História On Purpose - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Miraculous: Tales of Ladybug & Cat Noir (Miraculous Ladybug)
Personagens Adrien Agreste (Cat Noir), Alya, André Bourgeois, Chloé Bourgeois, Félix, Gabriel Agreste, Marinette Dupain-Cheng (Ladybug), Nathalie Sancoeur, Nathanaël, Nino, Personagens Originais, Sabine Cheng, Sabrina, Tom Dupain
Tags Adrinette, Romance, Universo Alternativo
Visualizações 45
Palavras 1.819
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá cookies, turu bom com vocês? Espero que sim hsksjshajjsjs
Aqui estou eu com capítulo novo de On Purpose, espero que gostem kshksjs
Até lá em baixo ❤

Capítulo 2 - Encrencas e ligações



— Essa é a última vez que tiro você das suas enrascadas, Adrien. — avisou Chloé enquanto puxava as cortinas azuis de seu quarto, permitindo assim que os raios de sol entrassem. Adrien voltou a fechar os olhos com força com a claridade repentina e virou a cabeça pro lado oposto da janela afim de dormir mais.

— Você falou isso da última vez e mesmo assim me ajudou agora. — resmungou ele, mesmo sem olhar para o rosto de sua amiga de infância, podia apostar que ela estava revirando os olhos.

— Você se esquece que implorou bastante durante a ligação. — ela lembrou enquanto cruzava os braços e observava a figura do loiro que permanecia jogado em sua cama, sem intenção nenhuma de sair dali. — Eu deveria ter gravado, era quase cômico o seu desespero pedindo para que eu te salvasse mais uma vez. Mas saiba que essa foi a última, na próxima, irei te deixar falando sozinho ou desligar o telefone na sua cara.

— Você sabe que não consegue dizer não pra mim, abelhinha. — afirmou Adrien com um meio sorriso nostálgico ao usar o apelido de infância que ele dera para Chloé em uma noite de Halloween, que eles saíram fantasiados para pedir doces como todas as crianças costumavam fazer naquela época do ano, ele fora de gato preto e Chloé, obviamente, de abelha. Mas ao contrário do que ele esperava, o apelido não trouxe o mesmo sentimento a loira, que sentiu toda a paciência que restava em si, sumir completamente.

Chloé descruzou os braços e subiu na cama, engatinhando até estar próxima a cabeça de Adrien, colocou sua mão na nuca do Agreste e cravou suas unhas na pele dele que abriu e arregalou os olhos em uma mistura de dor e surpresa. Chloé puxou os fios loiros de seu amigo que gemeu de dor, ela conseguiu erguer a cabeça de Adrien por alguns segundos, o mesmo se debateu como um peixe fora d'água, totalmente surpreso pela força que até então era desconhecida por ele.

Olhou para Chloé e viu os olhos azuis dela, que costumavam ser tão azuis quanto o céu naquela manhã, nublados de raiva. Gemeu de dor mais uma vez, antes que a loira soltasse a cabeça dele que caiu de encontro ao colchão da cama.

Levantou depressa, os olhos verdes arregalados pelo susto. Se afastou de Chloé com medo que ela o atacasse novamente.

— Porra, Chloé! Você ficou maluca?! — perguntou ainda incrédulo, colocou sua mão na nuca e mordeu o lábio inferior, tinha certeza que sua amiga tinha deixado alguma marca em si, não era como quando as outras garotas deixavam, era muito mais excitante quando elas deixavam alguma marca nele. Mas Chloé tinha feito aquilo para que ele ficasse ciente do quanto ela estava irritada e não aceitaria ajuda-ló na próxima enrascada que o amigo se metesse.

— Não me chame de abelhinha! Eu tô muito puta com você! — gritou ela e pulou pra fora da cama, o rabo de cavalo loiro balançando de um lado pro outro enquanto ela se movia.

— É, eu percebi. — resmungou Adrien enquanto passava a mão na nuca. — Mas precisava agir feito uma louca e me atacar? Eu jamais imaginaria que você era capaz disso!

