História One and Only - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias David Luiz
Personagens David Luiz
Tags Cecilia, David Luiz, One And Only, Shay Mitchell
Exibições 26
Palavras 2.112
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Esporte, Famí­lia, Festa, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi gentee!!
Postei mais um capítulo para dar uma adiantada na história.
Espero que gostem...

Capítulo 2 - Churrasco...


Fanfic / Fanfiction One and Only - Capítulo 2 - Churrasco...

Cecília:

Sinto uma ardência em meus olhos e percebo a luz consumir minha visão aos poucos. Remexo-me com raiva na cama, enquanto preparo para xingar o infeliz que abriu as cortinas do meu quarto. Até perceber que se trata de minha mãe.

- Ceci, levanta! Já são quase meio dia e nós temos que ir para o churrasco! – ela diz.

- Não tinha um jeito melhor de me acordar, dona Ângela? – falo ainda sonolenta.

- A senhorita sabe bem que não acorda por qualquer coisa. – acabo concordando com ela e levanto da cama.

Vou até o banheiro e tomo um banho bem relaxante. Saio enrolada na toalha e vou até a mala escolher uma roupa para usar no churrasco. Resolvo vestir um cropped e um short jeans rasgado, além do fiel amigo tênis. Pego um bíquini e coloco na bolsa, para caso queira dar um mergulho na piscina. Deixo o cabelo secar natural, passo um batom leve e coloco os óculos de sol para tampar a cara de quem acabou de acordar.

Vou para a sala onde encontro Diego:

- Bom dia Bela Adormecida! – ele diz e eu sorrio.

- Bom dia! – respondo animada.

- Desse jeito vou ter que ficar de cão de guarda.

- Por quê? – pergunto sem entender.

- Você ai toda produzida... – ele joga no ar.

- Sei muito bem como me cuidar. Não precisa se preocupar. – digo e meu irmão ri.

- Fiquei sabendo que David está solteiro – minha mãe chega por trás de mim.

- O que isso tem haver com o assunto mãe? – pergunto.

- Com você toda linda assim, tenho certeza que vai deixar o David interessado.

- Ah mãe, nem vem com esses papos não. Tô de boa sozinha, não preciso de um cara para me atormentar.

- Tá bom, não está mais aqui quem falou. – ela diz se rendendo e todos riem. – Vamos então?

Todos assentimos e então vamos até o carro. Meu irmão vai dirigindo e em pouco tempo estamos em frente à casa dos Marinho. Desço do carro para tocar a campainha. Ladislau vem logo para atender e abre o maior sorriso ao me ver:

- Ceci, que bom que você veio! – abraço-lhe.

- Podemos estacionar aí dentro? – pergunto e ele assente, abrindo espaço para que meu irmão entre com o carro. Pego minha bolsa, enquanto minha mãe e Diego descem do carro.

- O churrasco acabou de começar. – diz Ladislau enquanto vamos andando em direção à área de festas da grande casa da família. Ao nos aproximarmos, noto algumas pessoas, alguns conhecidos outros não. Regina se aproxima de nós e me puxa para um abraço:

- Que bom que vocês chegaram. Pensei que não viessem mais.

- Essa menina ai dormiu demais! – diz minha mãe atrás de mim e todos riem.

Olho para frente e vejo David em pé perto da churrasqueira. Ele conversa com um cara que julgo ser seu amigo, sinto conhece-lo de algum lugar que não lembro no momento. Percebo que David tem os olhos cravados em mim e sinto um arrepio percorrer minha espinha. Fazia alguns anos que eu não o via e não me lembrava de ser tão bonito. Com traços fortes e aquele corpo que fazia qualquer uma perder o ar, além daqueles olhos tão penetrantes que podiam sentir a alma de alguém.

Mordo os lábios e então um puxão me faz voltar à realidade:

- Vamos lá que vou te apresentar pro pessoal. – diz Regina e eu sorrio sem graça, seguindo a matriarca.

Aproximamo-nos de onde o jogador estava e Regina fala toda animada:

- Olha quem chegou David. – ela pega na minha mão e me aproxima do rapaz. Tiro meus óculos e sorrio sem graça pra ele, que me encara sem ao menos disfarçar. Solta aquele sorriso cafajeste e diz:

- Cecília. – mordo o lábio novamente ao ouvir meu nome ser pronunciado por ele de uma forma tão sexy que meu corpo inteiro arrepia-se.

