História Omegas e alfas - Capítulo 33


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Abo, Alfas, Jikook, Kookmin, Namjin, Ômegas, Vhope
Visualizações 918
Palavras 3.617
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Fluffy, Lemon, Orange, Romance e Novela, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


HEEYYYY
GENTE MAIS LIMONADA PRA VOCÊS KAKAKA
eu tenho que parar G-deus! desculpem se ficou ruim, como sabem não tenho a benção chamada criatividade.

QUEM NÃO GOSTAR DE COISAS SÁDICAS OU MASOQUISTAS, POR FAVOR, NÃO LEIA ISSO, É MUITO TORRA A CARA.


(e tá pesadão)

boa leitura <3

Capítulo 33 - Meio masoquista


Fanfic / Fanfiction Omegas e alfas - Capítulo 33 - Meio masoquista

 

 

             JIMIN ON~

 

Acordei e não existe nada melhor do que ter Jungkook ao seu lado, me senti um ômega novo, nossa conexão estava mais intensa e agora eu podia sentir tudo o que ele sentia.. não tem como não ficar feliz com isso, sua tristeza, sua alegria, sua raiva.... mesmo não sendo todos sentimentos bons, de alguma maneira me deixava aliviado saber como ele realmente se sentia em relação as coisas e especialmente.. a mim..  nunca pensei que marcaria um alfa, nunca pensei que algum tivesse tanta confiança em mim a ponto de jogar seu orgulho fora, nunca pensei que fosse tão amado por alguém, eu sei, eu sei... isso é uma coisa boa .. apenas fiquei.. surpreso?.  Sendo bem sincero, pensei que ele se arrependeria de me ter dado tal confiança, mas o que me deixou mais intrigado, foi que a única coisa que senti vindo dele derivou de felicidade, as vezes fico imaginando... para onde foi aquele alfa arrogante?  rio sozinho cogitando a ideia de ter lhe domado, não que ele fosse um cavalo ou algo parecido, longe disso, apenas fico alegre em saber que ele se entregou a mim, assim como eu me entreguei a ele.

Vejo-o acordado me olhando de modo carinhoso, senti uma leve culpa do que estava planejando fazer com o mesmo, mas isso logo foi embora quando veio a minha cabeça de que isso poderia ser bom. Levantei dando bom dia e percebi que minhas pernas não doíam mais na mesma intensidade, meu quadril estava curado e jesus, aquele antibiótico faz milagres, fui até meu quarto pegar algumas "coisas", afinal, meu alfa merece sentir um pouco da dor que me fez passar. Mesmo ele não tendo consciência dos seus atos na hora, vai ser legal brincar um pouco com ele... quer dizer... não é como se eu fosse machuca-lo.. ou talvez... um pouquinho, foi ai que eu percebi, que realmente queria vê-lo berrando meu nome, me pedindo por favor, implorando para me ter. Estava guardando aquela mala já fazia um certo tempo, apenas estava esperando a deixa correta para utiliza-lá, e realmente, aquele seria o momento perfeito.

 No momento em que retirei o chicote de couro, os olhos do maior se arregalaram, ele não tinha mais o mesmo poder sobre mim que antes, agora éramos iguais, sem submissos. Digamos que eu queira me aproveitar um pouquinho dessa liberdade me dada, e posso garantir que vou. Mal sabia ele de que o chicote, era a coisa mais calma que aquela bolsa guardava. Espero que ele esteja pronto para o que está prestes a vir.... porque eu realmente não irei ter piedade e com certeza, não iria pegar leve. Seus olhos pretos estavam meio abertos de mais, seus lábios vermelhos pelos dentes ficarem apertando-os com certa força, seus cabelos bagunçados por acabar de acordar... esse alfa fez minha sanidade esgotar em apenas segundos..

