História Obstinada - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Homem de Ferro (Iron Man), Os Vingadores (The Avengers)
Personagens Anthony "Tony" Stark, Clint Barton, Dr. Bruce Banner (Hulk), Feiticeira Escarlate (Wanda Maximoff), James Rupert "Rhodey" Rhodes, Natasha Romanoff, Pantera Negra (T'Challa), Pepper Potts, Pietro Maximoff (Mercúrio), Sam Wilson (Falcão), Scott Lang, Steve Rogers, Thor
Tags Agente 13, Agentes Da Shield, Bucky Barnes, Feiticeira Escarlate, Homem Aranha, Homem Formiga, Inumanos, James Rhodes, Máquina De Combate, Natasha Romanoff, Os Vingadores, Pantera Negra, Pepper Potts, Sam Wilson, Scot Lang, Sharon Carter, Soldado Invernal, Steve Rogers, T'chala, Thanos, Tony Stark, Visão, Viuva Negra
Exibições 69
Palavras 1.768
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Crossover, Festa, Ficção, Luta, Romance e Novela, Saga
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oiiie amores! Capítulo novo, que demorou para chegar em virtude de bloqueio criativo.
Gostei do que fiz, espero que vocês ao lerem, também gostem.
Kiss, kiss.
Boa Leitura.

Capítulo 12 - Confusões Parte 2


Fanfic / Fanfiction Obstinada - Capítulo 12 - Confusões Parte 2

 

 

 

Demasiadamente tarde, sinto que meus olhos estão arregalados, uma pontada de terror surge, e lentamente toma o meu ser. Instintivamente a primeira coisa que faço, e posicionar minha mão entre nossos corpos.

-Selene? –Steve me chama.

Ergo meu olhar para seu rosto, não costumo fazer isso, mas faço uma prece silenciosa, para que o temor em minha face, passe imperceptível aos olhos de Steve.

-Sim?-Eu digo, antes de depositar um beijo em seu peito musculoso.

-Está quieta. Você está bem? –Uma de suas mãos toca o meu ombro, que ele afaga.

-E por que não estaria? Acabei de transar com o homem que eu... –Detenho-me, ao perceber o que estava prestes a dizer. “O homem que amo?”

-O homem que você o quê, Selene? –Steve instiga, em seus lábios grossos, um sorriso doce.

-Eu... –Pisco algumas vezes, a luz presente no local, está aos poucos diminuindo-se.

Meus joelhos doem, e estou respirando com dificuldade. Lágrimas molham meu rosto, sinto medo. A única luz do local, é precedente de uma fresta. Ouço som de passos pesados, aproximando-se do local onde localizo-me. O lugar é muito pequeno, portanto aproximo meu rosto da fresta, algo duro, madeira eu sinto ao tocá-lo encosta meu rosto.

-Encontre a garota. –Uma voz rouca, ordena. A quem é direciona a ordem, eu não consigo ver.

-Selene. –Ouço a voz de Steve, mas está muito longe.

-Sim? –Mas, não sou eu quem respondo.

-O homem que você o quê? –Ele repete a pergunta.

Pela fresta, consigo ver botas de cano alto. Ponho a mão na boca para abafar o grito de terror, que forma-se em minha garganta, quando vejo que é um homem, muito alto, sua pele azul.

Recuo, batendo meu corpo contra o móvel, ao qual encontro-me dentro.

-Selene? –Um par de olhos azuis me encara, com preocupação. –Está tudo bem?

-Sim. –Eu digo, antes de encostar meus lábios em seu peito novamente. –Vamos dormir, você tem um dia muito cheio amanhã.

Seus olhos azuis me analisam por um curto período de tempo, ele pisca e ri desconcertado.

-Claro, minha Selene. –Assente. Seus lábios tocam o topo da minha cabeça. –Boa noite.

-Boa noite. –Retribuo.  E fecho, meus olhos.

Cada músculo do meu corpo protesta em reação o tempo, em que estou de pé, sem movimentar qualquer membro meu. Meus olhos verdes, fixos na minha temporária irmã, Pepper Potts, ao seu lado Tony Stark. O inevitável aperto no meu coração surge, quando meus olhos chegam nele, quantos meses não o vejo?

-Pepper, um caralho! –A ruiva brada. –Você me traiu Tony, e não o bastante vai me deixar por ela.

-Pepper, por favor. –Tony faz menção de tocá-la, mas detém-se. –Vai ser melhor assim.

