História Oi, sumido rs - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Wanna One
Personagens Kang Daniel, Seongwoo
Tags Kang Daniel, Ong Seongwoo, Ongniel, Wanna One
Visualizações 191
Palavras 1.610
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá, terráqueos.
Finalmente voltei aaaaaaaa, desculpa galera, prometo atualizar mais rápido da próxima. Obrigado pelos 50 favs, gente, sério aaaaaa. Queria agradecer a 'B' também por ter betado porque ela que praticamente salva minhas fanfic e hoje ela betou mega rápido para mim poder atualizar, então obrigado. <3
Vamos para fanfic. Espero que gostem e boa leitura. <3

Capítulo 2 - Apenas uma latinha


 

A música alta invadia os ouvidos até mesmo de quem passava perto da casa de Jisung. Apesar de não estar lotada, havia bastante gente, o suficiente para Kang Daniel sentir que iria dar merda, e como iria. O rapaz passava entre as pessoas abrindo o caminho com os braços até chegar em Minhyun, que servia bebidas para algumas pessoas.

 

— E aí, o que tá achando? Já pegou alguém? — perguntou Sungwoon, que apareceu do nada e se apoiou no balcão pegando uma latinha.

 

— Sobre isso... — foi interrompido por Jisung, que apareceu se apoiando em Daehwi.

 

— Alguém dá um jeito nele, por favor — seu dongsaeng pediu, vendo o outro se soltar e ir falar com uma menina.

 

— Gata, você é padeiro? Porque seu pai é um sonho — falou embolado fazendo a menina rir. E detalhe: parecia estar bêbada o suficiente para começarem a se pegar ali mesmo.

 

— Que hétero de Taubaté — Minhyun comentou e os outros assentiram, desviando o olhar do "casal".

 

— Acho que já vou indo, tenho série para atualizar — Daniel disse se levantando quando Sungwoon o empurrou pelos ombros e o fez se sentar de novo.

 

— Nana nina não, ainda tá cedo — retrucou. — E você ainda está sóbrio.

 

— Ok, mas apenas uma latinha.

 

++

 

A casa de algumas horas atrás agora se encontrava bagunçada e com alguns corpos estirados pelo chão (mas vivos… provavelmente). Já passava das 10 horas da manhã quando Daniel acordou no meio da quintal. Se não estivesse com uma dor insuportável de cabeça, provavelmente estaria se perguntando por que estava sem a camisa e no meio da grama. Com dificuldade conseguiu se levantar e atravessar o quintal enquanto chutava algumas latas pelo caminho.

 

Assim que entrou na casa avistou Jisung deitado em cima do balcão que dividia cozinha e a sala (onde até algumas horas atrás Minhyun servia as bebidas) com várias tintas, que o Kang supôs serem neon, pelo rosto e até braços. Ainda por cima, em seu rosto descansava um óculos colorido de alguma moda ultrapassada que ele jamais usaria se não estivesse bêbado. 

 

Passando pela cozinha, Daniel se deparou com Sungwoon deitado e todo encolhido em posição fetal no canto da sala enquanto Minhyun estava estirado no sofá com metade do corpo no chão. A mãe do Jisung vai nos matar, pensou assim que viu o estado do tapete. O rapaz caminhou até o amigo no sofá e o balançou, fazendo-o se desequilibrar e cair com tudo no chão.

 

— Quem foi o- ai, minha cabeça! — Minhyun exclamou com uma mão na cabeça e a outra na costa, a estalando.

 

— Bom dia pra você também — Daniel retrucou e se sentou no sofá.

 

— Mal-humorado logo cedo, Danik? Em pleno sábado às 8 da... — foi interrompido.

 

— São 11 da manhã, Minhyun.

 

— Puta que pariu — exclamou.

 

— Pois é, minha cabeça tá explodindo e...

 

— Daniel, você não entendeu, a mãe do Jisung chega em menos de 6 horas — Minhyun praticamente gritou enquanto segurava o amigo pelos ombros , que arregalou os olhos.

 

— A gente tem que arrumar isso, e rápido.

 

— Sugiro que comecem por essa "coisa" — Sungwoon surgiu se apoiando no braço do sofá, o que fez os amigos se assustarem, e apontou para o tapete.

