História Odd Maid - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias SHINee
Personagens Minho Choi, Taemin Lee
Tags 2min, Maid, Minho, Taemin
Exibições 147
Palavras 2.865
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


OLÁ! TUDO BEM COM VOCÊS? ACHARAM QUE EU NÃO IA MAIS POSTAR NADA DEPOIS DAQUELA SAFADEZA DE TRÊS? HUA HUA HUA HUA HUA HUA HUA
Quem está lendo essa One e leu também a minha Ontaekey, agradeço por ter lido ♡
Deixo vocês com o meu primeiro projeto solo 2min! Até o final :3
bejoquenhas nos pé

Capítulo 1 - Maid Online


-Nossa! Estou tão cansado.— entrei no apartamento afrouxando a gravata azul escuro.
Os dias no escritório estavam cada vez mais corridos, eu estava cada vez mais ocupado com tudo.
Tranquei a porta e joguei meu corpo no sofá grande e branco. Algo incomodava o meu bumbum…
Tirei o que estava em baixo de mim e, nossa, um garfo! Como diabos um garfo veio parar no estofado do sofá?
Olhei ao redor e isso respondeu minha pergunta. Da mesma forma que uma cueca estava em cima da televisão, ou a louças suja já tinha atingido o seu limite então parte dela foi parar em cima do fogão e geladeira. A casa estava imunda. Completamente suja e eu não tinha percebido isso até agora. Afinal,eu apenas chegava, pedia alguma comida, tomava banho e as embalagens dos lanches eram deixadas até na cama do meu gato, o Bilbo.
-Preciso dar um jeito nessa bagunça… — Bilbo concordou com um miado — Quer me ajudar? — ele saiu de fininho. Hunf.
Hoje era sexta, amanhã não teria que trabalhar. Ok, acho que amanhã posso descansar. Mas acho que preciso de ajuda…
Quem?! Não tinha amigos ou parentes. Todos moravam longe da cidade grande.
Joguei o garfo longe antes que ele entrasse em lugares indesejáveis do meu bunbum, peguei o notebook e pesquisei por "Faxineiras online".
Apareceu várias coisas, algumas até cobrando muito caro por uma limpeza pequena. Apertei os olhos quando vi uma indicação de um site formado por donas de casa.
"Contratei uma para limpar meu apartamento de três quartos e o serviço foi excelente! "
"São pontuais e todas com uniformes comportados e clássicos! Estava me sentindo dentro de um anime."
Dentro de um anime? Bom, isso não importa. Quero só minha casa limpa antes que eu comece a ver ratos brincando com o Bilbo. Seria como Tom e Jerry.
Cliquei no link que uma das mulheres tinha comentado e colocado lá.
"Maid Online", esse era o nome do site de empregadas.
Tinha o turno de cada uma, o preço e as suas qualidades. Apenas tinha duas disponíveis. Uma tinha menos estrelas que a outra, mas a que tinha mais estrelas tinha menos tempo na empresa… Vai essa mesmo.
Eu cliquei e por meio de chat, dei as informações da minha casa e bairro. As mensagens tinham sido visualizadas então eu fechei o notebook feliz, levantei e fui chutando os lixos do chão até ir para o quarto pegar minhas roupas, tomar banho e esperar ela chegar.

