História Oceans 1° Temporada - O conhecendo. - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jungkook, Suga
Tags Bts, Hoseok, Jeongyeon (twice), Jikook, Jimin, Jin, Jungkook, Lisa( Blackpink) Etc, Namjoon, Taehyung, Taeyang (bigbang), Yoongi
Visualizações 51
Palavras 2.410
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi Kookitos! Tudo bom com vocês?! Espero que sim.
Essa é minha primeira Fic Jikook ❤
Então espero que gostem dela 😄
Eu a estava postando no amino ( Army-Br) Mas decidi postar também!
Sem mais delongas... Vamos para o Cap.

Capítulo 1 - O começo de tudo.


Eu era jovem e imaturo.

Não sabia muito das coisas.

Meus pais morreram. Meu pai morto em batalha, minha mãe infarto.

Fui adotado pelos meus tios, que já tinham um filho.

Ele era mais velho do que eu 5 anos. Tocava piano e fazia aulas de musica em um galpão aonde eram disponibilizadas aulas gratuitas.

Começou a trabalhar cedo. Passou um ano inteiro juntando dinheiro para comprar um piano usado. Lembro-me que era marrom.

Ele era uma inspiração para mim. Queria com todas as forças ter a determinação dele para seguir minha vida. Mas eu era cético.

Tinha sentimentos confusos que não sabia lidar.

Em todo meu tempo da escola fui motivo de chacota pela minha aparência um tanto magra. Meu nariz de tucano, meu cabelo desarrumado, minhas roupas de segunda mão, pelas as manchas que tinha em minha face e o pior de tudo... Riam de mim por não ter meus pais.

Quando completei 13 anos fizemos uma viagem para o interior. Meu “Irmão”, que já tinha 18, olhava a paisagem pela janela do ônibus e eu o olhava. Seu cabelo preto como a escuridão, seu sorriso de criança, seu dom para musica. Definitivamente eu o admirava. Ele me olhou e sorriu.

[I]-Estamos quase chegando. – Disse ele passando seus dedos entre meus cabelos.– Jungkook olhe!- Olhei pela janela e vi um grande lago cheio de patinhos e sorri. – Bonitos né? Eu estive aqui com 5 anos. – Seus olhos brilhavam observando aquela cena. Parecia viajar no passado, então o deixei em paz. Meus “pais” estavam sentados do outro lado. Eles pareciam felizes também.

Era um dia claro, mas de repente começou a serenar.

Lembro de quando minha mãe recebeu a noticia que meu pai havia morrido. Foi mais ou menos assim.

O ônibus, que rodava tranquilamente, teve que desviar de algo. Porém o que o motorista não imaginava era que para o outro lado não havia estrada.

Yoongi, meu “irmão”, me abraçou e assim me protegeu.

Vi meus pais adotivos, que estavam do lado esquerdo, olhar para nós como se fosse um adeus.

Estiquei meu pequeno e magrelo braço na tentativa de segurar eles, mas não foi o suficiente.

A janela, que estava do lado deles, estava quebrando e ao mesmo tempo em que aceitavam o destino que os aguardava, eles tentavam se salvar.

A janela enfim quebrou e eu os vi voando para fora do ônibus.

Fechei meus olhos na tentativa de imaginá-los criando asas...

Lembro que tanta gente morreu. Eu e Yoongi fomos capa do jornal por sermos um dos poucos sobreviventes.

Ainda tenho um arranham como cicatriz na minha bochecha.

Meu irmão, traumatizado, entrou em depressão. Perdeu o emprego e entrou no mundo das drogas. Além de beber e fumar usava coisas que na época eu não sabia. Começou a me olhar diferente.

Perdi a admiração que tinha por ele.

Com 14 comecei escondido a ir para o galpão onde Yoongi frequentava.

Ele parou de tocar piano. O instrumento que já era velho ficou mais ainda quando foi deixado de lado.

Eu não tinha muito talento, mas ao menos tentava.

Fiz um amigo que se chamava Taehyung. Ele era uma peça.

Sua voz quando cantava era assustadoramente encantadora. Eu adorava o escutar cantando. Pensando bem, hoje, talvez ele tenha sido o inicio de tudo.