-Acabar nosso relacionamento, para me manter segura? –Pepper bufa. –Sinceramente, esperava mais da sua parte.

Por um breve momento Tony fica quieto, sua boca abre-se, mas palavra alguma é pronunciada. Fecha os seus olhos e inspira com força e põe-se de pé.

-Acho melhor, deixa-la só, para que pense com clareza. –Pepper ergue a cabeça mecanicamente, o sangue em sua face, ausente.

Tony pega o rosto dela entre as mãos, e deposita um beijo em sua testa, baixo meu olhar para o piso de madeira, um sentimento de raiva invadem-me, por causa, do que acabei de ver. Por quê isso parece tão surreal? Sinto-me confusa, errada.

-Venha. –Stark, toca no meu braço, sem esperar-me deixa o apartamento.

Dentro do elevador, encosta sua cabeça a parede, e fecha os olhos. Nunca senti-me tão incomodada com o silêncio, em seu rosto a expressão é indecifrável. Ao seu lado fico quieta, imóvel o observando.

O silêncio permanece ao chegarmos, no estacionamento e dentro do seu veículo. Não tenho ideia do que ele tem em mente, onde pretende me levar, mas se suas intenções são ruins, como tentar me torturar, embora que levando em consideração pela sua postura sei que não o fará, posso perfeitamente me defender e reverter o jogo.

Giro meu rosto para o lado, e concentro-me em olhar para a paisagem pela qual passamos, uma tentativa susceptível distrair-me e esconder o meu desconforto e o súbito temor, que instala-se em meu corpo.

-Acho que a Pepper está certa. –Diz Stark, quebrando o que me pareceu um eterno reinado do silêncio.

Pisco confusa. Não compreendo o sentido das suas palavras.

Seus olhos castanhos, permanecem fixos na estrada, sua face insondável.

-Não seria justo, de minha parte larga-la e ficar justamente com a garota, quem a trai. –Sinto dificuldade da sua parte, em pronunciar a última palavra.

Rio com histeria, em reação as palavras que acabei de ouvir. Mas, o que diabos está acontecendo comigo? Por que temo suas próximas palavras, para princípio de conversa? Isso não é certo, não deixar transparecer minhas reais emoções, foi parte do meu treinamento, por que estou pondo tudo a perder agora? Preciso formular, algo desdenhoso, e rápido.

            -E você é defensor do que é justo, desde... –Incito. Mas, o que estou fazendo?!

            Stark bufa e revira os olhos simultaneamente.

            -Desde agora. Acho que já a fiz sofrer demais. –Retruca.

            Baixo meu olhar para minhas botas, enquanto comprimo os lábios, uma distração, para que meus olhos parem de arder. Não tenho motivos para chorar, e esse aperto idiota no meu coração é para fracos, não para mim.

            -Não parece ter sido o que pensou, segundos antes dela entrar naquele apartamento. –Digo sarcástica, buscando seus olhos.

            -Aquilo foi um impulso, não deveria ter acontecido.

            O peso de suas palavras esmagam-me, tarde demais sinto um líquido quente correndo pelo meu rosto. Trato logo de passar as costas da minha mão, pelo meu rosto, para apanhá-la.

            -Ah Selene. –Seus dedos agarram meu queixo, quando a velocidade com o veiculo locomove-se diminui.

            -Sinto muito se a decepcionei, estragando sua fantasia de transar com um cara mais velho. –Suas sobrancelhas arqueiam-se e seus lábios comprimem-se simultaneamente.

            Ergo meu olhar, para a vista a minha frente, estamos de frente a base dos vingadores.

            -Sabe de uma coisa Sr Stark. –Eu digo voltando meu olhar para a sua face.

            -Vá pro inferno. –Falo antes de sair do seu veículo e bater a porta com força.

             Ouço o som distante de um bipe, que aos poucos vai aumentando sua intensidade. Meu corpo está deitado sobre algo macio, que me convida a permanecer de olhos fechados. Algo que este barulho irritante não está me permitindo.

            Ainda com os olhos fechados, ergo minha mão e pouso-a sobre a mesinha de cabeceira, tateando em busca do despertador ao fazê-lo detenho o som e abro os olhos. Estou deitada numa cama de casal, a cama de Steve Rogers.

