História Oh My Sweet Girl - Capítulo 26


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Elychanx, Fanfic, Jungkook
Visualizações 230
Palavras 1.815
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Fluffy, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hello, cambada!

Eu ia att ontem mas não tive tempo, sem contar que os meus dias com internet estão quase acabando. Internet agora só o outro mês, se eu demorar pra postar o próximo é pq a NET acabou, mas não se preocupem; em breve eu voltarei para atualizar OMSG e ODP(O Desafio Perfeito: a nova fic de crossover)

(Leiam as notas finais)

Capítulo 26 - Passe a noite aqui


{Sanhi Mikoto ON}

Por um momento eu achei que talvez estivesse sonhado, que Jungkook fosse apenas uma ilusão da cabeça, mas não, eu não estava tendo nenhum tipo de sonho, tudo foi muito real, tão real que pude sentir o calor dele passando para meu corpo e os seus lábios saborosos de encontro com os meus, nossas línguas se movendo em sincronia e a nossa mais pura troca de saliva na boca, suas mãos em minha cintura e os meus dedos entrelaçados nos fios de cabelos de sua nuca. Fora o suficiente para eu perceber o quanto eu sentir falta de seus toques em meu corpo e o seu delicioso gosto de morango em sua boca.

Não, não é um sonho, é realidade! Ele está mesmo aqui! Está me beijando! É ele mesmo!

Eu não estou sonhado coisa nenhuma, é mesmo Jeon Jungkook beijando-me atrevidamente e sem permissão. Eu tentei resistir, tentei me pronunciar, mas as palavras que saíam eram apenas palavras sem sentido e dificultosas. Meu corpo ainda se encontra em total paralisia, o que apenas se move são os meus lábios conectados nos dele, eu não consigo nem ao menos me desprender dele, parece ser um gosto viciante e difícil de largar, como uma das piores drogas do mundo, e eu sou a viciada e necessitada dessa maldita droga chamada Jeon Jungkook.

Percebendo o erro que estou fazendo, ponho minhas duas mãos sobre o peitoral de Jungkook e o empurro usando toda a força que tenho afastando-o o mais longe o possível de mim, e voltando em plena consciência de meus atos e fragilidade repentina. Como eu sou burra de deixar esse idiota me beijar a hora que ele quiser.

- Sanhi nós dois precisamos conversar. - Ele diz recuperando o fôlego e segurando o meu pulso para evitar que eu o empurrasse novamente.

O brilho nos seus olhos mostra o quanto está feliz por te conseguido apenas um beijo meu. Tão cínico!

- Eu não tenho nada para conversar com você. - Falo com uma voz calma e uma expressão irritadiça, afastando-me dele e ignorando a sua presença no ponto de ônibus.

Será que esse idiota não entendeu tudo que eu disse para ele? Eu deixei bem claro que nunca mais o veria ou queria vê-lo, será que ele é surdo ou o que? Algum tipo de masoquista que gosta de ser humilhado?!

- Eu já imaginária que você me rejeitaria. - Suspira calmamente, colocando-se ao meu lado e olhando para a chuva cair grossa e se diminuindo, até parar e começar a cair somente um sereno fraco da noite.

Abro o guarda-chuva outra vez o sacudindo e saindo do ponto de ônibus, caminhado pela rua deserta e sem pessoas transitando, devido ao sereno e a pouco iluminação na rua. Jungkook me segui mas eu não dou a mínima para ele, continuando a caminhar, fazendo de conta que ele não está perto de mim ou gritando meu nome para eu virar e olhá-lo repetidamente, até que eu cedesse suas vontades - coisa que não irei fazer de jeito algum -, pois se ele acha isso está muito enganado.

Se bem que não é nada ruim ver o Jungkook se humilhando e gritando feito um garotinho, vamos deixá-lo se humilhar mais um pouquinho até que eu tome a decisão de aceitar a conversar com ele, aliás… Ele merece sofrer mais do que está sofrendo agora.

