História One - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Demi Lovato, Miley Cyrus
Personagens Ally Brooke, Ariana Grande, Camila Cabello, Demi Lovato, Dinah Jane Hansen, Joe Jonas, Lauren Jauregui, Megan Fox, Miley Cyrus, Nick Jonas, Normani Hamilton, Personagens Originais, Selena Gomez, Wilmer Valderrama
Tags Ariley, Camren, Diley, Fifth Harmony, Joe Jonas, Nick Jonas, Norminah, Wilmer Valderrama
Exibições 133
Palavras 2.474
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Hentai, Policial, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Desculpem a demora, queria que deixasse esse capítulo bonitinho e cheirosinho para vocês, porque ultimamente as caps estão saindo um cu né, convenhamos. E também estava sem criatividade.

Espero que gostem <3

Boa Leitura seus lindos e lindas.

Capítulo 14 - Capítulo 13


– Demi da próxima vez que você se sentir mal, tontura ou enjoo por favor avisa a gente que te levaremos ao hospital. – Disse meu pai assim que entramos em casa. Acabamos de chega do hospital, Steven disse que me encontrou desmaiada no meu quarto e imediatamente me levou ao hospital. Felizmente não houve nada de errado comigo ou com meu filho, apesar de eu ter caído de bruços como a Mama me disse. Meu filho, ele ou ela é um guerreiro.

Se vocês estão achando que eu disse pro médico que a causa do meu desmaio foi por causa da minha mã... Por causa da Dianna vocês estão enganados. Não me culpem! Toda hora sentia o olhar da Dianna queimar sobre mim, e não era um olhar bom, era um olhar ameaçador, ele me dava arrepios, não sei do que ela é capaz.

Infelizmente agora todos acham que eu mudei de ideia e que agora eu vou me casar. Dianna disse a eles que eu estava assustada porque está indo tudo muito rápido por isso "disse" aquilo, não podia negar quando eles perguntaram se isso era verdade, não tive escolha. Agora eu não sei mais o que fazer, estou me sentindo oprimida pela Dianna, estou presa por causa de suas ameaças, e creio que as ameaças dela não acabaram por aqui. Eu não posso deixar ela controlar a minha vida, preciso fazer algo, preciso arriscar, mas pra isso preciso de tempo.

– Pai é a gravidez, é normal ter esses tipos de sintomas. E falando nisso estou com vontade de comer pizza com creme de amendoim.

– Pizza com creme de amendoim? Demi você é louca. – Disse Maddie.

 

– Não chame sua irmã de louca Madison, são os desejos dela, ela não tem culpa. – Desta vez quem disse foi Dianna.

– Exatamente. Steven vá preparar pizza com creme de amendoim para Demi. – Fiquei indignada com o que acabei de ouvir. Mesmo depois de ter fazido o que fez Wilmer ainda tem coragem de tratar Mama como empregada.

– Não Mama! Não faça nada. Eu peço para Rosie ou a Jolie fazer.

– Mas amor...

– Cala a boca Wilmer. – O interrompi. – Já cansei desse seu ego idiota, pare de tratar Steven como empregada ela não é uma, você sabe muito bem que temos empregadas aqui, não é necessário mandar Steven fazer algo. E além do mais ela que manda e mora aqui, não você, você é apenas mais um hóspede. Então respeite Steven, pare de se achar o dono de tudo porque você não é. Quer mandar em alguém, então vai mandar em seu apartamento, porque aqui não, você não tem esse direito, e se depender de mim nunca vai ter. – Terminei de falar e ouvi Mama sussurrar um "obrigada" já que ela estava perto de mim. – Eu vou subir, preciso descansar.

– Eu vou pedir para Rosie preparar pizza com creme de amendoim para você querida.

– Obrigada Mama. – Subi as escadas e fui para o meu quarto. Assim que entrei já fui tirando a minha roupa o jogando em qualquer lugar e indo direto para o banheiro, precisava de um banho. Entrei no banheiro e entrei no box e ligando o chuveiro já que eu já estava nua.

