História Omegaverse - Capítulo 23


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags A/o/b, Jikook, Namjin, Omegaverse, Sugamon, Vhope, Vmon, Yoonjin
Visualizações 103
Palavras 5.381
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Ficção, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Seinen, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hello It's me...

Postei mais cedo, porque esse fim de semana vai estar corrido.

Capitulo R18 pela sangria (What? ⊙︿⊙ )

Boa leitura~~

Capítulo 23 - Capitulo 23


** Jung Hoseok (JHope) **

Hoseok estava em uma aula de fisiologia, na faculdade, o professor dando uma palestra sobre pré-carga e pós-carga do coração e como procedia o mecanismo dos batimentos cardíacos. Nada muito interessante para os gostos de JHope, que preferia às práticas à teóricas.

As aulas haviam retornado com o início da semana, que agora estava se findando novamente, e o feriado com os alfas parecera cair no esquecimento, como se tivesse sido à anos atrás e não à apenas sete dias.

Jungkook fora até o apartamento de Hoseok e Jimin algumas vezes após suas aulas durante aquela semana, passando o dia lá com Park vendo algum filme e conversando com ambos os ômegas sobre assuntos aleatórios, mostrando ser um menino amigável, apesar de algumas vezes ser grosseiro e um tanto arrogante.

Hobi perguntara por Taehyung, mas o alfa sempre mudava o foco da conversa, não lhe respondendo em absoluto. Hoseok não era estupido e aquilo fora o suficiente para Hoseok entender que Tae e Namjoon provavelmente estavam juntos. Não mencionara sua conclusão por medo de estar se precipitando, mas estava quase certo, afinal Namjoon estava no cio e Taehyung simplesmente sumira com ele.

Agora encontrava-se sentado no fundo da sala, na ultima fileira, onde as luzes não o alcançavam, mantendo-o em um escuro agradável, quase o fazendo compensar as noites mal dormidas daquela semana. Seus olhos eram mantidos abertos com dificuldade, pois as pálpebras pesavam sobre os orbes, que ardiam secos e doíam na parte posterior, lhe propiciando uma dor de cabeça que dava pontadas em seu crânio.

Seu queixo estava apoiado sobre a mão, o cotovelo escorado na mesa de madeira. Sua cabeça vez ou outra pesava, quase perdendo o equilíbrio estabelecido sobre a destra. Quando estava prestes a cair, acordava assustado com pequenos sobressaltos, que chamavam a atenção de seus vizinhos que riam dele.

Costumava sentar-se na primeira fileira, mantendo o foco total na aula, enchendo os professores de perguntas e respostas, os fazendo adora-lo ou odiá-lo. Porém, nos últimos dias, andava sentindo-se enjoado, muito cansado e sonolento. Não conseguia dormir, pois seu corpo doía, principalmente seu peito e quadril, sensíveis ao mais leve toque. Seu humor também estava estranhamente alterado e ácido, hora estava alegre, hora estava chorando de saudades de Taehyung, hora estava irritado, pois o alfa não atendia suas ligações.

O professor mudou o slide, que agora mostrava uma foto de dois corações esquemáticos em sístole e diástole, as fases de contração e relaxamento. Falou algumas palavras breves sobre o quanto o tema era essencial e como seria cobrado na regimental, antes de parar a aula e chamar a atenção de alguns alunos – três alfas jovens – que conversavam próximos de Hoseok. Encontravam-se com as pernas esticadas sobre as carteiras, os matérias completamente guardados nas mochilas e nas mãos os celulares com as câmeras voltadas para Hope, provavelmente o fotografando.

Hobi não havia notado que falavam sobre ele até o momento, mas agora era nítido. O olhavam sobre ombros, não sendo discretos em nada, rindo enquanto sussurravam algo um para o outro, mostrando coisas nos celulares.

Eles se desculparam e se ajeitaram em suas carteiras, mas quando o professor voltou a atenção novamente para o quadro, os três voltaram a cochichar enquanto olhavam para Hoseok com desdém. Agora falando alto o suficiente para que JHope os escutasse comentando o quanto o ômega “ficaria lindo de quatro para eles”.

Hobi não costumava ligar para tais comentários depreciativos, mas escutar aquilo o ofendeu profundamente. Olhou para os três com o cenho franzido e eles se puseram a rir debochados. Um deles deu uma piscadela para Hoseok enquanto os demais lhe davam tapinhas no ombro rindo.