Chloé deu um sorriso irônico ao amigo que suspirou, estava cansado após a noite que teve, sua cabeça doía com a ressaca que estava tendo e a Bourgeois não estava ajudando em nada para que ele se sentisse melhor. Sabia que havia se metido em uma fria, mas ela precisava ser tão dura com ele logo cedo? Provavelmente a resposta era sim, Chloé já o ajudava bastante e ele admitia que estava sendo ingrato em dizer o contrário. Ele já havia perdido as contas de quantas vezes, Chloé havia cedido a própria cama para que ele pudesse dormir e não tivesse que encarar seus pais logo e ele era extremamente grato a tudo o que sua amiga fazia por ele.

Mas Adrien só queria dormir, sua mente iria funcionar muito melhor se ele recuperasse a noite de sono que perdeu. Mas sabia que não teria essa chance, uma vez que seus pais seriam os próximos a lhe darem uma bela e merecida bronca, ele só se condenava por ser tão impulsivo e não pensar direito nas consequências que suas ações trariam.

Porra, Adrien...

— Você não sabe de nada, Adrien Agreste. Eu posso parecer delicada, mas minhas unhas fazem um estrago. — disse Chloé, o arrancando de seus pensamentos.

— E você não podia ter me avisado isso antes?

— Não.

O silêncio preencheu o quarto aos poucos, a Bourgeois não se sentia nenhum um pouco arrependida pelo o que havia feito, talvez não adiantasse de nada no final das contas, já que ela já tinha visto várias vezes que as broncas de Lilian e Gabriel Agreste não adiantavam em nada para que Adrien parasse de ir atrás de mais problemas, não só para ele, como para o bom nome de sua família. Ele parecia simplesmente não se importar com os problemas que estava causando, não parecia perceber que suas escapadas durante a noite estavam ficando cada vez mais frequentes e era isso que lhe traziam dores de cabeça — causadas por coisas além da ressaca merecida.

Ele simplesmente não tomava jeito e Chloé se sentia bem melhor por ter descontado um pouco da raiva que estava sentindo por seu amigo estar agindo feito um perfeito idiota nos últimos meses em algo. Já que ele sempre a metia nos seus problemas, ela podia muito bem descontar em algo mais real que os seus travesseiros de penas de ganso.

Ajeitou o rabo de cavalo alto e se sentou na ponta da cama, de costas para ele.

— Eu pedi um café da manhã. Você deveria tomar um banho pra ver se acorda de vez.

— Preto? — perguntou se referindo ao  café, Chloé assentiu. — Você sabe que eu odeio tomar café preto de manhã. — disse Adrien enquanto se levantava devagar, olhou na direção dos lençóis bagunçados na cama de Chloé, pensando seriamente em voltar a se deitar.

— Eu sei. — ela disse chamando novamente a atenção dele. — Já passou até da hora do almoço, Adrien, mas você precisa se alimentar.

Ele riu achando graça da preocupação dela.

— Você parece minha mãe falando desse jeito. — ele disse, se aproximou de Chloé e depositou um beijo casto no topo da cabeça da amiga que esboçou um sorriso.

— Ela já te ligou várias vezes. Aguarde uma bronca bem merecida. — disse Chloé, Adrien mordeu o lábio ao pensar que ainda teria que lidar com os sermões intermináveis de seus pais e ainda havia Félix. Engoliu em seco. Não sabia se já estava pronto para encarar as feras. — Ah! Lembrei, você sabe quem te ligou também? — perguntou Chloé, Adrien negou com a cabeça e esperou que ela respondesse dizendo que havia sido alguém de sua família, mas a resposta que recebeu, o deixou totalmente surpreso e animado:

— Lila Rossi.

Adrien ignorou a careta que Chloé fez ao dizer o nome da modelo e sorriu consigo mesmo, Lila havia ligado pra ele e ele, como o tonto que era, havia perdido a chance de falar com a morena. Mas que droga! Pensou, durante o dia quase não tinha oportunidades para conversar com Lila, mesmo com ela trabalhando para seu pai, e havia perdido a chance de ter uma boa e produtiva conversa com a garota que ele estava interessado há muito tempo.

Ele andava mesmo com falta de sorte.