- David. – sorrio sem graça e ele faz o mesmo. Abraçamo-nos desconfortavelmente e nossas mães sorriem satisfeitas. Essas duas não tem jeito mesmo!

David cumprimenta minha mãe e meu irmão e depois o mesmo nos apresenta para o restante das pessoas. O amigo que conversava com ele quando cheguei se chama Oscar e também joga no Chelsea. O rapaz está aqui no Brasil junto com a mulher, Ludmila, que logo me é apresentada.  O casal tem dois filhos pequenos, duas gracinhas!

Cumprimento Isabelle, irmã de David, que logo diz:

- Ceci, você está muito diferente. São Paulo te fez muito bem! – sorrio e agradeço pelo elogio.

- A última imagem que tenho de você, ainda usava aparelho e andava sempre com cabelo preso. – David se aproxima de nós e eu começo a rir.

- Obrigada por me lembrar dessa imagem maravilhosa. – digo e ele ri.

- Eu achava fofo... – ele diz e reviro os olhos.

- Ah com certeza. – respondo.

- Então quer dizer que você está indo morar em Londres? – ele pergunta e Belle se afasta de nós. Muito obrigada querida, troféu jóinha pra você!

- Estou sim, fui contratada para trabalhar numa confeitaria de lá.

- Hm, que ótimo. Se precisar de um guia, é só me chamar. – ele diz sorrindo daquele jeito maravilhoso. Droga, para de ser tão sexy cara...

- Ah pode deixar. – respondo com um sorriso sem graça.

Então eu me sento ao lado da mulher de Oscar e começamos a conversar. Ela pergunta como eu conheci a família de David e eu lhe conto a história brevemente, sem falar das partes mais tristes, obviamente. Ela me conta como conheceu David e da amizade que ele tem com o marido dela. Sorrio com as partes engraçadas e de perceber que David não perdeu o jeito brincalhão de antigamente.

Ficamos conversando durante um longo tempo e percebo que Ludmila é super simpática. Oferece-me para ajudar com a mudança e adaptação em Londres e fico extremamente agradecida.

- Irei precisar mesmo! – digo.

- Sei bem como é esse processo de transição de um país para o outro. No começo é um pouco complicado, mas logo você se acostuma. E com ajuda é sempre mais fácil. – diz toda sorridente enquanto escreve seu número em meu celular. – Quando precisar de alguma coisa é só ligar. – diz dando uma piscadela e eu sorrio.

Os rapazes se aproximam de nós e Oscar diz:

- Vamos pra piscina meninas?

- Vamos sim, aproveitar que as crianças dormiram.  – Lud diz.

- E você Ceci, vem com a gente? – David pergunta e eu faço uma careta.

- Ah, acho melhor não. – respondo.

- Qual é Ceci, você adora uma piscina que eu sei. – é a vez de meu irmão se pronunciar. – Tá com vergonha da pança?

Mando língua para meu irmão e todos riem:

- Vamos lá aproveitar Ceci. – diz Ludmila.

- Quer saber, eu vou então. – digo me levantando em direção ao banheiro para trocar de roupa. Coloco meu biquíni azul, passo um pouco de protetor solar e coloco meus óculos de sol novamente. Volto para a piscina e me sinto extremamente envergonhada, principalmente por causa do olhar devorador de David. Se já estava me sentindo quase nua, imagina agora...

Pulo de uma vez na piscina e então resolvemos jogar vôlei. Ficamos eu, David e Diego contra o casal Emboaba. Percebo os olhares de David ao meu lado durante todo o jogo. Não sei como a cara dele não racha.

Ficamos jogando até minha mãe e Regina chamarem para almoçar. Saímos todos da piscina e David vem logo me oferecer uma toalha:

- Obrigada. – agradeço ao me enrolar na toalha quentinha que ele me traz.

- Disponha. – sorri. SEXY, de novo...

Vamos em direção à churrasqueira enquanto servimos o almoço. Comemos todos juntos, ao som de muitas risadas causadas pelas brincadeiras de David. Ele realmente é um cara carismático.

Assim que terminamos de almoçar, resolvo deitar um poucos nas espreguiçadeiras e vejo Ludmila se aproximar com Caio em seus braços. Ela deita com a criança ao meu lado e diz:

- Parece que o David gostou de você. – sinto minhas bochechas queimarem – Não para de te olhar...

- Ele nem faz questão de disfarçar né? – digo e ela ri, balançando a cabeça de um lado para o outro.

- David é assim mesmo, cara de pau. Pode ir se acostumando. – começo a rir do modo que ela fala – Mas é um cara muito do bem, você vai ver. Vocês ficariam bonitinhos juntos...

