História Occult Sentiments - Capítulo 23


Escrita por: ~

Postado
Categorias Miraculous: Tales of Ladybug & Cat Noir (Miraculous Ladybug)
Personagens Adrien Agreste (Cat Noir), Alya, Chloé Bourgeois, Gabriel Agreste, Hawk Moth, Marinette Dupain-Cheng (Ladybug), Nathanaël, Nino, Personagens Originais, Plagg, Sabine Cheng, Tikki, Tom Dupain
Tags Chat Noir, Ladybug, Miraculous, Sentimentos
Visualizações 23
Palavras 1.812
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Hentai, Lírica, Luta, Magia, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Just read...
._.

Capítulo 23 - Resultado


Fanfic / Fanfiction Occult Sentiments - Capítulo 23 - Resultado

Eram exatamente 22:00 horas da noite quando Remy parou em cima do telhado da casa que ficava retirada da cidade. Se dês transformou e entrou pela janela. Acendeu as luzes e desceu as escadas para o porão.

Viu Sabine e Tom desesperados e com uma cara péssima. Chegou mais perto deles.

-"Olá senhor e senhora Cheng... Como vão?"-Perguntou sínico. 

Sabine fechou os olhos e deixou uma lágrima escapar. Não podia gritar pois na sua boca havia uma fita adesiva cinza. Não podia bater nele pois seus braços e pernas estavam amarrados com cordas. 

-"Acho que estão piores do que pensei. Que tal conversarmos um pouco?"-Tirou a fita da boca deles.

-"Porque está fazendo isso?"-Sabine perguntou soluçando.

-"Digamos que... Pra que uma pessoa sofra com isso... Além de vocês óbvio... E pra que alguém que quero venha até aqui salvar vocês. Depois que isso acontecer eu libero vocês."-Disse e se sentou em uma cadeira de frente pra eles.

-"Seu maldito.." Disse Tom bravo. Remy o olhou cheio de raiva e desferiu um tapa na cara dele.

-"Não fale assim comigo."-Remy cuspiu as palavras. Sua voz era firme, fazendo Tom e Sabine se repreenderem, Remy estava no controle.-"Vocês pretendem ter mais filhos?"-Remy perguntou enquanto se levantava e ia até as escadas do porão. Sabine olhou confusa pra tom. Os dois não estavam entendendo o porquê dessa pergunta.

-"N-não... Acho que não.. Por quê?"-Remy começou a subir as escadas. 

-"Repensem essa ideia, porque acho que não vão ter a filha de vocês por muito tempo."-Sorriu e saiu. 

Sabine ficou em choque com essa ameaça. 

-"Porque a Marinette? O que a nossa filha tem a ver com isso?"-Sabine começava a chorar desesperadamente. Tom queria abraçar a esposa e dizer que tudo ia ficar bem. Que ele não iria machucar Marinette. Mas ele estava tão assutado quanto a esposa, e estava amarrado. Não poderia abraçá-la. E não sabia quando poderia abraçar ela novamente.

· · • • • ✤ • • • · ·

Marinette depois de ouvir as palavras do médico, que a deixaram inquieta, foi para casa. Além de Adrien no hospital, tinha que descobrir onde seus pais foram. O que teria acontecido com eles, era a pergunta mais frequente na mente de Marinette. Se transformou em um beco qualquer e foi para casa. No caminho todo ficou se questionando por que todas essas coisas estavam acontecendo com ela ao mesmo tempo.Por que com Marinette? Maldita hora em que aceitou o Miraculous da sorte. 

-"Joaninhas trazem sorte..."-Riu fraca.-"Que sorte é essa que eu tenho? "-Disse sem prestar atenção no caminho. 

Estava confusa e todas as casas que via pareciam iguais. Ela tentou prestar atenção no caminho, mas quando se deu conta estava entrando em seu quarto. Foi um milagre ela não ter se perdido.
Entrou e se dês transformou. Deixando todas as suas forças de lado e caindo no chão. Ficou caída no chão, chorando, soluçando e se praguejando por aceitar o Miraculous em sua vida por longos 20 minutos. Tikki a observava chorando baixinho. Nem consegue imaginar o quão difícil está sendo para sua amiga passar por isso, sozinha. Mesmo tendo a Tikki, Marinette não gostava de abrir os seus sentimentos a ela. 