Paro em frente a minha casa, pegando as chaves nos bolso traseiro da calça e girando a maçaneta para abrir a porta, num instante sinto uma culpa e insegurança imensa em continuar a ignorar Jungkook e o deixar do lado de fora, ainda por cima na chuva que acabara de se aumentar novamente. Por um triz eu quase o olho, no entanto volta a realidade, fechando o guarda chuva e entrando na casa, fechando a porta em seguida, esquecendo do garoto lá fora.

Vou em direção a cozinha em busca de achar qualquer tipo de comida na geladeira e matar a minha enorme fome. Ao abrir a porta da geladeira encontro um bilhete pendurado e escrito algo nele, o retiro da mesma e começo a ler o pequeno bilhete em minhas mãos atentamente.

“Filha eu e seu irmão precisamos sair para ir visitar sua Tia que acaba de dar a luz ontem, iremos passar a noite na hospital e lhe fazer companhia. Espero que fique bem! Bjs!” Papai Park Shiyou.

Que Tia é essa? Eu não devo ter a conhecido no dia em que fui conhecer meus parentes daqui da Coréia do sul, pelo menos eu fiquei feliz em saber que ganhei um priminho ou priminha que também não conheço mas pretendo conhecer.

- É garota, somos só eu e você. - Digo olhando para Celly deitada em cima do tapete da cozinha próxima a pia e descansando com a sua enorme língua para fora.

O animal se levanta e começa a latir para mim tentando avisar algo, Celly sai correndo rapidamente da cozinha e eu a sigo até a porta, ela faz aquela típica carinha irresistível pedindo para que abrisse a porta para ela. Talvez ela quer fazer suas necessidades, mas nessa chuva? Celly é uma cachorra adestrada, animais adestrados costumam avisar o que querem.

Vamos Sanhi não seja malvada, abra a porta e espere até ela acabar o que tanto quer fazer.

Abro a porta me deparando com Jungkook todo molhado e… Cantando em inglês, o descarado esboça um sorriso continuando a cantar a linda canção de idioma estrangeiro.

- Então isso que você queria né? - Pergunto a Celly. - Traidora. - Faço uma cara de decepção.

Suspiro cruzando meus braços e observando o garoto encerrando a música, permanecendo a entrada e esperando que eu o deixasse entrar.

- Ok você venceu Jungkook, entra logo antes que eu me arrependa! - Abro um certo espaço para ele entrar, mas o garoto não se move parecendo estar imóvel e pensativo com alguma coisa.

No que ele está pesando? Ah se eu lesse pensamentos seria mais fácil de compreendê-lo, Jungkook é um garoto que desperta aquela curiosidade em saber absolutamente tudo dele, o seu modo bipolar de agir, até mesmo este sorriso indecifrável dele. Felizmente eu já sei de certas coisas dele, porém o que me deixa curiosa é em saber o que se passa na cabeça desse garoto complicado.

Odeio em admitir a grande merda que vou dizer agora; eu sentir falta dele! Muita falta, esses dois meses longe me fizeram bem, mas também me torturam em ficar tanto tempo sem ver o Jungkook.

Trouxisse é a segunda nova palavra do meu vocabulário. Onde está o Dake para me dar um beslicão quando eu preciso?

- Vai continuar ai parado feito um poste? - Pergunto em voz alta acordando o garoto do transe, vendo-a entrar e fechar a porta para mim. Menos mal, me cansei de abrir e fecha essa merda de porta.

- Bonita casa. - Elogia fitando cada canto da casa.

- Obrigada. - Dou de ombros.

Meus olhos vão de encontro para Jungkook retirando o seu casaco e mostrando a sua camisa branca regata completamente encharcada junto a calça, exibindo o abdômen perfeitamente definido e os braços fortes. Mordo o lábio inferior discretamente, evitando que os pensamentos impuros chegassem a mente.

- Você está muito encharcado, se continuar assim pode acaba pegando um resfriado ou uma gripe.

- Está preocupada? - Abri um sorriso de convencimento, porém eu faço questão de desfazer este sorriso.

- Não seu idiota, eu só disse isso para te prevenir. - Falo friamente, notando a perplexidade em Jungkook. Parece até que trocamos os papéis.

