História Onde o meu coração repousa - Capítulo 29


Escrita por: ~

Postado
Categorias Inuyasha, Inuyasha Kanketsu-hen
Personagens Inuyasha, Kagome, Kirara, Kouga, Miroku, Personagens Originais, Rin, Sango, Sesshoumaru, Shippou, Toutousai
Tags Inuyasha, Sesshyxkagome
Visualizações 332
Palavras 1.752
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Yuri
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eu voltei!

Obrigado a todos que me deram apoio nessa sumida, que infelizmente não foi por que quis. Minha vida particular ainda não está nos eixos, mas vai ficar. Sobre o que aconteceu, bem, eu irei escrever sobre isso depois, está sendo uma experiência interessante, apesar de não desejar para ninguém.

O capitulo que havia incluído para avisar que iria sumir tive que deletar por conta de aviso no site, bom, mas vos presenteio com este aqui, e digo mais, esse foi o mais complicado para minha pessoa escrever, mexeu muito comigo, e o mais engraçado é que só cai na real essa semana, e me perdoem, mas não é grande...

Vamos aos agradecimentos... ~Jana95, ~yseberabah, ~Tata1905, ~Aishasummer, ~StefcrysTashio, ~kia_hatake, ~sesshyamo, ~Jkelinda, ~KirahFreitas - Clan Somoro, ~Lyvia22, ~Danny-Hinamori1, ~DeusaObscura, ~paloma6789silva, ~Kuchiki-Mai, ~23karoline, ~LadyMcLean, ~YangMimisaki, ~aneribeiro, ~Kagome-chan20, ~pifranco, ~Nomie, ~LucyCheney0603.

Essa fic chegou a mais de 100 favoritos, AÊ! Obrigado ao carinho de todos aqui presentes, essa história não seria nada sem o apoio de todos.

Dessa vez a música foi escolhida antes do capítulo estar concluído, ela está lá nos links finais.

Nas notas finais eu também tenho algumas outras surpresas... espero que gostem.

Bjs e até logo!

Capítulo 29 - Aceitação


ACEITAÇÃO

Olhar aquela paisagem era como encarar o seu passado longínquo, era como mergulhar no bálsamo do seu ser e se aventurar na profundeza dá sua alma e desfrutar das escolhas e decisões que tomou com base em seu instinto.

Aquela era ela...

Talvez o destino sempre precisou de uma ajuda para executar os seus planos diabólicos, e ela foi apenas o seu mais vil instrumento de persuasão e execução.

Em que momento ela havia sido recrutada por ele?

Talvez no momento em que decidiu fazer escolhas e estas a levaram a tomar as decisões que culminaram em sua missão, todas as suas dúvidas foram necessárias para que ela entendesse o que o destino havia preparado para ela, e o seu livre arbítrio foi a diretriz dos seus anseios.

Ela sabia que tudo o que ocorreu no passado foi o estopim para ela seguir aquele caminho e a permitiu ser feliz, mesmo que não para todo o sempre.

Ainda bem que sempre respeitaram as escolhas que ela havia tomado, afinal foram as escolhas do seu passado que decidiram o futuro...

Ter ficado na era feudal, ter ido treinar e melhorado o seu poder... Tudo aquilo foi o estopim para o que precisaria enfrentar.

Hoje ela poderia dizer, que mesmo que não tivesse ganhado Byakko ela estaria em perigo, afinal agora sabia dos planos dele e do porque dele ir atrás dela.

Seu instinto protetor sempre foi o seu guia e o responsável por seu contrato irrecusável com o destino.

Havia aprendido a lidar com seus poderes, dúvidas e sentimentos e agora ela sabia onde o seu coração chamava de lar, e onde ela era ela mesma... junto de seus amigos e família, mas que preço teve que pagar para descobrir?

E mais uma vez ela se via com a opção de escolher, e aquela era a única escolha plausível de ser tomada no caos que estava por se mostrar a todos. Era o que vivia dizendo para si mesma, como forma de se confortar das escolhas que sabia que deveria tomar para si. Aquele caminho não tinha volta, e a sobrevivência não lhe parecia uma opção.

Mas ela estava conformada, já havia feito tudo que era necessário, e acabou com aquela indecisão do passado e futuro se resguardando de viver uma vida plena e feliz ao lado daqueles que amava.

Sua expressão era aprazível e serena, enquanto sorvia aquela xícara de chá... Talk and tea... Se bem que o talk era consigo mesma... E um sorriso largo brotou nos belos e sedutores lábios rosados... sentia e sentiria saudades...