 

— Hoje é o dia de aparecerem do nada pra me assustar — Daniel disse fazendo um biquinho emburrado.

 

— O que você disse? — Daehwi perguntou quando entrou na casa. — Meu deus, o que aconteceu aqui? — gritou assustado por causa da bagunça.

 

— Olha, eu não sei de nada — o Kang retrucou levantando as mãos em gesto de rendição.

 

— Verdade, Daniel apagou na primeira latinha — Sungwoon comentou rindo com Minhyun.

 

— Se eu fosse você não falaria nada, Sungwoon, na quarta latinha você já tava dando uns pegas no Daniel no corredor — o dongsaeng provocou fazendo o outro engasgar.

 

— O quê? — os três amigos exclamaram juntos.

 

— Gente, cadê o Jisung? — perguntou mudando de assunto.

 

— Espera aí, Daehwi, me explica isso direito — Sungwoon disse acompanhado de um "volta aqui" do Daniel.

 

Daehwi apenas ignorou os dois e caminhou em direção à cozinha encontrando Jisung jogado sobre o balcão. Ficou parado analisando o estado de seu hyung e decidiu ignorar a bizarrice. Respire, Daehwi, respire.

 

— Jisung, acorda. — balançou o amigo que continuou dormindo. — Jisung, acorda, moleque.

 

Sem sinal de que acordaria tão cedo, Daehwi abriu a geladeira pegando uma garrafa d'água e a abriu, despejando toda a água gelada no rosto de Jisung, que acordou assustado.

 

— Por que fez isso? — Yoon perguntou ainda sonolento enquanto se sentava em um dos banquinhos do balcão.

 

— Cara, você tá um trapo — Daniel comentou quando apareceu junto de Minhyun e Sungwoon.

 

— Fica na sua, Daniel — Daehwi retrucou. — Vem, vou te levar pro chuveiro.

 

Jisung apenas concordou e passou o braço esquerdo sobre o ombro de Daehwi, que segurou em sua cintura enquanto caminhava devagar em direção ao banheiro. Os outros três caminhavam atrás segurando o riso do amigo sendo praticamente carregado pelo menor. Quando chegaram ao banheiro, Daehwi abriu a porta e colocou Jisung sentado sobre o vaso, o deixando apenas de peças íntimas, e em seguida praticamente o jogou dentro do box e ligou o chuveiro, saindo logo em seguida.

 

— Trabalho feito — Daehwi exclamou recebendo joinha dos demais.

 

— Falando em trabalho, cadê meu celular? — Sungwoon perguntou sendo acompanhado de Daniel e Minhyun.

 

— Eu guardei no quarto do Jisung depois que vocês ficaram loucões — explicou indo em direção ao tal quarto, onde abriu uma gaveta e jogou os celulares em direção aos respectivos donos que (graças a Deus) pegaram no ar — quer dizer, menos um.

 

— Posso ouvir minha mãe gritando "vai, quebra mesmo" daqui — Sungwoon disse colocando a mão atrás da orelha e fingindo estar ouvindo algo.

 

— Daehwi, liga para a polícia — Jisung gritou do banheiro. — Tem um cara bonito na minha casa.

 

— Meu deus, o que aconteceu? Alguém morreu aí e eu não vi? — o dongsaeng gritou de volta enquanto levantava tropeçando nos próprios pés e indo em direção ao banheiro.

 

— Pode cancelar, sou eu mesmo — o amigo retrucou aparecendo na porta do quarto.

 

— Jisung, eu vou te matar — Daehwi gritou pulando em cima de um Jisung ainda levemente fora de si e que apenas ria.

 

— Me pergunto como ele não tem ressaca — Minhyun sussurrou para os dois que concordaram enquanto observavam a cena calados.

 

++

 

— 10 ligações e 50 mensagens do Ren, estou ferrado — Minhyun disse e Sungwoon murmurou um "eu também" e mostrou a tela do celular que não parava de apitar com mensagens e ligações de sua mãe.

 

— No meu não tem nada — o Kang comentou emburrado.

 

— Deve ser porque você mora sozinho e está encalhado? — Sungwoon retrucou em um tom de "parece óbvio, né?", o que acabou fazendo o outro revirar os olhos.

