História Ondina Short Story - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Ariel, Sereia
Visualizações 3
Palavras 667
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural
Avisos: Linguagem Imprópria
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Ai to tão triste e empolgada ao mesmo tempo que nem sei se sou capaz de opinar, aproveitem e em breve vai sair Black Valley novinha em folha \o/

Capítulo 4 - Azar- Final


Fanfic / Fanfiction Ondina Short Story - Capítulo 4 - Azar- Final

Ondina apenas soube correr, como literalmente nunca correu em toda sua vida. Seu pai tinha razão, os homens são mentirosos, e arrependimento mostrou ter um gosto amargo. Após virar uma esquina, esbarrou em um homem que soltou palavras xingamentos e deixou no chão, sem mesmo oferecer ajuda.

Só então a morena se levanta e olha em volta, estava em uma parte da cidade a qual nunca havia ido, pois havia boatos do perigo que rondava por ali. Agora o mix de sentimentos deu lugar ao medo, olhando em volta com mais atenção, resolveu caminhar até o ponto de ônibus na rua seguinte.

Quase chegando ao fim da rua, ouviu um gemido fraco, e olhando para a direita deu de cara com um beco escuro, e mesmo com dificuldade, podia-se ver um homem encostado na parede, aparentemente ferido. Receosa mas de bom coração, Ondina se aproximou do homem:

Ondina- Senhor, você está bem? – ela ofereceu a mão para ajudá-lo a levantar.

O homem a encarou, então ficou de pé e em questão de segundos, tirou a bolsa da mão dela, a derrubando no chão e saiu correndo. A gentileza se escondeu em meio à fúria e frustração que tomaram conta da mente e coração da garota naquele momento. Em um acesso de raiva, Ondina começou a bater no chão e gritar xingamentos sem se importar com seja lá o que ou quem fosse ouvir. Então o som de saltos ecoou e uma mulher alta, de casaco marrom claro comprido, e um cabelo ruivo e com um brilho diferente parou na entrada do beco:

- Então foi você quem encontrou meu colar!- ela fez questão de dar ênfase no ‘’meu’’

Ondina- Seu? Quem é você?

- Digamos que eu sou descendente direta de uma famosa na sua laia, ela costumava querer ser humana e não mediu esforços pra isso, ai ela virou conto de fada.

Ondina- Como me encontrou?

- O colar, ele está ligado a mim, quando senti ele com você, adiantei a volta da viajem.

Ondina- Eu não quero mais essa... Coisa!- ela grita e arranca o colar do pescoço e joga aos pés da mulher, então um brilho a envolve e sua cauda volta a aparecer

-Ridículo isso, boa sorte saindo daí sozinha!- a ruiva riu sarcasticamente pegando o colar.

Ondina- Espera! Qual seu nome?

-Amanda.

Ondina- Volte aqui! Ajude-me!

Ela estendeu o braço como se pudesse pegar a moça ao longe, mas já era tarde. O medo voltou a tomar conta de Ondina, como poderia sair dessa situação?

-Você ta bem encrencada sushizinha!

Seguindo a voz melódica, Ondina olha para cima e da de cara com uma mulher sentada na saída de incêndio do prédio a esquerda:

Ondina- Quem é você? Estava ai o tempo todo?

-Meu nome é Blair, e sim, quase quis uma pipoca, foi intenso isso ai!- ela abriu um sorriso de orelha a orelha.

Ondina- Você pode me ajudar?

Blair- Se isso me fizer entrar no céu... to brincando, posso sim.

Blair desce as escadas e parando em frente a sereia, a mesma pode analisar melhor a estranha criatura a sua frente: cabelos negros, pele clara, olhos brilhando em lilás, vestindo um vestido negro com detalhes brancos e sapatos vermelhos brilhantes, junto de uma meia calça listrada em preto e branco.

Blair- Que foi? Não sou a bruxa má do Oeste não, essa ai faleceu cedo!- ela falou fazendo gestos exagerados com as mãos.

Ondina- Eu não tenho mais para onde ir... nem como te pagar.

Blair- E nem precisa, eu vou te levar pra minha casa, lá você vai estar segura dos humanos!

Antes mesmo que Ondina pudesse opinar, Blair fechou os olhos e flutuando canalizou uma bola de luz azul índigo que envolveu Ondina, trazendo de volta suas pernas humanas:

Blair- Vamos, isso só dura durante a lua cheia!

A mão de Blair estendida para ajudar Ondina fez finalmente a sereia sentir que talvez tivesse encontrado uma amiga de verdade. E foi assim que Ambas chegaram a mansão Black.


Notas Finais


O tempo foi curto mas eu to muito feliz com o resultado, espero que dê pra conhecer um lado pessoal do passado da nossa sereia! até Black Valley amores s2


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...