História On The Spotlight - Colifer AU - Capítulo 25


Escrita por: ~

Exibições 31
Palavras 1.529
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Eii amores, como estão? Espero que bem U.U então como todos que me acompanham sabe, adoro colocar vilões nas minhas fics e essa não seria diferente, antes de tudo só quero dizer que, amo morriver primeiramente e segunda mente a RO vai aprontar. Ahhahhahahhahahhahah acho que só vou dizer isso mesmo vcs vão descobrir o resto no decorrer dos capítulos, enfim vamos ao que interessa, Boa noite a todos e BOA LEITURA!! 🤓😍❤

Capítulo 25 - Capítulo 25 (Jennifer)


Colin levantou a cabeça e virou para o lado. Rose estava em pé, com

a boca entreaberta. Seus olhos fotografavam a cena com todos os closes

possíveis.

_Desculpem... _ ela se tocou que tinha interrompido algo e a ficha

caiu. Procurou alguma coisa pelo sofá e achou seu Ipad. _ Sabia que tinha

deixado aqui... _ mostrou-nos e sorriu. _ Eu já vou... _ caminhou de volta para

a porta. Colin abaixou a cabeça e fechou os olhos, eu franzi a testa e o

empurrei com as mãos no seu peito. Sentei e puxei minha blusa para baixo.

_Vai atrás dela, eu sei que quer fazer isso. _ disse-lhe. _ Vou beber

uma água. _ levantei e fui até a cozinha.

Olhei disfarçadamente para trás e o vi correndo sem camisa para a

varanda. Mordi o lábio inferior e esqueci a idéia da água. Caminhei com

passos leves até a janela. Afastei a cortina lentamente e vi Colin segurando o

braço de Rose. Depois, falou bem junto de seu rosto, tentava quebrar a

frieza de sua expressão com inúmeras desculpas.

Eu ri irônica e balancei a cabeça para os lados. Onde eu estava me

metendo, meu Deus? Só agora pude me dar conta de um simples fato. Talvez o fato de que Rose pudesse ser apaixonada por Colin, afinal, foram anos de parceria, ela era a sombra dele, sua segunda cabeça como ele mesmo me dissera, será que? Respirei fundo não queria pensar, não sobre essa possibilidade que era lançada em minha cabeça..

Colin gesticulava agora com movimentos amplos e eu queria saber o

que falavam. Cheguei perto da porta e fiquei ali quieta.

_Já que você decidiu ficar com ela, porque não a apresenta de vez?

É melhor, antes que comecem os rumores...

_Eu queria esperar.

_Hoje tem uma festa para ir. Leve sua nova namorada.

_Eu não sei...

_Não esqueça do seu trabalho! _ Rose clicou com o a caneta na tela do Ipad. _ Sete horas começa.

_Tudo bem.

Rose desceu os três degraus da varanda e entrou no seu carro. Colin

encontrou comigo de braços cruzados próxima ao sofá e entendeu que eu

tinha visto e ouvido toda a cena.

_Jen, eu disse que ia ser complicado.

_Você não quer tentar?

_Claro que eu quero! Eu não sei se vo-cê quer.

_Me pergunte.

_Quer ir hoje a festa comigo e mostrarmos que estamos juntos? _

perguntou.

Eu pensei um pouco.

_Vão estranhar muito. Será a história. Imagina, a jornalista que era a

vilã do ator agora é seu mais novo caso. _ disse com a voz carregada de

ironia.

_Não é um caso. _ corrigiu.

_Desculpe, estou pensando como jornalista e avaliando seu

histórico de relacionamentos superficiais.

_Eu não estou te obrigando a nada, Se não quer ir, tudo bem. É

o meu trabalho e você não precisa fazer parte desse mundo. Eu só quero que

saiba que dessa vez não será superficial porque eu já estou mais dentro disso

que nunca!

_Eu vou...

_...Ãnh?