 

— Olha aqui, sozinho sim, encalhado nunca — Daniel exclamou fingindo jogar para trás um cabelo comprido inexistente.

 

— Você só pegou alguém porque o Sungwoon tava bêbado — Minhyun se intrometeu.

 

— Pera, o Sungwoon pegou o Daniel? — Jisung praticamente gritou enquanto apontava para os dois rapidamente.

 

— Sim, depois de anos Daniel pegou alguém.

 

— Não é verdade, eu fiquei com um amigo do Jisung mês passado — exclamou o pobre coitado, vítima do julgamento de seus amigos sem noção.

 

— É verdade, eu era a vela — Jisung provocou sendo acompanhado dos demais.

 

— Me economizem.

 

— Se cada vez que você falasse "me economizem" sumisse um pedaço de mim, opa, cadê eu? — Sungwoon respondeu fazendo os outros rirem novamente.

 

Daniel se jogou na cama e puxou o celular de seu bolso, o desbloqueando. Seu dedo dançava pelo aplicativos até notar uma notificação no Instagram. Quando clicou, se deparou com uma mensagem no direct de um arroba desconhecido.

 

— Oi, sumido rs — Daniel murmurou para si. — Oi, sumido rs — repetiu mais alto chamando atenção dos quatro amigos que conversavam entre si.

 

— O que foi? — Minhyun perguntou.

 

— Um arroba no Instagram me mandou "oi, sumido rs" no direct. — explicou.

 

— Deixa eu ver — Jisung puxou o celular da mão do amigo, observando a mensagem.

 

— Ah, é o Seongwoo.

 

— Quem? — os quatro perguntaram juntos.

 

— Ong Seongwoo, um rapaz que eu queria dar uns pegas mas que pelo jeito gostou do Daniel — repetiu chateado.

 

— Ong Seongwoo? Acho que estudei com alguém que tinha esse nome. — O Kang comentou indiferente.

 

— Esse sapão? — Sungwoon, que agora stalkeava o rapaz, perguntou.

 

— As pessoas mudam — explicou.

 

— No caso dele foi para melhor — Sungwoon retrucou.

 

— Bem melhor — Jisung concordou.

 

— Você não vai responder ele, hyung? — Daehwi se manifestou pela primeira vez na conversa.

 

— Não sei o que responder — Daniel disse sorrindo sem graça.

 

— Manda assim: Gato, você devia pagar multa por excesso de velocidade, porque você chegou muito rápido no meu coração — Jisung comentou rindo e os demais exclamaram um "sério, Jisung?" — Só queria ajudar — fez biquinho.

 

— Queria saber como você ainda consegue pegar alguém com essas cantadas de tiozão.

 

— Nem meu tio tem umas cantadas assim — Daehwi retrucou e os demais riram.

 

— Tenho uma melhor — Sungwoon gritou. — Gato, por você viro até ateu...

 

— Nem termine isso, Ha Sungwoon — Minhyun interrompeu o amigo recebendo uma careta com direito a linguinha de fora.

 

— Sugestões boas, pessoal, por favor — pediu Daniel com uma cara à la Gato de Botas.

 

— Eu, hein! — Sungwoon exclamou estranhando a atitude do amigo.

 

— Manda um "oi cremoso" que é sucesso — sugeriu novamente Jisung, fazendo um sinal de joinha com a mão.

 

— Ah, eu não tenho coragem — exclamou irritado. — Escreve você, Daehwi — e jogou o celular pro dongsaeng que pegou todo desajeitado e murmurou um "ok".

 

Os demais observavam Daehwi digitar algo enquanto Daniel espionava por entre seus braços que tampavam seu rosto. Quando ouviram o barulho da notificação significando que a mensagem havia sido enviada, os quatro correram em direção de Daehwi para ler o que ele havia escrito.

 

"Chama no probleminha, bebê" hoje às 11:43 AM.

 

— E não choca ninguém.


Notas Finais


E ai, quem vocês acham que falou "e não choca ninguém"? Acho que foi o Sungwoon já que ele adora provocar o Daniel, meio estranho, né? Até agora o Jinyoung não apareceu, cof cof.
Até a próxima e beijão da tia wiki.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...