História Oh, Marinette - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Miraculous: Tales of Ladybug & Cat Noir (Miraculous Ladybug)
Personagens Adrien Agreste (Cat Noir), Alya, Chloé Bourgeois, Gabriel Agreste, Hawk Moth, Marinette Dupain-Cheng (Ladybug), Nathanaël, Nino, Personagens Originais, Plagg, Sabrina, Tikki
Tags Adrinette, Chat Noir, Ladybug, Marichat, Miraculous
Exibições 464
Palavras 1.554
Terminada Não
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


OLÁ SERESHUMANINHUS
Lá estava eu esperando panqueca chegar quando veio uma idéia linda aqui u-u
Mas como não sou boa com long-fic
Vamo lá né?
E prazer, sou a sua Sis Cat ^-^

BONNE
LECTURE

Capítulo 1 - Único - Oh, Marinette.


Marinette se encontrava como sempre, atrasada.

Na maior pressa que conseguia, ia colocando sua roupa casual, a famosa calça rosa, a blusa branca com rosas desenhadas na mesma, a jaqueta negra de couro e as suas queridas sapatilhas rosas. Enquanto conversava com a pequena joaninha conselheira, Tikki.

- Estou te dizendo Marinette, vá com o seu cabelo solto! - a pequena dizia com sua voz fina e fofa de sempre.

Marinette cansada de ouvir isso de Tikki e sempre negar, decidiu dar um basta na avermelhada.

- Tikki! Eu não vou de cabelo solto. Pode parar de insistir por favor? - a mestiça reclamou, fazendo a pequena desistir.

Terminando de fazer suas casuais chuquinhas, com os novos laços vermelhos com bolinhas pretas.

Pegou a mochila rosa confirmando não ter esquecido o dever de matemática.

Desceu as escadas brancas brutalmente em passos largos. Rapidamente ela deu um tchau único para Sabine e Tom, seus pais.

Já em outro lado, um certo loiro estava querendo evitar levantar da confortável e gigante cama que o mesmo dormia todas as noites.

As olheiras eram visíveis e os olhos brilhantes de encontravam em tons vermelhos, aparentava ter chorado.

Natalie já havia entrado ali três vezes avisando à Adrien que estava se atrasando.

Mesmo não querendo, tinha de comparecer na escola, caso contrário, o próprio pai faria-o levantar dali e se arrumar, e não seria bom.

Em lentidão e preguiça, ele se levantou, fazendo sentar na cama. Os belos cabelos loiros se encontravam bagunçados, muito bagunçados.

Natalie pela quarta vez entrou no quarto, o garoto estava ficando estressado com a mulher.

- Adrien, só faltam 5 minutos, se apresse. - as palavras da assistente saíram frias. O que não surpreendeu o rapaz.

Levantou o corpo deixando-o de pé, tentando se apressar, mas sem sucesso. Decidiu que não iria lavar o rosto, pois o garoto não se lembrou, a sua última noite havia sido tão... surpreendente.

Na escola, a mestiça já havia chegado, e se aliviou ao saber que 5 minutos lhe restavam, o que para sua melhor amiga Alya, era suficiene para contar-lhe todas as fofocas.

Mesmo ouvindo a conversa da morena, Adrien havia invadido seus pensamentos, o garoto que tem queda desde o início do ano.

A limousine do modelo estacionou em frente ao colégio. Chamando atenção de todos, incluindo de duas garotas, a mestiça apaixonada e a loira oxigenada.

A porta foi aberta pelo segurança, que sempre mantinha o rosto fechado e frio. E daquele carro, saiu o modelo que era amado por grande parte de toda Paris, a cidade da moda.

- ADRIKINS!!! - a voz irritante de Chloé pôde ser ouvida de longe. Dando mais motivos para o loiro ter dor de cabeça.

Ela logo se agarrou no pescoço de Adrien, dando beijos na bochecha e abraços desconfortante.

Natalie olhou discretamente para o "casal" com nojo pensando que Adrien não possuía bom gosto.

Mas ele possuía sim, um bom gosto tão grande que sua amada é a famosa heroína de Paris, Ladybug.

A azulada sentiu o rosto ser tomado por um rubor, era seu ciúmes atacando. Mas logo o loiro se libertou dos braços da oxigenada e veio até o grupo, Alya, Nino e Marinette.

O grupo se assustou, principalmente Marinette, as olheiras estavam assustadoras para os amigos.

- A-Adrien, v-voc-cê dorm-miu bem?

Nem Marinette sabia da onde havia tirado coragem para perguntar a Adrien sobre.

- Infelizmente não Marinette, obrigado por se preocupar! - o rapaz disse quase dormindo em pé.

Por um momento Marinette se sentiu feliz, por ser a primeira a se preocupar com quem ela mais amava.

Aquele sinal irritante foi tocado, avisando o início da primeira aula. O grupo logo se direcionou para a sua suposta sala.

E novamente na aula inteira, Adrien estava quase dormindo ali mesmo. Quando a professora percebeu o sono, ficou irritada, não aceitava que ninguém dormisse na sua sala, bom... não hoje.

- Adrien Agreste! - o loiro logo despertou pela voz da professora Bustier - O sono deve estar bom, certo?

Adrien se sentiu humilhado na frente da sala, porém para sua salvação, ninguém riu. Pois todos os parceiros de aula haviam visto seu estado.

- E-Eu sinto muito Srta. Bustier!

A voz rouca do rapaz demonstrava cansaço, a necessidade de cair em uma cama confortável e dormir por horas era grande dele. Para Marinette.

