História Once Upon a Dream - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Anjos, Born To Die, Bruxas, Lgbt, Once Upon A Dream, Vidas Passadas
Exibições 2
Palavras 1.020
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Ficção, Hentai, Lemon, Magia, Misticismo, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Sobrenatural, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 4 - Once Upon a Dream


Fanfic / Fanfiction Once Upon a Dream - Capítulo 4 - Once Upon a Dream

Ok, hoje é meu encontro com o Noah. Talvez eu esteja nervoso. Só talvez...
Mentira, eu to muito nervoso.
E se eu fizer algo errado? E se eu falar besteira?

- Essa roupa esta horrível. - Digo olhando no espelho a roupa que estou usando.

- Ah para de palhaçada. Você esta lindo. - Mia diz me olhando, ela esta sentada em minha cama.

- Não, não estou.

- Para, Blake, só seja você mesmo.

- É fácil para você dizer isso. Você é linda de qualquer jeito.

- Óbvio, como diz Nicki Minaj, eu sou a porra de uma Barbie negra, rosto bonito, corpo perfeito. - Ela diz rindo.

- Ridícula. - Rio, tiro minha blusa e jogo nela.

- Que foi? Estou mentindo? - Ela continua rindo.

- Fica quieta e so abre a boca para dizer se minha roupa esta boa. - Pego outra blusa, a visto e sorrio olhando, a frase "Let Me Love You", estampada.
- Agora sim está ótimo. - Pego meu casaco xadrez e o amarro em minha cintura deixando minha blusa por cima dele.

- E de novo, você esta lindo. - Mia sé levanta.
- Eu vou indo para casa.

- Ok. - Sorrio

- Boa sorte. - Ela me abraça.
- Vocês vão ser felizes dessa vez.

- Não fale de mim como se eu fosse o Pietro. Não quero ficar com Noah só por causa de uma obrigação de vidas passadas.

- Ok... - Ela ri fracamente.
- Desculpa...

- Está tudo bem. Eu só não quero me sentir obrigado a fazer isso.

- Eu entendo. Não vamos mais falar sobre Pietro.

- Ah não ser que seja necessário. - Digo, suspiro e ouço um carro buzinar em frente a minha casa.
- Ai, é agora. - Digo nervoso.

- Calma garoto.

- To calmo, ainda. - Digo coloco um perfume.
- Até depois. - Beijo a bochecha dela e saio de casa correndo.

Vejo uma... Ferrari parada em frente a minha casa e me aproximo aos poucos. Quando estou perto, a janela se abre e consigo ver Noah lá dentro.

- Hey, tudo bem? - Ele pergunta sorrindo.

- Sim, e... - Olho para o carro e depois para ele.
- Você tem uma Ferrari? - Rio.

- Sim, meu pai comprou para mim. - Ele ri.
- Pode entrar.

- Ok. - Entro no carro e o olho.
- Seu pai comprou? Sua família é rica?

- Digamos que sim. - Ele me olha.
- Acho que agora eu deveria me apresentar pra valer. - Ele sorri. Ai, que sorriso perfeito.
- Eu me chamo Noah Wright. E você?

- Eu me chamo Blake Di'Angelo. - Rio fracamente.
- Então, Wright, aonde vai me levar?

- Aonde você quiser, Di'Angelo.

- Vamos ao cinema. - Sorrio até ver o rosto dele aproximar-se de meu rosto e logo desvio meu olhar para o rádio ligando o mesmo.
- An.. é... vamos. - Digo sentindo minhas bochechas arderem.

- Bem... vamos. - Ele diz meio sem graça e começa a dirigir.

Depois de alguns segundos, percebo que começa a tocar no rádio a musica "Make Me (Cry)" da Noah Cyrus, eu simplesmente amo essa música.

- I never hated you like I do right now, 'cause all you ever do is make me... - Canto junto ao rádio.

- Sua voz é... linda demais. - Noah diz sorrindo.
- Sério, ela é tão... não sei explicar.

- Nossa... obrigado. - Digo e minha bochecha arde como se tivesse queimando.

- De nada.

Depois de alguns minutos o carro entra no estacionamento do shopping e logo para. Desço do carro e me espreguiço, Noah sai do carro e anda até mim.

- Vamos fazer o que aqui? - Ele pergunta me olhando.

- Ir ao cinema, que tal?

- Ótima idéia.

- Então vamos. - Seguro a mão dele e o puxo para dentro do shopping.

Eu segurei a mão.
Estamos de mãos dadas...
Estamos de mãos dadas!
Logo os dedos dele se entrelaçam aos meus, me fazendo dar um sorrisinho bobo.
Não sei por que, mas hoje estou observo as pessoas a minha volta, coisa que nunca faço. Algumas pessoas estão sozinhas, outras estão acompanhadas de amigos, ou namorados, ou familiares. E então, três pessoas me chamaram a atenção mais que as outras. Um garoto loiro de olhos azuis claros, segurando a mão de seu pai e sua mãe. A criança está com um sorriso inocente em seus olhos...
Tudo fica branco, meu corpo se amolece e uma imagem aparece em minha mente.

O sol quente estava brilhando no céu complemente azul. Eu estava sentado no chão, com a grama fazendo cócegas em minha pele. Não sei onde estava, mas era uma espécie de parque. Crianças corriam de um lado pro outro, casais faziam piqueniques, amigos conversavam e brincavam.
Mia estava sentada na grama a meu lado, ela observa atentamente as crianças.
- Pensa em ter filhos? - Pergunto, ou melhor, Miguel a pergunta.
- Não sei, nunca pensei nisso... e você? Quer ter filhos?
- É meu sonho. Montar uma família, ter crianças correndo pela minha casa. - Miguel diz de um jeito contente.
- E Daniel? Quer ter? - Ela pergunta.
- Quer, muito... mas bem, como nem podemos assumir nosso namoro, nunca iremos ter filhos. - Miguel suspira profundamente.

- Nunca diga nunca... - Mia diz.

"Nunca diga nunca"

Essa frase ecoa pela minha mente até que tudo volte ao normal.

- Blake? Esta tudo certo? - Noah pergunta me olhando.

- Sim... sim... - Digo baixo e balanço minha cabeça para poder me concentrar.
- Noah... o que eu vou falar agora é meio estranho, mas... eu conheço você...

- Como assim?

- Eu andei com você uma vez em um sonho... literalmente. - Digo e desvio meu olhar para o chão.

- Que engraçado... porquê, eu também conheço você. Já sonhei com você, várias vezes. E esse seu brilho no olhar é tão familiar para mim. - Ele diz.

- S-sério? - O olho.

- Sim, mesmo que nesse sonho, nossos nome sejam diferentes. O que é estranho. - Ele ri. Como é possível ele ter alguma lembrança da outra vida?

Quando eu penso em responder, um impulso toma conta de meu corpo e eu simplesmente abraço Noah e o beijo. Ele retribui. E ficamos ali. Por um bom tempo, no meio da multidão. Apenas nos beijando...
Eu poderia dizer que, quando fomos ver o filme, prestamos atenção nele... mas eu estaria mentindo...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...