História Onde Mora o Amor? - Capítulo 57


Escrita por: ~

Exibições 65
Palavras 1.547
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 57 - Acidente - Luan e Marina


Fanfic / Fanfiction Onde Mora o Amor? - Capítulo 57 - Acidente - Luan e Marina

__ Rapazes, se importam? - Maya perguntou com um sorriso forçado em seus lábios, Lua estava apoiada em um de seus ombros e o cansaço já tinha a consumido.

__ Delegada, err.. deixe-a com a gente, daremos o cuidado que ela necessitar. - Respondeu rápido enlaçando sua mão pela cintura de Lua, e a carregando para longe da porta da boate, toda aquela movimentação resultou em uma pequena platéia de curiosos.

__ Antes.. me diga onde está George? e que diabos Jake esta a fazer aqui. - desviou seus olhos para Jake, que sorriu mostrando todos os seus dentes.


__ Bom.. err.. - Jake riu do nervosismo do policial ao tentar explicar o que tinha ocorrido,  e se aproximou dos dois.


__ Você não mudou nada não é mesmo Maya? Continua assustando as pessoas. - Ela ergueu uma sobrancelha e esperou que o antigo amigo continuasse.
__ É simples, ele desacatou algumas de suas ordens e decidiu invadir o local. - deu de ombros como se fosse uma conversa normal e levou as mãos ao bolso da velha calça jeans.

__ Ele nunca obedeceu nenhuma de minhas ordens, não estou surpresa. - pensou em voz alta, fazendo Jake sorrir.
__ Você leve Lua para um lugar seguro, e vocês o que estão esperando? Essas pessoas entrarem aqui dentro para fazerem alguma coisa? - rolou os olhos impaciente e trocou sua arma, buscando uma com mais poder de fogo.
__ Como você chegou aqui? - perguntou colocando o envelope dentro da maleta, com códigos de segurança.

__ Vocês não foram muito silenciosos. - explicou, olhando ao redor da rua movimentada.
__ Que merda! - xingou-se ao notar que tinha perdido Luan, não pensou duas vezes e correu para o carro, se Luan manteve a sua idéia de ser o herói, ele precisava de alguma arma.

__ O que foi Jake? - Maya perguntou preocupada, apoiou um de seus braços na janela do carro e averiguou o rosto do parceiro, Jake parecia nervoso.

__ Luan entrou também.. - sussurrou aquelas palavras e levantou o assento do carro, ele guardava algumas armas em lugares específicos, nunca se sabe quando irá precisar.


__ Eu pensei que você era o segurança dele porra! - gritou perdendo completamente o pouco que restou de seu controle. Tudo estava fugindo de suas mãos, como areias entre seus dedos.

__ Eu vou com você. - avisou destravando sua arma.

__ Eu não posso te impedir, mas ao entrar saiba que terá que se defender sozinho, Carlos já está com dois reféns.. - suspirou.
__ Não terei tempo para ser a sua babá. - sorriu de lado provocativa.

__ Você não vai precisar, se isso tudo está acontecendo foi porque eu não tive coragem de revelar um grande segredo da família Santana. - Jake fechou os olhos por alguns longos segundos, parecia se recordar de alguma coisa.
__ E para que esse segredo não termine em mais tragédias, eu preciso acabar com todos que saibam dele. - a voz fria de Jake, fez com que Maya pensasse em revelar que já sabia do segredo, que a família de Luan insistia em esconder.


__ Então faça o seu melhor, Luan e Marina são vítimas de um erro que vocês cometeram. - alertou, conectando o ponto em seu ouvido. Era mais fácil de localizar George e seus homens.
__ E se você quer vê-los felizes e melhor que conte toda a verdade quando tiver oportunidade, Luan precisa saber que é adotado e Marina, bem é a filha bastarda de Otávio fora do casamento. - Jake se surpreendeu ao ouvir tudo que por anos guardou dentro de si, sair da boca da delegada como se fosse um roteiro de novela.


___XXX___


Marina



Ficar de os olhos fechados não adiantou muito, só me fez ficar ainda mais nervosa e a cada palavra de ódio que era referida a Luan me causava náuseas, só de imaginar o que Carlos seria capaz de fazer se derrotasse o meu amor.
O pior era saber que eu não podia fazer nada para ajuda-lo, não ganharia nada gritando eles não me ouviriam daqui e se corresse estaria abandonado Luan e Carlos me alcançaria fácil, eu não conhecia nada daquele corredor subterrâneo.

Luan atingiu com seu punho fechado o rosto de Carlos, que não ficou atrás e distribuiu socos na região abdominal do moreno.
Logo os dois se enfrentavam no chão, Luan manteve a liderança distribuindo socos no rosto de Carlos que já sangrava pelo nariz, porém foi pego de surpresa pelo inimigo, Carlos ergeu seu braços e empurrou seu cotovelo na barriga de Luan que ofegou caindo para o lado, suas costas sentindo a terra úmida.


