História On The Spotlight - Colifer AU - Capítulo 27


Escrita por: ~

Exibições 29
Palavras 1.856
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Eii amores, primeiramente. BOA NOITE U. U segunda mente. HJ TEM OUAT ❤✌😍 AMÉM. Enfim vamos de capa. Vou posta três hj, espero que gostem só avisando Babados ahhahhahahha BOA LEITURA!!

Capítulo 27 - Capítulo 27 (Colin)


_Eu queria te falar uma coisa... _ Jen disse.

_Hum.

_Eu pensei muito...

_Ãnh... fala. _ interrompi ansioso. Não agüentava aquelas

enrolações.

_Eu não quero te acompanhar nas festas. Eu sei que isso pode fazer

falta, levantar boatos... mas, não me sinto bem dividindo sua atenção.

_Tudo bem. Era só isso?

_Era.

_Então, seja como quiser. _ abracei-a forte e a beijei. _ Você quem

manda.

_Eu mando tudo?

_Depende... se for bom...

Rimos.

Quem não encarou nada bem o desejo de Jen foi Rose. Quando

combinamos o cachê para ir a uma festa promocional, ela perguntou se eu

iria acompanhado. Respondi que Jen não queria participar de minha vida

profissional.

_Ela não é a mulher ideal para você.

_Isso não está em discussão agora.

_Eu só falo o que vejo.

_Eu prefiro que, a partir, de hoje se limite a falar o que tem a ver

com seu trabalho. Não me considere grosseiro...

_Não, que isso... _ falou irônica revirando os olhos.

_Mas, eu quero viver esse lance sozinho.

_Tudo bem. Eu sou mais experiente e tenho uma visão mais ampla.

_Que seja. Eu quero protegê-la e estou no meu direito.

_Faça como quiser, Colin, A imprensa vai falar.

_Que a imprensa se exploda! Eu não estou nem aí. Eles vão falar

com ou sem namorada!

_Você está muito mudado. _ ela repetiu a frase de Jen.

_É o amor.

_Amor? Quê?

_Por que o susto?

_Você sempre namora, mas... nunca falou de amor!

_Pois, então, estou falando agora. O amor está modificando a minha

vida e eu não quero dividir com ninguém. Nem mesmo em nossas conversas

de trabalho.

_ Colin, o que está acontecendo?

_Nada. Só isso que falei: estou feliz e não tem preço para negociar a

venda dos meus momentos de alegria para revista nenhuma. Entendeu bem?

_Entendi... puxa, mas poderia explorar isso e...

_Eu não quero!

_Tátata... _Mas, continuo achando que Jen não é para você! Ela não

entende nada do seu mundo.

_Ótimo, é disso que eu preciso.

Eu queria alguém que me fizesse lembrar daquele garoto, que era anônimo. Que amasse um simples rapaz qualquer e eu me

sentisse livre. Se ela me oferecia isso, eu a protegeria por amor a todo custo.

Eu não a colocaria entre meus inimigos. Faria de tudo para que não fizessem

de nossa vida uma novela factóide.

Cada um é responsável pelo que faz com sua história e eu não

queria deixar mais ninguém escrevê-la. As duas estavam certas: eu tinha

mudado. Talvez, ainda não estivesse consciente das proporções da minha

virada de personalidade, só podia garantir que estava muito feliz.

Se eu soubesse o preço que teria que pagar por isso, teria

aproveitado um pouco mais. Se tivesse lido nos olhos de Rose toda maldade

que ali morava... Mas, minha ingenuidade me levou a um caminho que

terminava em um desfiladeiro.

(...)

_Não está gostando da festa? _ Rose perguntou-me.

Estávamos em um evento de comemoração dos 25 anos da

emissora onde eu trabalhava.

_Está ótima. _ respondi.

_Ah! Estou vendo... pela bebida da sua mão dá para ver. Virou

purgante, o gelo derreteu completamente.

_O que quer que eu diga? _ olhei para o meu copo e constatei que

ela estava certa, deixei-o na bandeja de um garçom que passou. _ Se quer

ouvir que eu gostaria de ter a Jen aqui do meu lado, sinta-se satisfeita.