 

 

- Jimin... olha... temos outros jeitos de resolver isso meu amor, sei lá... que tal uma conversa? - surgeriu enquanto fazia gestos com as mãos e levava o corpo de leve para trás a cima da cama com a intenção de ficar um pouco mais longe de mim, ri do mesmo e fui apenas indo cada vez mais perto de seu corpo.

 

 

- Haa Jungkookie! não seja estraga prazeres... seu ômega quer que você o satisfaça - falei manhoso e pude perceber a ereção se formando, me permiti olhar e logo me aproximei dele a passos lentos e pouco ameaçadores. Ele estava meio suado de forma que fazia molhar seu corpo e deixa-lo num brilhante meio fosco, seu peitoral a mostra graças ao roupão em decote em "V" que lhe escondia, suas coxas a mostra a cima da cama e suas mãos apoiando seu corpo sobre o colchão mole.

 

 

- Jimin? o que você está planejando? - seu tom era receoso, um leve tremor tomou suas cordas vocais entregando o seu medo do que estava prestes a vim, na verdade, eu não precisava ouvir sua voz para saber o que sentia, a marca era nítida em relação a isso. Não disse nada, me joguei a cima de seu corpo sentado e tomei seus lábios arrumando-me em seu colo rebolando e apoiando minhas pernas uma de cada lado de seu corpo, ele colocou suas mãos em minha cintura após apoiar as costas na cabeceira, sorri perverso enquanto a cada momento imaginava Jungkook sobre meus fetiches, o beijo esquentava mais, meus dedos dançavam pela sua nuca, nossos corpos correspondiam de maneira rápida, ambos estavam quentes e apenas com um beijo nossos membros se tocavam e nos faziam estremecer pela rigidez que se encontravam. Mal sabia ele, que tinha pego algemas... e posso garantir que não eram as de brinquedo. As escondo em minhas mãos e faço-o levantar-se da cama de modo receoso, vou até a bolsa/ vulgo novo inferno do Jungkook, e pego uma venda preta da qual tamparia seus olhos o impossibilitando de ver algo, ou seja, eu.

O prenso na parede e ele parece não se importar, desço os beijos até seu pescoço e pelo o que percebi, ele estava me deixando ter o controle, chupo a região deixando um avermelhado que logo se torna roxo, meus dentes tinham sua marca no seu pescoço pálido, pego as algemas e prendo seus pulsos juntos na frente de seu corpo e em seguida coloco a venda em seus olhos a amarrando com força o fazendo soltar um gemido de frustação, continuou a distribuir os beijos e abaixo uma de minhas mãos até seu membro o apertando de leve o fazendo arfar e morder os lábios que fez surgir um gosto metálico quando novamente nossas bocas se tocaram.

 

 

- Isso é mesmo necessário? eu quero te tocar Jimin, eu quero ver o seu rosto assim que eu entrar e sair rápido de você- falou rouco no meu ouvido logo fazendo força para se ver livre do pedaço de metal que o prendia, o roupão do qual estava circulando seu corpo foi levemente levantado por seu membro ereto, senti uma fisgada mas não iria ceder, ele merecia.

 

 

- Calma amor... ainda nem começei e já ficou assim? - falei mordendo seu lábio inferior e roçando levemente nossas intimidades.- Você se lembra do que me fez passar no seu cio? - perguntei e ele assenti - você sabe falar, portanto me responda! - elevei a voz esperando ele fazer algo contra, mas para minha surpresa, apenas respondeu.

 

 

- Lembro .. -falou num tom nervoso, passei minha mão por de baixo do pano apertando seu intimo novamente -porra Jimin... está mexendo com fogo ... - gemeu arrastado quando eu resolvi colar nossos membros fazendo uma fricção boa se fazer presente juntamente com um choque percorrente em nossos corpos.

