História Odeio Fanfics! - Capítulo 8


Escrita por: ~

Exibições 206
Palavras 1.228
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Esporte, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Ciao a tutti! 💖


Estou muito feliz com a repercussão! Espero poder continuar com o apoio de vocês!

Perdoem qualquer erro, não tive tempo de revisar.


Espero que gostem! Boa leitura!

Capítulo 8 - Você tá fazendo um jogo comigo, garota?


Fanfic / Fanfiction Odeio Fanfics! - Capítulo 8 - Você tá fazendo um jogo comigo, garota?

- VOCÊ É LOUCA! FICA IGUAL UMA MALUCA COM ESSE PINCEL! – eu disse, com as mãos no rosto.

Meus olhos ardiam muito. Que dor.

- ME PERDOA! VOCÊ É MEU ÍDOLO, EU NÃO TINHA TE VISTO! OH MEU DEUS, É VOCÊ! – ela disse.

Ela correu, se limpou e pegou uma toalha e me entregou.

- Desculpa Gigi, deixa eu te ajudar. Tem uma bica aqui, ó.

Limpei meu rosto na bica, a água ajudou a tirar a tinta e a dor foi passando. Me sequei com a toalha e pude enfim abrir os olhos novamente. Emily me olhava embasbacada, seu olhar estava fixado em mim e ela sorria feito uma boba alegre.

- Moça...

Mas ela não regia, ficava com a mesma cara de apaixonadinha olhando pra mim.

- Moça!

Ela balançou a cabeça e então caiu em si.

- Oi! É um prazer te conhecer! Me perdoa pela tintada na sua cara, eu sou meio desastrada, fiquei assustada quando ouvi o barulho de alguém... – ela dizia, tão rápido que eu as vezes não entendia algumas palavras.

- Está bem, está bem moça.

- Prazer, Emily Lucciola!

E em seguida ela me abraçou, um abraço forte, apertado. Gostei da sensação do corpo dela junto ao meu, sentir seus seios roçando no meu abdômen. E o cheiro dela! Achei que era estaria cheirando a tinta, mas ela tem o cheiro de um perfume agradável, cítrico, acho que é francês... Tá, agora eu percebi que ela não está me soltando e eu também não estou soltando ela porque to gostando dessa gostosinha estar me agarrando. Mas tenho que parar. Fui me soltando aos poucos e ela, percebendo que tinha me abraçado tempo demais, corou.

- Desculpa... – ela disse.

- Tudo bem.

Ela envergonhada é tão linda! A forma como ela desvia o olhar, seu sorriso tímido, seu rosto ficando vermelho. Não pude deixar de sorrir vendo ela assim.

- O que você veio fazer aqui? – ela perguntou.

“Quis ver te perto você, sua maluca obsessiva que escreve coisas doentias e que tá me deixando louco, desajeitado e meio retardado.” Era isso que eu queria dizer, mas não posso. O que eu digo? O tempo está passando, merda!

- Eu... Bem, aqui é uma galeria de arte não é? Vim procurar algo...

- Ah, sim, claro! Óbvio! Que pergunta é essa! – ela disse, novamente com aquele sorriso que me destruía.

Você tá fazendo um jogo comigo, garota?

Reparei num quadro que estava num canto. Era da minha defesa história na final da Copa de 2006.

- Essa pintura! – eu disse.

- Esse momento foi histórico! Eu me lembro como se fosse ontem. Essa defesa me marcou, me tornei sua fã desde então. E então eu tive que registra-la em minha arte. Eu quero que você fique com esse quadro! – ela disse.

Essa me pegou de surpresa.

- Tem certeza?

- Mas é claro! E você não procurava alguma obra de arte? Então! É meu presente pra você! – ela disse me entregando o quadro.

Querida, a obra de arte que mais quero é teu corpo nu! Meu Deus, o que é isso? Eu só deveria ter pensamentos devassos envolvendo minha mulher. Mas essa garota me provoca!

- Muito obrigado! Vou guardar com carinho, vou colocar na parede lá de casa. – eu disse.

E ela sorriu de novo.

- Quer dizer que você é fã de futebol? – eu disse.