Seu celular vibrou dentro do estojo fechado à sua frente sobre a carteira, junto ao seu caderno, aberto em uma página em branco qualquer, se não fossem os inúmeros desenhos desconexos que fizera nas bordas da folha com a caneta preta que segurava. Abriu, discretamente, o zíper da pequena bolsa esverdeada com um bóton colorido na lateral de uma banda de Kpop chamada Got7, que Jin lhe dera de presente. Pegou o aparelho, diminuindo o brilho da tela para o mínimo, deixando o visor quase enegrecido, então o desbloqueou, curioso para saber qual o motivo de estar vibrando, esperançoso de que fosse Taehyung lhe dando sinal de vida.

Era uma mensagem de Jimin.

“Hobi,

Kookie chamou a gente para sair para beber com ele hoje à noite.

Disse que é para irmos nós dois

E para chamar o Jin e o Suga!

O Namie e o TaeTae vão.”

Hoseok leu, levando o celular para baixo da carteira, onde digitou a resposta lentamente para não chamar a atenção do professor, mas os alfas notaram e passaram a assoviar em desaprovação, debochando de Hope, que os ignorou.

“O Taehyung vai mesmo?”

Mandou, aguardando a resposta que demorou alguns segundos, mas que viera rápido para os padrões do amigo que demorava horas para responder.

“Hyung,

Você mandando mensagem durante a aula?

RsRs...”

Riu baixo de Jimin, repetindo a última mensagem que havia mandado, esperando que desta vez Park respondesse de maneira adequada.

“Sim,

Ele vai!

E o Kookie disse que o TaeTae precisa conversar com você.”

Hoseok já imaginava sobre o que Taehyung gostaria de conversar (seu provável relacionamento com Namjoon), mas, mesmo sob tais circunstancias, animou-se com a notícia, porém seu ânimo não era suficiente para conter um enjoo repentino que lhe subiu o trato digestivo.

Sentiu o estômago revirar-se, contraindo-se em seu abdômen, proporcionando uma cólica desagradável e dolorosa. Gemeu baixo de dor, curvando-se sobre a carteira, a testa apoiada na madeira. Abraçou a barriga magra, em uma tentativa falha de diminuir as contrações em seu órgão, mas a azia apenas se tornava cada vez mais forte e intensa. Um gosto amargo, semelhante à bile, tomou conta de sua boca, fazendo-o sentir ânsia. A temperatura e pressão de seu corpo pareceu diminuir e um suor gélido passou a escorrer por suas têmporas, molhando seu rosto pálido.

- Jung Hoseok, está dormindo na minha aula? – ouviu o professor o questionar, o tom de voz sério e autoritário. Os alunos sussurravam e riam como moscas ao notarem que Hobi não erguera a cabeça ao ser convocado, “ignorando” o professor – Senhor Jung, se não se levantar, irei expulsa-lo da sala.

Hoseok se esforçou para erguer o rosto, olhando para frente, na direção da apresentação de slide. Sentiu-se tonto e nauseado, sua visão escureceu e por um momento achou que fosse desmaiar, mas manteve-se consciente, sentindo o vomito quente subir queimando sua garganta e chegar até sua cavidade bucal, onde ele engoliu novamente o líquido, enojado.

- Está tudo bem? Está pálido – o professor perguntou, os alunos continuando o burburinho.

- Estou um pouco enjoado... – explicou com dificuldades, a voz saindo de sua garganta de forma falha. Sentiu as cólicas aumentarem, castigando seu abdômen.

- Pode se retirar para tomar uma água e lavar o rosto, se precisar – o homem falou, gentil, batendo a mão no quadro, enquanto pedia silêncio.

Hope assentiu e se levantou, pegando seus materiais e os jogando de qualquer jeito na mochila, se retirando da sala, não pretendendo retornar mais. Curvou-se em agradecimento, antes de se retirar pela porta, sendo acompanhado por um dos alfas que antes ria dele com os amigos.

Andou alguns passos apressado pelo corredor de salas vazio, na tentativa falha de fugir de seu atual perseguidor que o seguia dando assovios divertidos atrás de si. Hoseok apenas gemia de dor a cada passada rápida que dava.

Antes que conseguisse chegar as escadas que levavam ao saguão de entrada do bloco no andar abaixo do que estava, o alfa o segurou pelo braço com uma força desnecessária, seus dedos rodeado a carne da região de forma firme e dolorida. Hobi foi prensando de costas na parede gélida de gesso branco, com o alfa o cercando com os dois braços, mantendo-o preso ali.