Minha vida estava na mesma. Meu “irmão” definhando no canto da sala e eu tendo que trabalhar para ter pelo menos o que comer.

O dinheiro que eu ganhava às vezes sumia e hoje sei por quê.

Não frequentava mais a escola. Achava perda de tempo.

Já era humilhado todos os dias no trabalho e não queria sofrer mais na escola.

Ainda tentando aprender alguma coisa de musica fiquei sabendo que Tae, meu melhor amigo, ia embora para fora do país. Fiquei triste, porem não chorei. Na verdade eu nunca chorei. Quando soube da morte do meu pai apenas senti pena da minha mãe e quando ela se foi, também não senti vontade de chorar... ah... Confesso que isso é bem rude da minha parte. Mal sabia eu que algum tempo depois choraria.

Com 15 o galpão que eu ainda frequentava fez um tour por umas das maiores escola de artes. Era gente cantando de um lado, gente tocando do outro...

O professor que se chamava Namjoon nos guiava por aquele universo. Ele parecia mais fascinado do que os alunos.

Quando todos estavam a vontade no local e já fazendo amigos ele se aproximou de mim.

-Jungkook! – Me chamou. Deu um sorriso que mostrou suas covinhas. Era seu charme. – Tudo bom? Esta gostando?

Eu balancei a cabeça fazendo que sim.

-Hum. – Me olhou novamente, mas agora serio. – E o Yoongi?

Eu entendo o motivo da pergunta. Foi ele quem ensinou tudo que Yoongi sabe. Acho que foi um grande baque quando soube que ele estava perdido.

-Ele esta na mesma.

-“Na mesma” como assim? – Queria ter coragem de dizer para ele “Não me faça perguntas que não sei responder.” Mas eu era muito mole.

-Só... Na mesma.

-Entendo. – Ele colocou seus dedos entre meus cabelos. Sinceramente não gosto disso. Faz-me lembrar do acidente. – Vá andar por ai... Faça amigos. – Ele começou a dançar desajeitado e eu senti um pouco de vergonha.

Fiz o que ele disse, mas sem garantia de amizades. Andei pela galeria aonde havia varias pinturas. Logo em seguida fui à sala de instrumentos, instrumentos esses que deixavam o galpão no chinelo. Na mesma sala havia também músicos. Suas vozes eram tão lindas.

Um cara alto veio falar comigo. Era tão bonito.

Seus lábios carnudos e rosados. Seu nome era Seokjin, mas ele disse que eu poderia o chamar de Jin. Lembrei de imediato do que Namjoon disse uma vez “Meu primeiro crush foi Jin” Será esse o Jin? Se for eu entendo o Namjoon.

Passei por varias outras salas e já estava ficando tarde.

Faltava mais uma sala e eu estava meio com preguiça de ir la.

"Acho que a minha preguiça teria me salvado de me afogar naquela época."

Infelizmente/Felizmente tive que ir até La. Namjoon ficava dizendo “Olhem tudo, pois será a primeira e talvez a ultima vez que terão essa oportunidade.” Que saco.

A ultima sala era dos dançarinos. Para dizer a verdade nunca gostei. Só de olhar já me cansava. Sorri lembrando-se do Yoongi reclamando de quando ele tinha que passar por isso “Para ser um artista de verdade você tem que fazer de tudo um pouco.” Passei a entender melhor tempos depois.

Quando adentrei na sala pensei ter sido transportado para outro mundo.

O professor, que se chamava Hoseok, mostrava passos quase que impossíveis para uma pessoa como eu aprender. “Provavelmente nunca vou aprender.” Ele era bem sorridente e todos pareciam o amar.

Já que não tinha mais “nada” de especial naquela sala me dirigi até a porta para sair.

Uma musica começou a tocar e uma pessoa esbarrou em mim. Usava uma camisa branca e calças de mesma cor. Seus cabelos eram pretos. Seus olhos escuros como o meu. Sua boca era carnuda e perfeitamente rosada.

Ele sorriu para mim pedindo desculpas por ter esbarrado.

Fez uma pose. Abriu os braços como se fossem asas.

Começou a dançar. Era tão mágico! Parecia que ele flutuava sobre o piso.

Todos estavam ocupados com suas próprias danças e eu preocupado com meu tempo acabando.