 

 

- Eu vou fazer o mesmo com você... só que pior - falei provocante - e.. já disse que adoro me queimar? - ele riu não acreditando no que eu tinha falado, depositei uma lambida em seu pescoço que se encontrava cheio de marcas. - espere um pouco - falei e andei até a bolsa tirando correntes de tom metálico, eram um conjunto que vinha juntamente com as algemas... estava planejando aquilo a tempos. Fecho a cortina de veludo da qual deixou o quarto num breu total, a cima de nossas cabeças continha um tipo de gancho que ele usava como suporte para pendurar suas coisas, logo conectei as algemas as correntes e coloquei a ponta da mesma no guancho o deixando com as mãos erguidas e totalmente entregue a mim, gotas de suor circulavam seus músculos enquanto seu corpo estava esticado e muito provocante. 

 

 

Seu roupão estava incomodando a minha vista, logo fui até o nó deferido o desamarrando lentamente enquanto dava beijos em seu peitoral desnudo. Assim que consegui abrir o tecido ele gemeu aliviado por seu membro estar livre de tal incomodo, passo as mãos lentamente pelo seu abdômen frio e  definido fazendo-o se arrepiar, ele estava tão sensível a meus toques que aquilo estava me deixando viciado, tudo o que eu queria era ouvir ele gemer meu nome...

 

 

- Não sabe como fica lindo tão exposto... haa Jeon, está me deixando duro... - ele riu e passou a língua pelos lábios os umedecendo - será que vou ter que pegar pesado com você?

 

 

-  não sabe como eu quero que você me puna... mostre-me quem manda agora Jimin... - ele claramente estava me provocando, suas palavras eram gemidos, sua respiração ofegante e eu louco para toca-lo..

 

 

Me aproximei de seu corpo e comecei uma masturbação lenta o fazendo abrir a boca surpreso pela a ação repentina, ele falava coisas desconexas e se debatia nas correntes firmes a cima de si, seu corpo tremia e as algemas grossas estavam abrindo pequenas feridas em seus pulsos - Amor, vão ficar marcas se continuar se debatendo, você é um alfa muito desobediente... não acha? - perguntei e ele não disse nada. - NÃO ACHA? - pergunto novamente o vendo assentir.

 

 

- A-acho... - falou de modo sôfrego me fazendo sentir um calor tomar meu baixo ventre. Rasgo a peça de roupa da qual eu tinha desfeito o nó que mostrava sua barriga logo o deixando nu por completo. Seus gominhos da barriga faziam as gotas de suor circularem por si, fios grudados em sua testa e seu pênis ereto de modo que eu imaginava estar doendo.

 

 

- Se você gosta de sentir dor... eu vou fazer você morrer de prazer Jeon. - olho para baixo e seu membro pulsa... quem diria... ele é metade masoquista, estou gostando desse outro lado. O ar saia com agressividade de seus pulmões e em nenhum momento parava de tentar puxar seus braços das algemas, pego o meu chicote e passo o couro frio e duro em sua bochecha o fazendo arrepiar assim que o objeto entra em contato com sua pele quente. - Sabe o que eu tenho aqui? - pergunto.

 

 

- Não - diz negando com a cabeça.

 

 

- Vou te mostrar -  dou uma chicotada em suas pernas o fazendo soltar o ar que havia prendido nos pulmões, rio por ele estar se segurando para não gritar, sendo que era o que eu mais queria... o ouvir berrar. - Parece que não estou usando toda minha força - chicoteio-o novamente agora na barriga, um pequeno corte fica na região agora avermelhada, seu corpo tinha pequenos solavancos fazendo as correntes se tocarem num barulho de sino. Vou bem perto do seu rosto sentindo sua respiração pesada e quente bater em minha face - eu quero te ouvir gritar Jungkook... eu quero te ouvir implorar. - deixo um selinho em seus lábios e bato o couro quente abaixo de sua axila o fazendo soltar um rosnado, ele serra os dentes e fecha as mãos em punhos fazendo-as ficarem brancas pela força . - Não deixei você rosnar.. deixei?.

