História Olhos De Diamantes - Capítulo 20


Escrita por: ~

Postado
Categorias Michael Jackson
Personagens Personagens Originais
Tags Alessandra Cole, Ambição, Dinheiro, Família Jackson, Michael Jackson, Novela, Paris Jackson, Prince Jackson, Rubi, Teresa
Exibições 13
Palavras 1.240
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 20 - A Velha Amiga


Fanfic / Fanfiction Olhos De Diamantes - Capítulo 20 - A Velha Amiga

   Michael acorda e ainda com os olhos fechados tateia a cama a procurar pelo corpo de Alessandra. Estranhando não encontrá-la, abre os olhos e vê que está sozinho no quarto de Neverland.

   Não teve lua-de-mel. O momento não permitia aquilo já que Michael estava começando a trabalhar num novo álbum. Além disso, sabiam que de uma forma ou de outra não teriam privacidade graças à mídia.

   Estando prestes a se levantar e procurar por ela, Michael a vê entrando no quarto com uma bandeja de café-da-manhã.

   —Já acordado, meu amor? — comentou andando até ele e depositando um beijo suave nos lábios finos do marido.

   —Sim. Onde você estava?

   —Na cozinha, preparando o café para você — respondeu com jeito dengoso.

   Michael sorriu e ela pôs a bandeja sobre o colo dele.

   —Obrigada, meu amor. Não precisava fazer isso.

   —É claro que precisa — disse ficando ao lado dele, e logo começaram a comer — Já reparou que casados este é o nosso primeiro café da manhã?

   —Sim, é verdade. Mas eu preciso comer rápido porque daqui a pouco tenho reunião na gravadora e não posso me atrasar.

   —Reunião na gravadora?

   —Sim. Eu não te disse que estou trabalhando num novo álbum?

   —Sim, mas… Nós nos casamos ontem, e hoje é domingo! — disse com o rosto denunciando irritação.

   —Alessandra, eu te disse que seria assim quando nos casássemos. Eu sou um homem ocupado. Não posso ficar o dia todo em casa fazendo nada.

   —Nós não tivemos lua-de-mel, e agora você me vem com essa história de reunião no dia seguinte ao casamento!

   Michael respirou fundo querendo manter a calma para evitar que aquela briga fosse longe demais.

   —Como você mesma disse, nós nos casamos ontem, e eu não quero brigar com você agora — avisou e se levantou da cama.

   —Oh Michael, e o que eu vou fazer aqui o dia todo sem você? — reclamou indo atrás dele — Eu devolvi as ações que tinha na Marry Dress para aquele ogro do Thomas. Não tenho mais o meu emprego... Eu não tenho nada para fazer!

   —Eu não sei... — respondeu despreocupado enquanto lavava o rosto e escovava os dentes; Alessandra o fitava furiosa de braços cruzados, ali, parada na porta — Agora você é a mulher da casa. Pode dar ordens aos empregados, escolher o que vai ser servido no almoço, ir ao shopping, cuidar das crianças... Tem muita coisa para fazer aqui!

   —Shopping? — repetiu interessada — É, eu acho que estou mesmo precisando renovar meu closet.

   —Ótimo. Pode pegar o cartão de crédito na minha carteira. Mas agora eu preciso tomar banho — ele falou e bateu a porta na cara dela.

   Mas satisfeita Alessandra foi correndo pegar o tal cartão. Sorriu com ele nas mãos.

   —E eu que estava com peninha de você... — falava consigo mesma — Eu vou te ensinar a me esnobar desse jeito. Vai ver só...

   Alessandra foi diretamente para o closet e se vestiu para sair também. Quando terminou, Michael estava saindo do banho. Porém, ela o ignorou e foi embora sem ao menos se despedir. Também não se preocupou com as crianças, que agora seriam como seus filhos; entrou no carro e caiu na estrada.

   Um segurança estava com ela; afinal, agora seria necessário já que mesmo antes do casamento, por vezes paparazzi a incomodaram.

 

***

 

   Alessandra já estava carregando várias sacolas, e o segurança também, quando era apenas meio-dia.

   —Senhora Jackson, eu acho que seria melhor nós guardarmos as compras no carro antes de continuar — disse Julius, o segurança: um homem moreno, alto e bastante musculoso.