Mas não era isso, era outra coisa que o loiro precisava urgente, era de um ombro amigo. Um ombro que não se importasse com a situação, e sim com o loiro com orbes verde-esmeralda.

A aula passou devagar, o que parecia ruim, e era ruim.

O loiro estava desesperado para encontrar alguém e desabafar. Deixar tudo cair. Seu peso que estava dentro da consciência do loiro queria sair.

Após o término da aula, o grupo decidiu que iria lanchar na padaria dos pais de Marinette.

Todos os alunos já haviam ido, só duas pessoas se encontravam ali, Adrien e Marinette.

Após terminar de arrumar a bolsa rosa, Marinette foi ter com o loiro.

- Adrien? - ele logo encarou a mestiça de orbes azuis-oceano, o que fez lembrar de sua Lady - Você está bem mesmo?

A pontada de felicidade cresceu em Adrien, a sua amiga de sala se preocupava. Principalmente com ele.

- Marinette... eu posso... - ele tomou uma decisão inteligente, pois a mestiça era uma menina muito solidária e parceira. - ...desabafar?

A menina gelou, mas não por ouvir os problemas de seu amor e sim por ver que ele estava com problemas.

- C-C-Clar-ro!

Eles se sentaram em um dos bancos da sala, e Adrien jogou a cabeça no peitoral de Marinette, deixando lágrimas escaparem.

- Oh Marinette. - ele soluçava, o problema era muito grave. - Eu estou com muitos problemas em casa, meu pai está se afastando cada vez mais. Eu ando tendo muitos compromissos, e eu já pedi para ele diminiur, mas ele não me ouve. E ainda tem a questão da pessoa...que eu amo, ela simplesmente me joga fora.

Ele chorava demais, a blusa de uma certa azulada se encontrava total molhada.

A pessoa...que eu amo, ela simplesmente me joga fora.

Essa frase deu duas emoções para a mestiça, tristeza e raiva.

A tristeza por três motivos:

Pelo Adrien estar sofrendo tudo isso em só um momento.

Pelo Adrien amar outra pessoa.

E por ela não sofrer isso no lugar dele, ou junto com ele.

E raiva por um único motivo.

A pessoa que ele ama, jogá-lo fora.

Isso subiu na cabeça de Marinette e se manifestou

- Adrien, e-eu sinto muito... - ela gaguejou, como sempre - E sabe...você poderia tentar conversar com seu pai, ter uma conversa séria. Ele tem que ouvir, esse é um trabalho real de pai. E a questão do seu amor, deixe para lá, esqueça, se ela não te nota, com certeza outra pessoa vai notar.

Nessas palavras de "conselheira do amor", ela refletiu a si mesma. Adrien nunca havia notado o amor da mestiça, mesmo que algumas vezes ela tentava se confessar. Por que ela ainda estaria lutando? Lutando por alguém que não te ama?

Já na consciência do loiro, ele estava cheio de dúvidas. Ladybug nunca havia retribuído seu amor, por que ele ainda insiste em flertá-la? Com certeza ele decidiria que não amaria ela mais.

- Oh, Marinette - o loiro tomou a mestiça em seus braços, fazendo um abraço confortável - Muito obrigado mesmo. Você é a melhor pessoa que eu conheci.
Agora literalmente, era impossível não amar aquele garoto.

- Estarei aqui sempre que precisar! - ela sorriu serena.

Ambos levantaram e saíram da sala, ele estava muito melhor. As olheiras haviam sumido, os olhos deixando de ser vermelhos.

{~}

No término da aula, Adrien estava esperando a limousine, apressado para falar com o pai.

Uma certa mestiça viu a empolgação em seu olhar. Parecendo uma criança prestes a ganhar um brinquedo novo.

- A-Adrien - ela iniciou, tomando a atenção do loiro - sempre q-que prec-cis-sar c-onver-s-sar, e-eu est-tarei aqui.

Em impulso, o loiro segurou a cintura fina da mestiça e selou os lábios da mesma com os dele. Um beijo amoroso, como se dependesee de um beijo para viver, os lábios da mestiça tinham gosto de morango.

Isso surpreendeu a todos, e se aliviaram por Chloé já ter ido embora.

Se separaram pela falta de ar. Uma azulada agora poderia se camuflar de Ladybug.

{~}

A mestiça se encontrava no quarto. Pensando sobre o beijo. Pensando sobre os problemas. Pensando sobre Adrien.

Quanto aquele modelo mexia tanto com a cabeça da azulada? Ninguém sabia, mas era bastante.

Ela foi tomada por um outro beijo. Era Chat Noir.

Ela deu um pulo de susto, o que fez o gato rir.

- Quem te deu permissão mon petit chaton?

- Eu mesmo My Princess. - os dois riram com o comentário.

- Como entrou aqui?

- Poxa, a janela estava aberta. Pode parar de perguntar, quero meu beijo de novo.

Logo ele deu um selinho rápido nela. Sentindo o gosto de chocolate, que antes era de morango.

- Bom, tenho que ir My Princess, prometo que volto hoje à noite.

- Esperarei por você, mon chaton.

Ele logo saiu.

Já pulando de prédio em prédio. O gato negro herói de Paris pensava em Marinette...

.
Ele havia decidido quem realmente amaria.


Notas Finais


ESPERO QUE TENHAUM GOXTADO

POR QUÊ EU TO AGITADA?
ONTEM EU VI O FILME DA KÉFERA GENT

AIIH MEU KOKORO

Comentem o que acharam ^-^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...