M A I D

-Yah, Bilbo! Deixe o saco do supermercado em paz! — briguei com o gato que tinha travado uma guerra contra o saco plástico.
Bilbo já ia miar bravo em resposta ao dono quando a campainha toca com o seu ding dong clássico.
Fui até a porta destrancar, abrir e me assustar.
Era uma garota linda com um daqueles uniformes de empregadas de alguns mangás japoneses.
Agora entendi o porquê daquela mulher ter falado que se sentiu dentro de um anime.
-Bom dia! Seja bem vinda a minha casa. Ter encontrado você foi a minha salvação, sabe? Minha casa está um lix-
-Ei, cara. Eu acabei de chegar e você já quer contar até o número da cueca que você veste? — a garota falou.
Ou melhor… O garoto! Ela… Ele… Tinha a voz grossa e só então eu percebi o seu grande pomo de adão.
-O-oh… Você está certa. Pode entrar. — dei espaço para ela entrar.
Olhei desesperado para o Bilbo que estava lambendo seu nariz. E se ele fosse um assassino disfarçado de empregada? Eu só queria minha casa limpa! Mas pelo que está parecendo, ela vai ficar ainda mais suja com o meu sangue.
-Tudo bem… Bom, vejo que terei um grande trabalho aqui. — ri sem graça.
Agora ela/ele deve estar me achando porco.
-Eu posso te ajudar. É muito trabalho pra uma pessoa só.
-Não quero que desconte do meu dinheiro fazendo isso. — ele ajeitou sua meia de renda.
Meus grandes olhos grandes de águia não teve como não admirar aquelas pernas brancas, finas e torneadas.
-Está tudo bem. Quero te ajudar…— ele suspirou.
-Certo. Vou começar recolhendo esses lixos e você me traz o saco de lixo, ok?— eu assenti indo até o armário da lavanderia onde tinha sacos de lixo.
-Ãh… Posso fazer uma pergunta? —continuei quando ele assentiu — Por que sua voz é tão… grossa?
-… Excesso de hormônios masculinos. Agora vá pegar os sacos se quer mesmo me ajudar.
Fiz o que ele mandou. Abri a porta da lavanderia e demorei uns 10 minutos espirrando de tanta poeira que ali tinha acumulado.
-Nossa, parece que vamos ter que dar uma boa limpada lá também. - ele/ela riu e eu acompanhei na risada.
Minha casa estava um lixão e eu aqui rindo da minha própria desgraça.
-Você já comeu? — perguntei e ele negou.
-Não tive tempo. Tinha uma faxina marcada às 8:00 AM.— pegou o balde cheio de água e a vassoura — Você foi o primeiro cliente a perguntar isso… Agradeço por isso.— se curvou com sua fantasia atrapalhando pois estava apertando sua barriga para fazer uma cintura fina e perfeita.
-Deixe-me ver isso aí.— me aproximei da maid e tirei alguns nós que apertava.
-Agradeço por isso também… Eu ainda não sei o seu nome.
-MinHo. E o seu? — ele ficou tenso.
-Posso confiar em você…? — eu assenti com convicção — Meu nome é Taemin. Eu sei, é um nome masculino e nunca uma mãe colocaria um nome desses numa garota. Não ache estranho um garoto estar fantasiado de empregada. Não sou um prostituto! Eu só prec—calei sua boca com o meu dedo indicador.
-Shh. Está tudo bem, Taemin. Sente-se, por favor.— verifiquei se não tinha nenhum garfo no seu assento. Estava livre. — Desconfiei disso desde o momento que falou comigo. A sua voz não era voz de uma menina.
-Eu sei disso. Estou tão cansado que não me lembrei de fingir minha voz de balão de gás hélio.— eu ri.
-Só eu sei sobre isso? — ele negou.
-Minha chefe e algumas amigas sabem. Preciso desse dinheiro para juntar e pagar minha futura faculdade. Graças a minha aparência feminina, fui aceito nesse emprego. — eu balançava a cabeça concordando com tudo—Alguns homens e mulheres já tentaram até me tocar achando que eu realmente sou uma garotae ofereço… Serviços que vão além da limpeza. Mas eu não faço isso, hm?! — tirei sua tiara de orelhas de gato.
-Claro que eu sei disso, Tae. Prometo não fazer nada com você. — sorri para ele que também sorriu.
-Não se incomoda de ter uma empregada com um pênis no meio das pernas? — gargalhei.
-Não é como se eu fosse levantar sua saia pra ver seu pênis.— ele arregalou os olhos.
-Então posso me abaixar sempre que eu quiser sem ter que me preocupar em deixar minha retaguarda desprevenida?
-Aham! E eu ainda posso comprar um almoço pra nós dois. — ele sorriu tímido tocando em meus dedos que seguravam sua tiara.
-Obrigado, MinHo-ssi… — apertei sua mão demonstrando apoio.
-Vamos…? — minha voz saiu mais suave que o previsto.
Taemin se levantou tirando seus sapatos de salto fino e os colocou no lado da sala. Ainda continuou com sua fantasia pois não tinha roupa pra vestir.
Observava o garoto esforçado e sonhador com o esfregão já em mãos indo para o banheiro lavar o piso. E eu continuava parado atônito no sofá pensando na recente conversa. Ou pensando na maciez dos seus cabelos quando eu tirei o acessório de gatinho. No calor que emitiu da sua mão cheirosa…
-Hyung? Não era você que queria me ajudar? — Tae colocou sua cabeça pra fora do banheiro atraindo minha atenção.
Decidi arrastar esses pensamentos para o fundo de minha mente e me concentrar em apenas deixar minha casa limpa com o garoto.