Percebeu a presença de seu amado e de seu cunhado, mas não se importou de demonstrar reação, apenas esperou pelos braços fortes a circundar a sua cintura a virando para um beijo doce e quente de seu companheiro de jornada.

Inuyasha – Kêh! Será que vocês não podem me respeitar, vão procurar um quarto!

Kagome – Inuyasha... senta!

O kotodama não existia mais, mas fazer aquela brincadeira era algo que sempre a deixava de bom humor, por que a simples menção da palavra  fazia o outro suar frio e tremer.

Inuyasha – Kagome! Isso não tem mais graça!

Sesshoumarou – Ah tem sim querido irmãozinho!

Inuyasha – Kêh!

Todos naquele salão dão largas risadas, embalados pelo carinho e união que ali reina em volta da grande matriarca Kagome, ela era a sacerdotisa que transcendeu o tempo, a esperança das eras futuras e passadas, dona de um coração puro e generoso, capaz de se entregar sem receios apenas para que todos ficassem bem e sobrevivessem felizes... Era o seu acordo e contrato com o destino...

Ela sorria mais uma vez, enquanto olhava na face de cada um dos seus queridos e amados amigos e familiares, sabia que apesar de qualquer desavença amava a todos. Os encarava com atenção como se memorizando cada detalhe da face deles, para assim os manter guardados em sua memória e gravados em seu coração.

Mais um momento de paz antes da tempestade... um momento de felicidade, mas era uma pena que não iria durar para sempre... mas por enquanto aquilo deveria valer e ser eterno.

Por enquanto... mas tinha que perguntar como havia sido a expedição dos dois.

Kagome – Deu tudo certo?

Sesshoumarou – Sim minha Miko, os nossos eus do passado se reconciliaram, agora é esperar...

Ela assentiu e o abraçou... o momento estava se aproximando.

Enquanto isso, certo daiyoukai do passado tinha o seu ser revirado por aquelas verdades... SUA garota e SUA cria!

Aquelas palavras retumbavam em sua mente, enquanto ele acariciava o rosto da jovem garota em seus braços. Ela dormia tão serena e tranquila, como se fosse um anjo, a pele branca da tez em contraste com os lábios carmins, os cílios longos e volumosos, a respiração compassada e ritmada... calma e tranquila. Ter ela ao seu lado fazia-o se sentir pleno como em nenhum outro momento em sua vida, mas ao mesmo tempo se sentia perdido com a possibilidade de ficar longe dela... Seu coração youkai apertava em seu peito ao mesmo tempo em que batia feliz... Como era possível de se conceber aquela hipótese?

Em que momento ela havia tomado aquele lugar em sua vida?

De maneira sorrateira e imperceptível a sua vontade ela quebrou as suas barreiras e se instalou em seu peito, o fazendo conjurar tempestades se algo acontecesse com ela... e ela ainda lhe presenteava com sorrisos e um herdeiro.

Ironia do destino... era o que se passava em sua cabeça, seus lábios sorriam com a piada em que havia se tornado. Mas talvez a sua mente já sabia o que poderia acontecer com ele se tivesse a oportunidade de se encantar por uma humana, e o seu ódio por eles era uma proteção para a sua verdadeira essência. Como não amar aquela garota insolente?

Ela o respeitava, mas ao mesmo tempo o confrontava, o deixava com raiva, mas ao mesmo tempo o fazia deseja-la com toda a sua força... irônico e cruel armadilha do destino.

E mais uma vez naquela noite o sorriso fácil brotou nos lábios finos do altivo daiyoukai, ele tomava mais uma vez a consciência de que era filho de seu pai, e o amor por humanas era algo de seu clã... ou talvez eles fossem mais evoluídos e soubessem lidar melhor com as diferenças da raça e sabiam enxergar a força que tinham.

A garota ao seu lado se mexeu de costas pra ele e resmungou...

Kagome – Durma Sesshoumarou.

O grande daiyoukai se permitiu relaxar, a apertou em seus braços e se entregou ao sono merecido, embalado pelo cheiro dos sedosos cabelos negros. Deveria aproveitar um pouco daquela paz do mundo dela, porque amanhã era um novo dia, amanhã era o começo de uma nova vida, ele tinha atitudes a tomar e iria precisar ser o sempre altivo e inatingível daiyoukai.

Mas somente amanhã, porque o agora ele iria apenas se permitir sentir.

Longe dali, naquele passado distante um ritual acontecia. Apesar do sangue da sacerdotisa das eras ter sido usado no corpo da Miko de barro o ritual ainda era necessário para dar alma ao corpo morto, não precisaria da outra sacerdotisa ali, mas tinha que cumprir o que aprendeu com aquela velha bruxa.

