História Olhar de vidro - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Kai, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V, Xiumin
Tags Chanbaek, Jikook, Kaisoo, Namjin, Vhope, Xiuchen
Visualizações 364
Palavras 3.468
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Antes de lerem este cap, gostaria de dizer o porquê da semana passada n ter tido atualização.

Bom, a alguns caps atrás eu venho recebendo mensagens privadas de muitos leitores, e diferente do que eu gostaria, foram mensagens muito agressivas e negativas que me deixaram incrivelmente triste. E eu realmente fiquei arrasada com o que essas pessoas disseram, falando mal n só dá minha escrita mas de mim também como se me conhecessem. E além disso, falando mal dos meus leitores.

Isso nunca tinha acontecido antes comigo, nas primeiras mensagens eu até ignorava, mas começou a ficar constante, em todo o cap que eu postava tinha alguém que me mandava mensagens, e sempre eram maldosas. Foi justamente por causa disso que eu perguntei se vcs estavam felizes com a minha escrita e com a história.

O que eu estava fazendo de errado pra essas pessoas falarem coisas terríveis pra mim?! Eu n sei.... Mas eu fiquei muito triste. A ponto de nem ter vontade de escrever.

Eu realmente pensei em parar de escrever, mas um amigo meu me fez mudar de ideia e me aconselhou a simplesmente ignorar essas pessoas, e me focar nos meus leitores que gostam.

Então, para você, que n gosta do que eu escrevo, simplesmente não leia! Mas não venha criticar os meus leitores e nem a mim. Me ofender é uma coisa, mas eu considero cada um dos meus leitores minha família tbm. E eu nunca vou permitir que machuquem minha família, acredite! Então se quiser me xingar e dizer que só escrevo coisa lixo fique a vontade, mas se vc tentar machucar meus leitores, aí sim, eu vou ter motivos mais do que o suficientes para não ignorar e vou fazer de tudo pra te tirar do Social Spirit, pq aqui não é lugar pra esse tipo de coisa. Você foi avisado(a).

#

Bom, meus amados leitores do meu core ❤ tia Emy tá se cuidando, e vai fazer essa semana 5 exames pra na outra terça eu ir ao médico e ela marcar minha cirurgia ^^ eu vou fazer uma cirurgia de vídeo (Com agulhas então sem cortes). A luta tá chegando ao fim e Jajá vamos vencer ^^

Esse cap é meio (muito) tenso e com um segredo que talvez vá mudar a visão que alguém tinha do Xiumin, pq tem gente que pensa que ele matou, e que não matou os pais do Jeon, que ele na vdd odeia o Jeon, ou que sente amor por ele e quer ele, mas como se ele tá com o Chen?? Pois é, então esse cap vai explicar muita coisa.

Boa leitura ^^
Até às notas finais 🌸

Capítulo 18 - Volte, volte pra mim


Fanfic / Fanfiction Olhar de vidro - Capítulo 18 - Volte, volte pra mim


“ Toques leves e suaves. Foi isso que Jimin sentiu enquanto finalmente despertava aquela manhã. O pouca luz que adentrava pelas janelas fazia todo o cômodo ficar de um jeito acolhedor. Ao abrir lentamente os olhos, o coração do menor se alegrou. Ele estava do seu lado, lhe recebendo com o seu típico sorriso matinal onde lhe dizia em silêncio “Bom dia meu amor”, e aquecia seu coração.

Os dedos gordinhos e curtos foram de encontro a face alheia, em um toque singelo e calmo, queria aproveitar esse momento. Sentiu saudades de tocar aquela pele macia, de olhar aqueles lindos pares de olhos azuis, que sempre lhe trouxeram calma e tranquilidade. Sentia falta de Jungkook.

- Está aqui… - Jimin disse em um sussurro, enquanto via o moreno fechar os olhos e aproveitar mais das carícias que lhe eram impostas.

- Eu sempre estive aqui. - Jungkook respondera no mesmo tom, pegando agora a mão que antes acariciava seu rosto e beijando a costa da mesma.

- Pode ficar? - O platinado sentia seus olhos marejarem, almejando que o que estava vivendo naquele momento fosse a verdadeira realidade.

- Não posso… - Jungkook o fitou intensamente, enquanto Jimin fechava os olhos e permitia a primeira lágrima cair.