 

Bato novamente, agora fazendo um barulho alto assim que o chicote vai de encontro com seu corpo o fazendo urrar grosso. meus ouvidos adoraram escutar aquela voz de sofrimento e pediam por mais daquele som, queria mais... muito mais...continuei com as chicotadas por suas coxas, braços, abs, costas... Em algumas regiões haviam ficado num tom roxeado, e em outras tinham pequenos cortes dos quais saiam alguns pingos de sangue, a cada contato era um grito diferente me deixando mais excitado a cada vez que o ouvia. Ele joga a cabeça para trás e engole a saliva com dificuldade, julgo que seu choro estava preso na garganta e ele não o deixaria sair tão cedo.

 

 

- O que você quer Kookie?... - pergunto assim que paro e o fico olhando cheio de marcas, ando rodeando seu corpo e passando o chicote por volta do mesmo, ele arrepiava-se a cada toque e resmungou algo que não entendi - Eu não escutei - bati estralado em sua bunda e ele soltou um grito, observava todas as suas ações, e elas eram as melhores que eu já vira, a cada chicotada sua expressão de dor se fazia presente, mas junto da mesma vinha um gemido de prazer me fazendo enlouquecer - Me diga... o que você quer?

 

 

- Q-Quero te foder forte até você ficar paraplégico - sua voz era falha pelos berros que dará, eu sorri sádico e lambi os lábios.

 

 

- Sabe o que eu quero? - pergunto e ele nega com a cabeça impossibilitado de falar.- Quero te ver sofrer, quero te ver chorar e quero que me foda fortemente. - disse e seu corpo estremece - sabe o que irá acontecer se não fizer direito? - ele nega novamente - eu farei da sua manhã um inferno. -  falei guardando o chicote e acendendo uma vela vermelha para dar alguma iluminação para o local, poderia ser de manhã, mas o quarto era escuro e com a cortina grossa deixava tudo menos nítido e a minha visão só piorava, aquela cena de Jungkook todo submisso deveria ser bem vista, deveria ser guardada. Então, acabei por tendo uma ideia, peguei a cera da vela avermelhada e pensei "porque não?" e joguei um pouco em suas costas, a cera escorreu até sua barriga o fazendo gritar, sua voz de dor entrava pelo meu ouvido me fazendo fechar os olhos e melhor aproveitar aquele momento. Ele suava fazendo a cera que pelava secar de modo rápido, não me saciei com apenas aquilo, joguei um pouco em sua coxa e ele fez uma careta pela ardência, Sua dor e prazer eram descontados nos próprios lábios pelos dentes afiados e brancos que cortavam, o mesmo derramava sangue que escorria pelo canto da sua boca . Sorri grande e continuei a esparramar o líquido quente, agora, pela sua parte interna da coxa rente a virilha, assim que a cera secava grudava em seu corpo deixando a região vermelha pela temperatura e queimando sua pele de forma lenta.

 

 

- Haannn - gemeu enquanto uma gota passava por si correndo pela sua carne.

 

 

- O que foi amor? - pergunto jogando mais cera da qual ia até seus pés fazendo pequenas linhas avermelhadas vez ou outra tirando uma pequena camada de pele.

 

 

- Jimin... essa merda tá doendo - disse, seu membro estava pingando a pré gozo enquanto se encontrava totalmente ereto, seus braços tantavam se soltar com brutalidade puxando com força fazendo as correntes se esticarem num barulho alto e seus pulsos sangrarem ainda mais fazendo o líquido vermelho escorrer por seus braços.

 

 

- É mesmo? que pena.. - coloquei a vela em cima do criado-mudo, apertei seu membro por entre meus dedos fazendo-o gemer alto - Ainda não terminei amor... - disse, me distanciei um pouco do corpo e ... caralho... essa foi a melhor vista de toda minha vida, Jungkook quase nas pontas dos pés com os braços esticados para cima, com sua boca entre aberta, sua respiração ofegante, pequenas linhas de sangue passando pelo seu corpo, cera de vela vermelha e seca grudada em si e a venda preta molhada e grudada em seu rosto só deixava tudo mais excitante.