Era uns dez centímetros maior que Hoseok, porém muito magro e esguio. Seus cabelos castanhos lisos estavam caídos sobre seus olhos escuros e pequenos, uma das sobrancelhas grossas arqueadas em zombaria. Seus lábios grossos estavam abertos em um sorriso quadrado, mostrando seus dentes brancos lustrosos.

Ele reclinou a coluna, aproximando o rosto ao de Hope, que virou o próprio, encolhendo-se.

- O que foi, Seok-ah? – ele questionou, sussurrando no ouvido de Hoseok, de maneira desrespeitosa, apesar de ser mais jovem – Está doentinho?

- Me respeite – exigiu, tentando soar firme, apesar de sua voz estar tremula.

- Ah... – ele riu soprado, afastando-se minimamente de Hoseok – Eu respeito... – sussurrou levando umas das mãos às coxas de Hobi, apalpando a região vestida de jeans. Hoseok estapeou sua mão e ele riu.

- Preciso ir ao banheiro... – anunciou, tentando desviar dos braços do alfa.

- Posso te acompanhar, o que acha? – ele brincou, sorrindo maldoso, agarrando o pulso de Hoseok e caminhando com ele pelo restante do corredor.

- Não! – Hope tentou se soltar, em vão – Me largue!

Desceram as escadas lentamente, que levavam ao saguão principal, onde ficava a cafeteria, vazia no momento, pois os alunos do bloco encontravam-se, em sua maioria, em aula. O banheiro também encontrava-se neste andar.

Avistou, um tanto surpreso e aliviado, enquanto descia os degraus apoiado no corrimão de ferro gélido – com um cheiro metálico forte que ficaria impregnado em suas mãos por dias – Yoongi sentado em um dos bancos de madeira no andar ao qual Hoseok e o alfa se dirigiam. Estava digitando algo no celular, de maneira distraída, enquanto um rapaz jovem e atraente flertava com ele e era friamente ignorado, não parecendo se importar, pois continuava a falar desenfreadamente, gesticulando com as mãos de um lado para o outro.

Suga está vestindo-se de maneira diferente do padrão, uma blusa preta de frio justa, marcando seu corpo magro, o pescoço coberto por um cachecol xadrez, com as cores bege e verde-musgo, e uma calça jeans branca com rasgos por toda a coxa, onde sua pele clara era exposta de maneira discreta, quase se mesclando à cor do tecido. Nos pés, calçava botas coturnos pretas de couro, com os cadarços castanhos simetricamente amarrados. Sobre o colo tinha uma jaqueta de couro preta com zíperes prateados nas mangas.

Havia descolorido os cabelos negros, que agora encontravam-se loiros, quase brancos, com um novo corte repicado e rebelde, as sobrancelhas negras e grossas contrastando com a coloração das mechas claras. Também havia colocado brincos de argola prata nas orelhas, dois maiores no lado esquerdo.

Estava diferente e muito lindo.

Jimin também havia pintado e mudado o corte dos cabelos, que agora encontrava-se em um tom de rosa com algumas mechas platinadas. Falara que a mudança era para ficar mais bonito para o “mozão”, como chamava Jungkook quando o alfa não estava perto para ouvir. Yoongi devia ter feito o mesmo, em uma tentativa bem sucedida de agradar Seokjin.

Yoongi olhou na direção do vão da escada de maneira distraída e avistou Hoseok, sorrindo para ele de maneira aberta, mas sua simpatia desapareceu ao notar o alfa agarrado de maneira possessiva ao pulso de Hobi, o obrigando a andar em seu ritmo apressado degraus abaixo.

Min levantou-se, pedindo licença ao rapaz que falava com ele, deixando sua jaqueta e bolsa sobre o banco, indo em direção ao fim da escadaria, aguardando Hoseok e o alfa com os braços cruzados.

- Olá, Hobi – cumprimentou, atraindo um olhar curioso do alfa, que olhou Suga de baixo para cima com um interesse carnal palpável.

- Quem é esse? – o alfa perguntou sem se soltar de Hoseok, parando no último degrau, em frente à Yoongi.

- O que está fazendo? – Suga perguntou de forma grosseira, olhando para os dedos grandes travados no braço de Hope.

- Ajudando um colega de classe, gracinha – riu debochado, puxando Hoseok para perto de si – Quer “ajuda” com algo também?

- Quero quebrar a sua cara, isso sim – Yoongi respondeu amargo, pegando Hobi pelo pulso livre e o puxando com força, fazendo o alfa solta-lo sem muitas dificuldades, pois agora o foco do agressor era em outra pessoa, que no caso era o Min.