- Por favor… - Era quase desesperador sentir Jungkook tão perto e saber que ele não ficaria consigo, mesmo que esse fosse o seu desejo.

- Você precisa acordar Jimin…

- Eu não quero… - Ele já não podia controlar as lágrimas que caíam de seus olhos, como poderia acordar? Se o que mais almejava era que aquele sonho fosse de verdade. - Não quero viver em um mundo que você pode não existir…

- Eu sempre vou existir… Enquanto estiver aqui. - Jungkook apontou o indicador para o peito do moreno, bem acima do coração.

- Me deixe ficar mais um pouco… só mais um pouco… - Jungkook sorriu ladino e negou com a cabeça. - Por favor

- Acorde, Jimin.”

Uma brisa fria se chocou com o seu corpo, o fazendo despertar daquele sono profundo. Seus olhos foram se abrindo pouco a pouco, e ele podia sentir que dele saiam lágrimas, as mesma que molharam os lençóis da cama a qual sua cabeça resolveu se apoiar.

Mais um sonho, mais um sonho com ele. Mais um de vários que já teve durante esses três meses, desde que Jungkook entrou em coma. Jimin levantou a cabeça e o viu novamente, deitado naquela cama, respirando com a ajuda de aparelhos. Parecia dormir, um sono tão profundo e calmo.

Porém, Jimin tinha medo que o mesmo não despertasse, que não pudesse mais o presentear com seus lindos sorrisos, que não tivesse novamente a chance de dizer com todas as palavras “Eu te amo, Jeon Jungkook.” Ele tinha medo, e tudo só ficava pior, a medida que o tempo ia se passando.

Se levantou da cadeira que pôs perto da cama, e resolver sentar na mesma junto com o moreno. Segurou sua mão esquerda e esta estava tão fria que seu coração se apertou ainda mais. O que não daria para que o sonho que tivera aquela noite fosse real, que pudesse acordar novamente ao lado do seu amado, e aproveitar seus momentos juntos.

- Volte… - Sua voz saiu trêmula e sofrida, embargada naquela sensação terrível de perda. - Volte, por favor.

Era inevitável não chorar enquanto estava com Jungkook naquele quarto, mesmo que evitasse o fazer na frente de seus amigos e parentes. Se sentia confortável para abrir seu coração apenas quando estavam a sós, ele e Jungkook.

Se inclinou um pouco sobre o corpo adormecido e beijou sua testa, sentindo mais lágrimas escorrerem e alguns pingos caírem no rosto do moreno. O quarto estava vazio e com um ar sombrio e triste, e era exatamente assim que estava o interior do Jovem Park. Se sentia sozinho, envolto em tristeza e medo.

- Volte pra mim…

E lá se foi mais uma noite, em que Jimin tentava manter as esperanças de que o amanhã seria melhor, que esse inverno frio e tempestuoso estava perto de seu fim, e que ele só precisava ser forte. E se manter firme na esperança que o moreno acordaria, e voltaria para si.


[•••]


 O ser de cabelos rosados caminhava pelos corredores daquele enorme hospital, pensando em como tudo estava mudado e a alegria que antes se fazia presente, juntamente com a tranquilidade, agora mal existiam. Esses últimos meses foram os piores de sua vida, não achou que viveria a mesma coisa desde quando o Sr. e a Srª Jeon faleceram.

Se sentia tão responsável por tudo que estava acontecendo. Havia falhado na missão de proteger Jungkook e o impedir de se machucar. Infelizmente ele não esperava que as ações passadas do moreno fossem acabar assim, que tivessem esse fim.

Jungkook parecia destinado a ter o mesmo destino de seus pais. O coração de Xiumin doeu ao pensar que mais uma pessoa que amava estava sendo tirada dele, e incrivelmente da mesma forma. Enquanto adentrava o elevador ele se deixou perder-se em lembranças passadas. Onde a última conversa que teve com o Sr.Jeon se fazia presente em sua mente agora.

“ As mãos finas e até um tanto delicadas eram apertadas uma na outra sutilmente, o rosado não queria transparecer seu nervosismo, mas estava ficando cada vez mais difícil de disfarçar. O moreno a sua frente o fitava intensamente, e aquilo o aterrorizava um pouco. Embora soubesse que ele não o faria mal.

