História On My Way - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Cora (Mills), Regina Mills (Rainha Malvada), Robin Hood
Tags Outlawqueen
Exibições 16
Palavras 1.546
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 13 - Passado


– Merida?!

–-------------------------------------------------------

O jovem Regina se arrumava para sua aula de montaria, uma das poucas coisas que a alegravam, pelo fato de que ela poderia ficar um tempo com Daniel, seu grande amor. Quando ela ia em direção a saída, sua mãe apareceu:

– Não, assim não está bom - Disse Cora, e com um simples sacudir da mão fez uma fumaça roxa envolver sua filha rapidamente, revelando uma Regina vestida como uma verdadeira dama. Seus cabelos que antes eram presos em uma trança agora estavam soltos, sua roupa de equitação fora substituída por um vestido azul e suas botas viraram lindos saltos, a vestimenta perfeita na opinião de Cora. - Assim está melhor - A mulher mais velha falou arrumando o cabelo da mais jovem.

– Mãe, eu tenho aula de montaria agora - Disse a menina já percebendo que não teria mais a tão esperada atividade.

– Foi cancelada, pois teremos visita hoje - Cora começou a andar em direção a porta, sendo seguida por sua filha

– Quem?

– O Rei Fergus e a Rainha Elinor

– Por que?

– Seu pai tem alguns negócios para fazer com o rei e eu convidei a rainha e sua filha para tomarem chá conosco - Respondeu a senhora já impaciente com todas as perguntas de sua filha. Regina ficou surpresa a ouvir a parte sobre a filha deles, já que sua mãe só fazia "amizade" com pessoas importantes que tinham filhos homens, para que alguns deles acabasse se tornando um pretendente para ela.

– A filha deles?

– Sim querida, ela é um ano mais velha do que você e também é muito educada, espero que você aprenda algo com ela - Regina ficou em silêncio depois de ouvir aquilo, ás vezes o silêncio era a melhor resposta que ela poderia dar para sua mãe.

Alguns minutos depois o Rei, a rainha e sua filha chegaram a residência Mills. O Rei cumprimentou as damas da casa e fora logo tratar de negócios com Henry.

– Regina, está é a Rainha Elinor e sua filha, a princesa Merida - Cora apresentou, Regina fez a reverência, mas ela percebeu a expressão da princesa, era a mesma que ela fazia quando uma das pessoas que trabalhavam para sua mãe a tratavam como se ela fosse melhor que um deles.

As damas foram tomar o chá, Cora e Elinor conversavam animadamente, Merida estava sentada numa postura perfeita e Regina a observava incomodada com o fato dela parecer uma boneca de porcelana. Ela resolveu ignorar a princesa e prestar atenção na conversa de sua mãe com a rainha.

–... o lorde Dingwall tem filhos gêmeos... - Disse a rainha - Um deles pediu a mão de Merida em casamento, mas o Lorde disse que ele só se casará quando o outro também arrumar uma noiva, meu marido falou com o Lorde sobre Regina e ele disse que adoraria conhece-lá.

– Isso será ótimo! - Respondeu Cora - Com certeza Regina ocupará o papel de esposa perfeita...

Regina sentiu seu coração parar, ela não podia se casar, ela amava Daniel - Mãe, eu...

– Não me interrompa! - Cora lançou um olhar repreensor para sua filha

– Eu só ia perguntar se eu posso ir com a Merida lá para o jardim - Disse Regina com a voz mais inocente que conseguiu fingir

– Merida irá adorar, ela ama flores! - Exclamou a rainha

– Podem ir então - Falou Cora

Regina se levantou sendo seguida pela princesa, elas fizeram o caminho até o quintal em silêncio, enquanto andavam a morena observava a postura de Merida e tentava imitar, sem sucesso. Chegando no jardim Merida relaxou um pouco, não tinha por que ficar fingindo perto de Regina.

– O.K, eu vi que você estava tentando se comportar igual a mim - A ruiva falou dando um susto na jovem Mills - Eu não sou como você viu lá dentro, eu não gosto de ser princesa, de usar esse vestidos grandes e não deixam a gente nem respirar direito e nem esse sapatos extremamente altos e eu odeio flores! - Confessou

– Nem eu - Respondeu Regina - O quê você gosta de fazer?

– Usar meu arco e flecha e cavalgar

– Serio? Eu também adoro cavalgar. Vem comigo - Regina disparou em direção ao estabulo, Merida correu atrás dela.