            Embora seja o seu quarto, estou sozinha. Certamente já partiu para a missão em Lagos. Meus lábios curvam-se num sorriso de satisfação quando minha mente é invadida pelas lembranças de como meu relacionamento com Steve Rogers, mas ele desaparece, quando lembro-me do fiasco da noite anterior, eu quase disse que o amava. Amor, não sinto isso, tive um vislumbre...

            Instintivamente ergo minha mão, quando o foco das minhas lembranças é o que vem acontecendo nos últimos dias. A lembrança de como foi meu encontro com Tony Stark, e essa recordação de que estou dentro de um armário, amedrontada, de onde ela vem?  

            Meneio a cabeça, nada com o que preocupar-se. Certamente o transportador deve estar com problemas, decido concertá-lo após o meu café da manhã. Apanhando minhas roupas em volta da cama de Steve, visto-as.

            Deixando o quarto, pego o elevador para o andar onde localiza-se em meu dormitório. Já dentro do cômodo, vou até o banheiro. Depois de um banho demorado seco os meus cabelos, e enfio-me dentro de uma calça de couro preta, botas de cano alto, sem salto da mesma cor que a calça, uma blusa de tecido fino e branco de mangas compridas, e em seguida pego o elevador para o andar construído para que os únicos habitantes sejam Os Vingadores.

            Visão está sentado, ao lado da bancada de mármore, suas pernas cruzadas, seus olhos fixos na tv, pouquíssimos metros a minha direita e Rhodes de pé de frente a geladeira, quando entro na cozinha.

            -Bom dia, Selene. –O sintozoide é o primeiro que percebe minha chegada.  

            -Bom dia. –Retribuo, analisando o local.

            No balcão ao lado da pia, encontro uma cafeteira, após tirar uma caneca do armário acima do balcão, encho-a de café e alguns cokies de chocolate, numa tigela ao lado.

            -Você parece muito bem. –Rhodes analisa, virando seu rosto para mim, em suas mãos uma jarra vítrea de iogurte. –Para alguém que foi dispensada.

            -Engraçado, ouvir essas palavras vindo de alguém que está na mesma situação que eu. –Retruco, dando um gole no meu café, está do jeito que eu gosto, forte e amargo.

            -É, mais contrário á você, eu aceito um não, como resposta.

            -Desculpe. –Visão pisca, voltando sua atenção para nós. –Mas, qual o sentido dessa discussão?

            Contenho minha vontade de revirar os olhos, isso causado pela inocência desse ser, mais detenho-me, ao lembrar-me que isso pode ser de muita utilidade. Formulo uma explicação, mas antes de pronuncia-la, algo na tv chama minha atenção.

            -Boa Tarde. –Diz uma garota loira, sua expressão é séria. –Uma explosão acaba de acontecer em um prédio em Lagos na Nigéria, onde a equipe de super herois Os Vingadores estava operando, segundo a policia, a explosão foi causada, por um terrorista chamado...

            Rio sutilmente. Pelo visto a equipe do Capitão América não estava tão apta quanto ele julgou, faço menção de erguer a cabeça, para assistir o desfecho deste espetáculo, mas uma forte fisgada no meu braço, incapacita-me de tal ação.

            Olho rapidamente para a minha mão, está acontecendo de novo, a estranha luz rosa. Lanço um rápido olhar, para os habitantes do local. Visão encara a tv, sua face impassível, enquanto Rhodes está atônito. Ocupados demais para perceberem o que está acontecendo pelo visto.

            Preciso sair daqui, é a primeira coisa que penso. Disfarçando meu terror, ponho a caneca sobre a mesa e em seguida, sutilmente caminho em direção a saída do local. Dentro do elevador, não consigo sufocar o grito de dor, que sai da minha garganta.

            Caio de joelhos. A imagem de Tony Stark é a primeira coisa que surge em minha mente. Uma dor agonizante invade-me, como se minha carne estivesse separando-se, então uma energia rosa, bate contra as portas do elevador.

            Ela oscila, formando um enorme circulo rosa, que vai aumentando o tamanho, com espaço o suficiente para entrar alguém dentro.

            Recuo assustada, meu corpo tomba contra as paredes metálicas. A minha frente está Tony Stark, usando uma camiseta branca e calça jeans preta. Sua aparência é de um jovem, de 25 anos. 


Notas Finais


Se gostou, não esqueça de deixar seu comentário. São eles e caralho 24 favoritos, que me estimulam a escrever para vocês. Fazer o quê tenho um ego similar ao do Stark. rsrsrsrs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...