- MinSeok… - Xiumin engoliu em seco ao ouvir o mais velho o chamar por seu nome verdadeiro. Poucas vezes ele o fazia, apenas quando estavam prestes a falar de algo muito importante.

- Sim… Sr.Jeon? - O rosado finalmente olhou na direção do moreno, o mais velho parecia abatido com algo e seu lindos olhos azuis estavam transbordando aflição, Xiumin podia sentir.

- Eu já disse que não gosto que me chame de senhor quando estamos a sós, criança. - Xiumin arregalou minimamente os olhos, mas logo tratou de se recompor. - Faz com que me sinta mais velho do que já sou.

- Me perdoe… - O mais velho negou com a cabeça.

- Você sabe muito bem que quem deveria pedir desculpas aqui… sou eu. - Xiumin mordeu o canto da boca, sabendo onde o mais velho queria chegar.

- O senhor cuidou de mim desde os meus dezesseis anos, após… o falecimento da minha mãe. - Xiumin sentia seu coração doer um pouco, ainda lhe doía lembrar da mãe, mesmo que agora já tivesse vinte e três anos. - Lhe sou grato por tudo que tem feito por mim.

- Mesmo sabendo que merecia mais? - O olhar do mais velho vagou para a janela ao seu lado. - Mesmo sabendo que tudo isso… - O Sr.Jeon fez um sinal com a mão, apontando o dedo para uma direção e o movendo por todo o local. - Deveria ser seu?

- Ainda assim. - Xiumin não exitou em lhe contar a verdade. Pois nada naquilo o interessava, seu objetivo era apenas um; cuidar de Jungkook.

- Você cresceu bastante… - O moreno se levantou e caminhou até o rosado, que deu um passo para trás em relance. - Não é mais uma criança e sim um homem. Um belo homem e de bom coração eu vejo… embora tudo conspirasse para que não fosse assim.

- Obrigado.

- Sua mãe ficaria muito orgulhosa do homem que você se tornou. - Naquele momento não apenas o moreno como o rosado fecharam os olhos e a imagem da bela mulher de cabelos castanhos posou em suas mentes.

- Por quê me chamou aqui? - Após longos segundos Xiumin perguntou, querendo saber o motivo de ter sido chamado ao escritório do empresário.

- Eu sei que não estou no direito de lhe pedir algo… Mas preciso que me faça um favor.

- O que me pedir… senhor.

- Quero que cuide do JungKook. - Xiumin desfez a postura reta e deixou seus pensamentos pesarem sobre sua cabeça. Se perguntando o porquê do mais velho o pedir tal coisa. Olhou surpreso para o Jeon e esse lhe sorriu, pousando uma mão em seu ombro.

- Por quê me pedes tal coisa? O senhor vai a algum lugar? - Perguntou aflito, Jungkook era deveras importante para si e pensava no seu bem estar.

- Esse é o mistério da vida Xiumin… nunca sabemos aonde vamos no amanhã. - O menor podia ver a preocupação no olhar do mais velho. - Eu sei o quanto você se importa e ama a Jungkook.

- E-eu…

- Está tudo bem. Eu fico imensamente feliz de saber que vocês possuem um bom relacionamento. E é por saber disso que sei que você é a melhor pessoa para cuidar dele…

- Não negarei seu pedido. O senhor bem sabe o quanto Jungkook é importante para mim… - Xiumin se lembrava muito bem, desde o nascimento de Jungkook o mais novo sempre lhe foi importante. Sempre desejou que pudessem estar juntos, ser uma família. Mas as coisas eram mais complicadas do que ele imaginava naquela tão pouca idade. Mas ele não se importava só queria ficar perto do mais novo… E era apenas por isso que estava naquela casa.

- Eu sei… E gostaria que ele soubesse que existe mais alguém que se importa e o ama como nós… Eu queria poder ter feito diferente…

- O senhor me deu a oportunidade de estar ao lado dele e vê-lo crescer… - Xiumin sorriu ladino, mesmo que seu coração se sentisse triste no momento. - Tudo o que eu mais quero é ficar ao lado dele. Ele não precisa saber o porquê.

- MinSeok… - O Jeon mais velho chamou, fazendo o mais novo levantar a cabeça que antes inclinara para baixo e o fitar. Mas antes que qualquer palavra fosse proferida, o moreno o abraçou, fazendo Xiumin se assustar com o ato, o Jeon nunca fizera isso. - Me perdoe por não ter sido o que você merecia… Não estar lá, quando você precisou.