Olhou novamente pra Chloé que o encarava com nojo. Ela fez outra careta e colocou a língua pra fora demonstrando que não aprovava a escolha do amigo. Todas as garotas que Adrien se interessava eram fúteis e sem nada na cabeça, Lila com certeza era a primeira opção, mas diferente das outras, ela sabia muito bem o que queria. Era uma verdadeira cobra.

E todos percebiam isso, menos o próprio Adrien, até Félix, o irmão dele, já o tinha avisado várias vezes que aquela garota não prestava e Chloé concordava, mas poucas pessoas sabiam do que Lila era capaz. Chloé sentia seu sangue ferver toda vez que pensava na cobra maquiada, ainda iria dizer poucas e boas pra ela.

— E aí, Chloé? O que ela disse?

Ela piscou várias vezes, voltando a si e olhou com tédio pra Adrien. Pegou o celular dele que estava em seu bolso e colocou a mensagem que Lila havia deixado na caixa postal para se reproduzir.

— Hey, Adrien, acho que você ainda tem o meu número... — Adrien se aproximou para poder ouvir mais de perto a mensagem, e quase arrancou o celular da mão de Chloé que o observava com uma sobrancelha arqueada. — Eu fiquei sabendo do que aconteceu e quero que saiba que se você precisar, pode me ligar, nós podemos marcar de sair e conversar. Seria divertido não é? — quando Adrien escutou a risada dela, sentiu os pelos de seus braços se arrepiarem, como se ela estivesse ali, rindo ao seu lado. — Bem, eu vou esperar uma resposta. Até logo.

A mensagem parou de se reproduzir e Adrien suspirou enquanto um sorriso brincava em seu rosto. Havia ganhado o dia só de poder ouvir a voz de Lila e ela havia sugerido um encontro! Como ele poderia recusar?

— Eu vou sair com ela. — anunciou enquanto se virava novamente para Chloé.

— Você devia era tomar banho pra ver se recupera o bom senso e tira essa ideia sem sentido da sua cabeça. Será que o álcool ainda está tendo efeito em você?

Adrien suspirou e jogou o celular em cima da cama.

— É melhor eu ir mesmo. Antes que você se irrite ainda mais e decida me arranhar de novo.

Chloé riu sem humor e deitou na cama encarando o teto do seu quarto.

— Eu não gosto dela. — afirmou e Adrien assentiu. Ele sabia muito bem disso, Félix e Chloé sempre haviam deixado claro que não aprovavam a escolha de Adrien, assim como haviam deixado claro que o quanto não gostavam de Lila, ele só não entendia o porquê, uma vez que ela não tinha feito nada contra eles.

Mas toda vez que ele perguntava se havia um motivo, eles desconversavam, talvez fosse algo muito bobo, ou não houvesse motivo nenhum como ele havia pensado inúmeras vezes.

— Eu sei. — disse quase que pra si mesmo, andou na direção do banheiro e fechou a porta deixando a amiga sozinha no próprio quarto.

Chloé ouviu quando o chuveiro foi ligado e voltou a se sentar na cama, o visor do celular de Adrien acendeu indicando uma nova ligação, ela pegou o celular e quase atendeu, mas alguém bateu na porta do quarto e ela levantou para atender, deixando que a ligação de Lila caísse mais uma vez na caixa postal.


Notas Finais


Kkshsjsjjss
E aí gostaram ? Tô nervosa pra ver a reação de vocês 😂❤ antes que eu me esqueça: obrigada pelos comentários no capítulo anterior!
Vocês são incríveis, meus cookies ❤
Perceberam o apelido que a Chloé deu pra Lila? Cobra maquiada 😂😂😂😂
Acho que nesse cap vocês já perceberam que a Chloé é super legal nessa fanfic, já a Lila vocês vão poder odiar a vontade nkshsjsk
Esse capítulo é super importante pro futuro que eu planejei pra fanfic, aliás todos eles são kkshsjsjjss sempre tem alguma coisa nas entrelinhas, chega Milene, você já falou demais hsksjshaj
Até o próximo capítulo cookies. ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...