História Ohne Dich (Lysandre) - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Castiel, Charlotte, Dajan, Dakota, Iris, Kentin, Kim, Leigh, Li, Lysandre, Melody, Nathaniel, Personagens Originais, Priya, Professor Faraize, Professora Delanay, Rosalya, Senhora Shermansky, Violette
Tags Amor Doce, Docete, Drama, Lysandre, Tragedia
Exibições 132
Palavras 1.194
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Festa, Fluffy, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá!! Bem... Esse é minha terceira fanfic amor doce!! Espero que gostem. Link das outras nas notas finais.

Capítulo 1 - Início


 O Sol diz adeus por detrás das montanhas à oeste dando lugar à linda lua minguante. De todas as fases da lua, essa é a que mais me impressiona, não sei o motivo.

 Dei um gole no meu chá de camomila, ainda olhando para o pôr-do-sol. Estou na sacada do meu quarto, usando um vestido azul Caribe e o cabelo prateado com reflexos verde solto balançando conforme a brisa do vento. Seria ótimo se todos os dias fossem como esse: nem frio e nem calor, dias como esse chamam minha atenção.

 Meus pais estão sempre viajando por causa do trabalho, os dois trabalham com a mesma coisa então estão sempre juntos. A maior parte dos meses eu fico sozinha, eles voltam mas ficam somente algumas semanas ou somente dias, é difícil e ruim, às vezes me sinto sozinha, mas me acostumei.

 Antes de meus pais viajarem novamente, eles me mudaram de escola. Fui transferida para Sweet Amoris, várias pessoas dizem que a escola é ótima. Amanhã é meu primeiro dia lá, o primeiro dia de aula do ano. Não estou com medo, aliás... Por que ter medo de uma escola nova?

 Terminei o chá e fui para a cozinha, lavei a xícara e a guardei no armário da cozinha, fui para o banheiro e tomei um banho quente.

 Meus pais tem uma casa fora da cidade, em um local sem muita habitação, mas perto do centro daqui, eu tinha um amigo que morava perto da outra casa, mas nunca mais o vi desde que eu tinha uns dez anos, porque vim pra cá depois que meus pais conseguiram o emprego. Não lembro muito do rosto do garoto e nem do nome, eu fui burra em não manter contato com ele.

 Saí do banho e vesti meu pijama branco com ursinhos segurando uma lua, sequei o cabelo com um secador e depois deitei na cama. Olhei para o teto e sussurrei para meus pais:

 - Boa noite... - adormeci.

 No outro dia acordei com o barulho insuportável de meu celular, desliguei o despertador e levantei com muita preguiça. Escolhi uma roupa e tomei banho, vesti uma camiseta de manga curta preta solta sem estampa, uma calça jeans azul escura e uma sapatilha preta, deixei o cabelo solto se ondular em meus ombros, passei uma leve maquiagem no rosto e desci as escadas até a cozinha. Preparei uma torrada com suco de limão - meu favorito - e comi calmamente. Arrumei minha mochila e fui para a escola.

 Assim que cheguei lá entrei pelo portão, olhei para todos os lados vendo os grupos de pessoas divididos entre os populares, os nerds, os ignorados, góticos e os que não se importam com grupos, sou esse tipo de pessoa: que não se importa.

 Se classificar por grupos e não poder manter contato com pessoas de outros é ridículo em minha opinião, mas...

 - Bem vida à Sweet Amoris, America - diz a mulher com cabelo grisalho preso em um coque. A diretora.

 - Obrigada...

 - Bem, você vai precisar de algumas coisinhas. Fale com o Nathaniel, ele está no Grêmio - a senhora disse e me guiou até a sala deixando-me sozinha ali.

 Bati três vezes na porta, um garoto loiro a abriu e acenou com a cabeça para que eu entrasse.

 - Olá, bem vinda...

 - America.

