História Oh, Baby! || Chanbaek :) - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, Xiumin
Tags Baekhyun, Boyxboy, Chanbaek, Chanyeol, Chen, Daddykink, Exo, Gay, Lemon, Xiuchen, Xiumin, Yaoi
Visualizações 393
Palavras 1.483
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Fluffy, Lemon, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hoje vim aqui compartilhar com vocês, uma foto que uma amiga minha tirou quando eu estava distraída... Minhas amigas já gostam de tirar queima meu hein. Me pergunto se elas manda revelar e peduram na parede pra ficarem me admirando.

Capítulo 17 - Seventeen - Aceita?


Fanfic / Fanfiction Oh, Baby! || Chanbaek :) - Capítulo 17 - Seventeen - Aceita?

P.o.v Chanyeol


Quando eu era criança, eu sempre brincava com meus pais e amigos. Ainda lembro-me que sempre gostei de brincar de "esconde-esconde". Meu appa sempre me achava... Ele era o único que sabia onde eu me escondia, não sei como, mas ele sabia.


Ainda lembro até hoje como era o lugar: cheio de flores, tinha um banco igual aqueles que tem nas praças, uma mesa bem antiga e a noite, dava para ver todo o céu estrelado. 


Mas quando completei meus 14 anos, meus pais começaram a brigar. Eu sempre ia nesse lugar para admirar as estrelas e me acalmar.


Esse lugar era lindo... Eu amava ele. Mas aí, meus pais venderam a casa e eu nunca mais voltei lá.


- Amor? - ah... essa voz tão doce e suave.


- Sim meu amor? - olho para o garoto e sorrio para o mesmo.


- No que tanto pensa? - pegou uma cadeira e colocou em frente a minha mesa. - Não deveria estar corrigindo as provas?


- Já corrigi. Estava lembrando do passado.


- Passado? Ué, lembrando do que?


- De quando eu era criança.


- Você nunca me contou suas histórias do passado. - ele aproximou mais a cadeira da mesa.


- Não é importante.


- Yah! Eu quero saber!


Suspiro.


- Okay. Vou lhe contar.


- Oba! - ele sorri.


                        [...]

- Você ainda lembra onde é essa casa?


- Sim.


- Hoje iremos lá!


- O que? 'Cê 'tá doido? E se nos pegarem?


- Você nunca invandiu uma casa?


- Óbvio que não! Sou professor, tenho que dar exemplo!


Baekhyun começou a rir.


- Do está rindo, pabo?


- De você! C-como nunca invandiu uma casa? Todo mundo já fez isso alguma vez.


- Desculpa se não sou como você.


O sinal tocou.


- Preciso ir. - se levantou e me deu um selinho. - Mais tarde vou lá na sua casa.


- Espera!


- Tchau!


Ele sai da sala e eu suspiro.


- Por que fui me apaixonar por um garoto tão lindo e teimoso?


- Bom dia professor!


- Bom dia, Lisa.


                       [...]


                 P.o.v Baekhyun


- Como assim vocês vão invandir uma casa? - Xiumin me pergunta.


- Ele me disse que queria comprar aquela casa de novo apenas para ver aquele céu. Aí, eu dei a brilhante idéia de invadirmos a casa.


- E ele topou?


- Não! Mas ele não precisa topar, ele vai nem que seja arrastado.


- Senhor Byun, pode calar a boca!?

 

- Desculpa professor. 


                        [...]

                P.o.v Chanyeol


- Baek, eu não vou invandir a casa de ninguém!


- Você não vai roubar nada!


- Mesmo assim! Não vou!


- Então eu vou sozinho!


- O que? 'Tá doido? Lógico que não!


- Você não quer ir comigo!


Suspiro.


- Okay, eu vou. Mas não vamos demorar!


- Oba! - ele sorri.


- Eu já fisse que seu sorriso é lindo?


- O que? Yeol! - ele cora.


- Que fofo! - aperto as bochechas do mais novo e o mesmo faz um bico fofo.


- Yeol! Não sou um bebê.


- É sim! É o meu bebê!


- Isso foi bem gay, amor. - rimos.


- Eu sei.


- Vamos logo!


- Sim senhor. - resmungo.


- 'TU 'TÁ ME CHAMANDO DE VELHO?


- O que? Eu não disse nada, Baek!


- 'TU SE LIGA TIO, SOU MAIS NOVO QUE 'TU, 'TÁ LIGADO?


- Virou traficante agora, Baek?


- Virei 'mermo! Eai? Algum problema?


- Meu Deus... cadê a polícia quando eu preciso?


                       [...]


- E agora? Como vamos entrar? Tem seguranças! - exclamei, aflito.


- Se liga, medroso! - Baek bufou. - Vamos pelos fundos.


- Porra, coitado dos nossos filhos.


- Cala a porra da boca!


                          [...]


- Conseguimos!


Baekhyun me abraça e eu apenas retribuo. 


- Vamos! Me mostre onde é o lugar!


- Tá bom, você que manda.


                    [...]


- Chegamos.


Eu sorrio e assim que olho para o céu, me sento no chão.


- Continua do mesmo jeito...