-"Porque eu?"-Marinette sussurrou. Levantou a cabeça , com sua franja molhada nas pontas e espalhada pela sua testa. Soltou suas marias chiquinhas e jogou os amarradores em um lugar qualquer.

Suspirou algumas vezes e levantou. Suas pernas estavam dormentes, por isso teve dificuldade para se manter em pé. Caminhou até seu espelho que fica próximo à sua escada (a que dá acesso à cama dela) e se encarou. O quarto estava escuro, mas as luzes dos postes na rua deixavam a garota se ver quase nitidamente no espelho.

Analisou seu reflexo.

Estava diferente do que era acostumada a ver. Estava com o rosto inchado e vermelho. Seus olhos também estavam vermelhos, e sua boca que costumava a se rosada, estava branca como neve . Seus cabelos soltos e bagunçados, estavam com a marca do amarrador neles, de tanto que a garota deixava seus fios azulados amarrados. Marinette fechou os olhos e se lembrou de todas as vezes em que sorria, e todas as vezes em que se sentiu feliz. Não sabia o que era, mas algo lá no fundo dizia que iria demorar pra que ela voltasse a sorrir e se sentir feliz. Abriu os olhos e caminhou para o andar de baixo de sua casa. Tikki foi junto sem dizer uma palavra à amiga. Marinette tomou um banho quente. Durante o banho, quase se deixou cair no chão. Teve uma breve tontura.

Talvez estivesse exausta?

Talvez sobrecarregada?

Talvez nervosa?

 

Ou talvez era tudo isso misturado com medo. Saiu do banho com as cabelos molhados e com uma toalha enrolada no corpo. Subiu até seu quarto e colocou a roupa íntima. Não sabia que horas são, e não sabia se iria dormir agora.

-"Que horas são?"-Perguntou baixo a Tikki e a Kwami foi até o celular da garota ver. 

-"Sao onze e meia da noite."-Disse Tikki. Marinette se espantou, já era tarde assim? A garota então decidiu que colocaria um pijama. Colocou um pijama escuro que tinha, queria evitar ao máximo roupas claras.

Foi até a cozinha e pegou um pão com manteiga e um copo de leite e se sentou no sofá. Suspirou e ligou a TV. Não passava nada de interessante, até que decidiu ver séries. Não havia nenhum episódio novo das séries que ela via, então foi ver vídeos no YouTube. Viu de culinária, e também sobre tecnologia. Não gostava do que estava assistindo, mas não queria comer com um silêncio absoluto. E não queria conversar com ninguém, então a solução foi colocar vídeos chatos para não deixar o silêncio predominar. Olhou no relógio e viu que eram onze e cinquenta e um. Desligou a TV e lavou o prato e o copo que usou e foi para o banheiro escovar os dentes. Subiu para o quarto e deitou em sua cama.

Não sabia que dia da semana era, e não sabia se teria aula ou não. Então decidiu ficar em casa. Dane-se a escola, ela tem problemas maiores do que este. Se revirou por longos minutos na cama, mas não conseguia dormir. A imagem de Adrien caído no chão inconsciente vinha a mente dela e arrancava profundas lágrimas da garota. Seus pais desaparecidos também atormentava sua mente. Estava esgotada. Só queria um dia sem se preocupar com essas coisas. Também queria esquecer Remy, Hawk moth, e a garota parecida com um gato preto que ainda era desconhecida. Olhou em seus celular viu 30 chamadas perdidas de Alya. Fechou os olhos com força e resolveu não ligar para ela. Não estava no clima pra ser questionada por Alya. Com certeza acabaria contando tudo a ela. Então mandou uma mensagem, só para a morena não se preocupar. 

【Mensagem on】

ー​ Alya eu to bem... Te ligo quando puder, tchau. ✔️✔️ [Enviada 00:16.]

Tá bom então... Só queria saber se você estava bem. Tchau. (Recebida 00:18)

【Mensagem off 】

Depois disso Marinette adormeceu. 

· · • • • ✤ • • • · ·

 

Eram nove da manhã e Marinette acorda com seu celular tocando. Ainda sonolenta ela atende. 

Ligação on 

ーMãe?ーEla diz , com esperança que fosse seus pais. 