- Uau, você está igualzinha a mim quando você você conheceu, pois eu também mudei, se você percebeu. - Se inclina pra frente arrumando um mecha do meu cabelo. Jungkook e sua mania insuportável.

O impeço de tocar em um sequer fio de cabelo meu, mantendo-me em alguns centímetros de distância deste.

- Não te dei essa liberdade pra tocar no meu cabelo. - Esbravejo lhe queimando com o meu olhar frio e sem brilho sobre ele.

Ele ergue suas duas mãos num modo de defesa pedindo desculpas e rindo soprado. Deixo Jungkook na sala e subo as escadas indo diretamente ao quarto de meu pai pegar uma calça jeans e uma camiseta emprestada para que Jungkook vestisse, vou para meu quarto e também pego minha toalha para ele se secar, me certifico de não ter esquecido nada e volto para sala, percebendo que Jungkook já conseguiu conquistar a amizade de Celly facilmente.

Ele está mesmo mudado, o Jungkook de antes nem ria assim como estar rindo agora. Fico feliz em saber que este Jungkook é completamente diferente do Jungkook de antes.

- A sua fera é um amor de animal. - Ergue-se pondo-se de pé, passando as mãos pelos seus cabelos molhados e sorrindo calmamente.

Por que ele tem que ficar tão sexy desse jeito? As vezes dar uma vontade de quebrar os muros nos separando e me entregar pra ele mais uma vez deixando eu me levar pelos seus encantos joviais.

- Tira essas roupas molhadas e vista essas. E o nome dela é Celly e não fera. - Jogo as roupas e a toalha na sua direção, o mesmo apara, analisando peça por peça de roupa de cenho levemente franzido.

- Tirar? - Sorri malicioso. - Ok!

Esses sorrisos maliciosos… o que esse descarado pretende?

Desconsiderando a minha ausência, primeiro Jungkook tira a camisa e depois a calça ficando só de cueca na minha frente, sinto minhas bochechas corarem violentamente observando toda a cena de tiração de roupa. O rapaz vesti a camiseta prendendo uns três botões da camiseta para mostrar livremente o abs malhado e puxando as mangas da mesma, desnudando os braços musculosos, após vestir a camiseta, Jungkook vesti a calça, e por fim seca as partes molhadas de seu corpo me fazendo ficar mais excitada do que já estou.

Então era isso que esse safado pretendia; trocar de roupa na minha frente e provocar essas sensações inapropriadas em mim. É claro que ele sabia que eu iria sentir isso, Jeon Jungkook sabe bem como deixar uma mulher excitada. Tão excitada que estou prestes a ir trocar de calcinha, esse idiota!

- Está me encarando assim por que? Quer me estuprar? - Pergunta sarcástico me entregando a suas roupas molhadas e sorrindo com um de seus sorrisos audaciosos.

- Ha, ha, ha. Muito engraçado, Jeon Jungkook. - Pego as roupas de suas mãos grosseiramente.

Olho para a janela de vidro aberta, reparando a chuva forte cair ao lado de fora. Acho que terei que tomar essa decisão.

- Jungkook-ah…

- Hã? - Responde fechando o sorriso, e tomando posse de um semblante sério e preocupante.

- Está chovendo muito lá fora e… - Mordo o lábio fazendo uma breve pausa até continua de novo, enquanto Jungkook permanece atento. - Terá que passar a noite aqui.

Não demora muito para ele sorri alegremente como se tivesse acabado de ganhar o melhor presente do mundo e compartilha a sua alegria satisfatória comigo. Só uma noite, o que de grave pode acontecer? Nada! Não vou facilitar para esse idiota convencido. De jeito nenhum.


Notas Finais


Nova fanfic:

Sinopse

Doce e gentil é o que não faz parte dele, Park Jimin está mais para amargo, arrogante e frio. Vamos ver o que acontece quando Tzuyu decide se aproximar dele para cumprir um desafio posto por seus amigos. Será que esta garota tornará-se capaz de mudar a personalidade de Jimin? Ou pode nascer um sentimento inesperado no meio de tudo isso?

Link; https://spiritfanfics.com/historia/o-desafio-perfeito-9033984

Celly o cupido
Jungkook o stripper
Sanhi a tarada


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...