- Não seja assim, bebê... – o alfa sussurrou em um tom brincalhão, agarrando Suga pelo quadril, trazendo-o para perto de si, mas Yoongi levantou a mão com brutalidade, estapeando o rosto do mesmo com as costas dos dedos. O alfa se afastou consternado – Ora, seu... – rosnou, apalpando a bochecha vermelha, indo com raiva na direção de Suga.

- O que está acontecendo aqui? – o segurança perguntou escorado na porta de entrada do bloco, segurando um cassetete.

- Nada... – o alfa retrucou mal humorado, subindo as escadas de volta a sala. Ao chegar no topo a mesma, olhou novamente para Yoongi – Isso vai ter volta, vadia!

- Vai se foder – Suga respondeu lhe mostrando o dedo do meio.

- Obrigado – Hoseok agradeceu, um tanto preocupado com a ameaça do alfa.

- Que isso – Suga deu de ombros, sorrindo fechado para Hobi – Somos amigos.

Hope ficou surpreso com a afirmação repentina, mas assentiu. Yoongi caminhou até estar de volta no banco que antes encontrava-se sentando, assentando novamente, cruzando as pernas.

- O que faz aqui? – Hoseok perguntou, sentando-se ao lado de Suga – Seu bloco não é o das agrarias? – perguntou com um tom brincalhão, apesar da dor que sentia.

- Estou esperando o Jin. Combinamos de almoçar juntos hoje, já que não temos aula à tarde – explicou, passando os olhos negros em Hobi com cautela e preocupação – Você está bem? Está meio pálido.

- Não muito... Estou me sentindo um pouco enjoado...

- Enjoado? – franziu o cenho preocupado – Comeu algo estragado, talvez?

- Não acho que seja isso... – riu e Yoongi franziu o cenho confuso – Não ando comendo muito, ultimamente.

- Hum... – Suga olhou discretamente na direção do abdômen magro de Hoseok, que notou, cobrindo o ventre em um abraço, constrangido – Tudo isso é saudades do Taehyung? – perguntou rindo, olhando para os pés.

- Jimin me falou que os meninos querem sair para beber hoje – Hope mudou de assunto.

- É, ele me mandou uma mensagem mais cedo... – Yoongi falou olhando para o celular novamente, pois o aparelho passara a vibrar repetidas vezes, recebendo notificações. Ficou em silêncio enquanto encarava a tela iluminada, lendo algo nela. Quando terminou voltou sua atenção para Hoseok novamente – Jin está vindo – anunciou se levantando, colocando o celular no bolso da calça – Quer ir no hospital? – ofereceu a mão para que Hoseok a usasse como apoio para se erguer, e ele o fez, parando ao lado do mais baixo.

- Não deve ser nada... – murmurou sentindo as cólicas na região infra umbilical diminuírem – Já me sinto um pouco melhor.

- Entendo – resmungou não convicto – Sabe... Você já pensou em gravidez? – perguntou com a voz baixa, como se contasse um segredo, apesar de não haver mais ninguém ali com eles.

- Não – respondeu rápido. Essa possibilidade ficara martelando em seu cérebro por dias, porém ele a ignorava, com medo de pronunciar ou ouvir aquela palavra, que fora cuspida por Yoongi com tanta naturalidade. Ouvir ela ser dita fez sua cabeça doer.

- Por quê? – questionou, as sobrancelhas pretas franzidas e os braços cruzados.

- Só transei duas vezes com o Tae... Na primeira ele tirou antes... E na última nem deu tempo de terminar por causa do Namjoon e estávamos usando camisinha – comentou sentindo seu rosto esquentar e corar. Contar aquilo a alguém como Suga era demasiado constrangedor.

- Como sabe que ele tirou à tempo? – indagou sério e neutro.

Não sabia ao certo o que responder e sua preocupação aumentava.

- Antes dele não teve mais ninguém? – Yoongi não parava de fazer perguntas, deixando Hoseok desconfortável – Nenhum outro parceiro?

- Sim, mas já faz tempo... – respondeu, sentindo-se nauseado ao se lembrar de seu último namorado, um beta com quase o dobro de sua idade. O homem fora ciumento e possessivo, ameaçando o agredir sempre que alguém olhava para Hobi. Fora um relacionamento conturbado, que gostaria de esquecer, mas seu antigo parceiro continuava a mandar mensagens de amor e suicídio, que Hope fazia questão de ignorar – Mais de cinco meses, acho.