 - Sou Nathaniel. Bem, fique aqui - ele disse e saiu da sala, o obedeci e esperei. Ele voltou com uma folha e me entregou. - São os horários, tudo o que precisa está ai.

 - Obrigada, você é o representante de turma? - Perguntei já sabendo a resposta.

 - Sim, como sabe? - Ele sorriu.

 - Imaginei. Na minha antiga escola era assim...

 - Ah, claro. Eu já devia imaginar.

 Saí da sala após me despedir. Vi que um grupo de alunos cochichavam e olhavam para mim ao mesmo tempo.

 Se estão falando sobre mim, poderiam ser mais discreto, não?

 Olhei na folha e depois procurei por meu armário, assim que o achei coloquei algumas coisas ali.

 - E então... - disse um garoto loiro, mas não era o representante, ele usa roupas um pouco chamativas e tem tatuagens no braço depois que eu fechei o armário.

 - Que susto! - Coloquei a mão no coração.

 - Calma, não sou feio - ele disse com um sorriso debochado. - Sou Dakota, mas... Dake.

 - Oi, sou America - sorri gentilmente.

 Olhei para os lados e notei que o grupo que estava falando de mim estavam nos olhando com uma expressão incrédula.

 Voltei a minha atenção a Dake.

 - Oi. Espero ter conquistado a sua amizade - um sorriso maroto surgiu em seus lábios.

 - Não te conheço, mas... Talvez, quem sabe - eu disse e ele piscou para mim e depois saiu.

 Fiquei parada em frente ao meu armário. Fazer amigos ali talvez seja fácil.

 - Sério, não caia na conversa dele - uma garota de cabelo branco segurou meu braço quando eu passei pelo grupinho.

 - Por que?

 Todos me olharam.

 - Você não notou aquele sorriso? - A garota disse ainda segurando meu braço. - Ele é um imbecil.

 - E quem é você pra falar das pessoas que me envolvo? - Puxei meu braço bruscamente.

 - Rosalya. Olha. Nós aqui - gesticulou para as pessoas do grupo incluindo ela. - Sabemos bem como aquela figura é.

 - Você vai se arrepender de fazer amizade. Se não se apaixonar - disse um garoto com roupas chamativas e cabelo azul.

 - E por que estão dizendo isso? - Fiz uma expressão confusa.

 - Escute: ele é pegador e você só vai se iludir. Tem amigos mais verdadeiros aqui do que lá - Rosalya sorriu.

 - Está bem... - Eu disse convencida.

 - Está bem, deixe-me lhe apresentar as pessoas. - Rosalya disse. - Os irmãos Alexy e Armin, Castiel, Ken... Tem um que ainda não chegou.

 Ela explicou apontando para cada um. Tive uma leve impressão que Alexy e Armin são gêmeos...

 - Sou America - sorri para eles que retribuiram, exceto o garoto que parece um tomate. - Me desculpe por ter falado com você daquele jeito... - Eu disse em tom mais baixo para somente ela ouvir.

 - Não tem problemas, eu entendo. Você  não o conhece e não queria que ninguém se metesse - ela diz séria, mas depois ri e eu também.

 O sinal toca.

 - Deixe-me ver isso aqui - Armin pegou a folha de minhas mãos. - Você será nossa colega.

 Rosalya e seus amigos me acompanharam até a sala, sentei na frente de Rosalya, na segunda mesa da segunda fileira perto da porta.

 Um garoto entra atrasado na sala quando todos estavam já em seus lugares, todos o olharam e o professor ainda não havia chegado. Ele tem o cabelo prateado com as pontas escuras e os olhos bicolores e com estilo vitoriano. Pensei já ter o visto, mas logo afastei esse pensamento. O garoto sentou ao meu lado esquerdo, na fileira ao lado da porta. Ele viu que eu estava o encarando e assentiu com um pequeno sorriso nos lábios, corei quando me liguei que olhava fixamente para o garoto.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...