ーNão. Aqui é do hospital______. O doutor Pierre Neville, que está cuidando do Adrien Agreste pediu que a senhorita viesse aqui. Já temos o resultado dos exames.

Marinette de levanta num pulo.

ーJá tem os exames? Estou indo aí agora!ー Ela desligou.

Ligação off

Marinette se arrumou rapidamente colocando uma calça jeans preta e um moletom cinza com estampa floral em alguns lugares. Colocou um tênis branco e saiu comendo um croissant. Foi correndo até que chegou. Entrou pela porta e sentou um pouco para recuperar o fôlego. Tomou um gole de água e terminou de comer seu croissant. Foi até a recepção e se apoiou no balcão. 

-"Anh... Olá?"-Disse Marinette vendo a mulher da recepção mexendo no facebook. 

-"Ah oi, no que posso ajudá-la?"-Disse a mulher de cabelos ruivos.

-"Me ligaram agora a pouco dizendo que os exames do paciente Adrien Agreste chegaram..."-A mulher checou.

-"Uhum... Você é Marinette Dupain-Cheng?"-Marinette assentiu.-Aguarde um pouco ali sentada. Vou falar com o doutor Pierre."-Marinette assentiu e sentou em uma cadeira na recepção. 

Sentia calafrios pelo seu corpo, estava com muito medo. Depois do que o doutor a disse ontem, ela ficou realmente preocupada. Ele estava escondendo algo. Marinette estava tendo os pensamentos mais negativos que alguém poderia ter, mas tentou espantá-los. 

Marinette deve ser só pressão baixa não é? Talvez ele esteja com uma infecção? Não é nada sério! Para de pensar besteira. -Pensou ela.

Ficou vendo o noticiário, quando de repente escuta um barulho de algo batendo e tudo fica escuro. Ouviu vozes de pessoas confusas e crianças chorando. Será que Marinette desmaiou? Marinette franziu o cenho, porque ainda estava consciente. 

-"Tentou ligar de novo? Alguém vai lá fora?"-Escutou alguém falar.

Marinette caminhou por um corredor para ir para a porta do hospital, e viu que cada vez ia ficando mais claro. Chegou na porta e descobriu o que aconteceu. 

-"Uma queda de energia..."-Suspirou e ligou a lanterna e voltou pra recepção.

Todos estavam confusos e viram que um carro bateu em um postal e na frente do hospital. Então demoraria pra luz voltar. Marinette ficou na recepção esperando, por volta de uns 30 minutos . Até sentir alguém tocar seu ombro. Olhou e viu que era o doutor Pierre.

-"Doutor? E os exames?"-Perguntou com a lanterna acesa. 

-"Eu estava os olhando quando a luz caiu. Mas espere, daqui uma hora já deve ter energia novamente."-O médico ia sair mais Marinette segura o braço dele. 

-"Posso ver o Adrien?"-Ele assentiu e a levou para o quarto que Adrien estava. 

Entrou e o garoto estava deitado, com o pai segurando uma lanterna ao seu lado. Marinette sorriu ao vê-lo e correu até ele. 

-"Adrien?"-Adrien olhou para ela e sorriu 

-"Marinette? "-O garoto se sentou na cama e a abraçou. 

Gabriel resolveu deixar os dois conversarem sozinhos, então saiu da sala. Estava escuro e Marinette estava com a lanterna do celular acesa ainda. Os dois não disserem nada por alguns segundos, apenas ficaram se olhando fixamente. 

-"Você tá bem?"-Perguntou Marinette. 

-"É... Eu to vivo..."-Brincou. Marinette deu um sorriso e viu que as luzes voltaram. O doutor Pierre entrou na sala e chamou Marinette e o Senhor Agreste para conversarem sobre os resolvamos dos exames do Adrien. 

Entraram em uma sala e sentaram de frente para o Doutor. Os exames estavam nas mãos do doutor. 

-"Primeiramente..."-Marinette suspirou. Não era um bom sinal.-"... Eu já tinha em mente algo que poderia ser o que o Adrien tem. E infelizmente eu estava certo..."-Gabriel e Marinette franziram o cenho, estavam muito apreensivos.

-O que ele tem doutor Pierre?"-Perguntou Gabriel e Marinette em uníssono.

-"O Adrien tem câncer."


Notas Finais


Nada a declarar... ;-;
Bye Bye :v


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...