   —Oh não, eu já estou terminando. Vamos naquela loja ali — disse apontando para o letreiro que continha o nome de uma grife famosíssima de sapatos e bolsas.

   O homem não ousou protestar, e para lá seguiu também.

   —Bom dia senhora, em que posso lhe servir? — atendeu uma moça uniformizada.

   Alessandra olhou ao redor, observando tudo, até que apontou para uma vitrine onde estavam várias sandálias da nova coleção.

   —Eu quero todos os sapatos daquela vitrine no meu tamanho. E as bolsas também.

   A moça olhou um pouco surpresa para ela e perguntou:

   —Tem certeza?

   —É claro que sim! E pode embalar todos. Não vou sequer experimentar.

   A atendente olhou para Alessandra dos pés à cabeça, depois notou a presença de um guarda-costas acompanhando-a. Logo teve certeza de que aquela era uma cliente com condições de pagar por aquela compra.

   —Como desejar.

   Prontamente foram embalados os sapatos e as bolsas que ficaram em nada mais, nada menos, que cento e oitenta e três mil dólares. Tudo, é claro, pago com o cartão-de-créditos do marido. Isso sem falar nas outras lojas que também visitou.

 

***

 

—Não acredito no que estou vendo! — Michael exclamou ao chegar à gravadora e se deparar com uma velha amiga que já há anos não via: Maria.

   Ela se levantou da poltrona onde estava sorrindo de orelha à orelha e o abraçou com força.

   —Eu pensei que nunca mais fosse te ver! — continuou — Você está ótima!

   —Você também está, Michael.  Eu fiquei tão feliz hoje quando soube que você iria vir aqui! — confessou ainda de mãos dadas com ele — Venha comigo, a reunião será no décimo primeiro andar.

   Ele foi andando com ela. Ao chegarem à sala, viu que ainda estava vazia.

   —Os outros não devem demorar a chegar — ela disse —. Sente-se.

   Antes, Michael puxou a cadeira para ela, e depois sentou-se numa outra próxima.

   —Soube que você se casou — Maria puxou assunto.

   —Sim. Na verdade foi ontem mesmo!

   —Ontem?! E com que coragem você deixa sua esposa sozinha em casa no dia seguinte ao casamento?

   Ele deu uma risadinha sem graça enquanto Maria ainda olhava para ele sem acreditar.

   —Eu não queria, mas tenho meus compromissos como cantor — justificou-se.

   —Eu sei.

   —Mas e você, também está casada? Lembro-me que da última vez em que nos vimos você estava noiva.

   O rosto de Maria perdeu completamente a expressão de felicidade e Michael pôde notar que havia tocado numa ferida dela.

   —Desculpe, eu acho que falei algo que não deveria.

   —Não, não tem problema. Na verdade eu e Leonardo terminamos há um ano.

   —Oh eu sinto muito.

  —Não sinta! No fim eu acabei descobrindo que ele não valia nada.

   Michael assentiu com a cabeça, ainda um pouco sem graça lembrando-se em segredo do tempo em que sentiu uma paixão platônica por aquela mulher. Naquela época, Maria ainda era uma moça, que assim como Alessandra era jovem e havia chegado à cidade pelos estudos. Porém, era completamente apaixonada pelo namorado, um homem que desde o início Michael soube que iria feri-la de alguma forma.

   —Então, me diga: como estão aquelas duas lindezas? — perguntou referindo-se à Paris e Prince.

   —Estão bem. Acredita que às vezes eles ainda me perguntam sobre você?

   —Oh, eu muito sinto a falta deles. Um dia gostaria de visitá-los, conhecer a sua esposa...

   —Claro! Eles iriam adorar; tenho certeza disso. Mas mudando de assunto, pelo visto você conseguiu o que queria.

   —Refere-se a trabalhar aqui como advogada?

   Ele confirmou com a cabeça enquanto mordia o lábio inferior.

   —Oh claro! Você se lembra de quando eu vivia dizendo que sonhava em trabalhar numa grande empresa? Eu consegui! Mas tive que batalhar muito para chegar até aqui. Principalmente depois que terminei o namoro com Leonardo — fez uma pausa — Entrei numa depressão profunda quando isso aconteceu.

   —Bem, o que importa agora é que agora você está bem, e conseguiu realizar seu sonho — falou apertando as mãos finas e delicadas dela por cima da mesa.

   —É verdade.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...