- Não estou muito afim de complicação na minha vida nesse momento. Melhor ele ficar lá e eu aqui. – digo e ela ri.

- Eu disse a mesma coisa quando conheci o Oscar. E olha onde estamos hoje.

Começo a rir me dando por vencida.

- Vamos ver o que acontece... – ela sorri vitoriosa.

Falar que David não me atraia seria uma grande mentira. Aquele corpo escultural, aquele sorriso sexy, aqueles cachinhos que pareciam ser o encaixe perfeito da obra final. Mas não me vejo tendo qualquer tipo de relação com David, ora eu mal o conheço. Além de vivermos em realidades totalmente diferentes. Talvez possamos começar uma amizade, nada mais que isso.

 

David Luiz

Nada melhor do que acordar sentindo o calor do Brasil. Estou tão acostumado a viver no frio europeu que quando posso acordar e não preciso colocar casaco, é uma felicidade. Ao sair de meu quarto, encontro a família Emboaba já acordada, tomando café junto aos meus pais e minha irmã.

- Bom dia família! – me pronuncio e todos me olham sorrindo, respondendo em seguida.

Vou até Isabelle e dou-lhe um abraço apertado. Fazia tempo que não via minha irmã. Pego meu sobrinho no colo e brinco um tempo com ele. Que saudade eu estava desse moleque!

Logo começam os preparativos do churrasco de boas vindas que minha mãe faria. Ajudo a arrumar as coisas e então vou até meu quarto colocar uma bermuda descente. Resolvo ficar sem camisa, por estar bem quente.

Desço para a área externa da casa e fico conversando com Oscar, enquanto olhamos a churrasqueira. A campainha toca e meu pai vai correndo atender. Vejo uma moça descendo do carro e julgo ser Cecília. Cara, eu não me lembrava dela ser tão alta assim...

O carro logo adentra o estacionamento e a família vem se aproximando. Não tiro meus olhos de Cecília, que realmente mudou muito de uns tempos pra cá. Seu cabelo está mais sedoso e bonito, seu corpo parece uma escultura feita a mão e aquela boca que parecia um desenho.

- Quer um babador ai? – Oscar me cutuca e nós rimos.

- Cara, to sem palavras... – digo e Oscar balança a cabeça de um lado para o outro.

- Você não tem jeito mesmo né? – diz meu amigo – Ela é bem bonita mesmo. – diz analisando-a.

Desperto do transe ao ver minha mãe se aproximar ao lado dela. Ela tira os óculos e minha visão fica ainda melhor. Que mulher é essa?

Dona Regina diz quando já está perto:

- Olha quem chegou David.

Sorrio e então digo:

- Cecília. – ela morde os lábios quando falo e sinto meu corpo se arrepiar. Linda...

- David. – sorri sem graça e eu faço o mesmo.

Passo o dia todo analisando a beleza daquela mulher. Como pode aquela garota que eu conheci a tempos atrás, que usava aparelhos e o cabelo sempre preso como se quisesse se esconder, se tornar uma mulher tão linda e radiante como essa que está na minha frente?

Quando eles vão embora, quase noite, entro em casa e me sento ao lado de Oscar, que está no sofá brincando com Juju.

- E aí cara? – ele diz e sorri – Sobreviveu?

Começo a rir e digo:

- Cara, não consigo superar a beleza da Ceci.

- Todo mundo percebeu. Você não tirava os olhos dela. Até ela percebeu.

- Claro que não percebeu. Não estava tão na cara assim.

- Estava super na cara você babando na garota. Principalmente quando ela colocou o biquíni. – sorrio sacana ao lembrar da cena.

- Você não presta David. – Oscar ri – Lud me falou que até a Cecília reparou suas olhadas super discretas.

-O que a Lud falou? – pergunto curioso.

- Ah ela estava falando com a Cecília e ela disse que percebeu seus olhares. Mas não quer saber de confusão na vida dela agora.

- Hm, entendi. – respondo.

- Relaxa cara, eu acho que você tem chances com a gata. Só seja o David de sempre. – ele diz e eu começo a rir.

- Eu tô precisando é de tomar banho. – digo me levantando e subindo para o meu quarto. Quem sabe o chuveiro me ajude a clarear as coisas e tirar a imagem dessa mulher da minha cabeça.

(...) 


Notas Finais


E ai gente, gostaram??
Nos vemos no próximo capítulo!
Beijos <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...