História Ômega {Lysmin} - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Armin, Castiel, Kentin, Lysandre, Nathaniel
Tags {armin!ômega}, {lysandre! Alfa}, Arminxlysandre, Casnath, Kenale, Lysandre X Armin, Lysandrexarmin, Lysarmin, Lysmin
Exibições 176
Palavras 1.522
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Ficção, Hentai, Lemon, Luta, Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oi, docinhos!
~~le ajoelha~~ ME DESCULPA EU SEI QUE EU DEMOREI DESCULPA DESCULPAAAAA!! NÃO ME MATEM!
Agora, ok.
Ficaram com saudades de mim? Sim? Não? Ok ;-; ~~ le, vai chorar no cantinho~~

Man, eu to bem triste, sério mesmo... Acho que a maioria de vocês sabem que 2NE1 deu disband e eu sou blackjack a bastante tempo sabe... A ficha ainda não caiu pra mim, eu to bem mal mano ;-;
4MINUTE, KARA e 2NE1, todos esses grupos deram disband (acabaram) esse ano, eu n to bem. JÁ PODEM CANCELAR 2016!!!


Agora, que eu desabafei minha tristeza, vamos ao capítulo!
Boa leitura! ♡

Capítulo 3 - Dois


"Esta vida é um punhal de dois gumes fatais :

Não amar é sofrer; amar é sofrer mais."

                           - Menotti del Picchia

 

 

 

 

 

 

Armin ON

 

 

 

Olá querido ser que está lendo isso, sou Armin! Ok, vocês não se importam.

Sim, eu sei, era para eu começar narrando no primeiro capítulo, mas... Foda-se.

 

Sim, delicadeza é meu nome do meio, obrigado.

 

 

Continuando :

 

 

A aula finalmente havia acabado – Graças a divindade do meu espelho – e logo saí da sala acompanhado de Laura e Nathaniel. Peguei meu celular e meus fones ignorando a presença de qualquer um, até mesmo de meus amigos, mas, algo me chamou atenção : Uma multidão de ômegas e betas.

 

 

– O que está havendo ali? – Perguntou Nathaniel, com um semblante curioso.

 

– Vamos olhar. – Laura disse simplista, puxando-nos pelo braço com certa força.

 

Essa garota é tão delicada quanto um coice de um cavalo.

 

– É a segunda vez que sou puxado só hoje. – Disse rindo. Aquela ômega não tem jeito.

 

Como se eu tivesse.

 

Laura continuou nos puxando, enquanto empurrava várias outras ômegas e betas que estavam na multidão.

 

– Saíam da minha frente, bando de vadias! – Disse em alto e bom som. Laura podia até não ser uma alfa, mas a voz que utilizava aparentava a de uma.

Ao chegarmos um pouco mais perto, conseguimos ver claramente o que estava acontecendo. Eram apenas os ômegas e as ômegas se esfregando naquele alfa.

Tudo puta.

 

– Cassete, eu achei que era briga, já estava até com a pipoca. – Disse ela, mostrando um daqueles pacotes de pipocas de micro-ondas. Ok, onde essa garota achou isso?

 

– Ok... Onde você conseguiu isso? Você não estava com bolsa e nem levou isso para a aula. – Perguntou Nathaniel um pouco desconfiado.

 

– Achei por aí. Quer? – Perguntou estendendo o pacote para nós dois.

 

– Vou passar essa. Sabe se lá onde isso aí estava. – Disse o loiro e consegui ver um bico se formando nos lábios de Laura.

 

– Seu fresco. – Disse a ômega, colocando um punhado de pipoca na boca. – Ei, aquele não é o Alexy? – Disse com a boca cheia, apontando para o azulado.

 

No mesmo momento, Alexy nos olhou de canto de olho e consegui perceber que seu semblante era triste. Alexy desviou o olhar do meu e virou-se para seu armário, abrindo o de imediato. Ele estava tentando me ignorar?

Me aproximei um pouco mais, caminhando até onde o mesmo estava, porém, antes que eu dissesse se quer uma palavra, o azulado deu as costas para mim, me deixando parando em frente aquele extenso corredor. É, Alexy estava me ignorando. 