 

Me aproximei dele e me ajoelhei a sua frente, queria ver sua expressão de agonia, mas também queria que ele sofresse mais. Coloquei a cabeça de seu membro em minha boca dando leves sucções enquanto seus gemidos preenchiam o cômodo e ecoavam pela minha cabeça como se fosse o mais doce som.

 

 

- Haa-haaa  J-jimin..- gemia meu nome me deixando com uma grande vontade de sacia-lo, mas me segurei.

 

 

-O que foi Kookie? -pergunto inocente - o quer que eu faça? - um sorriso malicioso tomou minha face.

 

 

- Eu quero que coloque essa boca em mim para que eu possa fode-la - disse entre os dentes segurando sua excitação. Ri de seu estado e coloquei tudo em minha boca, circulava a sua extensão com minha língua e hora ou outra chupava sua glande, ele jogava os quadris para frente e para trás fazendo seu membro entrar e sair de minha boca com brutalidade, as vezes acertando minha garganta fazendo-me engasgar, o que foi totalmente ignorado.

 

Assim que ele estava próximo do ápice parei o que fazia e retirei um instrumento circular da bolsa de couro que assim que apertado, impossibilitava a ação de gozar, sorri ao perceber o quão horrível eu sou e fui até o mesmo fazendo o aparelho adentrar seu pênis o fazendo gemer arrastado e aperta-lo fazendo-o gritar. Aquela punição era pra ele, mas eu também estava sendo prejudicado, meu membro estava me deixando incomodado de tanto doer e sem perceber, me tocava apenas olhando para o estado do alfa a minha frente " como ele é maravilhoso meu deus..."

 

 

- Jimin... já não é melhor acabar com isso? eu fico imaginando você... preciso te tocar, preciso olhar sua  ... haaa - um gemido lhe interrompe assim que seu membro volta a ficar ereto. aperto o instrumento o fazendo gritar mais alto, um tipo de aparelho bocal estava escondido dentro da mala, o mesmo tinha uma barra de ferro sendo segurada por duas tiras de couro, tiro o mesmo de lá e coloco a barra metálica em sua boca segurando sua língua fazendo o som da sua voz sair como um abafo, prendo as tiras de couro para trás de sua cabeça assim como se prende um cinto,  pego a lâmina de uma faca e distribuo leves cortes pelo seu abdômen, sua boca soltava um ar abafado que demonstrava seu tom sôfrego, seu sangue inundava de leve o chão deixando uma mancha abaixo de seus pés. Eu já não aguentava mais... meu corpo não aguentava mais...

 

Vou até o mesmo e pego o lubrificante na bolsa, jogo a faca longe e passo um pouco em minha mão, em seguida espalho no membro do maior o deixando bem molhado, o que não era lá necessário já que estava praticamente expelindo lubrificante natural da minha entrada. comecei novamente uma masturbação lenta como modo de deixar bem lubrificado e fiquei de costas para o seu peitoral, logo passei de leve sua glande na minha entrada fazendo ambos gemerem manhosamente arrastado, ele joga o quadril pra frente fazendo seu membro me adentrar por completo, grito com a sua ação e ele começa a me estocar lentamente .

 

 

- Você .... aahnn... vai ir mais rápido... ou vou ser obrigado a te castigar novamente?- falei entre gemidos e pausas para respirar. Ele ri abafado e começa a acelerar, em questão de segundos estava me estocando de maneira funda e forte, ele puxava seus braços com força ainda querendo se ver livre das amarras, sua venda estava molhada por conta do suor, meu corpo ia e vinha com agressividade e da minha boca só saiam gemidos altos.

 

nossos corpos começaram a fazer uma sincronia de barulhos assim que se batiam, o membro de Jungkook saia rapidamente e adentrava com brutalidade acertando minha próstata vez ou outra me fazendo gritar por tesão, eu o sentia me invadir sem dó enquanto minhas pernas quase cediam a luxúria.