- Sabe... – ele fitou o topo da escada que levava as salas de aula, verificando se havia alguém ali, provavelmente Seokjin, mas continuavam sozinhos. Olhou novamente para Hoseok, aproximando-se dele e falando ainda mais baixo, próximo ao seu ouvido, o hálito quente chocando-se no tímpano de Hobi, fazendo-o se arrepiar – Sei de um lugar que pode abortar, se quiser.

- Não estou gravido, Yoongi! – se afastou incrédulo, percebendo que falara alto demais, pois sua voz esganiçada ecoou no local. Encolheu-se envergonhado em seguida.

- Deveria ir ao médico ver isso – comentou com naturalidade.

- E-eu... – gaguejou.

Hoseok desistiu de responder. Estava em choque.

- Sabe, eu e o Jin descobrimos que ele está... Bem... Você sabe – deu de ombros, constrangido – O médico sugeriu abortarmos. Vamos passar lá amanhã cedo para resolvermos. Se quiser ir também.

- O que? – agora seu espanto fora direcionado para outro assunto.

Como assim Seokjin estava gravido de Yoongi?

- Olá, Hobi-ah! – Jin surgiu por detrás de Suga, abraçando-o pelo pescoço, assustando a ambos, que pularam com o espanto – O que estão conversando?

- Namjoon nos convidou para beber hoje à noite – Yoongi falou com naturalidade, como se a poucos segundos não estivesse discutindo sobre aborto com Hoseok, olhando para cima, em direção a Seokjin com um largo sorriso bobo.

- O Namjoon? – um sorriso surgiu nos lábios fartos e róseos de Jin – Ele está bem?

- Deve estar – Suga deu de ombros enciumado, rodando nos braços de Seokjin, lhe dando um selar breve e estalado, sorrindo em seguida – Os outros vão também.

Jin assentiu, visivelmente animado com a ideia. Olhou na direção de Hobi, que o encarava de cima a embaixo, perguntando-se onde uma criança caberia naquele corpo esguio e comprido de Seokjin. Sua feição mudou, o sorriso desaparecendo lentamente, sua boca se encolhendo, tornando-se um coração sério, o cenho se franziu por baixo da franja repicada.

- Hobi, tudo bem? – perguntou preocupado, soltando-se de Suga – Você está pálido...

- Hoseok está se sentindo enjoado – Yoongi explicou.

- Sério? Tenho algumas pílulas para enjoo se quiser – Seokjin ofereceu solene.

- Vou aceitar – Hoseok falou aliviado.

Jin sorriu fechado e sentou-se no banco de madeira, colocando sua bolsa de couro marrom sobre as pernas, abrindo-a, buscando dentro dela por algo, revirando diversas cartelas de remédios coloridos já usados parcialmente.

- Se tiver algo para cólica, também aceito – riu ao ver a imensidão de remédios na bolsa de Seokjin.

O mais velho parou de mexer na bolsa e olhou para Hoseok com um semblante pasmo, seu rosto se empalideceu. Alternou o olhar entre Hobi e Suga, deixando Hope tenso e assustado com a atitude. Yoongi moveu a cabeça negativamente e Jin assentiu, ambos presos em uma conversa silenciosa que Hoseok não era capaz de participar.

Seokjin pegou duas cartelas de remédio, tirando um comprimido colorido de cada uma delas e os entregando a Hobi, ainda em silêncio, mas com um sorriso de compreensão no rosto.

- Hobi, o que acha de irmos ao hospital? – Jin ofereceu amigável, Yoongi o encarando cauteloso.

- Eu estou bem, Jin – Hoseok deu de ombros lançando os remédios para dentro de sua boca. Procurou sua garrafa de água na bolsa, notando que a mesma estava vazia.

Sentiu um pequeno desespero ao ter os comprimidos derretendo sobre sua língua, o gosto amargo se espalhando por suas papilas, mas então Suga lhe ofereceu um copo de água que acabara de pegar no bebedouro próximo. Agradeceu e bebeu o conteúdo do copo descartável, engolindo assim as pílulas junto ao liquido gélido que desceu agradável por sua garganta.

- Tem certeza? – Seokjin insistiu.

- Sim... – assentiu – Vou para casa tomar um banho, dormir um pouco...

- Podemos acompanha-lo – Yoongi ofereceu.

- Não precisa – Hoseok riu constrangido. Não gostava de ser mimado por outras pessoas – Podem ir almoçar.

Se curvou brevemente, afastando-se dos dois.

- Nos vemos à noite – anunciou antes de sair pela porta, rumando caminho para sua casa

*****

** Park Jimin (Jimin) **

- Kookie, não devia faltar a aula assim – Jimin o repreendeu de maneira não convicta, acariciando os cabelos negros no namorado com ambas as mãos – É seu futuro que está em jogo.