Motivo? Eu também queria saber, amiga. Ou amigo, vai que você que está lendo é homem, quem sabe.

 

Espera, o que eu estou dizendo?

Desculpe querido leitor, eu, Armin, ser que nem sabe ao menos narrar um história, tem sérios problemas mentais, então, creio que é melhor deixar isso com nossa "querida" autora.

 

 

 

Autora ON

 

 

– Esse vácuo doeu em mim. – Disse Laura, indo até o moreno.

 

– Você fez algo, Armin? Quer dizer, fora sair de casa? – Perguntou Nathaniel.

 

– Ao menos com ele, não. Quer dizer, eu acho... – Disse pensativo, logo soltando um suspiro.

 

 

O moreno olhara mais uma vez para a multidão e por algum motivo, os ômegas e as ômegas haviam indo embora. Desviou seu olhar para Lysandre e conseguiu ver uma expressão de certo alívio vindo do platinado, e confessou, fora engraçada.

 

 

09:45 AM

 

 

O moreno estava no pátio, praticamente sendo obrigado a respirar ar puro, sentado em um banco gélido, apenas escutando música, afinal :

 

1 - Não pudera ficar na sala de ciências porque a bruxa – vulgo, professora Delaney – praticamente lhe expulsou da mesma.

2 - O cartão de memória de seu celular era uma merda e ele não tinha sequer algum jogo para se distrair.

3 - Estava sem créditos e não sabia a senha do wi-fi da escola, então, não poderia reclamar da vida no twitter.

 

 

Agora o moreno conseguira ver claramente a gravidade do problema.

 

– PUTA QUE PARIU, EU 'TÔ SEM TWITTER! – Gritou alto, recebendo alguns olhares dos demais alunos que estavam ali.

 

– FODA-SE. – Recebeu um grito de volta, e percebeu que era a voz de Castiel, o qual estava encostado em uma árvore afastada.

 

Armin e seus dramas...

Sem nada para fazer, o moreno decide pegar seu celular, abrindo as notas, logo começando a escrever o próximo capítulo de sua fanfic. Sim, o moreno, além de ficar o dia jogando, escrevia fanfic's.

Olhou em volta, afinal, precisava de inspiração, porém avistou certo garoto de cabelos platinados lhe observando. Seus olhares estranhamente se encontraram, e logo o platinado desviou o olhar. Para o moreno, aquilo havia sido muito estranho, mas tinha certeza que o mesmo pode está pensando : "Só mais um ômega para enganar e foder."

 

"Alfas são todos iguais mesmo."

 

O moreno ignorou o acontecido e novamente voltou sua atenção ao celular, mas, foi interrompido por uma voz feminina a qual reconheceria de longe. Anne. 

 

– Oi, mimin! – Disse a alfa, com voz fofa - ao menos tentando -.

 

– Hum, oi, Anne... – Disse sem interesse, querendo ter dito "O que quer, vadia?".

 

– Ai, que "oi" seco! É assim que você trata sua namorada?! – Perguntou fazendo bico - o que na opinião do moreno ficou ridículo - tentando ser fofa.

 

– Você não é minha namorada, e eu nunca namoraria uma garota tão rodada quanto você. – Disse olhando no fundo dos olhos da mesma. Ok, talvez ele tenha pegado pesado mas, como o mesmo diria, ela merece.

 

– Você ainda vai ser meu. Grave minhas palavras, Armin. – Disse, levantando-se do banco.

 

 

"Yandere, sim ou com certeza?" – Perguntou-se mentalmente.

 

 

– Ei, Anne! – Chamou, vendo a garota se virar para sua direção. – Eu não curto a fruta! – Disse rindo, vendo o rosto da garota avermelhar-se de raiva.

 

Talvez fosse mentira, ou talvez verdade o que acabara de falar, porém, nem o mesmo sabia, afinal, quase não existia homofobia na "comunidade ABO", e mesmo se existisse, nenhum alfa iria querer namorá-lo, certo? Alfas querem ômegas "fofos" e que sejam totais submissos a si, não é? E como diria sua mãe, ele não era um ômega "comum".