_Ora, eu vou. _ decidi.

Colin ficou sem saber o que dizer.

_Tudo bem. Quer que eu ligue para Rose? Ela pode te dar umas

dicas e...

_Não precisa, eu vou me virar sozinha. _ respondi.

_Tá. Se é assim que quer... como faremos? Te pego na sua casa?

Você se arruma aqui?

_Eu posso me arrumar aqui. Vou em casa buscar uma roupa.

_Ok, então. _ Colin aceitou.

Assim foi feito. Quando entramos no carro em direção a festa, eu

comecei a sentir um ligeiro pânico. Era como entrar em um livro encantado

de uma história fabulosa. Eu estava prestes a ser uma personagem e não sabia se concorreria ao prêmio de coadjuvante. Respirei fundo. Colin segurou minha mão.

_Você está linda. _ falou no meu ouvido.  

_Obrigada. _ sorri.

O carro parou e vi pelo vidro dezenas de flashes, fotógrafos se

acotovelando como grelhas assassinas de algum filme.

_Pronta? _ Colin perguntou.

(...)

Quando a porta se abriu, tive vontade de tampar o rosto com a

mão. Meus olhos estavam ofuscados pelos flashs. Sorri para todos e Colin veio

ao meu socorro segurar minha mão. Estávamos na entrada de uma boate que

fora reservada exclusivamente para o aniversário de uma atriz. Era tão

estranho não estar do outro lado do cordão junto com a imprensa, e sim, no

tapete vermelho, sendo amparada pelos seguranças em vez de empurrada.

Enquanto me ambientava com essa nova realidade, estava sob a mira das câmeras e do mundo agora. Eu não era mais a Jennifer e sim a No ar a da de Colin. Um dos maiores astros do cinema di século 21.

(...)

Quando cheguei em casa era um cinzeiro quebrado: roupa e cabelo

cheirando a fumaça e o corpo moído. Eu devera estar tremendamente feliz.

Sempre sonhei em estar no meio das celebridades e agora quando tudo virou realidade, eu desejava não ter ido.

Preciso tomar um banho, deitar e dormir. Eu queria esquecer, mas

eles não me deixariam! Na manhã seguinte, com uma boa xícara quente de

café preto bem forte ao lado, abri o Not e digitei no google meu nome e o do Colin. Já havia vários sites anunciando nosso relacionamento como “o

babado da vez”.

Em um dos endereços havia um ranking das mulheres melhor e pior

vestidas. Tomei um gole grande de café para digerir as frases contra mim:

“Esqueceram de avisar para onde ela estava indo”, dizia um consultor de

moda. Outros jornais nas colunas de celebridades contavam um resumo de

nossa história, segundo a versão que lhes convieram: “A jornalista que foi o

pivô do episódio de aniversário de Colin deixou a imparcialidade de

lado e foi fisgada pelo ator. A assessoria informou que a moça está

escrevendo um livro sobre sua vida. Será que Jennifer vai fazer um trabalho

verdadeiramente jornalístico ?”.

Fechei as páginas. Eu não estava pronta (e acho que nunca estaria)

para receber críticas tão ácidas de pessoas de quem nunca pedi opinião.

Terminei meu café e senti que precisava da garrafa inteira depois daquela

“Busca” sobre mim mesma.

A campanhia tocou. Sorri. Seria ele querendo fazer uma surpresa

logo cedo? Olhei meu cabelo no espelho e conferi se meu rosto estava

apresentável. Ajustei a roupa e abri a porta.

_Rose? _ franzi a testa e arregalei os olhos.

_Oi. _ respondeu segurando a alça da bolsa com a mão esquerda

com força, como se estivesse pendurada nela.

_Entre.

_Obrigada.

_Eu passei um café agora. Quer?

_Aceito.

Fui até a cozinha. Abri o armário e retirei uma xícara. Servi o café.