Vamos Kikyou, volte à vida...

Mas o corpo de barro não mudou, era ainda uma marionete oca, sem alma e sentimentos, se movia apenas pela força e desejo daquele ser imundo e inescrupuloso.

O que deu errado? Será que a outra metade de sua alma reencarnou? O que será que aconteceu?

Sentiu-se pela primeira vez perturbado, seus planos não seriam frustrados, mas com aquela novidade apenas adiados momentaneamente.

Trazer Kikyou de volta era uma forma de ter uma Miko ao seu lado, com capacidade de ajuda-lo a lidar com o seu alvo principal... Kagome.

Mas aquele fracasso apenas poderia significar uma coisa... Kagome não era a reencarnação de Kikyou... o que ela era afinal de contas? No passado ela abrigava a alma da sacerdotisa morta, e uma vez que o corpo antigo de barro da época de Naraku foi destruído a sua alma deveria ter voltado para Kagome, correto?

Pelo jeito não... isso só poderia significar uma coisa... Kagome era mais poderosa do que ele imaginava... e ele sorriu... Perfeita para seus planos sórdidos.

Ainda poderia utilizar a imagem da Miko de barro para manipular os outros, deveria ser convincente com a manipulação, mas iria conseguir, afinal ela era como um shikigami naquele momento.

Urasue lhe ensinou bem a arte da manipulação, ela deveria ter orgulho das suas proezas. Testou a obediência então da boneca de barro e ela parecia lhe obedecer... perfeito, hora de fazer uma nova visita ao vilarejo...

Continue o seu trabalho! Preciso de novos soldados!

Aquele abutre gritava para sua ceramista, enquanto saia com a boneca da Miko a lhe acompanhar, iria testa-la.

E presa naquela montanha a jovem garota se observa sem escapatória mais uma vez sendo manipulada pelas trevas.

A chance de tentar viver que ela havia conquistado no passado havia sido usurpada mais uma vez pelo mal. Porque não morreu? Porque Kami ainda permitia que ela ainda fizesse aquelas coisas horrorosas?

Enzue – chan se lembrava de seus salvadores, e por muito tempo viveu bem, sem ser importunada por nada, mas após a derrota de Naraku se viu mais uma vez desviada de seus objetivos de vida para se tornar mais uma vez uma ceramista habilidosa e detentora dos conhecimentos de sua mãe. Mas dessa vez aquele maldito também sabia deles.

Queria encontrar uma maneira de se ver livre dele, mas não podia, muitos dependiam dela.

Ela havia desejado morrer a tanto tempo, ela sabia que não deveria estar viva, mas havia prometido à Kagome que iria tentar viver e era isso que vinha fazendo. Refugiou-se em uma aldeia onde exercia o seu ofício em paz, até ter a vida de seus amigos e de todos os aldeões ameaçada por aquele samurai maligno.

Sabia que ele era forte, mais forte do que Naraku havia sido um dia e sabia que estava atrás de Kagome, mas o que ela poderia fazer naquelas condições? Nada? Ela não... mas talvez... estava sozinha, era observada por outros youkais, ela não conseguiria sair, mas um mensageiro sim!

Pensou um pouco e colocou toda a sua força de vontade naquele boneco... um pedido de socorro... um aviso... um alerta...

Enzue – Vá atrás de Kagome! Avise-os!

E o boneco se pós a andar, sua alma de mensageiro e o seu corpo grafado com o aviso da outra...ele tinha que alcançar o seu destino, custe o que custar.


Notas Finais


Alguém aí se lembra dos “filhos da Urasue”? Bom, eu sou uma pessoa que é apaixonada pelo anime, e tudo que escrevo aqui eu me baseio na obra original da nossa linda e maravilhosa Rumiko Takahashi, então eu não ia poder dizer nada dos soldados de barro sem ter a Enzue no meio né? Se bem que não sei se o nome dela se escreve assim, se alguém souber me fala, pesquisei e não achei... snif.

E também tivemos mais um momento SesshyxKah, mais algumas revelações... e desculpem por ser curtinho.

Link da música: https://www.youtube.com/watch?v=iXFXpN1Jyno

Não irei mais conseguir postar outro capitulo no dia primeiro de janeiro, então me perdoem, mas eu produzi algumas one shots que também estou postando hoje, vamos aos links:

Homenagem para mim mãe: https://spiritfanfics.com/historia/felicidades-7432271

Desafio Naraku x Kagome : https://spiritfanfics.com/historia/halo-of-glory-7442861

Original sobre suicídio: https://spiritfanfics.com/historia/desistencia-existencial-7443119

Bjs e até logo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...