- Hoje não tinha nenhuma aula interessante, Oppa – Jungkook brincou, deitado com a cabeça sobre o colo de Park, apalpando suas coxas vez ou outra.

Jimin saíra de sua aula as nove horas da manhã, pois o professor dera o restante do horário livre para que os alunos pudessem iniciar uma pesquisa cientifica à respeito das lesões ocasionadas pelos esforços repetitivos no ambiente de trabalho das grandes indústrias montadoras de carro.

O ômega não estava interessado no assunto e resolvera voltar para casa, cabulando o trabalho. Depois faria algo com alguma das garotas de sua turma, para não ficar sem entregar o artigo que valeria metade da nota bimestral naquela matéria de iniciação cientifica, que Park detestava.

Não era dos melhores alunos, mas sabia como passar de ano. Não que o curso não o agradasse, mas infelizmente nunca gostara de estudar. Porém amava as aulas práticas, em que ia às clinicas de fisioterapia e atendia alguns pacientes, em sua maioria outros ômegas, pois infelizmente era grande o preconceito dos pacientes alfas e alguns betas, mas Jimin não se importava em sua maioria.

Quando chegou em seu apartamento, estava vazio e silencioso – Hoseok ainda deveria estar na faculdade. A porta havia sido trocada e agora possuía campainha e um olho magico, para que pudessem averiguar suas visitas. Adentrou no local e trancou a porta, mantendo a chave ainda na tranca, jogando-se no sofá, tirando apenas os sapatos. Pegou seu celular na bolsa e mandou uma mensagem para Jeon, chamando-o para almoçar em sua casa quando as aulas do mais novo chegassem ao fim naquele dia, pois ele cozinharia Cheese Buldak, um prato feito com frango, muito apimentado, que aprendera a preparar com Yoongi.

Inacreditavelmente, Suga cozinhava tão bem quanto Seokjin, mesmo afirmando não saber preparar comida como o outro. Além disso, possuía uma paciência inacreditável que Park nunca imaginou que ele teria. Mesmo sendo grosseiro algumas vezes, passara o dia ensinando Jimin e não pararam até o prato estar perfeito. Ao final da execução, que fora no período da noite, dividiram o alimento com Seokjin, que havia saído para realizar plantão no hospital, e Hoseok. Jin comera praticamente tudo sozinho, enquanto Hobi apenas dera duas ou três colheradas antes de se sentir enjoado.

Jungkook respondera de imediato.

“Não fui à aula hoje,

Estava me sentindo meio mal.

Você já está em casa, Oppa?”

Kook começara a chamar Jimin de Oppa brincando, mas aquilo virara um costume quase cômico, pois negara ferrenhamente no início. Park não reclamava, já que achava o gesto adorável da parte do mais novo.

“Estou sim,

Kookie.

*^^*”

Respondeu, ainda rindo do mais novo lhe chamar de “Oppa”. Seu celular vibrou em seguida, não passados nem um segundo, anunciando a resposta de Jeon, que na verdade fora outra pergunta.

“Está sozinho?”

Riu, pois sabia o que o alfa queria.

“Talvez...

Rs.”

Respondeu rápido e novamente Jungkook retrucou de imediato.

“Posso ir agora, então?”

Desta vez deixou Jeon esperando alguns minutos, antes de responde-lo, pois começara a prestar atenção na televisão, que estava ligada em um programa de culinária estrangeiro chamado Master Chef, onde os competidores eram cozinheiros profissionais competindo por um prêmio de melhor cozinheiro de sua nacionalidade. Seu celular vibrou novamente, chamando sua atenção, era Hoseok.

“Estou voltando para casa.”

Leu a mensagem, sentindo uma pontada de preocupação por seu Hyung, que encontrava-se mal nos últimos dias, sentindo enjoos e dores sem explicação.

“Ok.

Já estou no apartamento,

Vou preparar uma sopa para você,

Hobi Hyung.”

Mandou, lembrando-se de Jungkook e respondendo sua mensagem anterior com um “Claro.”.

O relacionamento de ambos estava fluindo lentamente, da maneira que Jimin gostava. Já se consideravam namorados um do outro, mas não chegaram transar. Park o estava enrolando ao máximo, pois sabia que muitos alfas abandonavam os ômegas após conseguirem o que queriam. Não acreditava que Jungkook faria o mesmo, porém preferia esperar um pouco mais, deixando que o relacionamento de desflorasse mais.

