, por isso Nicky ligou para mim e pediu a folga já que meu irmão encontrava-se desligado do mundo.

 Resolvo 'brincar um pouco com ele e apostamos alguns drinks em um pequena competição. Tinha deixado meu celular em casa, e como estávamos completamente bêbados, pegamos um táxi para voltar. Iriamos dar trabalho para nossa avó de cabelos vermelhos. Entramos na sala trançando as pernas e caímos no tapete. Antes de adormecer, vejo aquele par de olhos verdes que insistiam em se manter tão...distantes...


Notas Finais


Até mais...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...