Mas, não era algo que o moreno se importara tanto... Não é?

 

O moreno afastou tais tipos de pensamentos e olhou mais uma vez para o banco onde Lysandre encontrara-se da última vez, mas o platinado já não estava lá. De longe, o ômega conseguiu ver que havia uma pigmentação diferente ali, que não fazia parte banco em si : Era um bloco de notas.

 

O garoto aproximou-se do banco de modo discreto, tentando ao máximo não ser notado ao pegar o pequeno objeto ali existente. Já com o objeto em mãos e o observou por um momento. 

 

Lysandre.

 

O nome do platinado estava escrito no objeto com uma letra um tanto estranha, porém, era legível. Logo, a curiosidade de ler as páginas do mesmo atingiu Armin, fazendo o mesmo morder levemente o lábio inferior.

 

"Armin, não leia." – Repetiu mentalmente.

 

O moreno virou os calcanhares, indo em direção a entrada da escola, procurando o alfa de cabelos platinados. Passou pelos corredores, vendo alguns alfas ali presentes olharem para si, por conta de seu cheiro. Armin realmente odiava alfas.

 

Alfas se acham melhores que todos, são mandões, frios, cínicos, calculistas e como o próprio moreno gostava de chamá-los : Um bando de filhos da puta.

Logo parou, avistando o platinado em seu armário, provavelmente procurando o bloco de notas.

 

 

– Onde eu deixei?... – Perguntou a si mesmo em um sussurro.

 

– Lysandre? – Perguntou, fazendo o platinado levar um pequeno susto.

 

– Oh, olá... Armin, não é? – Perguntou pensativo, vendo o moreno assentir lentamente.

 

– Bem, você deixou seu bloco de notas naquele banco... – Disse estendendo o objeto ao maior.

 

– Oh, obrigado... Eu vivo o esquecendo por aí. – Disse com um sorriso tímido, fazendo com que suas bochechas aderissem um leve tom escarlate.

 

– Tudo bem, não há o que agradecer. – Sorriu amigavelmente.

 

 

Porque Armin estava sendo tão gentil com um alfa? Armin nunca abaixava sua guarda diante um, então, porque com Lysandre fora diferente? O platinado lhe passava... Segurança, talvez? Não, não era isso... Talvez fora educado porque o alfa também fora? Com certeza, não.

Mas, Armin não podia se deixar levar, não é? Afinal, ele era mais um daqueles alfas nojentos... Certo?

 

Os dois ficaram em silêncio por um momento, e antes que o mesmo se torna-se desconfortável para os dois, foram interrompidos por ruídos vindos dos alto-falantes.

 

 

– Ahn? Já está funcionando, Melody? – Ouviram a pergunta da diretora, e soltaram uma leve risada. – Bem, bom dia alunos! Como já sabem, a escola virou um colégio interno temporário, e se der certo, faremos com que se torne um de verdade! – Disse alegre – Vocês devem ir até o grêmio para buscarem suas malas e informação dos quartos AGORA MESMO! ENTENDIDOS? – Gritou a última parte – Já está desligado?

 

Os alto-falantes haviam sido desligados e os dois garotos se entreolharam.

 

 

– Então... Já sabe quem será seu colega de quarto? – Perguntou o platinado, com sua típica voz calma e expressão pensativa.

 

– Sim. – Disse o moreno de modo simplista.

 

– Sem querer ser intrometido, e já peço desculpas por isso, mas... Com quem ficarás? – Perguntou olhando nos olhos do ômega.

 

– Com você. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Continua...?

 


Notas Finais


Bem, foi isso, eu espero que vocês tenham gostado, e que não tenham desistido de mim! ♡

Manoooooo muito obrigada pelos +90 favs, sério, nunca pensei que favoritariam tanto a fic em apenas 2 capítulos, eu to dando o berro da pantera asiática! Haayhsay ♡

Nos vemos no próximo! Beijos de purpurina trevosa ♡


Twitter : @Army_Fujoshi


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...