- SIM! MUITO! O futebol é importante demais na minha vida! E essa paixão nasceu naquela Copa de 2006. Eu tinha 14 anos e lembro como se fosse ontem. – ela disse.

Começamos a conversar. Ela me contava sobre sua história de vida, desde quando estava no Brasil até a decisão de ir morar na Itália. Ela fez um café delicioso. Eu falava sobre minha carreira, sobre a rotina no time.

Quando dei por mim estava conversando com ela há 3 horas! Olhei o relógio assustado.

- Meu Deus a hora! – eu disse.

- Minha nossa! Tenho que fechar a galeria! Eu estou sozinha hoje, meu patrão está viajando. – ela disse.

Ela começou a organizar as coisas para fechar tudo. Ela corria de um lado para o outro, apresada. E eu apenas a observava. Eu olhava para ela como um animal olha para uma presa. Não posso negar, estou doido pra comer essa mulher! Ela percebeu meu olhar nela e isso deixou ela um tanto quanto intimidada. Eu sabia que mexia com ela. Seus movimentos ficaram desajeitados e ela acabou derrubando vários pinceis.

- Merda!

Ela ia se abaixar para pegar os pinceis, mas eu fui mais rápido e avancei em direção a ela. Agarrei a cintura dela com uma mão e o rosto dela com outra. Meu olhar encarava o dela. Ela me olhava totalmente balançada por mim. A respiração dela estava ofegante. Essa garota é louca por mim! Acho que ela vai ter um troço se eu beijar ela, mas é exatamente isso que eu vou fazer. Avancei com meus lábios em direção a ela. Eu a beijava com tanta intensidade que parecia que queria engoli-la. E ela correspondia tão intensamente quanto. Eu sabia que ela era safada! Agarrei a bunda dela e continuava a beija-la. Até que completamente sem fôlego, tivemos que parar. Ela estava tão balançada com meu beijo que parecia que ia desmaiar.

- O que é isso? – ela disse, um tanto quanto assustada.

- É o que você faz comigo! Você me deixa louco, sabia?

Sem cerimônias, eu levei minha mãe até xota dela, bastou eu toca-la um pouquinho pra sentir ela encharcada. Seus gemidos suaves mexiam comigo. Estou tão acostumado com os gemidos altos e escandalosos da Ilaria que já nem lembrava de reações como essa. É não é que é muito excitante? Tirei a camisa dela e vi que ela é ainda mais gostosa pessoalmente. Ela avançou em minha direção e tirou minha camisa.

Logo nossas roupas tinham ido todas parar no chão. Agarrei ela por trás, coloquei o preservativo e meti sem dó. Ela soltou um gemido alto quando sentiu meu pau dentro dela. A xota dela é tão apertada e gostosinha. Agarrei a bunda dela e ia estocando com força. Sentia ela quase se desequilibrando com tanta pressão. Peguei ela no colo e deitei ela no sofá. Me deitei por cima dela e finalmente olhava nos olhos dela enquanto metia intensamente. Sua expressão de prazer me deixava ainda mais excitado. Ela me envolveu com as pernas e me abraçou. Senti meu corpo colado no dela, o toque da sua pele. Seus espasmos estavam cada mais descontrolados. E então ela gozou e eu gozei ao mesmo tempo.

Alguns segundos respirando fundo bastaram para eu recuperar a fôlego. Logo eu estava de pé e me vestindo.

Não acredito que comi a autora de fanfics comigo! Bem, ela é gostosa, atraente, safada...

Mas agora chega! Acabou a palhaçada. Eu vou expor ela de uma forma que vai deixar a cara dela no chão.

Realizei o sonho dela de comê-la. Ela tem que se sentir sortuda pra caralho de ter pego um homão como eu. Nem sei se ela merecia tamanho privilégio.

Ela ainda estava deitada no sofá, ofegante. Eu já estava completamente vestido e de pé a encarei. Vamos ver como ela vai reagir a essa! Chegou a hora dessa louca se ver comigo!

- E aí, Holly Golightly, vai escrever um hot sobre isso nas suas fanfics?


Notas Finais


O que acharam do capítulo?


Qual será a reação da Emily?


Será que já temos Emigi shippers?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...