- Não há nada para perdoar. - Pouco a pouco Xiumin se permitiu retribuir o abraço, sentindo o maior o apertar ainda mais contra seu peito. Mesmo que não fosse admitir, realmente sempre desejou aquele contato, aquele abraço fora esperado por longos anos.

- Ainda me admira que não me odeie.- O mais velho segredou, enquanto fazia algo que já deveria ter sido feito a muitos anos.

- Ódio só gera mais ódio. - O rosado fechou os olhos, se deixando aquecer por aquela sensação boa que o abraço lhe trazia.

- Você realmente se tornou um bom homem. E mesmo que eu não tenha participado como deveria para isso acontecer… Me sinto orgulho de você. E não poderia estar mais feliz…

Xiumin não se lembra quanto tempo passou abraçado ao moreno. Aproveitando o que tanto desejou durante toda sua vida, se sentia feliz por aquilo, por aquele simples contato que lhe trazia tanta paz e conforto.”

Xiumin suspirou, havia lembrado daquela noite em que fora ao escritório do falecido Sr.Jeon, e este lhe pediu que cuidasse de Jungkook. Mas, mesmo que o Jeon mais velho não tivesse o pedido, ele o faria de qualquer maneira. Não deixaria que nada machucasse Jungkook, que nada o tirasse de si.

Mas agora, sentia que havia falhado. E isso lhe doía na alma. Tudo o que sempre quis foi poder cuidar de Jungkook, poder vê-lo crescer e se tornar um homem bom que ele sabia que seria. Porém, assim como antigamente, se via falhando em protegê-lo.

Suspirou e sentiu os olhos lacrimejarem, respirou fundo e tentou se recompor assim que o elevador parou e se abriu. Logo Xiumin tratou de sair e voltou a caminhar por entre os corredores se aproximando cada vez mais do quarto em que Jungkook estava.

Estava preocupado e aflito, assim como todos os outros. Mas sabia muito bem que o jovem Park estava pior que qualquer um. O platinado não dormira direito durante a noite, e se recusava a deitar naquela cama, onde sabia que Jungkook não estaria consigo.

Tinha medo que Jimin adoecesse devido a sua falta de apetite. Já havia perdido as contas de quantas vezes aconchegou o menor nos braços enquanto este chorava desesperadamente. Muitas noites o acompanhou também em prantos, mas Jimin sempre tentava se manter forte. E isso era admirável para o rosado.

Porque, por mais que se importasse também e amasse Jungkook, Xiumin sabia que os sentimentos que Jimin possuía pelo moreno eram mais fortes e avassaladores. E se manter firme enquanto alguém que se ama assim está no estado em que o Jeon está, não é nada fácil.

Parou em frente a porta com a numeração já conhecida e deu duas batidas antes de adentrar o local. Observou cada centímetro do local até parar na cama, e não se surpreendeu ao ver o Park sentado em uma cadeira ao lado da cama e com a parte de cima do corpo deitada sobre ela.

Mas, mesmo que isso não o surpreendesse o preocupava. Jimin precisava dar um devido descanso ao seu corpo também. Caminhou até o menor que parecia muito cansado para perceber alguém entrando no local, e observou que o mesmo segurava na mão esquerda de Jungkook.

Se permitiu sorrir ao observar a cena que o alegrava, pois mesmo depois de tudo, eles ainda lutavam para ficar um ao lado do outro. Se abaixou minimamente e tocou o ombro do menor, que rapidamente abriu os olhos e olhou esperançoso para o moreno.

- Desculpe… Sou eu.

- Oh, Xiumin… Não precisa pedir desculpas. - Jimin se sentou novamente e se virou para o rosado que colocou a mão em seu ombro.

- Você deveria descansar.

- Eu estava dormindo. - Jimin disse enquanto voltava a fitar o rosto do moreno.

- Isso não é dormir. - Xiumin cruzou os braços e franziu o cenho, era sempre uma verdadeira guerra fazer com que Jimin saísse do lado de Jungkook. Não que isso fosse ruim, mas Jimin também precisava descansar.

