História On The Spotlight - Colifer AU - Capítulo 32


Escrita por: ~

Exibições 48
Palavras 673
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Eii amores, como estão? Espero que bem!!😌☺ enfim, vamos de caps. A fic já ta chegando em retal final, muito obg pelos comentários, por quem favoritou, vcs nem sabem como fico feliz, então vamos ao que interessa, BOA LEITURA!!!❤❤❤❤❤❤👌

Obs: Participação especial do meu segundo amor U.U💕❤💘😏😁🙈

Capítulo 32 - Capítulo 32 (Jennifer)


A campainha tocou e eu apertei o botão para atender ao interfone:

_Quem é?

_É o advogado de Colin. Trouxe uma coisa para a senhorita.

Ouvi o barulho dos repórteres ao fundo.

_Pode subir. _ autorizei.

O homem que vi ao abrir a porta era jovem, alto forte, de cabelos loiros e olhos azuis e vestia um terno azul.

_Entre. _ indiquei com a mão.

_Pensei que não conseguiria passar pela barreira lá embaixo. _ ele

riu.

_Estão ali como urubus sobre a carniça esperando eu descer.

_E o que pensa em fazer? _ perguntou.

Eu fiquei calada. Era estranho ter um homem que nunca vi sentado

no meu sofá, querendo saber dos meus planos.

_Deixa eu me apresentar melhor. Meu nome é Chris Evans. Eu

vou defender seu... Hum. O Colin.

_Vai entrar com um processo por danos morais? _ perguntei.

_Depois sim. Agora o mais importante é conseguir tirá-lo da cadeia.

_Cadeia? _ repeti a palavra como um espirro incontido.

_A você não sabe...?

_Do vídeo?

_Até onde sabe...?

_Do que está falando? _ perguntei.

_ Colin está sendo acusado de tentativa de homicídio.

_Quê? Ele está preso?

_Está. E me mandou até aqui ver como você está...

Eu me levantei e andei de um lado para o outro da sala.

_Agora estou pior! _ respondi. _ Como isso aconteceu?

_Ele ficou tão nervoso com o que a assessora dele fez que tentou

agredi-la. Só que, segundo ele, a mulher enlouqueceu e quis se matar. Quase

conseguiu!

_Onde ela está?

_Internada no hospital.

_E por que Colin está sendo incriminado?

_Ele falou alto que iria matá-la e os porteiros ouviram. Mas, no

fundo, não era sua intenção chegar a tal ponto. Rose começou a gritar que

ele estava tentando esfaqueá-la e isso piorou a situação para o lado dele

porque, ao chegar na cozinha, o segurança viu que Colin estava rolando no

chão com Rose e ela ensangüentada.

_Meu Deus... _ sentei no sofá, atônita. De repente, o vídeo era um

detalhe pequeno para o que conseguiu se tornar pior.

_Essa mulher é louca total.

_Ele escreveu isso para você. _ o advogado me entregou uma folha

de papel escrita de caneta azul.

Caminhei até a janela e lá, atrás da cortina fechada, li:

“Eu queria estar te escrevendo palavras lindas, em algum lugar

bonito para te dizer boas notícias. Agora o que tenho é uma jaula, letras

tristes e péssimos presságios. Mas, o que ainda me resta é você. Vão te

perseguir e tentarem vender sua tristeza como se comercializa a nova versão

de um carro na TV. Nessa hora, lembre-se de nós e da vida que quis nos unir.

Te peço coragem, quando me falta também. Por favor, Jen, não me

abandone, nem me condene. Os meus atos inconseqüentes de antes são

poeira, possível de assoprar e ser levada pelo vento. Já o que aconteceu

conosco é uma verdade que quero levar para sempre. As pessoas vão se

divertir com o vídeo e torná-lo motivo de piadas e conversa de bar, depois

esquecem. Só que eu não quero ser esquecido por você também. Meu amor,

eu vou provar que não fui culpado, que não tentei matar Rose. Depois,

quero estar ao seu lado, me ajude. Lute por mim agora.”

Afastei a cortina com a ponta dos dedos e vi os repórteres lá em

baixo.

_O que pretende fazer? _ perguntou ele.

_Me espere um minuto? _ pedi.

Fui até meu quarto e fechei a porta. Olhei-me no espelho oval que

havia em cima da penteadeira. Acariciei minha barriga, respirei fundo.

“Lembre-se de nós e da vida que quis nos unir”.

Descemos as escadas do meu apartamento e Chris abriu a porta

de vidro para eu passar. Vários flashs começaram e serem disparados.

“Vão te perseguir e tentarem vender sua tristeza como se

comercializa a nova versão de um carro na TV.”

_Na porta da delegacia está pior. _ ele falou próximo ao meu

ouvido.

Virei meu rosto em sua direção e falei decidida:

_Não se preocupe, eu sou profissional. 


Notas Finais


N E X T .....


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...