__ Carlos pare por favor! - Marina suplicou querendo que aquele pesadelo acabasse, ajoelhou-se perto de Luan e segurou sua cabeça com umas de suas mãos.
Luan tinha uns pequenos ferimento na testa, sobrancelha, nariz e lábios. Mas o que mais chamou atenção, foi que ele cuspiu uma enorme quantidade de sangue. Luan não estava nada bem.
__ Amor olha para mim, Luan! - gritou com as lágrimas banhando seu rosto.

__ Vamos, levante! - empurrou-me em direção a porta, não desviei meus olhos de Luan, eu queria ter uma última imagem dele e fotógrafa-lo em minhas memórias.

__ Eu te amo.. por favor perdoe-me. - sussurro aquelas palavras em meio ao choro que consome o todo o meu corpo. Luan estava cansado, machucado e o pior era que eu sabia, que seria a última vez que eu o veria. Esse sentimento não me largou desde da manhã.


__ Vamos Marina, não me faça vê essa cena patética. - Carlos rolou os olhos impaciente quando a ruiva soltou-se do aperto dos seus braços, e jogou-se aos braços do seu grande amor.

__ Eu te prometo que ainda vamos ser felizes. - sou arrancada a força dos braços de Luan, mas antes que eu finalmente aceitasse essa derrota, senti seus dedos apertarem a ponta dos meus.
Ele estava acordado.

__ Esse aí já era, quando acordar vai dar adeus à toda fortuna que conquistou. - sorriu vitorioso, carregando-me para longe de Luan.



Luan Santana


Sinto dor, eu acho que seria mais fácil dizer onde é que eu não a sinto. Meu corpo parece ter sido atropelado por um trator e olha que aquele desgraçado só me acertou alguns socos, claro antes que eu batesse minha cabeça no chão.
Viro-me olhando a mulher da vida escapando de minhas mãos, meus olhos embaçados me impossibilitam de seguir os passos de Carlos.


__ Vamos não pode desistir agora Papai, precisamos de você. - olho para minhas mãos ensanguentadas, na minha situação eu não chegaria nem perto de Carlos, mas isso não me importa agora e é com esses pensamentos que levanto, apoiando-me nas paredes sujas e após alguns minutos tentando controlar minha ânsia de vômito, pego a arma no chão e sigo pelo mesmo caminho de Carlos. Eu não deixaria que ele me tirasse a minha mulher e filho.

Pego meu carro mas antes mando uma mensagem para Jake, explicando rapidamente o que estava acontecendo e para onde ele deveria mandar a polícia, só tinha um lugar por onde Carlos conseguiria fugir com uma mulher sem documentos.

__ Coloque o cinto de segurança.. - limpo o pouco que consigo do sangue que escorre pela lateral do meu rosto, todo essa perda de sangue esta me causando alucinações. Jurava ter visto uma garotinha em meu carona.
__ Que merda, estou ficando completamente louco. - acelero o carro, iniciando uma perseguição.

____××××____

Marina


Aperto com minhas mãos suadas o couro do banco, tento me acalmar, ficar nervosa agora não ajudaria em nada, Carlos está louco, derrapando com o carro a cada acelerada, seu plano é desaparecer comigo.

__ Pra onde estamos indo? - perguntei assustada, com medo do que poderia acontecer, ele não estava em seu estado normal para dirigir em alta velocidade.
Achei estranho quando por impulso minhas mãos protegeram a minha barriga de bater brutalmente no painel do carro, alguém estava tentando parar o nosso carro é o jeito era fazer com que Carlos nos jogasse para fora da estrada.
__ Carlos por favor pare.. - imploro para que ele desista desse seu plano maluco. Ele parece não me escutar.


__ Cale a boca vadia, se tivesse feito o trabalho direito não teríamos toda essa confusão. - gritou apontando-me sua arma, abracei meu corpo e deixei que os soluções escapassem dos meis lábios.
__ Bem na hora da diversão. - comemorou olhando pelo retrovisor o carro de Luan bater na lateral do carro. Ele queria lutar por mim,  ainda me amava.


__ Você é louco, um psicopata nojento! - empurro suas mãos, fazendo que elas soltassem o volante para que assim o carro de Luan, nos guiasse para fora da estrada.
__ Eu te odeio! - grito cravando minhas unhas em sua pele, o carro ultrapassa a barreira de segurança e derrapa na lama fina.
Por mais que o carro vire, dando alguns giros antes de finalmente parar de cabeça para baixo,  eu consigo vê a BMW de Luan bater em um outro carro e rolar pela ribanceira. Aquilo era um terrível pesadelo, eu queria acordar... mas toda essa dor parecia ter um necessidade de ser vivida.
Eu não queria ter acordado mais tarde..


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...