- Eu não vou sair daqui…

- Eu sei, não duvido disso. Mas, Jimin… - O rosado suspirou, e pegou uma cadeira para se sentar ao lado do platinado.

- Sem mas, Xiumin. - Jimin estava determinado a continuar ali, e não se perdoaria caso o moreno acordasse e este não estivesse ao seu lado. Queria estar ali, para que assim que os olhos de Jungkook de abrissem, ele pudesse vê-lo, e saber que assim como o moreno não desistira de ficar consigo, ele também não abriria mão de um futuro ao seu lado.

- Já entendi… Puff… você é tão cabeça dura quando o Jeon. - Xiumin se deu por vencido. - Você já comeu algo?

- B-bom…

- É claro que não… - O mais velho franziu o cenho e suspirou.- Mas é claro que eu te trouxe algo para comer.

- Obrigado. - Jimin sorriu, Xiumin se mostrava uma verdadeira mãe cuidando de si, e realmente não tinha palavras para descrever a gratidão que ele sentia para com o rosado.

- Me agradeça comendo tudo.


[•••]


Depois de longas horas naquele quarto, Xiumin conseguiu convencer a Jimin de dormir um pouco em um dos sofás que estavam no cômodo. Sabendo do cansaço do menor, não demorou muito para Jimin cair no sono. O rosado sorriu ao perceber que Jungkook havia arrumado alguém tão teimoso quando ele.

Aproveitando que o platinado estava em um sono profundo, Xiumin se pôs ao lado do moreno. Querendo poder estar novamente perto, conversar, mesmo que esse não fosse o ouvir. Ele precisava sentir que Jungkook ficaria bem, ou então começaria a se desesperar completamente.

- Você não cansa de me assustar… - O rosado riu contido ao olhar a face calma que repousava tão tranquilamente.

Desde que Jungkook entrou em coma Xiumin não teve coragem de o encarar por muito mais que alguns minutos, muito menos falar consigo. Aquilo doía tanto, sentia seu peito arder e a tristeza sempre o assolar, juntamente com a culpa.

- Desde quando você tinha oito anos, sempre gostou de aprontar… - Um sorriso triste e rápido pousou em seus lábios.- Se lembra de quando me pediu para te ensinar a andar de bicicleta?... Você caiu na primeira vez e veio chorando para mim, dizendo que não queria mais tentar…

O rosado fechou os olhos, se lembrando de muito tempo atrás, aquela época marcou sua vida e as lembranças eram muito boas. Se lembrava de cada momento junto ao moreno, aquilo fazia toda e qualquer tristeza do seu ser ir embora, Jungkook sempre o trouxe felicidade.

- Mas quando eu achei que você ia mesmo desistir, você tentou de novo. E de novo, e de novo. Até que já estava transpassando as árvores em meios ao parque. Você sempre foi assim… Nunca desistia mesmo se tentasse. Reunia forças de onde eu nem imaginava exigir, e corria entre as adversidades…

Xiumin sentiu uma lágrima escorrer de seus olhos, mas diferente das outras vezes não se pouparia, falaria tudo. Tudo o que sempre quis dizer ao moreno, e que não aguentava mais guardar para si, era sufocante guardar aquele segredo por todos aqueles anos.

- Eu te vi crescer e se tornar um homem… por muitas vezes eu quis te proteger de tudo e de todos. Mas para você eu sempre fui apenas um bom e velho amigo… E era assim que deveria ser…

Mais e mais lágrimas desciam de seu rosto, era tão difícil falar naquele momento, colocar tudo para fora, mesmo que quisesse muito. Respirou fundo e continuou, dessa vez um um pequeno sorriso no rosto.

- Mas isso não me importava… ser apenas um criado, ou mordomo. Eu poderia ficar ao seu lado… Meu irmão. Meu querido irmão…

Finalmente podia dizer aquelas palavras, poderia chamá-lo de irmão. E quantas vezes não desejou lhe contar a verdade? A verdadeira razão de estar naquela casa, de cuidar tanto de si, de o amar muito. Ainda tinha muitas coisas da qual Jungkook não sabia.