M A I D

Coloquei uma música para divertir o momento de limpeza. Tae dançava com a vassoura e um grande sorriso no rosto. Em solos de guitarra ele vazia das cordas o seu instrumento e eu era a sua platéia. O melhor momento foi quando todo o lixo foi recolhido e jogamos água no chão para esfregar com mais precisão.
Arrastamos todos os móveis para fora da sala até a sala de jantar e começamos a dançar no piso ensaboado. Escorreguei algumas vezes e ouvi a gargalhada mais gostosa de toda a minha vida ali mesmo. Taemin usava uma esponja e eu um pano. Ele esfregava e eu limpava. Algumas vezes ele precisou ficar de quatro no chão, mas com vergonha, sempre abaixava a sua saia curta. Até que eu fiquei incomodado com aquilo e fiquei de quatro com ele também.
"-Não precisa ficar com vergonha de mim, baby. — eu falei e ele sorriu tímido.
-É força do hábito. Esqueci que você já sabe que tenho a mesma coisa que você. — sorri e peguei um pouco de espuma pra sujar o seu nariz.
Levantei e antes de seguir até o balde pra tirar o excesso de água, apertei seu bumbum."
É lógico que depois dessa apertada o clima ficou meio… Tenso. Ou quente… Eu não sei, mas não durou muito tempo.
Sequei toda a sala e coloquei todos os móveis de volta ao espaço. Eram todos pesados, como móveis de madeira verdadeira, poltronas antigas e um sofá bem grande. Taemin tentou me ajudar, mas eu recusei. Não queria que ele pegasse peso.
Já estava chegando o fim do dia e em todas as horas um carinho e cuidado com o garoto nasceu em mim. O apelidei de baby e ele não reclamou. Pelo contrário, começou a me chamar também com carinho.
-MinHo hyung? Tudo bem? — ele me despertou.
-Claro. — sorri e me aproximei dele. Passei um braço pela sua cintura e descansei meu queixo em seu ombro —O que está fazendo aí tão quietinho?
-Olhando suas fotos de quando era criança. Era tão fofo. — se virou pra mim.
-E eu deixei de ser? — fiz um biquinho fingindo estar irritado.
-Claro que não… — aquela mesma tensão se instalou naquele momento.
Taemin se remexeu em meus braços, nossas respirações ficaram aceleradas e eu já podia ver o suor surgindo em sua testa.
-Tudo bem, Tae…? — ele assentiu.
-Ainda temos muita coisa pra fazer, hyung…— eu sorri com o canto dos lábios e beijei sua testa.
-Vamos descansar um pouco, baby. — abracei seu corpo magro - Agradeço por estar me ajudando nessa tarefa tão difícil.
-Pode me chamar sempre que precisar, MinHo. — apertei mais seu corpo.
Tudo naquele garoto estava me encantando aos poucos. Sua voz grossa e rouca em alguns momentos estavam me deixando louco. E o seu sorriso? Tão grande e verdadeiro que seus olhos fechavam em pequenas fendas.
MinHo, o que está acontecendo com você?!
-Hyung? Seu telefone está tocando.—me assustei com o som que estava ecoando no quarto.
Soltei Taemin que logo foi se sentar na cama de casal ali, atendi o telefone e era do restaurante que eu tinha encomendado a comida. Ligaram para confirmar o endereço.
Dei todas as informações e desliguei indo me sentar com ele.
-Hyung, quantos anos você tem?
-24 anos. E você, baby?
-18. Pirralho né? — ele riu.
-Claro que não. Só é novinho. Fofo, lindo…
-Gostou tanto assim de mim…? — sua pergunta me pegou de surpresa.
-Depende… — ele virou seu corpo para me encarar - Você é lindo…
-Mas você sabe que eu sou um homem, MinHo.
-E isso importa pra você, Taemin? Desde o momento que eu te toquei, algo em mim explodiu. Como o Bilbo quando vê uma ração cara. — ele soltou um riso nasal.
-Não quero que ache que estou querendo me aproveitar de você porque tem dinheiro…— voltou a ficar sério.
-Eu sei que não é desse tipo de gente. —segurei seu queixo — Olha pra mim…— ele olhou.
Seus olhos estavam marejados. Taemin estava prendendo seu choro.
-Me perdoe…— fungou — Não posso te amar. Sou tão fracassado que precisei entrar em um emprego, me vestir de mulher e ficar tão parecida com uma que já tentaram até me estuprar. Você não entende, MinHo. Não sou pra você…
-E quem disse isso? — coloquei minha mão no seu rosto — E se eu começar a te amar aqui, nesse momento. E se isso que eu estou sentindo crescer mais que o esperado?! — suas lágrimas já caíam como a correnteza de uma cachoeira.
-Você terá que tirar esse sentimento assim como eu…— pisquei confuso.
Então ele também estava sentindo aquilo…?
-Taemin… Não faça isso comigo. — ele levantou seu rosto para me encarar.
-Podemos ser amigos… — eu neguei — Temos que terminar de arrumar sua casa, hyung. — ele falou com sua voz trêmula.
A noite já tinha chegado e um forte vento gelado entrou pela janela nos atingindo em cheio.
Estávamos com a cabeça baixa.
Minha mãe sempre me ensinou que não podemos deixar a pessoa que despertou um sentimento novo e forte ir embora. E se for amor…? O amor da sua vida.
Entrelaçando minha mão na sua, eu o assustei com a ação inesperada.
Saí do meu lugar enquanto deitava os nossos corpos na grande cama. Taemin me olhava assustado com aquilo. Minha mão entrou por debaixo de sua saia, alisando e apertando suas coxas.
-MinHo… Não… — Tae mordeu seus lábios quando deixei um beijo molhado em seu ombro descoberto.
-Só quero que sinta que meus sentimentos por você são verdadeiros...— montei em seu colo — E nada, nenhuma circunstância impedirá que ele seja interrompido. — sorri para o garoto que me encarava ofegante.
Taemin puxou meu corpo para cima, nossos rostos ficaram muito próximos. Eu ainda podia ver as lágrimas se formando no canto dos seus olhos.
Encaixei nossos lábios lentamente, senti suas mãos apertando minha camisa e puxando mais para ele o meu corpo. Minha língua molhou seus lábios e em segundos estávamos nos chupando com intensidade. Meu corpo rebolava por cima do corpo magro que ele tinha e seus gemidos eram incontroláveis e deliciosos. Ele arrancou minha blusa e alisou meu abdômen que já estava suado pelo calor do momento, meus dedos abaixando as mangas do seu vestido até os seus mamilos ficarem livres. Rosinhas, pequenos e macios. Eu lambia seus biquinhos quando suas unhas arranhavam meus braços, gemia seu nome cada vez que Taemin chocava nossos quadris.
Tudo estava delicioso demais que ignoramos a campainha que tocou por 3, 4 vezes. Não importa. Nossos gemidos eram mais altos.
Levantei a barra de sua saia e chupei sua virilha macia. Deixei grandes chupões vermelhos para marcar o que era meu. Taemin era meu.