Nunca me senti tão aliviada ao sentir a água quente bater em meu corpo, por um momento ali me esqueci dos meus problemas. Depois mais de alguns minutos no banho decidi sair. Desliguei o chuveiro, sai do box e peguei a toalha que sempre fica pendurado ao lado de esquerdo da pia e me enrolei na mesma.

– Pensei que ia morar dentro desse banheiro. – Ouvi a voz da Dianna assim que sai do banheiro.

– O que você quer agora? – Fui até o closet.

– Nada... Pensando bem eu quero te pedir uma coisa sim.

– Então fale logo. – Falava com ela enquanto me trocava dentro do closet.

– Primeiro, por que você tratou Wilmer daquele jeito?

– Porque ele merecia. Vai me obrigar a tratar ele como um rei agora mamãe? – dei um ênfase no "mamãe"

– Você e seu sarcasmo.

– Vai dizer o que tem para me dizer, ou vai ficar aí me julgando?

– Ok, vou direto ao ponto. Provavelmente Miley virá aqui, pois no hospital ela viu você deitada numa maca e ficou toda preocupada. Agora ela ainda está no hospital com Dinah e Normani, e aliás a filha delas é linda, pena que tem duas mães... Coitada. – Revirei os olhos por causa desse seu comentário homofóbico. – Bom, quando Miley chegar aqui eu quero que você a trate mal, quero que você faça ela te odiar. – Comecei a rir. Não pode ser verdade, ela deve estar brincando.

– Aí Dianna, você é uma comédia. – Disse saindo do closet já vestida.

– Demetria eu não estou brincando, quero que você faça isso.

– Está falando sério? Quer que eu magoe a Miley?

– Sim, exatamente.

–Você... Você é louca! Eu não vou fazer isso.

– Ah mas você vai sim.

– Eu já disse que não vou!

– Está bem, mas saiba que Miley pagará as consequências. Seu sonho de ser uma fotógrafa profissional irá cair pelo o ralo, ela irá perder o seu curso de fotografia e o seu emprego. Você sabe muito bem que eu sou uma grande amiga da Rihanna e foi eu que coloquei Miley naquela empresa. Do mesmo modo que dei esse emprego à ela, do mesmo jeito ela irá perder ele, tudo isso por sua culpa. – Eu sabia que suas ameaças não acabaram. Não acredito que essa mulher que acabou de dizer isso foi a mesma mulher que a tia Tish pediu para ser a madrinha da Miley. Eu não conheço mais a minha mãe, ela virou outra pessoa. Eu realmente não sei o que fazer, não posso deixar Miley perder seu emprego, esse é o seu sonho. Desde pequena Miley sonhou em ser fotógrafa, ela ama o que faz. E agora ela pode perder tudo se eu não fizer o que Dianna pediu.

– Ok, eu faço, só não faça nada a Miley. Se ela não tiver a minha amizade, pelo menos ela vai ter o seu sonho vivo.

– Ótimo, não demore, quanto mais rápido você se afastar dela mais rápido você vai se afastar da sua turminha. Com "turminha" eu quis dizer amigas homossexuais. Lauren, Dinah, Normani, Camila, esse pessoal aí.

– Eu tenho pena de você.

– Poxa filha assim você...

– Com licença, Senhorita Demi aqui está a sua pizza com creme de amendoim que a senhorita pediu. – Ouvia a voz da Rosie a interrompendo.

– Obrigada, coloque em cima da cama por favor.

– Pronto, está no lado esquerdo da cama Senhorita Demi. Com licença. – Disse e ouvi passos distanciando.

– Eu vou ter que ir agora, eu e seu pai vamos jantar e dormir fora, só nós dois. Bom, tchau querida. – Ela veio até mim e beijou a minha testa. — Não me decepcione. – Disse e saiu do quarto. Assim que percebi que fiquei sozinha limpei a minha testa e as minhas lágrimas que eu segurava o tempo todo saíram facilmente. Não sei quanto tempo eu fiquei chorando, só sei que o bastante para cair no sono.