- Eu queria tanto poder te contar… contar que você não está sozinho. Nunca esteve, sempre teve alguém que prezava e zelava por você. Uma pessoa que sempre te amou e desejou estar ao seu lado, desde que você era apenas um bebê… Mas tudo era tão complicado. E ao invés de te chamar de irmão, passei a ser apenas um mordomo… Isso te manteria seguro e te pouparia de mais dor e sofrimento…

Ah como era difícil dizer tais palavras, quanto tempo para isso? Iria contar a verdade para o moreno depois que os seus pais faleceram. Mas, Jungkook já estava arrasado o suficiente, e não precisava saber da triste história do nascimento do rosado.

- Então eu me calei… Porque assim eu pensei estar te mantendo seguro. Mas eu sempre… sempre te amei Jungkook. Você é o meu irmãozinho… o irmão que eu fiz de tudo para ficar ao lado. Será que se você pudesse ver este lado da história, conseguiria me perdoar?

O sorriso que se formou em seu rosto era triste e sofrido. Desejou por tanto tempo contar a Jungkook que era seu irmão. Não apenas um grande amigo, mas que partilhavam do mesmo sangue, mesmo que apenas paternalmente.

- Eu não queria que você odiasse o nosso pai… - Mais uma vez Xiumin se lembrou da conversa com Sr.Jeon. - Pai… é tão estranho o chamar assim. Jungkook… Você não sabe o quanto é amado. Seus pais, Jimin, eu… todos nós te amamos muito… e mesmo que muitas vezes você tenha se sentido sozinho, você nunca esteve. E eu sinto muito por não poder te contar isso, meu irmão… meu pequeno irmão…

Xiumin segurou uma das mãos de Jungkook e a apertou levemente, vendo suas lágrimas caírem sobre o tecido fino do cobertor. Queria que aquela confissão pudesse ser ouvida pelo moreno, mas, achava que o único motivo de conseguir dizer aquelas palavras foi saber que Jungkook não se lembraria. Mas estava tirando um peso das costas, mesmo que as palavras fossem em vão, pois ninguém o escutava. Ou quase ninguém.

- Você é tudo o que eu tenho… Você é minha única família. Então acorde por favor… Eu… eu não posso perder você também. - Xiumin respirou fundo enquanto fechava os olhos. - Todos aqui te amamos… e embora eu nunca tenha dito, eu te amo meu irmãozinho. Não nos abandone por favor, seja forte e enfrente mais essa adversidade, e volte para nós.

Depois de mais alguns minutos segurando a mão do moreno Xiumin finalmente a soltou delicadamente. Enquanto sentia um peso sair de seus ombros, beijou a testa do moreno e depois voltou a postura de sempre ao seu lado, enquanto pouco a pouco enxugava as lágrimas que banharam todo seu rosto.

Mas, ao se virar o rosado teve uma surpresa inesperada. Jimin estava sentado no sofá, e este lhe fitava tristemente, e apenas alguns segundos depois Xiumin percebeu que o mesmo chorava. Seu coração acelerou de imediato, a quanto tempo ele estava ali?

- O quanto você ouviu? - Xiumin arregalou os olhos e ficou apreensivo com a resposta.

- O suficiente.


Notas Finais


Simmmmm, pois é!!!!

Quem diria... Alguém aqui suspeitou que o Xiumin era o irmão do Jeon??? Ou alguém achava que ele havia matado os pais do Kookie? A culpa é sempre do mordomo kkkk foi o que me disseram.

Mas, não!!! O Xiumin ama muito o Kookie porquê ele é seu irmãozinho T-T isso é tão triste...

Então, na vdd, quem deveria ser o bambambam, dono do Krlh7 era o Xiumin, porquê ele é por direito o primogênito, e se ele quisesse podia sim ser dono de toda a empresa do Jeon.
Mas o nosso bebê só quer ficar perto do irmão e nunca quiz herança nenhuma T-T triste né?

Mas, antes que taquem pedra no pai do Jeon, ele não traiu a esposa dele tá? Só deixo claro isso.

Próximo capítulo ele vai explicar muitas coisa pro nosso Mochi, é o que será que Jimin vai fazer com toda essa informação? Hum....

Até semana que vem amores ^^
Mata ne, bye bye 🌸 #

AVISO: Eu escrevi uma fic One-Shot Jikook. Eu a fiz porquê queria mandar uma mensagem através dela, leiam pfv!!! É importante e aborda um tema muito importante!!

Link:

https://spiritfanfics.com/historia/lembrancas-de-uma-noite-chuvosa-9887198


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...