_Infelizmente já está adoçado. Eu faço para mim e ponho o tanto de

açúcar que gosto.

_Está ótimo. _ recebeu a xícara da minha mão.

_Eu confesso que estou surpresa com sua visita aqui... _ forcei o

início do assunto.

_Eu vou ser direta. _ deixou a xícara em cima da mesa de centro e

se virou mais para mim. _Como sabe, eu cuido de tudo que diz respeito à

carreira de Igor desde que “Colin é Colin”.

Interessante como ela falava o nome dele enfaticamente, fazendo

clara alusão a pessoa pública e ao profissional ator famoso. Parecia que, antes

de conhecê-lo, ele não era nada, nem existia. Ela não cuidava só da agenda

dele, mas de “tudo que lhe dizia respeito”. Será que isso me incluía e, por

isso, estava ali?

_E o que isso tem a ver comigo?

_Eu não sei se já viu o que o noticiário divulgou pela festa de

ontem...

_Vi sim...

_Então, Colin acha que eu posso te dar uma mãozinha para estar à

sua altura.

_Foi ele que te mandou aqui?

_Foi.

Eu sabia que Colin não seria capaz de dizer que eu não estava à sua

altura, essa parte era uma interpretação dela. Mas, talvez, quisesse me ajudar

a estar no perfil de uma namorada de celebridade. Isso me incomodou muito, senti-me inferior.

_E como seria essa ajuda?

_Ah! Em tudo... Para começar pelas marcas de roupa que você

veste, pela cor do cabelo, a altura dos sapatos e...

_Como?! _ levantei a mão no ar. _ Que isso? Você quer me

transformar em algo que eu não sou?

_Olha... _ ela suspirou sem paciência. Mexendo no cabelo. Imagino que fora um suplício

ter vindo ali fazer aquele papel de personal style só porque Colin pedira. _ ...

Você não acha que deve se sacrificar por ele? Se quer tanto fica com ele terá que fazer sacrifícios, querida.

_Eu gosto do Colin, mas também de mim!

_E se cuidar mais não seria se amar?

_Se cuidar é uma coisa, se transformar através de uma

metamorfose de maquiagem é outra!

_Não posso te obrigar.

_Ótimo.

_O Colin pediu também que a levasse até um estúdio onde ele está

fazendo fotos. Tem algum compromisso?

_Não agora.

_Vamos?

Eu continuei sentada, olhando para o chão, enquanto ela já se

levantava. Eu até queria ir vê-lo, mas não com ela. Procurei forças,

levantei-me e fui até o quarto me trocar.

Quando chegamos ao estúdio, sentamos em um sofá e ficamos a

espera da sessão de fotos terminar. Colin era garoto propaganda de uma

marca de Roupa. Estava abraçado a uma modelo, Os dois interagiam naturalmente e sorrindo sempre. Será que Rose

queria me testar? Eu começava a sentir ciúme daquela moça de cabelos

castanhos comprimindo o corpo colado contra Colin. Os dois faziam uma

cara de tesão, depois de enamorados, outra enigmática, olhares distantes...

_ A Dana já ficou com o Colin. _ Rose comentou na maior naturalidade

_Que bom. Porque eu sou que estou com ele agora. _ rebati com a língua

afiada.

Continuei olhando para Colin, agora acariciando o rosto daquela mulher. Eu

levantei-me, não queria mais ver aquela garota se apertando ao corpo do

cara por quem eu estava apaixonada.

_Que foi? Não vai ficar? _ Rose perguntou sorrindo em seu ar

triunfal.

Virei as costas e saí rápido da sala. Desci as escadas, caminhei em

qualquer direção na rua e sentei em banco desnorteada. Meu

celular começou a tocar. Eu sabia que era ele, mas não queria ver nem falar

com mais ninguém. Meus olhos se encheram de lágrimas. Eu não devia ser

realmente boa para ele. 


Notas Finais


N E X T...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...