Jimin levantou-se do sofá e foi até a cozinha. Abriu a geladeira de onde tirou alguns legumes e verduras, lavando-os e picando-os em seguida para preparar uma sopa para Hoseok. Enquanto preparava o caldo com alguns temperos, antes de despejar os legumes na água fervente, a campainha foi acionada. Park lavou as mãos e foi até a porta, olhando pelo olho magico, avistando Jungkook do outro lado da mesma, vestido com suas roupas casuais que sempre estava usando, como se elas se multiplicassem em seu guarda-roupa – uma calça jeans folgada, com uma camisa branca de um tecido fino e seus timberlends caramelos.

Jeon não precisava mais pedir autorização para o porteiro, pois o mesmo já estava familiarizado com o alfa, porque passara praticamente a última semana no apartamento de Jimin e Hoseok enquanto Namjoon encontrava-se no cio, trepando com Taehyung “em segredo”.

- Jimin Oppa – Kook cantarolou do outro lado da porta, fazendo Park rir antes de destranca-la.

O ômega mal abriu a porta e Jungkook o abraçou pela cintura, erguendo-o do chão minimamente, beijando seus lábios sem delicadeza, enfiando sua língua sem cerimonias na boca de Jimin, que aceitou prontamente, levando as mãos úmidas aos cabelos negros do alfa, os bagunçando enquanto os acariciava e puxava, extasiado.

Trocaram algumas caricias – as mãos “bobas” de Jeon acariciando as coxas de Park – e quando se separaram, Jungkook estapeou uma das nádegas de Jimin, produzindo um som estalado alto, deixando a região ardida e quente.

Kookie adentrou familiarizado com o ambiente, sentando-se no sofá, enquanto Park voltara a preparar a sopa na cozinha.

- Achei que ia cozinhar cheese buldak – Jungkook comentou, olhando fixamente para a televisão, os braços abertos jogados para trás do encosto do sofá e as pernas cruzadas.

- Hobi Hyung está um pouco doente – respondeu enquanto jogava os legumes e o frango picados na água temperada, tapando a panela em seguida – Se eu fizer algo apimentado como cheese buldak vou mata-lo – riu.

Esperou que a sopa estivesse pronta, desligando o fogo do fogão. Voltou para a sala, sentando-se no sofá com Jungkook, que se deitou em suas pernas, as acariciando esporadicamente.

- O que o Hoseok tem? – Kook perguntou em um dado momento, quando o programa de culinária estrangeira entrou no comercial.

- Está enjoado – respondeu enrolando as mechas escuras e grossas do cabelo do mais novo entre seus dedos pequenos.

- Ainda? – Jungkook resmungou com um bico – Ele passou a semana inteira assim.

- Pois é...

- Será que ele não pegou algo contagioso? – perguntou rindo, girando no sofá, mudando de decúbito lateral para o dorsal, olhando Jimin por baixo.

- Pare de ser besta – Jimin o repreendeu, divertido, dando um tapa fraco sobre a cabeça do alfa, que resmungou algo incompreensível em protesto.

- Mas... – agora falava em um tom sério, fitando o ômega com o cenho franzido – Será que ele e o Tae não usaram camisinha?

- Como assim? – Park se fez de desentendido. Também pensara na possibilidade de uma possível gestação, mas Hoseok era uma pessoa extremamente cuidadosa, então aquilo parecia uma chance distante aos olhos de Jimin.

- Sei lá... As vezes... – Jungkook deu de ombros, cansado de discutir aquele assunto, sentando-se no sofá ao lado do ômega – Oppa, prepara um chocolate quente para mim? – perguntou manhoso, beijando de língua o pescoço de Jimin, produzindo sons molhados e arrepios em sua pele.

- Vá lá e prepare você, Kookie – respondeu, empurrando o mais novo, rindo de sua expressão frustrada.

Jungkook levantou-se e foi até a cozinha resmungando irritado por seu pedido não ser atendido como ele esperava que seria, deixando Jimin sozinho na sala. O ômega pegou o celular em busca do que fazer, enquanto o namorado se ausentava para preparar seu achocolatado e na televisão passava apenas propagandas.

Entrou em suas redes sociais e começou a ver algumas fotos de seus colegas de sala, então seu celular tocou e era Hoseok, aquilo o deixou apreensivo, pois Hobi raramente ligava para Park, mesmo em situações de emergência. Antes que pudesse atender, a ligação foi encerrada e aquilo apenas preocupou ainda mais Jimin, que estava prestes a retornar a ligação, quando a porta se abriu abruptamente e Hoseok entrou por ela aos tropeços, assustando tanto Park quanto Jungkook, que deixou cair sua xicara com leite e achocolatado enquanto voltava para a sala.