_Ela deveria estar aqui.

_Não acho que “deveria”, afinal, esse não é o trabalho dela. Nem

precisa do meu status para nada. Jen é uma mulher linda e inteligente.

_Você é quem diz. Eu não me meto.

Que ironia! Ela era a que mais colocava o dedo na minha relação.

Sempre se justificava que era para não ter muitos problemas com a imprensa depois.

_Olha quantas mulheres Lindas, livres, cheias de

vivacidade, brilho, fama! _ mostrou e eu fiz um olhar panorâmico.

_Concordo. São lindas. Mas, eu não quero buscar aquilo que tenho.

A Jen me acrescenta em outros aspectos.

_Não sei quais. Uma mulher sem classe total e sem grife.

_Eu não escolho quem gosto, é meu coração.

_Ajeita aqui a minha alça? Amarra mais firme? _ Rose pediu e

virou-se para eu apertar o laço do seu vestido. _Pelo contrário... _ virou o

rosto para o lado. _... Você sempre escolheu.

_Pode ser aí a diferença. Agora eu estou realmente amando.

_Como pode amar com alguns dias de namoro?!

_Eu a conheço já faz uns meses.

_Colin. _ Rose virou-se de frente para mim, estava visivelmente

sensual e bonita em um vestido vermelho de decote e com o cabelo em

coque. _ Você vai levar isso a sério?

_Se depender de mim, sim.

_Não queria estar ouvindo isso... _ ela virou o rosto para o lado e

suspirou.

_Rose... por favor, não vamos falar sobre o q...

_Tudo bem. Eu não vou falar. _ ela sorriu forçado e seus olhos

estavam cintilantes.

(...)

_Aí está o resultado. _ Rose mostrou-me sua busca com todas as matérias que saíra sobre mim em revistas, jornais e sites da Internet, assim

que cheguei na pequena sala que alugamos para fazer nossas reuniões. _ O telefone não pára de tocar.

Respirei fundo. Além de fazer um bom trabalho como ator, ainda

tinha que dar satisfaça da minha vida para todos.

_Eu vou manter o que acho certo. Se a Jen não quer aparecer,

respeitarei.

_Essa garota vai acabar arruinando a sua carreira.

_Não seja ridícula. _ falei.

Rose ficou por alguns segundos com a boca aberta, na iminência de

dizer algo. Nós sempre nos respeitamos muito e eu acabava de passar dos

limites da educação.

_Desculpe. _ pedi.

_Ela está lavando a sua cabeça. Você não era assim. Olhe para sim

mesmo, Colin!

_Eu estou feliz. Eu gosto do que sou agora, tá bom! _ levantei-me da

cadeira impaciente e senti que precisava de ar. Estava pressionado e

sufocado.

_Nos seus casos anteriores eu até concordei com algumas besteiras

que fez, mas nesse...

_Rose, chega! _ interrompi-a. _ Chega! Eu não quero mais!

_ explodi.

_Como assim? Do que está falando? _ ela deu a volta na mesa. _ Não pode largar sua carreira.

_Eu não quero largar a carreira.

_Então, o quê?

_Eu quero que a gente pare por aqui.

_Colin, não brinque com essas coisas... isso aqui é um contrato

profissional...

_Que eu quero romper.

_Só pode estar brincando!

_Não estou. _ falei com dificuldade. Romper meu laço com ela era a

tarefa mais dura para mim. Uma união profissional de anos que só trouxera

sucesso atrás de sucesso, mas que, ao mesmo tempo, me algemava, sufocava

e tolhia todos os meus movimentos amorosos. _ Eu vou te dar todos os

benefícios, prometo que será um acordo justo...

_Não! Não! _ Rose foi até o bebedouro e pegou um copo de água

para mim. _ Tome, você não está bem. Isso tudo está afetando o seu cérebro.

_Eu nunca estive tão lúcido. _ falei friamente.

_Será a maior ingratidão que fará em sua vida. _ falou entre os dentes.

