História Olhos como os teus - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias NU'EST
Personagens Aron, Baekho, Jr, Minhyun, Ren
Tags Jinjing_, Jren, Nu'est, Presente Pra Gabs, Ren
Visualizações 74
Palavras 1.332
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Ficção, Fluffy, Lemon, Luta, Mistério, Musical (Songfic), Poesias, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Slash, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Essa Jren não estava nos meus planos, mas como a minha bb @alt-jennie estava triste por n ver tantas fics Jren, eu resolvi fazer uma de presente pra ela❤
Seria oneshot, mas como estou com muitas ideias pra ela, terá no mínimo 15 caps❤
Espero que goste do seu presente, Gabs💜💜
Boa leitura ;3;

P.S: Os reinos e outros nomes citados aqui (como Tyrbam, Houtpub, etc.) são fictícios, ou seja, não existem.

Capítulo 1 - 01. Azul, é a minha cor preferida;


- Não vais pegar-me! -Gritava Jonghyun correndo pelo jardim.

O garoto e seus irmãos estavam a brincar de pega-pega, e Aaron era a “mãe” da rodada. O loiro corria e sorria contente por ter os melhores irmãos do mundo.

- Eu vou pegar-te, Jonghyun! -Gritou Aaron correndo atrás do mais novo.

- É o que veremos! -Gritou de volta, entre gargalhadas.

Considerava-se sortudo por ter uma família tão bela quanto a sua. Seus pais, os reis de Tyrbam, seu reino, eram antenciosos e se esforçavam bastante para dar a devida atenção aos seus quatro filhos. DongHo já não brincava tanto quanto antigamente, pois já estava a ser preparado para se tornar o futuro rei, deixando toda a diversão e brincadeiras para seus três irmãos mais novos. Todos tinham imaginação fértil, porém Jonghyun, ultrapassava os limites de sua imaginação.

O loiro acreditava na existência de seres mágicos e encantados, como fadas e troll's. Seus pais e seus irmãos achavam isto pura besteira e fruto de sua fértil imaginação, mas o garoto não importava-se. Ele acreditava que havia um lugar melhor para se viver, longe das constantes guerras que os líderes de reinos vizinhos ao seu sempre realizavam.

Enquanto corria, Jonghyun imaginou-se apostando uma corrida com um gigante de trinta metros, correndo entre as árvores do bosque Bhuwhoa, considerado proibido e perigoso para qualquer aldeão ou nobre aventurar-se, pois o lago Houtpub, localizado no interior mais escondido e secreto de Bhuwhoa, possuia uma lenda. Reza a lenda de que neste lago, viviam várias criaturas místicas e perigosas. Uma destas criaturas eram as sereias e tritões, pelos quais Jonghyun sempre possuiu um fascínio fora do comum. Quem ousase aventurar-se nas águas de Houtpub, era capturado pelas sereias e nunca mais retornava a terra firme. Para os aldeões e sua família, sereias eram criaturas perversas e cruéis, mas para Jonghyun, eram apenas as mais lindas e mágicas das criaturas.

Correra tanto que nem deu-se conta de que já havia perdido-se em Bhuwhoa, cara a cara com o lago Houtpub. O lago tão temido por sua família e seu povo.

Curioso, aproximou-se da borda do lago de água cristalina e ajoelhou-se ali, olhando cautelosamente para o interior do lago, onde alguns peixes de diferentes formas e cores estavam a nadar. Sorriu bobo, brincando com a água. Ele deslizava sua mão sobre a superfície molhada e mergulhava-a até metade de seu braço.

Eis que sente uma mão segurar a sua, era uma mão gélida e pegajosa. No início assustou-o um pouco, mas aos poucos foi acostumando-se com aquele toque frio, congelante. O dono daquela mão tão fria aos poucos emergiu para a superfície, pondo para fora apenas seus olhos claros, quase pálidos. Lindos olhos azuis num tom congelado, que pareciam ser capazes de ler até a alma de Jonghyun. O garoto engoliu em seco ao olhar para sua mão ainda unida a mão do estranho de olhos incrivelmente lindos.

- S-solte-me ou terei de gritar. -Gaguejou trêmulo.

- Não precisa assustar-tes. Não irei fazer-te mal algum. -A criatura disse, expondo seu rosto por inteiro, sorrindo gentil.

Aquele rosto, de alguma forma, transmitiu uma paz inexplicável ao Kim. Era como se, todo o seu medo, tivesse evaporado no mesmo momento em que viu aquele sorriso tão lindo, belo.

- Quem és tu? -Indagou aproximando-se mais.

- Sou Choi Minki, e tu?

- Kim Jonghyun. Sou príncipe de Tyrbam e terceiro na linha do trono.

- Príncipe? Que demais! -O outro saltou da água, sentando ao seu lado e deixando sua barbatana azulada em evidência. Aquilo assustou e fascinou o Kim ao mesmo tempo, este que conseguia apenas olhar para a barbata da criatura.

- É linda. -Murmurou encantado.- É de verdade?

