História Oh we're in love, aren't we? - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Rizzoli & Isles
Tags Amizade, Rizzles, Rizzoli & Isles, Romance
Visualizações 34
Palavras 1.003
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Romance e Novela

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Demorou um pouco, mas saiu, haha... Capítulo novinho para vocês!

Capítulo 3 - Por nada, e nem por ninguém.


Abri os olhos e senti uma dor de cabeça horrível, provavelmente resultado de uma noite mal dormida, pois demorei pra pegar no sono e quando finalmente consegui, acordei várias vezes durante a madrugada.

Me sentei na cama e fiquei encarando o chão por alguns minutos, pensando novamente em Maura.

São tantas perguntas que me faço agora, que simplesmente não sou capaz de responder todas. Sei apenas sentir...

Balancei a cabeça e apertei os olhos, na tentativa de me livrar desses pensamentos.

Vou até o banho. Quando saio escolho um dos meus únicos terninhos básicos de sempre, me visto e vou em direção ao corredor para pegar comida de Jo Friday, que pula e corre de um lado para o outro impacientemente, me avisando que está com fome.

Coloco a comida dela, pego o restante das minhas coisas, saindo logo em seguida.

No caminho o trânsito estava péssimo, fazendo eu me estressar e consequentemente minha dor de cabeça piorar.

Depois de alguns longos minutos, finalmente chego ao departamento, estaciono meu carro e vou em direção ao café.

Quando entro, logo vejo Maura sentada em uma mesa, impecável como sempre. Ao me ver, ela imediatamente sorri.

Vou até ela e me sento.

“Bom dia”.

“Bom dia, Jane. Está tudo bem? Suas olheiras estão péssimas”.

“Eu sei... É que quase não dormi essa noite e agora além das olheiras ganhei também uma dor de cabeça”.

“O que houve? Anda preocupada com alguma coisa?”.

“Nada, apenas preocupação com o trabalho”. Odeio mentir, ainda mais se for para Maura. Mas, também não posso falar que ando perdendo o sono por causa dela e desse tal encontro com o antigo amigo da faculdade.

“Jane, preciso te contar algo...”. Ouvir essa frase me fez sentir um leve frio na barriga e o meu coração acelerar. Não vou mentir, às vezes, Maura me causa esses sentimentos.

Balancei a cabeça positivamente para que ela continuasse.

“Então, é... ann... Como eu tinha dito, eu estava saindo com aquele meu amigo da faculdade, o nome dele é Adam. Ontem ele me pediu em namoro e eu aceitei.”

Após essa frase, foi como se o mundo estivesse desabado sobre minha cabeça. Senti uma dor por dentro... Um aperto no peito. É como se eu estivesse prestes a perder Maura, a minha Maura. E eu jamais conseguiria viver sem ela, pois eu a amo, eu estou apaixonada pela minha melhor amiga.

Me senti nervosa novamente, com um frio na barriga após dizer essa frase para eu mesma, dei um leve suspiro e voltei meus olhos para Maura, que me olhava com um ar de tensão e curiosidade.

“ Maur... É isso mesmo que você quer? Você está feliz com isso?”.

“Bom, eu acho que sim. Quer dizer, claro, estou feliz. Mas, é que eu... Eu... Eu queria saber o que você acha”. Percebi um certo desconforto em sua voz.

“O que? Sobre seu namoro? Maura, você não precisa da minha aprovação ou saber o que eu acho sobre isso. Você é uma mulher adulta, e isso não depende de mim, e sim do seu querer. São os seus sentimentos. ”.

Ela pegou na minha mão e olhou fixamente em meus olhos.

“Jane, você é extremamente importante na minha vida. E tenho medo de que isso afete a nossa amizade. Talvez no distancie, sei lá... Mas é que eu nunca, jamais colocaria a nossa amizade em risco. Por nada, e nem por ninguém”.  Meu coração acelerou com essa declaração.

“Woow, Maur... Eu nem sei o que falar. Mas, olha, eu jamais vou me distanciar de você, por motivo algum”.

“Jay, eu amo você! Obrigada por ser a melhor amiga do mundo”.

“Eu te amo também, Maur. E você é muito importante para mim, muito mesmo”.

Estávamos nos encarando, de mãos dadas e sorrindo... Ah, eu poderia ficar assim o resto da minha vida, apenas olhando para os lindos olhos verdes de Maura.  Até que...

“Bom dia, meninas. Vão querer o que?”.

Fomos interrompidas pela minha mãe, nos fazendo sair daquele clima e também ficarmos um pouco constrangidas.

“Bom, eu acho que vou indo para a minha sala”. Maura rapidamente retirou as mãos de cima das minhas.

“Bom dia, Ma. Vou querer um café duplo, por favor. E provavelmente vou precisar de vários hoje”.

“Jane, cafeína ingerida em grandes quantidades podem causar efeitos perigosos, como...”.

“Eu sei, mas preciso dela para me manter de pé após a péssima noite de sono que tive”. A interrompi.

Ela sorriu e balançou levemente a cabeça em reprovação para a minha teimosia.

“Tchau, garotas. Eu realmente preciso ir para a minha sala. Até mais!”. Ela se levantou e saiu andando pelo corredor, enquanto eu e minha mãe a observava.

“Ela parece feliz com o namoro”.

“An? Então você já sabe sobre o namoro dela, Ma?”.

“Sim, ela me contou um pouco antes de você chegar. E sabe o que eu acho? Que você devia fazer o mesmo! Janie, você precisa de alguém”.

“Não, Ma obrigada! Eu estou bem assim”. Eu disse enquanto revirava os olhos em reprovação.

Ela virou as costas e logo trouxe o meu café, eu o peguei e fui até a minha sala para mais um dia monótono de trabalho.

No fim do dia, meu celular vibra, era uma mensagem de Maura.

M: Janta comigo hoje?

J: Claro! Na minha casa ou na sua?

M: Na minha. Vou cozinhar para você.

J: Humm, que ótimo! Até daqui a pouco então.

M: Até!

Sorri, peguei meu casaco, fui para minha casa tomar um banho e logo em seguida dirigi meu carro até a casa de Maura, que não ficava muito longe da minha.

Durante o caminho eu só conseguia pensar em uma coisa... O misto de felicidade e angustia que eu estava sentindo.

Maura dizendo todas aquelas coisas hoje de manhã me alegra, porém agora tem o fato de que ela está namorando esse tal de Adam.

O amaldiçoei mentalmente, enquanto estacionava o carro em frente a casa de Maura. Desci e andei até a porta, onde toquei a campainha.


Notas Finais


Obrigada por ler!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...