A porcelana se espatifou no chão, quebrando-se e espalhando seu conteúdo escuro, ao mesmo tempo que Hoseok também caia de bruços sobre o mesmo, debruçando-se sobre o estomago, gemendo de dor.

- Hyung, você está bem?! – Jimin correu até Hobi, agachando ao seu lado, passando as mãos sobre suas costas.

- Minha barriga dói tanto... – Hope choramingou, encolhendo-se no chão, abraçado ao próprio ventre.

Jungkook foi até ambos com os olhos arregalados e as mãos tremulas, assustado com a situação repentina, mas pegou Hoseok no colo com facilidade, aos mandos de Jimin. Quando Hobi foi erguido do chão, Park percebeu que havia sangue vivo em suas vestes e aquilo quase o apavorou.

- Espera! – Jimin gritou, quando Jungkook ia deitar Hoseok no sofá aveludado, o fazendo saltar surpreso.

O ômega correu até seu quarto, abrindo o guarda-roupa que dividia com Hope, revirando as roupas ali dentro, jogando-as pelo chão do cômodo, até encontrar um lençol velho qualquer que achou entre as gavetas. O tecido já encontrava-se rasgado em algumas partes e sua coloração esverdeada já estava tão desbotada que o pano parecia quase branco.

Voltou para a sala, forrando o sofá com o mesmo, para, então, Jungkook deitar Hoseok ali com cuidado. Um dos braços do alfa estava coberto de sangue, manchando sua adorada camisa branca, mas ele não pareceu notar, pois estava em choque, os olhos escuros ainda arregalados e os lábios travados.

Hope continuava choramingando de dor, gemendo arrastado. Estava suado – para não dizer encharcado – molhando suas roupas, deixando-as coladas ao seu corpo, o rosto pálido e úmido, os olhos fundos com olheiras, rodeados por manchas arroxeadas escuras como se tivesse sido agredido. O meio de suas pernas – da região de suas nádegas, seguindo o interior de suas coxas, até os joelhos, estava molhado com sangue vivo.

- Meu Deus... – ouviu Jungkook sussurrar amedrontado, a voz tremula e falha.

- Ligue para uma ambulância, Kookie! – Jimin pediu angustiado, abrindo os botões e o zíper da calça de Hoseok, produzindo um som metálico.

Puxou o tecido da calça jeans clara, juntamente com a cueca boxer que um dia fora azul e agora estava completamente vermelha, sem pudor algum, até os joelhos de Hope, deixando a vista toda sua intimidade, agora coberta de sangue. Hoseok arqueou a coluna para cima, gemendo alto de dor enquanto mais sangue jorrava de seu interior.

- Não... Não... – Hobi grunhiu, levando uma das mãos ao meio das pernas, como se quisesse parar o sangramento, inutilmente.

- Pare com isso, Hyung... – Park pediu, segurando o braço de Hoseok e o tirando daquela região.

Jimin não sabia o que fazer, não sabia o que estava acontecendo com Hobi. Nunca vira tanto sangue em sua vida, tinha medo que o amigo morresse de hemorragia daquele jeito.

Correu até o banheiro, tropeçando nos próprios pés, mas não caindo, pegando uma toalha de rosto qualquer no armário abaixo da pia, molhando-a na torneira e voltando para a sala com pressa, na intenção de limpar o amigo. Viu que Jungkook continuava estagnado no mesmo lugar, os punhos cerrados e os dentes travados, ainda encarando Hoseok com os olhos arregalados, saltados nas orbitas.

- Kookie, já ligou para a ambulância? – perguntou, não obtendo resposta – Droga...

Deixou o pano no braço do sofá e pegou seu celular, ligando para o número da emergência, que custou longos segundos em atender. Passou as informações necessárias e o endereço de sua moradia, sendo informado que a ambulância estava a caminho e demoraria cerca de dez a quinze minutos para chegar.

Enquanto aguardava começou a limpar Hoseok, tirando o excesso de sangue com o pano molhado. No processo ouvir um baque surdo atrás de si, virando-se para verificar o que acontecera, encontrando Jungkook desmaiado no chão.

- Está doendo, Jiminnie... – Hoseok falou sôfrego e ofegante, enquanto ainda gemia dolorido.

- Vai ficar tudo bem, Hyung – Jimin averiguou não tão certo de suas palavras.


Notas Finais


Comentem =D

E até algum dia ai ¯\_(ツ)_/¯


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...