- Sim. Assim como todas as guelrras de meu corpo. -Mostrou-lhe seus dedos, rindo.- Quer tocar? -O loiro assentiu.

Hesitante, o pequeno Kim tocou a barbatana fria do tritão. Era macia e brilhante, suas escamas possuíam desenhos parecidos com flocos de neve. Era algo lindo de se ver e tocar.

- Oh, tu não tens cauda. -Disse o tritão, analisando as pernas do jovem príncipe.- Que tipo de criatura tu és? -Pendeu a cabeça para o lado, em dúvida.

- Não sou criatura. Sou humano.

- Humano? -Franziu o nariz.- Papai diz que humanos são maus, que são gananciosos e pensam apenas no poder. Disse que não devo confiar num humano.

- Nem todos os humanos são assim. Papai também disse que sereias e tritões são criaturas perversas e impiedosas, e que não deve-se confiar numa sereia ou tritão. -O jovem mais velho retrucou.

O tritão estalou a língua, desviando seu olhar para sua barbatana pousada sobre as pernas de Jonghyun, enquanto este ainda as acariciava como se ali estivesse um gato e não uma das criaturas temidas por seu pai.

- Eu gostaria de ser um tritão. Deve ser incrível. -Sorriu para o moreno.

- É, sim. Mas tem seus lados negativos. Nossa pele vive enrrugada, e nem podemos colocar nossas cabeças para fora d'água, pois corremos o risco de sermos mortos pelos humanos que vivem a nos perseguir dia e noite, sem descanso. -Suspirou relaxando seus ombros.- E eu não tenho nenhum amigo.

- Não brinca com outros tritões e sereias? -Negou com a cabeça.- E por que não?

- Eu não sei. Eles dizem que não sou igual a eles, que não devo me misturar a outros tritões ou sereias, senão eles serão "contaminados" com a minha "doença". -Olhou para suas próprias mãos.- Mas eu não entendo que doença é esta de que eles tanto falam. Não entendo o porquê de eu ser diferente deles, afinal somos da mesma espécie. -Mais uma vez, um suspiro.- E eles também dizem que sou feio.

- Que absurdo! -Esbravejou Jonghyun, chamando a atenção de Minki.- Você é uma das criaturas mais lindas que já vi! Seus olhos são como duas pedras de gelo brilhantes, sua pele é tão macia quanto o mais caro tecido indiano, sua barbatana tem o mais belo tom de azul que já vi e seu cabelo... -Afagou-lhe seus cabelos, fazendo as bochechas do pequeno tritão ganharem um tom avermelhado, como pêssego.- Seu cabelo é a coisa mais macia que já toquei em toda a minha vida. -Sorriu ladino, recebendo um sorriso tímido do moreno como resposta.

Nascia ali, a mais bela das amizades que pode surgir entre duas criaturas distintas. Um príncipe humano, e um tritão rejeitado.

Jonghyun então começou a ouvir os chamados de seus irmãos, alertando-o de que já deveria voltar.

- Tenho de ir. -Levantou-se, porém o moreno agarrou-se ao seu braço, impedindo-o de ir.

- Não podes ficar? -Seu cenho franzido denunciava sua enorme vontade de que o humano ficasse ali, o fazendo companhia.

- Adoraria ficar, mas tenho de voltar para meus irmãos e para meus pais. Sinto muito. -Soltou-se do aperto frio.

- Prometes que irás regressar amanhã?

Jonghyun pensou por um instante, mordendo seu lábio inferior. Entendia a solidão do outro, e entendia que tudo o que Minki queria, era alguém para lhe fazer companhia.

- Está bem, irei tentar regressar. Mas tem de prometer que irás aparecer apenas para mim.

- Irei. -Sorriu largo. Mais uma vez o chamado de Aaron pôde ser ouvido.- Acho melhor ires, agora. Eu também tenho de regressar aos meus aposentos. Papai não vai gostar de saber que quebrei a regra de nunca aproximar-me de um humano.

- Com meu papai eu não tenho este problema. Ele não acredita em nada do que digo, mesmo. -Riram.- Ah, e você é lindo. Não deixe que ninguém diga-lhe o contrário. -As bochechas do Choi ficaram rubras mais uma vez. Jonghyun virou-se para ir embora, mas antes olhou uma última vez para o tritão.- E, o que eu mais gostei em você, foi a sua barbatana. Porque azul, é a minha cor preferida. -Sorriu largamente, saindo dali correndo o mais rápido que podia.

O coração do jovem tritão estava saltitando de alegria. Era a primeira vez que ouvia algo daquele tipo. Existia alguém que gostava de si e o achava bonito. Isso era o suficiente para ele saber que Jonghyun não era mau ou ganancioso como seu pai disse. Ainda havia esperança de seres do mar e seres da terra darem-se bem algum dia.


Notas Finais


É A PRIMEIRA VEZ QUE FAÇO UMA ESCRITA ASSIM, POR ISSO NÃO SEI SE FICOU BOM, DESCULPEM QUALQUER ERRO, MEU CAPSLOCK TRAVOU SOCORRO


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...