(...)

– Pequena acorda. – Ouvia alguém me chamar e pela a voz sei muito bem que é a Miley.

– Miley o que faz aqui? – Disse me sentando na cama.

– Eu vim ver se você está bem pequena. – Ela acariciou o meu rosto com o polegar. Amo quando ela faz esse pequeno gesto de carinho, ela é tão boa não merece ser odiada. Mas infelizmente vou ter que magoa-la.

– Miley não...

– Aquilo lá é pizza com creme de amendoim? – Me interrompeu.

– Sim. Miley preciso te dizer algo.

– Então fale. – Fiquei em silêncio, não sabia como começar, não conseguia tirar essa coragem de mim, mas tenho que tentar.

– Miley, a gente não pode mais ser amigas. – Disse e já sentia os meus olhos marejados.

– O quê? Você está brincando né?

– Não, eu não estou, desculpa. – Me levantei e ia sair do quarto mais ela segurou o meu braço de leve.

– Demi você não pode fazer isso.

– Eu posso e já fiz.

– Você acha que eu sou o quê? Eu me declaro para você, digo que te amo, te trato com todo amor que sinto por você, pra quê? Para você ficar noiva e grávida de um cara, me beijar e depois me dizer que não podemos ser amigas? Eu não sou brinquedo não Demetria.

– Desculpa mas é a realidade. – Vocês não fazem ideia do quanto está doendo dizer aquelas palavras.

– Realidade? A única realidade aqui Demetria é que você está sendo uma vadia! – Aquelas palavras foi como uma faca sendo cravada em meu peito. Nunca doeu tanto ouvir alguém dizer algo. A essa altura as lágrimas caiam facilmente em meu rosto.

– Talvez eu seja mesmo, você que não tinha percebido isso antes.

– Eu não acredito que estou apaixonada por você, não acredito que.... – Ela estava tão perto, sua respiração batia em meu rosto. Não ouvia nenhuma palavra do que ela dizia, só pensa o quanto queria beijá-la, o quanto queria senti-la dentro de mim novamente. Desde da última vez em que fizemos sexo não consigo parar de pensar o quão é bom senti-la dentro de mim, sentir seus beijos molhados sendo distribuídos em todo meu corpo, o seu corpo colado ao meu, sentir os seus toques, o seu beijo quente e ao mesmo tempo apaixonado era o que eu mais sentia falta.

Sem perder tempo a beijei, ela não retribuiu na hora mas acabou cedendo. Minha língua invadiu sua boca e um arrepio tomou conta do meu corpo ao sentir sua língua tocar a minha. O beijo era apressado, nem um pouco carinhoso, ambas estava lutando para tentar ter todo controle do beijo. Suas mãos apertavam minha cintura e minhas mãos estavam na sua nuca arranhando a mesma.

– Você não pode fazer isso comigo. – Disse ofegante assim que separamos o beijo.

– Cala a boca. – A beijei de novo. Não estava aguentando, minha excitação só aumentava, e parece que ela também pois seu membro ereto coberto pela calça tocava a minha coxa. Miley me pegou no colo fazendo eu colocar as minhas pernas em volta da sua cintura e me bateu contra a porta me fazendo soltar um gemido de dor e excitação. Vou mentir não, estava adorando essa Miley agressiva.

Ela tirou a minha blusa e o meu sutiã e desceu os seus beijos até chegar em meus seios. Ela mordia e chupava o direito enquanto apertava e massageava o esquerdo. Meu gemidos já não era mais controlados, estavam altos. Ainda bem que meu quarto tem isolamento sonoro.

Assim que Miley saciou dos meus seios ela me beijou e andou comigo ainda em seu colo e me jogou na cama. Ela me tirou as únicas peças de roupas que estavam em meu corpo me deixando completamente nua. Ela se afastou de mim depois de alguns segundos e deitou sobre mim e percebi que ela também estava nua.

