História Odeio Fanfics 2 - Capítulo 12


Escrita por: ~

Exibições 65
Palavras 826
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Esporte, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Ciao a tutti! 💖



Espero que gostem! Boa leitura!

Capítulo 12 - Ano novo, vida nova!


Fanfic / Fanfiction Odeio Fanfics 2 - Capítulo 12 - Ano novo, vida nova!

Nem acredito que eu e Lapo estamos namorando agora! Mas me parece certo e eu o amo e sei que ele me ama também. Acho que esse é o nosso momento. Sem arrependimentos, sem olhar para trás.

Assim que voltamos de Lisboa, Lapo postou no instagram uma foto nossa. A noticia do nosso relacionamento começou a pipocar na mídia. Não demorou para Gigi me telefonar, indignado.

- VOCÊ ESTÁ COM ESSE CARA? EU NÃO ACREDITO QUE VOCÊ FEZ ISSO!

- Não se mete na minha vida! Você é o pai da minha filha e nosso relacionamento se limita a isso. – eu disse, desligando na cara dele em seguida.

Passei o natal junto com minha mãe, Francesca e a família Allegri em Milão. Na tarde do dia 25 Lapo me levou para conhecer a família dele.

Eu e Lapo viajamos para Dubai para comemorar o ano novo. Ideia dele, viagem surpresa. Nos hospedamos num hotel luxoso e fomos para uma festa cheia de pompa. Lapo é assim, sempre gosta de muito luxo. E eu estou curtindo essa vida nova. Tivemos um ótimo jantar, bebemos uns drinks e então chegou a hora da contagem regressiva.

Da sacada do salão vimos os fogos que iluminavam a cidade inteira, os gritos de Feliz Ano Novo! Seja bem-vindo, 2018!

Lapo me tomou em seus braços e me deu um longo beijo.

- Feliz ano novo, meu amor! – disse Lapo.

- Feliz ano novo, Lapo! – eu disse.

Ficamos mais um tempo curtindo a festa. Eu estava na pista de dança quando Lapo sussurrou no meu ouvido.

- Temos coisas mais interessantes para fazermos no quarto. – disse ele, provocante.

Fomos para o quarto e Lapo rapidamente tirou meu vestido por trás enquanto agarrava meus seios. Eu o puxei pela gravata e o empurrei no sofá. Me ajoelhei sob ele e abaixei a sua calça. Ele enlouqueceu quando sentiu minha boca no seu pau. Sentia-o totalmente enrijecido e pulsante, sentia os espasmos pelo corpo dele. O gosto do seu pré gozo logo veio em minha boca. Nos livramos das vestes que restavam e sentei no seu pau. Ele agarrava meu corpo e eu me movimentava intensamente dentro dele.

Lapo me colocou de quatro e puxava meu cabelo enquanto estocava com força. Ele dava alguns tapas na minha bunda e metia sem dó na minha intimidade. Senti as ondas de prazer aumentando, até chegar ao ápice. Minhas pernas estavam bambas e doloridas com tanta intensidade e atividade, ele parecia não dar descanso. E então senti seu liquido jorrando em mim.

Fomos nos deitar e só acordamos na tarde do dia seguinte. Voltamos para Turim naquela noite.

Naquela semana eu tive a audiência contra a Ilaria. Eu cheguei com meu advogado, e Ilaria estava com o dela.

- Isso que ela fez foi absurdo. Quero indenização! - disse Ilaria.

Passamos horas na audiencia e eu mal entendia a linguagem juridica. Só queria resolver essa merda logo. E então o juiz anunciou finalmente sua decisão.

- A senhorita Lucciola não podera mais citar o nome da senhora D'Amico. O processo se encerra aqui. - disse o juiz.

- Mas e a indenização? - disse Ilaria.

- Não haverá. Não houve dolo. Aquele material é uma brincadeira de internet, se for assim teremos que condenar milhões de pessoas.

Enfim eu estava livre! A decisão foi melhor do que eu esperava.

Ilaria ficou possessa e eu tentei me manter séria. Olhei para ela ironicamente. 

Quando sairmos do local acabamos nos encontrando na saída.

- Eu ainda vou te ferrar, sua vagabunda! - disse Ilaria, histérica.

- Me deixa, vá viver sua vida! Sua Bruxa Velha! - eu disse.

- Você me chamou do que? - disse Ilaria.

- Eu te chamei de bruxa velha! Porque é isso que você é! Você só sabe atormentar a vida dos outros! Para de ser tão escrota! Não sei qual é o teu problema. Só sei que de pessoas como você que quero distância! - falei. 

Meu advogado me puxou e me levou para o carro.

Tinha que me preparar pois nos próximos dias minha amiga Catarina virá para a Itália lançar Meu Querido Professor aqui. E quero dar atenção especial a Cat pois o namoro dela terminou e ela está arrasada. 

Lapo insistiu para que eu o acompanhasse numa viagem a Paris. Eu fui, apesar de não querer deixar Francesca por muito tempo. E quando voltar ainda tem a chegada da Cat!

Lapo e eu fomos jantar num restaurante na Torre Eiffel. Sentia um clima especial no ar. 

Ao final do jantar, ele me olhava emocionado e apaixonado. Qual a dele?

- Emily, ao seu lado eu sinto que finalmente tenho a pessoa certa pra mim, que me ama pelo que sou e que me entende. Já perdi tempo demais contigo. Não quero mais perder tempo, nós não merecemos isso.

E então ele pegou uma caixa e revelou um anel de diamantes. 

- Emily Lucciola, aceita se casar comigo? - disse Lapo.


Notas Finais


O que acharam do capítulo?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...