Entre um pulo ou outro ele sorria. Era muito importante para ele.

Eu sorri meio bobo e foi nesse momento que ele me olhou.

O mundo pareceu parar. Só conseguia ouvir as batidas do meu coração.

Ele dançava para mim agora. E a cada passo ele se aproximava mais de mim.

-Jungkook? – Namjoon pegou no meu ombro me acordando do devaneio.

-Jungkook? – Outra voz me chamou atenção. Foi ele quem falou.

-Sim... – Respondeu Namjoon para o menino. – Ele é um ótimo garoto... Seu defeito é ser tímido.

Ele sorriu novamente.

- Defeito? - Se aproximou e pousou uma de suas mãos no meu ombro. Sua mão era tão pequena. – Eu gosto de pessoas tímidas. Na verdade eu sou tímido.

Eu queria poder falar alguma coisa, mas nada saia.

Só conseguia olhar para meus pés.

-Afinal meu nome é Jimin! Prazer em conhecer... – Ele me olhou. – Em conhecê-los. –Logo em seguida lembrou-se da existência do meu professor.

-Jungkook? Já esta na hora de irmos. – Disse Namjoon.

E como sempre eu apenas acenei com a cabeça fazendo que sim.

-Então nos veremos outro dia? – Fiquei surpreso com essa pergunta inesperada.

-Provavelmente não. – Cortou o professor.

Como sempre não me pronunciei sobre, mas deu uma vontade de dizer “Claro! Onde? Quando? Que horas?” Mas minha timidez não deixou.

Só sei que naquele dia eu “ganhei o dia.”

Cheguei em casa cansado, porém com o sorriso bobo no rosto. “Jimin? Eu queria ser amigo dele.” Tolo pensando aquilo. Acho que na época eu era um bobão mesmo.

-Jungkook? – Ouvi a voz rouca de meu “irmão”. Vinha da cozinha.

Ele estava caído sobre a mesa. Em suas mãos havia uma garrafa quase vazia.

-Onde você foi? – Perguntou levantando-se. – Passei a tarde ti chamando.

-Sinto muito. – Andei direto para o quarto, meu único luxo, e deitei no colchão velho.

Quando ele estava daquele jeito era melhor não ficar por perto.

Cambaleando, ainda pelo efeito do álcool, me seguiu até o quarto.

Eu não pude ver o que aconteceu ali de fato. Só sei que ele me puxou pela camisa e nós caímos no chão.

Me abraçou ali mesmo e põe-se a chorar. “Até ele consegue e eu não.” Eu o abracei de volta. Seu corpo que antes era definido hoje estava magro.

-Yoongi?

-Xiiiii. - Seu bafo tinha um odor horrível.

Passou- se alguns minutos. meu corpo já estava dormente por ele está em cima de mim. Vi que já estava dormindo.

Lembro que depois disso o coloquei na minha cama. Com tudo isso até perdi a vontade de pensar na possibilidade de ser amigo de Jimin. “Tenho outras prioridades.” Olhei para Yoongi e sai do quarto.

No dia seguinte sai cedo para o trabalho.

Trabalhava como entregador. E quando digo entregador digo que entregava tudo. Podia ser jornal, comida, encomendas que não me diziam do que se tratava, animais, mensagens etc. Eu era multifuncional.

Assim que cheguei já havia uma entrega para fazer. Era de comida.

Peguei a bicicleta e sai pelo bairro.

(Nota da autora: Essa transição de Jungkook andando de bicicleta e o 'passeio' até o lago. Recomendo ouvirem [To all of you - Syd Matters])

Depois do meio dia eu tirava um tempo para andar de bicicleta perto de um lago. Não tinha patinhos, mas era bonito mesmo assim.

Tae que me mostrou pela primeira vez aquele lugar. Sinto sua falta.

Era o único que me fazia sorrir em meio ao caos. “Espero que ele esteja se dando bem.” Sorri pensando em que confusão ele estava se metendo agora.

Voltei rápido para o trabalho. O chefe, que era um velho nojento, mais uma vez brigou comigo. Cheguei um minuto atrasado, mas já era motivo de esporo. Há boatos que ele abusa dos seus funcionários. Eu não queria acreditar nisso, mas nunca se sabe.

Seis e meia da noite eu ia para o galpão.