Ela distribuía beijos, mordidas e chupava o meu corpo todo, com certeza ficaria com marcas. Ela levou seus dedos até a minha intimidade completamente molhada e com dois dedos fez movimentos circulares, sem avisar ela me penetram dois dedos me fazendo arquear as costas e gemer alto. Seu vai e vem era rápido, eu já gemia descontroladamente. Enquanto ela me penetrava ela levou um dedo seu até ao meus clitóris e massageava e fazia movimentos circulares.

– Isso geme pra mim. Quero ver você gozando em meu dedos. – Ouvi ela sussurrar essas palavras no meu ouvi foi o suficiente para eu soltar um gemido mais alto e gozar em seus dedos. Ela tirou os seus dedos dentro de mim e chupou toda a minha intimidade me deixando seca. Depois de limpar todo o meu líquido ela me beijou e pude sentir o meu gosto.

Virei nossos corpos ficam por cima dela e desci o beijo até chegar em seu membro completamente ereto. Passei a minha língua em todo o seu comprimento até chegar na sua glande e chupei, e comecei a masturba-la lentamente.

– Demi anda logo com isso. – Disse entre suspiro. Atendendo o seu pedido, coloquei todo o seu membro em minha boca, ela era muito grande mas isso nao me impedia de fazer garganta profunda nela. Minha garganta massageava o seu membro enquanto eu apertava a sua bunda. Miley gemia descontroladamente, ela fez um falso rabo de cavalo em meu cabelo e começou a "foder" a minha boca.

– Eu... Eu vou g-gozar. – Ela tirou a minha cabeça perto do seu membro e começou a se mastubar, mas eu queria que ela goze em minha boca. Então tirei a sua mão do seu membro e voltei a chupa-la, senti o seu membro contrair em minha garganta e em seguida ela soltar três jatos de gozo em minha garganta, engoli tudo sentindo o quanto deliciosa e doce que ela é. Voltei a beijá-la com calma e a sua respiração foi se acalmando. O beijo que antes era calmo foi ficando apressado o que me deixou excitada.

– Fica de quatro pra mim. – Mandou e eu rapidamente obedeci. – Você é tão gostosa. – Deu um tapa na minha bunda e soltei um gemido mais de excitação do que de dor. – Você gosta disso né vadia? – Deu outro tapa, só dessa vez mais forte.

– Miley não t-tortura.

– Calada! Você foi muito má e agora eu vou te dar uma lição. – Deu outro tapa. Miley ameaçava a me prenetar, ela só penetrava a cabeça e depois tirava e isso já testava me irritando.

– Miley me fode logo!

– Shii calma. – Ela deu uma risada e me penetrou sem nenhum aviso, soltei um gemido tão alto que se o quarto não tivesse isolamento sonoro a vizinhança inteira ouviria. Ela me penetrava forte e rápido, eu agarrava os lençóis da cama e mordia o meu lábio inferior, já podia sentir o gosto de ferro do meu sangue e o meu suor já caia em minha testa, os únicos sons que se ouvia naquele quarto era os nossos gemidos e o som dos nossos corpos se colidirem. Miley me penetrava tão forte que duvido nada que minha bunda esteja vermelha agora.

– Hm i-isso baby. M-mas rápido.

– Demi v-você é tão apertada, tão gostosa. –Ela deu outro tapa e penetrou mais fundo atingindo o meu ponto sensível, em poucos segundos senti as minhas paredes se contraírem em seu membro e em seguida acabei gozando lambuzando todo o seu membro, depois de mais duas estocadas, ela soltou mais três jatos dentro de mim. Sentir ela gozar dentro de mim foi a melhor sensação que já senti.

Eu cai ofegante na cama e ela deitou em cima de mim também ofegante. Ela deu um beijo em meu pescoço e saiu de dentro de mim me fazendo soltar um gemido de reprovação. Miley deitou do meu lado e me puxou para deitar em seu peito e assim eu fiz. Ela ficou acariciando o meu cabelo e não demorou muito para eu cair no sono. 


Notas Finais


Hot Diley!!!

Essa Dianna está irritando até eu aff.

Desculpem qualquer erro.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...