M A I D

-Arhm… MinHo, mais forte. Isso…— segurava o seu corpo nu com minhas mãos enquanto batia forte em sua bunda gostosa. Taemin rebolava com o meu membro dentro de si e aquilo estava me enlouquecendo.
Fiquei na mesma posição que ele, mas deitado em suas costas. Minhas mãos foram até o seu pênis, toquei rapidamente enquanto alisava e molhava seu pau com o próprio vestígio de gozo.
-Mete mais, gostoso… - baby pediu com a voz arrastada e rouca.
Com mais força, atingi em sequência sua próstata e sendo inevitável, ele gozou na minha mão. Beijei seu corpo branco e delicioso até me desfazer dentro dele. Arfei quando vi o líquido escorrendo de sua entrada.
Lambi cada gota que saía de lá e virei seu corpo com cuidado.
O mais novo se levantou ficou de joelhos na minha frente. Eu já podia imaginar o que estava por vir.
Taemin segurou meu membro e o colocou em sua deliciosa boca. Ela estava quente e muito molhada.
Ele chupou meu pênis até o de sua garganta e sorriu olhando pra cima quando meu corpo tremeu em suas mãos. Segurei seus cabelos e guiei onde queria ser chupado.
Minhas pernas já estavam moles de tanto prazer. Taemin lambeu a cabeça de meu pênis, estava impossível não pulsar quando sua língua começou passear ali. Uma tortura...
-T-tae... Meu amor... Não me torture assim, baby... — falei sem ar.
-Só um pouco, Minnie... — chupou meu abdômen.
Ele sentou devagar com suas pernas abertas. Era perfeita aquela visão. Taemin com a boca aberta e vermelha de tanto que eu a chupei, seus dentes roçavam nos lábios carnudos e eu lambia os meus olhando aquilo.
Sua entrada engoliu o meu pênis, seu corpo cavalgava em cima do meu corpo.
Taemin gemia olhando pra mim e eu apertava os lençóis com o som das minhas bolas batendo na sua bunda.
-Ahnm... Hyung...! Fode mais...Aish! — gozei pela segunda vez dentro dele.
-Baby... — toquei seu pênis aliviando a tensão de seu membro. Seu corpo caiu ao meu lado.
-Te machuquei…? — ele negou sorrindo e me chamando com os braços.
-Claro que não, meu doce.— deitei com ele em meus braços.
-Não desperdice a chance que temos de viver isso, Tae…
-Não irei, hyung. Será que um dia será capaz de amar sua maid…? — beijei seus lábios enquanto colocava a sua tiara de gatinho.
-Não duvido que isso esteja mais próximo do que imaginamos.

Notas Finais


Gostaram, amores? Kkkkkk
Lemon ficando cada vez mais forte!
TÔ COM VERGONHA ( ._.)
Até a próxima! Bejenhos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...