– Regina! - Daniel correu até ela, mas quando ele foi beija-la, ela se afastou

– O que...- Mas ele nem precisou terminar a pergunta, por que Merida apareceu. A ruiva olhou para os dois, que logo se separaram

– Daniel, essa é a princesa Merida. Merida, esse é Daniel, meu... - Ela não podia dizer namorado - amigo

O rapaz se curvou para fazer a reverencia, mas Merida interrompeu - Não faça isso, eu não gosto - Ela estendeu a mão e ele apertou - Assim é melhor, não gosto que as pessoas pensem que eu só melhor do que elas só por causa dessa coisa toda de realeza...

Regina riu docemente - Que tal cavalgarmos um pouco? - Perguntou a morena, percebendo que acabara de ganhar uma nova amiga

– Eu adoraria!

Então depois daquilo, Merida e Regina se tornaram melhores amigas, mas a parte ruim era que Regina teria que se casar com o filho lorde Dingwall, e a outra jovem se casaria com o irmão dele. Como Merida era mais velha ela se casaria primeiro. Uma semanas antes do casamento, veio uma terrível notícia, a princesa havia sumido! Guardas foram mandados por todo o reino e os reinos vizinhos em busca da princesa, ela nunca foi encontrada. No começo Regina ficou com medo de que sua amiga estivesse morta, mas depois ela se lembrou que Merida não queria se casar também e ela poderia ter fugido. Acabou que Regina não se casou com o filho do lorde, o que deixou Cora muito infeliz, porém alguns anos depois, quando a jovem de olhos castanhos estava em um de seus encontros escondidos com Daniel, eis que surge uma menina em um cavalo desgovernado, Snow White...

Anos depois -- Floresta Encantada

– Majestade, tem alguém querendo vê-la - Disse um dos guardas

Regina, que admirava sua extraordinária beleza no espelho, se virou para o guarda com um olhar cruel, que se fosse uma arma, mataria com o primeiro disparo - E quem seria?- Perguntou ela se levantando

– Ela não disse o nome, mas falou que precisa ver a rainha - Respondeu o guarda

A rainha bufou de raiva - Traga essa pessoa!

O guarda saiu e logo voltou com o "visitante", a pessoa estava com a cabeça baixa e um capuz cobrindo seu cabelo, o que não permitiu que Regina ver quem era - Deixe nos a sós - Ordenou ela para o guarda, e ele assim fez.

Quando a jovem reconheceu a voz da Rainha, rapidamente levantou a cabeça jogando o capuz para trás - Regina? 
A morena levou um susto ao ver quem era, Merida, sua velha amiga, que ela pensava estar morta - Merida! - A Rainha correu para abraça-la, mas a ruiva se afastou

– O que aconteceu com você? - Merida perguntou olhando Regina de cima a baixo, aquela definitivamente não era a Regina que ela havia conhecido.

– Eu é que perguntou, você desapareceu, eu achei que estava morta...

– Eu fugi para bem longe, mas voltei fiquei em um vilarejo, e estou a procura de meus pais! Mas o que aconteceu com você? - Ela repetiu a pergunta - Você é a rainha?

A morena respirou fundo, teria que contar a história toda para ela, e assim ela fez, contou tudo, sobre Snow, sobre o Rei, a morte de Daniel e como se tornou a rainha má em busca de vingança. Quando a morena terminou, Merida estava espantada

– Então foi você que mandou matar todos daquele vilarejo! Por que ninguém sabia onde estava essa tal de Snow White! - Merida se lembrou do que viera fazer no castelo, se livrar da rainha que havia matado todos no vilarejo onde ela estava vivendo.

– Merida, você tem que entender, eu preciso
me vingar daquela mulher! Ela me arruinou! - Regina levantou o tom, porém não estava gritando.

– Não vê que você é que está se arruinando! - Gritou a moça de olhos azuis

– Como ousa a gritar comigo? - A morena colocou novamente sua máscara de Evil Queen, percebendo que Merida não era mais sua amiga.

– Eu grito com quem eu quiser! - Retrucou. Então ela chegou perto de Regina e pegou a faca que escondia em sua roupa, mas antes que ela pudesse acertar na rainha, a mesma fez um movimento com a mão e o objeto desapareceu.

– Acha que vai consegui me matar tão facilmente? - Regina soltou uma risada maléfica - Eu sou a rainha! Tem magia! E você não passa de uma medrosa que fugiu do próprio destino!

– Você não é a Regina que eu conheci! Aquela menina que queria ser livre de sua mãe! Mas você acabou como ela!

A rainha perdeu a paciência, estava na hora de acabar com aquilo, porém, por mais má que ela fosse e mesmo com todo o ódio que ela sentia de Merida naquele momento, ela não podia matar-la.

– Boa sorte em tentar encontrar seus pais! - Então ela fez a ruiva desaparecer da sua frente, e a jogou em uma floresta que ficava bem distante do reino dos pais dela.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...