Olho ao redor do lugar e sorrio mais ao ver o velho banco, ainda da mesma cor. A mesa ao seu lado, com várias folhas sobre si. As árvores começaram a se balançar quando uma leve brisa passou.


Tudo está do mesmo jeito...


- Então? O que achou? Não valeu a pena invardirmos a casa dos outros?


- Sim... Sim valeu! - sorrio. - Oh céus, estou tão feliz.


Baekhyun me abraça.


- Gosto de te ver sorrindo. - ele sussurra e eu apenas rio baixo.


Ele fica feliz por tão pouca coisa... 


- Chany.


- Sim?


- Quando vai me pedir em namoro? - ele me encara.


- Bem lembrado!


Me ajoelho na frente do mais novo e tiro uma caixinha azul do bolso de minha calça jeans, abro a mesma, revelando duas alianças e olho para o menor.


- Byun Baekhyun, meu Baby, meu amorzinho, meu bebê, motivo das minhas punhetas... - ele ri. - Aceita namorar comigo?


- Chanyeol... - ele sussurra.


- Relaxa, não vou brincar com seus sentimentos. Até porque, eu não me apaixonei por você de uma hora para outra. Foi lentamente. Acredite, já teve noites que eu nem dormir pensando em você, eu quero você ao meu lado quando eu for dormir, quero assistir aqueles filmes clichês em um dia frio, 'pra você ficar bem agarradinho a mim, sair com você de mãos dadas e sem aquela coisa de "Daddy e Baby", eu não te quero apenas para me satisfazer sexualmente, eu te quero para me fazer feliz... limpar minhas lágrimas quando eu estiver triste, me abraçar quando eu precisar sentir seu doce perfume e te apertar como um urso de pelúcia... - ele sorri. - Enfim, eu te quero. Relaxa, não é um pedido de casamento, apenas falei o que sinto em relação a você... Então? Aceita? 


Chany?


- Sim?


- Acho melhor irmos, já é duas da manhã.


- Amanhã é sábado, meu amor.


- Vamos logo. Eu ainda quero passar naquelas lojas de conveniências que funcionam 24 horas.


- O que quer comprar?


- Sem perguntas, senhor Park.


- Está com fome?


- Um pouco. Mas não irei comprar apenas comida. Vou comprar outras coisas também.


- Okay então.


[...]


- 'Pra que você quer essas tintas em spray, amor? - pergunto, confuso.


- Eu quero experimentar umas coisas.


- O que já?


- Sem perguntas!


                        [...]


- Pega uma. - me entregou uma tinta spray e eu o olhei confuso.


- 'Pra que isso?


- Hoje nós vamos deixar nossa marca por algumas paredes de Seul.


- O que? Vandalismo é crime!


- Ninguém vai saber quem fez isso!


- Mas Baek! Isso é crime!


- Chanyeol, se você não for fazer, eu vou!


- Yah! Eu vou fazer também!


Andamos mais um pouco e assim que chegamos na frente de uma enorme parede branca, Baekhyun me olhou e sorriu.


- Aqui? - Eu pergunto e ele assente. - Tem que ser o nome todo?


- Claro que não, pabo! Apenas suas iniciais.


- Desculpa se eu nunca pixei [N/A: Não sei se é assim que se escreve.] 


 - Apenas pixa logo!


- Tá, okay.


Tirei a tampa transparente que tinha na lata e joguei a mesma no chão. Respirei fundo sacudi a lata logo começando a pixar a parede, escrevi o nome da minha música favorita "Love Me Love Me" do WINNER. Logo após isso, fiz as minhas iniciais e as do Baekhyun.


Baekhyun, por outro lado, fez um desenho com 4 pessoas. Perguntei a ele o que significava e ele me disse que era nós dois e nossos filhos, não pude evitar de sorrir que nem um bobo apaixonado.

Baekhyun já planejava um futuro para nós e isso acabou por me deixar feliz. Nunca tinha imaginado meu futuro com alguém até ele chegar. 


- Chanyeol, me dá seu celular.


- 'Pra que?


- Só 'pra eu tirar uma foto disso e mostrar para os nossos filhos futuramente.


Sorrio e entrego meu celular para o mais novo. Ele fotografa a parede e sorri com o resultado.


- Ficou linda, amor! - ele diz e eu apenas sorrio. - Vem! Ainda tem outros lugares para irmos!


- Baek, vamos para casa...


- Amanhã é sábado amor, podemos passar o dia dormindo e quando acordarmos, poderemos fazer o nosso papel de sedentários. - rimos.


- Seu preguiçoso!


- Sou 'mermo, por que? Algum problema, moço?


Não! Nenhum senhor Byun.


- Ah bom... Senão você já ia descobrir se um tiro na bunda dói.


- Credo amor... ainda diz que me ama.


- Eu te amo. Mas as vezes não tenho paciência.


- Vamos logo 'pra casa!


[...]

Depois de termos tomado um banho, nos vestido e comermos, fomos nos deitar.


- Hoje foi foda.


- Sem palavrão, senhor Byun!


- Mas é sério! Hoje você me pediu em namoro, no caso, ontem você me pediu em namoro... - ele sorri.


- Eu te amo, meu anjo.


- Eu também te amo. 




Notas Finais


Baek traficante.

Chanyeol romântico.

Pedido de namoro...

Gostaram?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...