Quando cheguei estava cheio já. Alguns praticando o canto e outros em instrumentos. Aqui não havia aulas de dança.

Cheguei perto de uma menina. Ela se chamava Jeongyeon. Diziam que ela tinha uma paixonite por mim. Nunca me importei muito.

-Jeongyeon onde esta o professor? – Perguntei e ela se virou bem rápido. Parecia nervosa. Olhando assim até que ela é fofa. Seu cabelo era o único curto ali e isso a tornava interessante.

-Oi Jeon! Ele entrou naquela sala com um menino que eu nunca vi por aqui.

-Será algum aluno novo? – Sentei do seu lado. Era um sofá velho de dois lugares. Ficamos apertados ali. Ela sorriu nervosa de novo.

-Não sei... Talvez.

Não me julguem, mas eu a estava provocando.

Outras meninas se aproximaram. Acho que é minha hora de ir, pois, até parece que eu vou ficar escutando conversa de menina.

-Tchau Jeongyeon. –Sorri com um dos sorrisos mais forçados de minha vida.

Elas a achavam estranha por ter se interessado logo por mim.

Até eu acharia coitada.

Sentei em um banco. Fiquei observando os outros alunos.

Meus olhos pararam em um menino tocando piano e lembrei-me de meu irmão. Uma vez ele escreveu uma musica que se chamava ‘Primeiro amor’. No começo pensei que era para alguém, mas não era. Ele tocava a melodia no piano e cantava. Tinha tanta emoção que ele sempre chorava.

Seu primeiro amor foi a música, mas agora não sei se ele ainda a ama.

-Namjoon esta demorando né? Oi! Lembra de mim? –Eu o olhei meio desnorteado. Ele estava em pé ao meu lado. Jin?

Balancei a cabeça fazendo que sim. Mas o que ele esta fazendo aqui?

-Que bom que se lembra... – Ele sorri sem graça.

-Jeon Jungkook.

-Ah sim! Desculpa. – Ele solta a risada mais engraçada que eu já ouvi. –Hoje é um dia especial para o galpão. –“Como assim?” – Vamos fazer uma parceria.

Arregalei os olhos... “Parceria?”

-Então é por isso. – Falei baixo, mas ele pareceu escutar.

-Sim. – Puxou uma cadeira para sentar ao meu lado. – Ele esta com um dos melhores alunos da escola. –Ele ajeitou uma mecha de seu cabelo castanho. – Aqui se canta Rap né?

-Sim... De vez em quando Namjoon canta.

-Hum. - Acho que ele ficou imaginando Namjoon cantando. - Mas você sabe? Tipo... Fazer aquelas coisas com a boca? – Ele começou a fazer umas coisas com a boca. Parecia que estava cuspindo. Ele me arrancou uma rara risada e ele parecia querer fazer isso.

-Você diz... Beatbox? – Disse ainda rindo.

-Isso mesmo! – Continuou fazendo. Minha barriga já estava doendo de tanto rir. Todos já olhavam para mim. Minha cabeça caiu para trás.

Ouvi a porta de Namjoon abrir. Ela tinha um barulho infernal. Mas eu continuava me acabando de rir.

-O que foi de tão engraçado? – Era uma voz suave que também ria.

Me levantei lentamente constrangido.

Primeiramente não pude acreditar em quem estava na minha frente.

Jimin?

-Jin sempre arrancando risadas das pessoas. – Ele sorria também. – O que você fez agora?

-Beatbox! – Ai ele começa de novo. Jimin cai na gargalhada também.

-Pare! Minha barriga já esta doendo. – Ele coloca a mão na barriga.

Ele usava uma camisa grande para seu tamanho. Era listrada, Azul e branco. Usava uma bermuda jeans com alguns rasgos e um tênis.

Seu estilo era bem diferente do meu. Calça preta, camisa preta com capuz e chinelo.

-Oi Jungkookie!– Jungkookie?- Namjoon disse que não nos veríamos mais, mas acho que ele se enganou. 


Continua...


Notas Finais


Então foi gente!
Espero que tenham gostado ❤
Posto o 2° Cap próxima terça ou antes (sábado)
Quem tiver o amino Army e quiser me seguir 😄
http://aminoapps.com/p/0xen5z


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...