Eu sabia que ela estava certa e suas palavras doeram em meu

coração.

_Eu dei todos os meus dias a você! _ sua voz embargou e os seus

olhos se encheram de lágrimas. _ E agora que surge uma garotinha como

outra qualquer, você joga no lixo todo o meu trabalho? Não estou

acreditando.

_Desculpe se está entendendo assim.

_Como quer que eu entenda, Colin?! Eu sei que foi ela que pediu isso

a você.

Fiquei calado e a deixei na sua vez de colocar as emoções para fora.

_Só que ela não estava aqui quando você era um anônimo! Quando a Helen te deixou e você ficou mal, hoje, é um cara rico e todas as empresas te

querem. Você é o queridinho das propagandas, das séries, dos filmes... tudo

que faz o público gosta. E isso não foi só parte do seu talento, mas do meu

suor e agora vai me jogar no olho da rua? _ as lágrimas correram por seu

rosto e isso me impediu de fazer qualquer movimento, ela sabia me paralisar.

Lembrei-me a causa de todas as cobranças, pânicos e medos interiores. Eu havia descoberto

que o ponto inicial que disparava todos os meus problemas psíquicos era ela.

Justamente a pessoa que me fazia tanto bem também me enlouquecia. Jen me colocara contra a parede e me dissera que se eu não

resolvesse a situação logo seria ela ou Rose. Uma situação muito dura de se decidir. Ela era a mulher que eu amava e Rose, a quem eu devia o meu sucesso. Jen já não agüentava mais me ver angustiado e triste. Eu não andava

nada bem com as sucessivas cobranças da minha assessora.

_Então, termina tudo assim? Você sai por aquela porta e depois eu

vou tratar com seu advogado? Simples, prático e asséptico?

_Não queria que nada fosse assim... _ falei em voz baixa. _ Mas, eu

quero que a gente se afaste.

_Eu posso mudar, me fala o que quer...

_Rose! Eu não quero mais nada!

_Não pode! Não pode! _ ela gritou e seus olhos tinham um brilho

intenso que me trazia muito medo. _ E você sabe por que não pode! _ bateu

com o dedo no meu peito. _ Eu tenho uma coisa que só nós dois sabemos que existe. _ ela riu alto e estridente.

_Não teria coragem! _ olhei-a de lado...

Rose voltou para sua mesa, se recompôs e com um sorriso

maquiavélico, pôs as mãos sob o tampo da mesa, se inclinou para frente em

posição de ameaça:

_Eu posso esquecer tudo que conversamos agora e voltamos ao

nosso trabalho. Ou...

_Você se prejudicaria com isso também.

_Tanto quanto você.

_A mesma pessoa que me construiu iria me destruir.

_Que bom que você sabe o peso do que tenho nas mãos.

_Você está doente!

_Não, eu sou a única... _ levantou o dedo na minha direção e sua

voz saiu trêmula e ensandecida. _... que tem razão aqui e sabe o que é

importante para você.

_O que quer? Quanto quer?

_Eu quero você.

_Não entendo...

_Entende sim! _ bateu com a mão no tampo da mesa. _ Você

sempre soube o que eu quis! _ suas bochechas estavam vermelhas de raiva.

_Rose, você não está bem, eu não quero conversar agora assim...

_Não vamos deixar para depois, não! Não quis mexer comigo?

Então, agora sou eu que vou impor as minhas condições. _ ela caminhou até

mim e deu uma volta ao meu redor me provocando arrepios de medo do que

fosse propor. _... Eu quero que você termine com a Jennifer.

_Quê? Isso nunca!

_Você é quem decide. Com ou sem ela, eu vou usar a minha carta

na manga.

_Agora você que estaria sendo injusta!

_Acho que a sua queridinha não vai ficar em pé depois dessa. _ ela

cruzou os braços e falou junto ao meu rosto. _ Dê a desculpa que quiser e

termine com essa jornalistazinha de jornal de bairro o quanto antes!

Engoli em seco.

_Você tem o prazo de uma semana.

Eu corri para casa em desespero fugindo daquela víbora. 


Notas Finais


N E X T...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...