 

 

- AAHN! - gemi alto e ele penetra naquele ponto novamente.

 

 

- Haaa Jimin... - disse com dificuldade por conta do ferro em sua boca e aumentou as investidas, minhas pernas amoleciam cada vez mais e acabei por empinar minha bunda para facilitar o acesso, ele penetrou-me acertando novamente minha sensiblidade fazendo minha entrada contrair-se e espremer seu membro logo o fazendo soltar um gemido que originou um grito rouco, continuei a aperta-lo fazendo a ação de adentrar e sair quase impossivel. isso foi o final das nossas sanidades para fazer-nos chegar a nosso limite. O nó se formou me fazendo ceder e sentir seu pênis inchar, Jungkook estocava de leve com o nó formado me fazendo ter solavancos pelo orgasmo recente.

 

 

Eu respirava ofegante e tirei-o de dentro de mim, arranquei o aparelho circular de seu membro e jatos do liquido branco jorraram fazendo-o jogar a cabeça novamente para trás, nossos corpos estavam pegajosos por conta do suor e nossas respirações estavam exageradamente aceleradas fazendo nossos peitos subirem e descerem com rapidez. Ri do que acabou de acontecer e fui até sua venda logo retirando-a , jogo-a na cama e ele me fita com aqueles olhos escuros e penetrantes. Com delicadeza tiro a barra de ferro da boca dele e sua face é tomada por um sorriso mínimo e cansado, logo solto seus pulsos dos quais se encontravam com marcas vermelhas e rodeados por sangue.

 

 

- Não sei se isso foi bom por ser com você, ou se foi ruim por ser tão sadomasoquista. Mas de certo modo, eu gostei - falou pesadamente, me beijou e foi até o banheiro logo fechando a porta. Não demorou nem dois minutos e logo ouço ele gritando do cômodo .

 

 

- PARK JIMIN! SEU PROJETO DE PULGA! OLHA O QUE VOCÊ FEZ COM O MEU CORPO! - e eu simplesmente pensei "fodeu", tentei sair correndo mesmo estando pelado, mas minhas pernas amoleceram de vez e eu cai no chão .

 

 

"​ prevejo merda.."

 

 

JUNGKOOK ON ~

 

 

Aquilo sem dúvidas foi bom, a cera caindo em meu corpo dando uma leve ardência por conta da temperatura, o chicote quando se encontrava com minha pele arranhando-a de leve, os beijos que Jimin dava a cada pausa ... mas essa sensação logo foi embora assim que fui até o banheiro e vi o estado em que aquele ômega me deixou, chupões por todo meu corpo, mordidas, cortes , cera de vela avermelhada e seca presa na minha pele, vestigios de sangue por todo o meu corpo e meus pulços intercalavam de vermelho para roxo. Como ele foi capaz de fazer esse estrago? eu não sei. Gritei com o mesmo, porque poxa... ele fodeu comigo. esse ômega ainda vai ter a dele.

 

" ​haa jimin, você foi um ômega mal.."


Notas Finais


AAAAEEEEEEEEE
JIMIN E SEU LADO SÁDICO!
JUNGKOOK É MEIO MASOQUISTA BDJHDGUEJFN
ESPERO QUE TENHAM GOSTADO!
desculpem os erros não sou a melhor em português^^

DESCULPEM A DEMORA! eu não tinha noção do que escrever já que nunca fiz um lemon masoquista e sádico.

meus lemon é bizarro.... MASSS!! vale dizer que tive ajuda do pandakwan2, então ela é ainda mais esquisita que eu porque foi esse ser que deu umas ideias bizarras... tipo a vela... o chicote...

*vergonha alheia...

dscp se ficou meio pesado... só que né... que lemon meu não é pesado?

( não corrigi, qualquer erro relevem )

até o próximo meus seres <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...